História Dear Teacher (Querido Professor) - Taehyung fanfiction - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jungkook, V
Tags Ação, Bts, Bts V, Drama, Romance, Taehyung
Visualizações 40
Palavras 2.085
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então, talvez já tenham percebido mas sou péssima pra dar nome aos capítulos! Risos de desespero! k
Obrigada pelos favoritos 💜🐯
Boa leitura! 📖

Capítulo 3 - Ensinamento


Fanfic / Fanfiction Dear Teacher (Querido Professor) - Taehyung fanfiction - Capítulo 3 - Ensinamento


Estendeu a mão friamente me fitando com curiosidade dos pés à cabeça. Fiquei olhando para o objeto valioso em sua mão, brilhando e implorando para que eu o recuperasse rapidamente.

ㅡ O que houve? - Perguntou o professor à minha frente, curioso e "preocupado", logo depois de eu pegar minha pulseira calmamente e cabisbaixa. 

ㅡ Não é nada. - Sorri falsa e me virei descaradamente.

ㅡ Como nada? Está chorando! - Insistiu. 

ㅡ Não é da sua conta! - Gritei. Naquele instante até mesmo eu com tanto orgulho e personalidade fortes me arrependi. Sr.Kim simplesmente se mostrou surpreso outra vez e, então, fechou a cara e foi embora em silêncio com as mãos penetradas em seus bolsos da calça.

O vento hora ou outra colidia em mim e balançava meus cabelos em segundos, como se cochichasse apenas para mim o quão errada eu fui e estava sendo e, o quão culpada eu me sentiria mais tarde. Então parava, enquanto eu, fitava o chão com ainda mais vontade de chorar.

Sr.Kim afinal, sabia como me encontrar e veio até aqui apenas para me entregar a pulseira de pérolas perdida naquele incidente. E eu, dessa vez não tinha meu irmão para descontar minha raiva e dor em forma de estresse e acabei descontando em meu próprio professor "gentil".


Ruim para mim. Muito ruim.


Nem quis procurar Kris a partir naquele momento. Segurando minha pulseira eu sentia que a melhor, mais sábia e mais segura opção era seguir meu caminho de volta pra casa. Eu fui chorando. Não estava muito longe dali e cheguei rápido.

Passei pelo corredor principal notando as coisinhas de Kris todas espalhadas, me lembrando dele, chorando e controlando meu desespero. Kris vai ficar bem, eu sei que vai. E o fato que tinha acabado de acontecer foi o motivo principal para minha vontade de me deitar e chorar por longas horas seguidas. 

E foi exatamente o que fiz. Abracei uma pelúcia de meu irmão, e adormeci naquela mesma situação sem sequer dar um telefonema aos meus pais esclarecendo o que estava acontecendo. Por algum motivo, minha intuição me dizia, me fazia sentir.

 "Vai ficar tudo bem."



Sábado/11:39p.m


Me despertei com uma sensação terrível me levantando ligeiramente e me ajeitando sentada sobre a cama. Eu não tinha saído da mesma, era muito tarde e apenas olhava ao redor procurando qualquer indício de movimentos ali ou algo que indicasse a presença de alguém.

Droga, dormi demais!

Na minha frente estava a porta totalmente aberta com a luz da sala principal iluminando levemente meu quarto. Peguei um dos livros que pousavam na escrivaninha com intenção de ler ou estudar mais um pouco já que não conseguiria dormir pelo fato de que passei a tarde toda fazendo tal atividade, mas barulhos agudos de vidros soavam altos vindos da cozinha.

Bravamente eu me levantei da cama e me digiri até tal cômodo.


Reduzi a velocidade de meus passos quando estava próxima, e quando notei a figura de meu irmão sentado na mesa com a cabeça deitada sobre a mesma eu dei um longo suspiro de alívio.

ㅡ Kris onde você estava?! - Perguntei em alto tom indo em direção aos copos sujos sobre o balcão, agarrando-os e colocando-os dentro da pia. 

ㅡ Não enche. - Respondeu Kris levantando a cabeça. Sua voz estava mais rouca que o normal e sua mão tocou a testa, sinal de que não se sentia bem.

ㅡ Você quase me mata! Literalmente! E ainda me envolvi em mais problemas naquela perseguição idiota. Me diga onde estava o que estava pensando?!

ㅡ Já disse pra me deixar em paz! - Se levantou.

ㅡ Não posso se você não disser o que está havendo ou o porquê de ter mentido para mim todo esse tempo!

ㅡ Não está havendo nada! Eu preciso fumar para me aliviar do estresse, sabia que você falaria merda.

ㅡ Estresse de que? Você não faz nada! - Kris me fitou com uma feição cansada e triste. Ele não me respondeu, olhou para o chão e andou em direção a seu quarto.

ㅡ Vou me deitar.


