História Death Fairy - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Comedia, Drama, Fantasia, Romance
Visualizações 21
Palavras 1.234
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 50 - A terrível decisão dela


*Rubby*

-Olha, aconteceu tantas coisas que eu literalmente cai em cima desse homem -disse sarcasticamente enquanto ele revirou os olhos.

-Hummm... entendi -disse ela franzindo levemente os lábios e erguendo uma sobrancelha. Provavelmente queria rir -Bom. Eu preciso falar com você as sós, Rubby. Chega aqui -ela me puxou pelo braço até fora do prédio, mas antes de sair totalmente, se virou e disse ao Riin -Você fica aí Black.

Fomos caminhando até pegar uma boa distância do local.

-E ai, o que deseja comigo? -perguntei.

-Você é louca de sair do ministério da magia. Era a única coisa que lhe protegia -disse ela com uma expressão amarga e meio irritada.

-Não se preocupe. Não morrerei -respondi colocando a minha mão sobre a sua cabeça -Sei bem que você não queria tratar apenas isso comigo. Fala.

-Realmente -ela riu de leve - Euterpe desapareceu. Sei que você tem algo haver com isto.

-Se enganou. Eu não fiz nada dessa vez, ela tem treta com o homem ali e não comigo -respondi simplesmente e ela fechou os olhos -Não estou mentindo.

-Realmente, ela não fez nada -nos viramos para ver quem seria a dona da voz que haveria dito isto. Era uma voz familiar e logo notei a quem pertenceria: a mulher de cabelos vermelhos e máscara, não levei muito tempo para associar que está seria a tal Sam Alba -Eu fiz!

-Alba? O que esta fazendo aqui? -disse Urânia séria -Você não pertence a este tempo.

-Eu também não pertenço diretamente em lugar nenhum -a tal Alba respondeu -Então tanto faz.

-Onde está a Euterpe? - perguntou Urânia.

-Não preciso mais dela -Alba jogou a garota de cabelos rosa aos pés da Urânia. Olhou para mim e sorriu jogando uma chave, que não foi problema a segurar -Tome, você irá precisar.

Ela se virou para ir embora, mas olhou brevemente por cima do ombro, para o colar que eu estava usando. O colar que ele me deu, e em sua face um leve sorriso amargo desabrochou. Após, seguiu seu caminho pela floresta.

*Narrador*

Alba andou floresta adentro até encontrar Riin, que se encontrava  parado em uma clareira repleta de flores brancas e delicadas.

Ele se virou para ela e sorriu, mas notou que em seus olhos havia uma pequena ponta de tristeza e amargura.

-O que houve Al... Rubby? -o mesmo se pronunciou, ele resolveu a chamar pelo seu verdadeiro nome, pelo nome que apenas ele poderia chama-la.

Ela correu em sua direção e o abraçou da maneira mais intensa e terna que pode.

-Por que o destino é tão cruel? -perguntou ela.

-Porque a vida não pode ser fácil, acabaríamos morrendo de tédio -disse ele.

-Entendo -ela aconchegou-se nos braços do homem -Eu nunca lhe perguntei isto antes, Riin, quando você se apaixonou por mim?

Ele sorriu e encostou no seu ouvido.

*Rubby*

-Urânia, eu sei que você não me chamou aqui apenas por causa da coisinha aí também -apontei para a puta da Euterpe que estava caída ao nossos pés.

-Claro, eu só me dei o trabalho por obrigação -disse ela com  a expressão mais debochada o possível -Eu lhe chamei para lhe informar algo. Eu achei a localização do corpo da Elien, de acordo com as coordenadas que o Rose's Diary indicou.

-Você é maravilhosa sua gata -dei um abraço apertado nela.

-Eu sei meu bem -ela respondeu sorrindo e jogando o cabelo para trás -Só que eu quero esclarecer mais uma coisa: Você e o Black estão namorando ou algo parecido?

