1. Spirit Fanfics >
  2. Dear Sourwolf (Sterek) (EM CORREÇÃO) >
  3. Pânico

História Dear Sourwolf (Sterek) (EM CORREÇÃO) - Capítulo 46


Escrita por: Meowwrine

Notas do Autor


Oi babes, como estão?
Pela primeira vez vou fazer uma """""maratona""""" de capítulos aqui na fanfic (postar vários capítulos em sequência), mas nesse caso, apenas dois.
Inicialmente esse capítulo (quarenta e seis) tinha em torno de três mil palavras, mas por ter ficado grande e com muitos lapsos de tempo eu decidi cortar e postar dois para que vcs consigam absorver todas informações com calma. E como a segunda parte já está pronta, vou postar ainda hoje pq vcs merecem ❤

Boa leitura 🥰
Maratona (1/2)

Capítulo 46 - Pânico


Fanfic / Fanfiction Dear Sourwolf (Sterek) (EM CORREÇÃO) - Capítulo 46 - Pânico

Stiles

4° mês

— Porra, anda, anda, anda! — Derek murmura impaciente para o trânsito na nossa frente.

Ele está muito nervoso, assim como a Lydia que está sentada do seu lado no banco do passageiro falando apressadamente com alguém no celular, e também como o Scott que está no banco de trás comigo, segurando minha mão para que consiga sugar minhas dores.

Fecho os olhos, incapaz de mantê-los aberto por mais tempo. Apesar da dor estar sendo aliviada, estou me sentindo tão fraco que sinto que vou desmaiar a qualquer momento. Estou soando muito, minha garganta e boca estão secas e novamente terríveis náuseas estão me agonizando.

— Derek! — Ouço Lydia vociferar e em seguida o carro vira bruscamente, fazendo os pneus gritarem em protesto.

— Ei, ei, ei, fica acordado. — Scott murmura pra mim enquanto acaricia meus cabelos e com muito esforço eu abro meus olhos. — Estamos chegando, ok?

Um desconforto sobe pela minha garganta e instintivamente eu tusso no papel que está nas minhas mãos.

Afasto ele da minha boca assim que me sinto melhor e um calafrio sobe por toda minha coluna quando olho para os pigarros de sangue que eu acabei de tossir espalhado no branco do papel. Ah, Deus, por favor, não.




Há alguns momentos antes:

— Gostei dessa. — Lydia mostra o celular dela pra mim, pro Scott e pro Derek e nós analisamos a foto que acabamos e tirar.

— Minha cara saiu horrível! — Reclamo

— E meu olho ficou com reflexo. — Scott diz logo em seguida.

— Só você saiu bonita, Lydia. — Derek fala por último, também não satisfeito com a foto.

— E é só isso que importa. Vou postar. — A ruiva sorri e vira-se voltando a andar pelo shopping. Nós três a acompanhamos.

— O filme vai começar daqui há trinta minutos, não é melhor irmos logo comprar a pipoca? — Scott nos lembra, olhando para o relógio.

— Eu também quero comprar alguns doces no Walmart. — Aviso e paramos de andar para decidirmos o que fazer.

— Então o Scott e a Lydia vão comprar a pipoca, eu e você vamos no Walmart e depois nos encontramos todos na entrada do cinema, combinado?

— Não, eu vou com o Stiles. — Lydia contesta — Quero ir no banheiro e tem um próximo do Walmart.

— Está bem, só não demorem. Encontramos vocês na entrada do cinema.

Me despeço do Der com um beijo breve e caminho com a Lydia em direção oposta da dele e do Scott, em sentido ao banheiro para logo depois ir no Walmart.



— Você vai comer durante o filme todo? — Lydia indaga quando olha para a cesta cheia de guloseimas que eu estou carregando.

— O filme que vocês escolheram é péssimo, só me resta comer.

Pego três barras de cereais, coloco dentro da cesta e continuo a andar pelas prateleiras procurando mais alguma coisa que eu goste.

— Sem falar que agora eu como por dois, não é Amy? — Acaricio minha barriga, sorridente.

— Amy?

— Sim, estamos testando um novo nome. Amélia.