Eu sabia que ele estava diferente naquele dia. Kris estava com problemas e eu tinha certeza, conhecia perfeitamente meu irmão. Sabia também que ele não teria paciência ou segurança para me contar naquele momento então simplesmente fingi que não me importava. E voltei para cama e estudei até pegar no sono novamente. 



Na segunda-feira, não queria me levantar da cama por constrangimento. A semana repleta de testes estava começando novamente e passei meu Domingo praticamente todo estudando dentro do quarto. Meu constrangimento é para com Sr.Kim.


Kris estava com boa vontade e me levou até a escola. Rose já esperava por mim e não parava de mandar mensagens. Beijei a bochecha de Kris que fez uma careta de nojo, e então entrei respirando fundo no grande Colégio.


ㅡ Yuko! - Exclamou ao me ver.

ㅡ Oi Rose. - Ajeitei a alça de minha mochila sobre o ombro.

ㅡ Você está bem? Bom dia. - Sorriu.

ㅡ Estou bem.

ㅡ Você ficou sabendo?

ㅡ Sabendo de que? 

ㅡ Vai entrar um novo aluno em nossa classe!

ㅡ Que? - Me perguntava quem entraria no terceiro ano, o mais difícil, no meio do ano. 


Certamente não me importei muito. Contei a Rose tudo o que houve no final de semana e juntas com os braços entrelaçados fomos até a sala de aula. A aula não tinha dado início ainda, mas como chegamos cedo e estávamos juntas eu gostava de conversar com ela dentro da sala, sozinhas, calmamente. 

Mas aparentemente já tinha alguém ali. Meu sorriso se desfez completamente notando a figura desconhecida de um garoto já acomodado em um dos assentos, lendo um livro. 

"Droga", pensei.

Ele ficaria atrapalhando e ouvindo nossa conversa, simplesmente não dava para ficarmos ali.

ㅡ Bom dia. - Nos cumprimentou gentilmente. Rose parecia estar animadíssima com esse novo aluno e antes de ele completar a frase ela o respondeu. Eu pensava em tanta coisa e já enviava energia negativa mentalmente que esqueci até mesmo de responder. O rapaz ficou me fitando diferente até arrancar os fones de seu ouvido.

ㅡ Sou Hoseok, da Coreia. 

ㅡ Seja bem-vindo, sou Rose e essa é minha grande amiga Yuko. - Respondeu ela. Me sentei, já estava ali mesmo e não queria dar as costas para ele. Já fiz muita grosseria nos últimos dias.

ㅡ É um prazer, belas garotas! - Rose sorriu de um jeito tímido, eu sequer olhei para ele e pousei meu queixo sobre minha mão fechada preguiçosamente. 


Eu pisquei poucas vezes e Rose já sentava perto dele trocando altas ideias. Eles conversavam alto. Pelo canto dos olhos vi Sr.Kim chegar e se dirigir até a sala dos professores.

Eu me senti obrigada a segui-lo e me desculpar. Rose aparentemente não sentiria minha falta, então ligeiramente me levantei da cadeira.


ㅡ Sr.Kim! - O peguei em frente à porta da sala dos professores a tempo. Ele parou, mas não se virou. 

ㅡ Sim? - Respondeu baixo, sem fazer contato visual. Logo ele, que amava reparar meus detalhes, olhar para mim indiscretamente nas duas horas que ficava em minha sala. Logo ele que me olhava tanto, evitava olhar em meus olhos naquele momento terrível. 

ㅡ Me perdoe por total grosseria da minha parte. Não queria ter sido rude com você, por favor entenda...

ㅡ Entenderia se fosse específica, se fosse educada. - Se virou para mim.

ㅡ Eu não sou mal educada!

ㅡ Ah não? Prove!

ㅡ Como posso provar isso? Centenas de dias convivendo juntos e você não percebeu? As pessoas se alteram às vezes. Adolescentes também têm problemas. 

ㅡ Então é isso? É só esse argumento que possui? Interessante o quão diferenciada pode ser quando se trata de dar más respostas ao seu professor!!

ㅡ Olha eu já pedi desculpas. O que mais você quer? Que eu beije seus pés? Beije seu relógio caro da Gucci? Que eu faça um cappuccino pra você? - Dizia com voz irônica o tempo todo, meu professor consequentemente fechou a cara. 

ㅡ Só queria seu respeito.

ㅡ Eu não respeito você? Sr.Kim!!

ㅡ Não está entendendo. Você não entenderia. 

ㅡ Não estou entendendo absolutamente nada.

ㅡ É melhor assim. - Ele se virou.

ㅡ Espere! Por favor, não vai me desculpar? - Sr.Kim engoliu em seco. Depois de ter pensado muito, finalmente me respondeu. 

ㅡ Está desculpada. 



Mas eu não estava, não totalmente. Durante o resto da semana eu o via copiar fórmulas extremamente difíceis na lousa, em sua aula e não conseguia me concentrar. Hoseok por outro lado não parava de falar, sentado entre mim e Rose. Era um bom rapaz, mas muito energético também e às vezes me estressava. Optou por sentar-se e ficar junto de mim e Rose.