-Claro que não Urânia. Você acha que eu me envolveria tão seriamente com alguém? -perguntei cruzando os braços e jogando a cabeça levemente para o lado.

-Não acho. É que ele pareceu bem íntimo sabe -disse ela -Você nunca se deixa ficar tão próxima.

-Eu não sei... Eu tenho muito medo de despertar algum sentimento sério por ele, Riin não é só bonito, ele tem algo a mais, ele tem algo terrivelmente a mais, estar com ele me deixa em plano diferente. Ele está em um plano diferente como se fosse duas pessoas. Eu não quero me apaixonar por ele -parei de falar e olhei para o lado - Eu não posso.

-Rubby. Você tá ligada que já está completamente apaixonada por ele não é? -olhei para ela e não compreendi -Não me olhe assim, não precisa de muita coisa para perceber isso não meu amor.

-Não tira uma comigo. Eu não posso me apaixonar ainda -ri nervosamente sem motivo.

-Tá bom. Vamos nos enganar -ela juntou as mãos e invocou uma um globo. Colocou a mão dentro dele, retirou um rubi vermelho e me entregou -Tome, esta é a última peça da coroa de Elien.

-Você também a achou... que incrível -disse sorrindo.

-De nada -ela disse me abraçando.

Passamos um tempo conversando e resolvemos voltar.

Riin estava sentado na recepção conversando com o homem que nos recebeu e bebendo uma xícara de café. Ele se virou para mim com aquele olhar que realmente não é de Deus. Passou a língua umedecendo os lábios e neste momento eu inesperadamente dei um passo para trás. Por que?

-O que houve pir... Rubby? -perguntou ele parecendo estar preocupado.

-Não foi nada -neguei com a cabeça e sorri - Vamos? Preciso acertar algumas coisas.

-Okay...

******

*Riin*

Desde que saímos de lá, até chegarmos em casa, trocamos poucas palavras, ele se isolou e quase não falava nada, por quê?

Ela novamente estava deitada lendo quando me sentei ao seu lado.

-Rubby, você está estranha -disse e ela guardou o livro se virando para mim.

-Riin, o que aconteceria conosco se nos apaixonássemos um pelo outro? -perguntou ela se sentando. Que estranho.

-O que aconteceria? Eu acho que no caso de nós dois acabaríamos escondendo um do outro até a morte. Por que? Esta apaixonada por mim finalmente? - perguntei ironicamente e ela abaixou a cabeça.

-Riin. Não podemos amar um ao outro -neste momento uma tristeza tão grande tomou minha mente e meu corpo, que mexi minha boca por impulso.

-Por que é tão errado? - minha voz acabou saindo mais abatida do que realmente deveria.

-Riin. Você é um meio  vampiro, eu sou uma meia humana. Você é o filho do meu pior inimigo e também é meu predador. Eu serei uma das partes de um casamento político em pleno século XXI e nem sei se ficarei viva até ele. E mesmo que chegássemos a ter um relacionamento só nos machucaríamos -ela virou seu rosto para a parede impossibilitando que eu o visse e tomou ar -Eu não quero te machucar e não quero sofrer mais por algum tipo de sentimento que só nos faz sofrer.

-Onde você está querendo chegar? -neste momento senti minha voz falhar entre as letras da frase.

-Eu irei parar com esta nossa "amizade colorida". Se isso seguir em diante meus planos irão para o ralo, tudo o que quero irá ser destruído -agora sim estou morto de uma vez por todas, uma bola de espinhos se formou em minha garganta e me senti fraquejar totalmente. Nunca achei que me sentiria tão mal na minha vida.

-Ru... - ela me interrompeu se levantando.

-Eu irei em bora da sua casa, o significado de ficar aqui já chegou ao fim, mas por favor, se mantenha meu amigo como você é. Pode ser?

-Rubby! -a segurei pelo braço me mantendo de cabeça baixa - Eu estou apa...


Notas Finais


Não me odeiem hehe.... próximo cap promete


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...