— É um nome bonito. Vocês estão muito empolgados para descobrir o sexo amanhã na consulta?

— Apesar de eu sentir que é uma menina, estou ansioso para a confirmação.

Entramos no corredor de bebida e eu comemoro interiormente. Minha boca já está ficando seca de sede.

— Calma, Sti. Tem um freezer inteiro de água. — Lydia brinca quando eu começo a beber a garrafa de água desesperadamente.

— Está muito calor aqui, não é? — Coloco a garrafa vazia na cesta e a apoio em algum lugar para poder tirar meu casaco.

— Calor? Estamos na parte mais fria do supermercado. — Lydia está me olhando como se eu fosse louco — Você está se sentindo bem?

— Estou, deve ser só mais um sintoma bobo dos hormônios. — Coloco mais quatro garrafa de água dentro cesta, seguro-a e voltamos a andar — Eu já estou no quarto mês, dá pra acreditar? E o melhor é que até agora está correndo tudo perfeitamente bem, sem nenhuma complicação. Eu estou tão feliz e aliviado, o Derek também está, essa semana ele ficou conversando com minha barriga e foi tão fofo que quase morri, eu acho que não vou aguentar quando ela nascer.

Pego duas garrafinhas de suco e coloco na cesta. Pronto, já é o suficiente. Me dirijo até o caixa e Lydia continua a me seguir.

— E sobre você e o Derek? O que está rolando? Vocês estão namorando?

— Hum... não.

— Então estão solteiros?

— Não.

— Estou confusa.

— Estamos nos relacionando, mas sem namorar, e também não estamos solteiros, pois decidimos estabelecer exclusividade.

— E por que simplesmente não namoram?

— Estamos indo devagar.

— Há quase um mês?

Paramos de andar quando chegamos na fila e eu me viro para a ruiva.

— Sim, e estamos bem assim. Quando for a hora certa para reatarmos, nós vamos saber.

— Entendido. Mas vocês estão bem mesmo?

— Super bem. Na nossa melhor fase, eu diria. Até nossas discussões são saudáveis, estamos realmente nos esforçando e mudando. — Não consigo controlar meu sorriso só de lembrar do mês incrível que tivemos.

— Eu fico tão feliz por vocês. — Lydia também está sorrindo.

— Próximo! — A voz da mulher do caixa chama nossa atenção e quando percebo que nós somos os próximos me apresso para ir até ela.

Continuo a conversar com a Martin sobre assuntos aleatórios enquanto minhas compras são registradas e em pouco minutos eu pago e saímos no supermercado com as escolas, indo agora em direção ao cinema para nos encontrarmos com o Scott e o Der.

— Meu deus que calor. — Murmuro terminando de beber mais uma garrafa de água — Lydia, acho que vou no banheiro, estou me sentindo um pouco tonto.

— Meu Deus — Ela me olha assustada — Você está soando muito. Está passando mal? — Seu tom é de preocupação — Eu vou procurar o Derek, senta nesse banco e me espera, ok? Eles devem estar logo ali, não vou demorar.

Ela me guia até um banco e sou forçado a me sentar.

— Lydia, eu estou bem! Só preciso jogar uma água no rosto.

— Stiles, fica. Aqui! — Ela ordena pausadamente e sem esperar que eu a responda, dá-me as costas e sai andando.

Decido obedecer, a aproveito para abrir mais uma garrafa de água e beber. Parece que minha sede está insaciável e pra melhorar estou começando a sentir náuseas e uma dor desconfortável no meu abdômen. Que bom que Lydia não me escutou e foi chamar o Derek, estou começando a achar que realmente não estou bem.

Olho para onde a Lydia foi e não vejo nem ela, nem o Derek ou o Scott chegando. Me desespero, pois o enjoo está aumentando e sinto que vou vomitar a qualquer momento. Argh. Mesmo sabendo que é uma péssima ideia me levanto e vou as pressas para o banheiro.



— Cara, você está bem? — Um homem moreno, de pele escura e alto que está na pia lavando as mãos pergunta assim que entro no banheiro.

Me olho no espelho. Estou pálido. Tão branco quanto um giz e tão suado quanto um maratonista.