Os olhares de Sr.Kim eram sempre de desgosto, principalmente com aquela união. Quando o flagrava me observando novamente, era apenas com uma expressão ruim. Ele dava más repostas a Hoseok e dificilmente nos deixava sentar juntos. Apenas em suas aulas tínhamos que nos separar.


Naquele dia, Hoseok estava agitado demais.

ㅡ Não acho que vermelho vai combinar com seu chapéu azul Rose. - Discutia, enquanto Sr. Kim aparentemente não conseguia se concentrar e copiar no quadro prestando atenção em nosso diálogo.

ㅡ Silêncio. - Engrossou a voz. Mas não adiantou. A turma inteira conversava também em baixo tom.

ㅡ Vai combinar com Yuko. - Disse Rose.

ㅡ Acho que sim, Yuko fica bonita com qualquer roupa.


Sr.Kim se virou imediatamente.

ㅡ Silêncio!! - A turma se silenciou. Ele caminhou calmamente até sua mesa enquanto me encarava e eu retribuía com a cara fechada. ㅡ Devo te dar mais negativos Senhorita Wu??

ㅡ O que eu fiz?! - Questionei indignada.

ㅡ Professor está de mau humor hoje. - Hoseok brincou. Sr.Kim fitou atentamente a face sorridente do novato. 

ㅡ Pra você também caro Jung. É extremamente patético o jeito como se aproxima e se senta tão perto das garotas. Só das garotas. Se acha esperto, não é? Menos um ponto. Se afaste agora de Yuko. Agora! Vamos!

E nunca mais nos sentamos juntos na aula de matemática. 



Sexta-feira/8:04a.m


ㅡ Precisamos conversar. - Naquele dia eu havia perdido totalmente meu medo e insegurança e fui pessoalmente até a secretaria falar com Sr.Kim.

ㅡ O que foi? - Perguntou fingindo estar normalmente bem, eu sabia que ele estava diferente comigo há alguns dias.

ㅡ Não consigo fixar sua matéria. - Fui breve.

ㅡ Hoseok deve poder ensinar você. - Eu fiquei incrédula com total ignorância da parte de Sr.Kim. Ele nunca tinha se comportado daquele jeito comigo. Cada dia que passava o rancor que tinha por ele se transformava em afeto pois simplesmente me sentia culpada demais por ser o motivo de ele estar sendo tão duro conosco essa semana.

ㅡ Mas você é o professor!! - Alterei minha voz.

ㅡ Como ousa falar nesse tom comigo? - Levei as mãos até o rosto frustrada, eu estava me cansando, ele estava errado e sempre que tentava tratá-lo bem eu era a mal educada. E quando perdia a paciência estava sendo desrespeitosa demais com meu "querido professor".

ㅡ Por favor... por que está me tratando assim? Não consigo fixar o conteúdo de sua matéria, não consigo...

ㅡ Eu poderia te ajudar, mas você será mal educada novamen...

ㅡ Você não sabe o que passava na minha cabeça naquele dia! Meu irmão estava fumando, estava bêbado, estava desaparecido! Eu estava desesperada! - Sr.Kim rapidamente mudou sua feição.

ㅡ Por que não me disse? Em vez disso me ignorou.

ㅡ Por que eu te diria? - Ele se levantou da cadeira em que se encontrava sentado. Sr.Kim se aproximou de mim em um piscar de olhos permanecendo muito perto.

ㅡ Você não confia em mim? - Meus olhos foram automaticamente para seus lábios.

ㅡ Aquilo era pessoal.

ㅡ Pensei que fôssemos amigos. Assim, você me contaria seus problemas, não?

ㅡ Você não é o tipo de amigo que eu contaria meus problemas. Você é velho. - Disse sorrindo levemente, e como uma rara ação, eu o vi sorrir também.

ㅡ Velhos são bons para ouvir e dar conselhos. - O jeito em que estávamos dialogando parecia estranhamente romântico. Eu precisava falar com cuidado ou meus lábios tocariam os dele.

Depois de sua última pronúncia, eu apenas me concentrava em sua face. Senti o intenso olhar familiar dele me atingir e me arrepiei. Nunca pensei que pensaria isso, mas senti saudade da sensação de ser observada por ele.

Sabia que ele sentia o mesmo. Parecia aliviado por finalmente se sentir seguro e sem rancor para praticar aparentemente sua atividade favorita. 

Automaticamente, sua mão se movimentou até tocar meu queixo e acariciá-lo. Me arrepiei de novo, e corei violentamente.

ㅡ Me desculpe. - Disse ao perceber meu constrangimento.

ㅡ Tudo bem. 

ㅡ Teste de matemática está próximo e você não aprendeu nada. 

ㅡ Exato.

ㅡ Está livre hoje? Estarei disposto a ensiná-la tudo o que precisa, na minha casa. [...]







Notas Finais


🌚 até o próximo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...