Volto a correr quando meu estômago revira e só consigo segurar até chegar no balde de lixo. Então eu vomito tudo que comi hoje. Arrepios horríveis descem pelo meu corpo, estou esvaziando todo meu estômago e ficando cada vez mais sem forças.

— Stiles! — É a voz do Derek. Ele está aqui, graças a Deus.

Quando sinto que finalmente não tem mais nada pra sair, levanto minha cabeça.

— Derek... — Murmuro com a voz embargada me virando para ele que já está do meu lado junto com o Scott — Derek acho que tem alguma coisa de errado com a Amy.

— Calma, ok? Está tudo bem. — Ele segura meu rosto, suas mãos estão tremendo — Vamos para o meu carro, vou te levar para o hospital, a Lydia já ligou para a Dra. Shay e está informando a situação.

Derek olha para balde de lixo que eu acabei de vomitar e quando tento olhar também ele segura meu rosto mais forte, me impedindo.

— Está tudo bem. — Ele murmura — Scott pega um papel para o Stiles e vamos.



. . .



Ah, Amy, odeio quando você chuta minha bexiga no meio da noite, não poderia esperar até amanhecer?

Contra minha vontade decido me levantar antes que eu faça xixi na cama, então abro os olhos mas a vontade passa assim que olho para o ambiente que estou e percebo que não é meu quarto. Parece um quarto de hospital e está tudo escuro exceto por uma luz que entra pela frecha da porta que está entreaberta.

Tento me mexer e minha cabeça e abdômen doem em protesto, então fico parado, e observo o lugar enquanto tento lembrar-me como vim parar aqui.

Olho meu braço direito e percebo que uma intravenosa esta ligada no interior de meu cotovelo. Olho para o lado esquerdo e encontro o Derek dormindo, sentado em uma poltrona próximo a mim, inclinado para minha cama com os braços cruzados.

Me estico, passo meus dedos por seu cabelo macio e levo um susto quando ele desperta e dá um pulo na cadeira.

— Oi. — Sussurro.

— Stiles. — Ele parece feliz e aliviado por me ver. Sua mão agarra a minha e aperta firmemente. — Como você está?

— Eu estou... Amy, — Sussurro, e meu coração pula no meu pescoço quando as memórias voltam pouco a pouco. Eu passei mal... Estava vomitando e tossindo sangue. — Amy, como está a Amy? Eu lembro que apaguei quando chegamos no hospital, o que aconteceu? Há quanto tempo estou aqui?

— Você está aqui apenas há algumas horas.

— E como está a Amy? Ela está bem? O que aconteceu? 

— Eu vou chamar uma enfermeira.

Ele se levanta e vai até a porta. Chamar uma enfermeira? Por que ele não pode me responder?

— Derek! — O chamo sem conseguir me mover direito, me sinto tão fraco. — Derek, o que aconteceu com a Amy?

— Por favor, não faça esforços. Eu já volto. — Ele pede e atravessa a porta, saindo do quarto.

— Derek!

Paro de tentar me levantar e fecho os olhos tentando me controlar. Está tudo bem, está tudo bem... Repito isso mais cinco vezes tentando me convencer, apesar de todos os sinais apontarem que não está nada está bem.


Pouco tempo se passa e Derek está de volta com uma enfermeira jovem, de pele clara, ruiva e com cara de inexperiente, só me faltava essa.

— Olá Sr. Stlinski. Vou chamar a Dra. Shay para examinar você. Ela está acordada. — Ela se aproxima. — Meu nome é Amélia. Você sabe onde você está?

— Sim. Hospital. Como está a Am... a minha filha?

— A Dr. Shay vai te examinar.

Olho para Derek e volto a olhar para a enfermeira.

— Se você não vai me dizer nada então por que está aqui? — Esbravejo, impaciente — Vai logo chamar a Dr. Shay.

— Eu vim para verificar-

— Por que eu ainda estou ouvindo sua voz? Eu não fui claro que quero a Dra. SHAY?

— Sr. Stilinski eu preciso-

— Mas que droga! Derek, dá pra tirar essa garota da minha frente e trazer a Dr. Shay? — Olho para o Derek que parece espantado comigo, mas eu pouco me importo.

— Stiles... Ela precisa fazer o trabalho dela e assim que acabar, vai chamar a Dr. Shay. — Ele diz calmamente e por um momento eu quero chuta-lo — Se você cooperar vai ser mais rápido.

Fecho os olhos e suspiro, não tenho mais forças para contestar, então apenas fico parado e respondo as perguntas da enfermeira enquanto ela checa meus sinais vitais.




— Dra. Shay — Sorrio aliviado quando finalmente Dra. Shay entra pela porta — Nunca fiquei tão feliz em te ver.

— Boa noite, olá Sr. Hale. — Ela cumprimenta o Der para em seguida vir até mim — Olá, Stiles. Soube que apavorou uma enfermeira.

— Por favor, doutora, diz que vai me dizer como está a minha filha.

— A cirurgia foi um sucesso para os dois, mas eu preciso examinar vocês novamente para avaliar como estão respondendo, tudo bem?

— Cirurgia? — Fico boquiaberto e o pânico volta a me cercar — Por que eu fiz uma cirurgia? Foi algo sério?

— Você teve uma hemorragia interna, Stiles, esse é um dos riscos da gravidez que eu citei. Houve uma ruptura na placenta que gerou um sangramento intenso e poderia ser fatal para o bebê e também muito perigoso para você se não tivéssemos operado logo. Mas você chegou a tempo e como eu disse a cirurgia foi um sucesso, contemos o sangramento e recuperamos a placenta, mantendo seu bebê a salvo.

Estou muito chocado para dizer qualquer coisa. “Poderia ser fatal”. Afago minha barriga e meu corpo estremece tem calafrios apenas com a ideia de perder a minha lobinha.

— Posso começar a te examinar? Eu prometo que vai ser rápido e logo vamos ver como seu bebê está.

Concordo com a cabeça ainda incapaz de falar e depois de encaixar as luvas na mão a doutora começa a me examinar completamente.





— E então? — Pergunto angustiado olhando com ansiedade para a tela que mostra os mesmos ruídos de sempre, minha voz está rouca e grossa de lágrimas não derramadas — Como ela está, doutora?

A Dra. Shay permanece em silêncio, concentrada. Aperto mais a mão do Derek e fecho meus olhos. Por favor esteja bem, por favor esteja bem, por favor, por favor, por favor.

Cada segundo em silêncio parece horas. Deerek tenta me tranquilizar com alguns beijos no topo da minha cabeça e uma parte de mim se sente mais calma, mais forte e mais resistente porque ele está aqui comigo, mas ainda sim é torturante a demora e estou me controlando o máximo para não me descontrolar.

Por favor esteja bem, por favor fique comigo, por favor, por favor, por favor.

— Ela... está bem, está estável.

Abro meus olhos e olho para a doutora. Ela está bem?

– ... incrivelmente bem, é quase como se nada tivesse acontecido, o aspecto da placenta está ótimo... é surpreendente, normalmente demora um período para se recuperar.

— Ah, graças a Deus. — Derek pousa sua cabeça na minha e suspira como se tivesse soltado um enorme peso.

— Ela está bem? — Murmuro ainda desacreditado, minha voz está sufocada e aliviada.

Ela está bem. Minha lobinha está comigo. O alivio corre através de mim e deixo as lágrimas que eu estava contento fluir pelo meu rosto.

Derek beija minha testa, meus lábios e me envolve em seus braços confortando-me. Me envolvo ao redor dele, repetindo mentalmente que a nossa lobinha está bem para que o pavor de perdê-la pare de me incomodar.

E nesse momento percebo que irei até o fim dessa gravidez nem que isso custe a minha vida, por que agora eu sei mais do que nunca que eu não vou suportar perdê-la.


 


Notas Finais


Vcs: aaaaa finalmente paz pra sterek 🙌🏻
Eu: tem certeza? rsrsrsrs

KKKKKKKKKKKK brincadeira à parte, esse capítulo foi um pânico mas acabou bem né? (por enquanto 😬)

Não esquece de comentar aqui antes de pular pro próximo capítulo hein. 😛

Espero que tenham gostado e até o próximo capítulo 🥰❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...