1. Spirit Fanfics >
  2. Death Note: Por trás das câmeras >
  3. 12: Quarto de hotel (Capítulo especial)

História Death Note: Por trás das câmeras - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Gente, esse capítulo vai ser grande e vai ter lemon, então, se vocês não curtem, vão ler outra fanfic, assistir Felipe Neto, maratonar Peppa Pig, sei lá!

E gente, eu já disse que o Light vai ser ativo, mas assim... Não fiquem bravos comigo, mas o L não combina como ativo nessa fanfic, vocês já perceberam como ele tem jeitinho de viado, mesmo que essa não seja a minha intenção? KKKKKKKK

E gente, esse é o primeiro capítulo que eue stou escrevendo com a força do meu ÓDIO KKKKKKKKKKKKKK GENTE EU TO MUITO BRAVA E EU TO ESCREVENDO PRA NAO SURTAR!

ESPERO QUE GOSTEM E ATÉ AS NOTAS FINAIS!!

Capítulo 13 - 12: Quarto de hotel (Capítulo especial)


Fanfic / Fanfiction Death Note: Por trás das câmeras - Capítulo 13 - 12: Quarto de hotel (Capítulo especial)

Logo após L ter ligado para Nate avisando que já estavam no avião, Matt entrou no estúdio, se jogando no sofá, e, acidentalmente, em cima de Mihael.


Mihael: Ai, filho da puta!

Matt: Desculpa, eu achei que fosse uma almofada fininha de algodão.

Mihael: '-'

Matt: :)

Mihael: Não importa.


Nate entra no camarim conversando com Misa, e vê os dois juntos no sofá, um em cima do outro.


Nate: Caralho, não conseguem esperar não? O quarto do meu irmão ta liberado!

Misa: Acho que todos nós vamos ter um pouco de liberdade sem ele por aqui.

Nate: Você quer dizer "sem o L por aqui", sabe que é ele que bota fogo.

Misa: Quem sabe ele não mude um pouco, afinal, todo mundo precisa de...

Mihael: Um cara gato chupando ele até levar ele à loucura — Interrompe. Ele já estava sentado no colo de Matt, coisa que normalmente não acontecia.

Misa: Eu ia dizer "lazer", mas isso também.

Nate: Olha, se forem se comer, avisem pra gente ir pra cozinha. A Misa vai pintar meu cabelo e eu não quero ver um pornô pessoalmente e em tempo real.

Matt: Se comer a gente não vai, vamos só aproveitar... — Os dois começam a se pegar no sofá — E você vai pintar o cabelo de que cor?

Nate: Branco. Eu odeio cabelo preto



Algumas horas depois, Light e L já haviam chegado em Acapulco. O resort era realmente fabuloso. Estava de tardezinha e eles foram para a parte da praia antes de irem para o hotel. Sim, eles já tinham ligado para o hotel lá do Japão. Eles se sentaram numa pedra que dava visão para o mar. Não tinha muita gente alí na praia, o que tornava o momento mais relaxante.

L parecia um pouco mais calmo, tirando o fato de ter dormido a viagem inteira.


Light: Está gostando?

L: É bom se distrair um pouco. Os meninos também irão se sentir melhores sem a gente por um tempo.

Light: Tem razão. Esses três dias vão nos fazer bem, afinal, eu precisava conversar com você.

L: Bem, sou todo ouvidos.

Light: Não. Ainda não. Quando formos para o quarto, eu falo tudo.

L: Sabe que eu odeio ficar curioso...

Light: Não vai querer se estressar numa viagem dessas, vai? — Ele deita na pedra, colocando as mãos sob a cabeça e olhando para o céu — Não tem o porquê de ficar bravo.


L se deita ao seu lado, se virando para ele e abraçando seu corpo, ficando alí, aproveitando o vento e os sons do mar.



Light havia adormecido junto com L. Ele acordou, e no silêncio, levou o menor em seus braços para o hotel que ficava a poucos metros atrás.

~

O quarto estava escuro, e as cortinas vermelhas estavam entreabertas na sacada. Ele colocou o menor na cama, despertando o mesmo.

— Light? O que... Como eu cheguei aqui?

— Não se preocupe... — Ele tira o relógio do pulso e a camiseta, a colocando pendurada atrás da porta — Seu sono é pesado demais.

— Eu sei. Que horas são?

— Oito e meia. Acho que agora posso falar com você, não é?

— Claro, né.

Light sorri, engatinhando na cama e se aproximando de L, ficando por cima do mesmo. As orbes escuras se encontraram com o castanho claro dos olhos do maior. L nunca tinha sido fitado daquela maneira.

— Light... — Seu coração disparou. Não haviam mais movimentos prudentes para fugir ou recusar. Estava além de sua razão naquele momento. As mãos do maior adentraram sua blusa, acariciando seu peito.

— Fique quieto. Sou eu que mando aqui, agora... — Seus lábios tocaram os de L delicadamente. Não era mais um beijo simples como os que sempre davam, era algo profundo, inexplicável. Suas línguas adentraram ambas as bocas, dançando em sincronia, como se fossem feitas uma para a outra. L levou as mãos ao cinto da calça do maior, soltando e retirando o mesmo. O castanho desceu para o seu pescoço, rasgando sua camiseta e a arrancando do jovem. Suas mãos fortes agarravam a pele alva do moreno com vontade, o fazendo arfar.

L estava um pouco assustado, embora fosse tudo tão prazeroso. Ele nunca havia feito aquilo, e sabia que Light era praticamente um "profissional".

— Light... — Gemeu.

— Eu sei, não se preocupe... — Ele desceu a boca para o peitoral do mesmo, deixando marcas roxas que o empoderava ao vê-las, como se alí fosse o seu território. Desabatoou a calça do mesmo, a tirando junto com a boxer. A visão o deixou ereto, e não era para menos — Eu vou ser gentil.

Ele desabotoou a calça, a retirando junto com a cueca e jogando longe. Ele segurou o membro do menor, masturbando-o enquanto roçava o seu na entrada do mesmo. L gemia com ambos os toques, e Light o observava cada vez mais excitado. Ele tirou o membro, adentrando um dedo no lugar.

— Ahn... — Gemeu, sentindo outro dedo o adentrar logo em seguida. Light movimentou os dedos, vendo o menor gemer a cada investida. Sua outra mão continuava a masturbá-lo.

L estava quase em seu limite, porém ele não iria gozar, não agora.

Light retirou os dedos, abrindo mais as pernas do rapaz. Encaixou seu mastro delicadamente, enfiando o mesmo na entrada do moreno. Seu rostinho de sofrimento fez Light acariciar seus cabelos, indo lentamente, poupando-o de uma dor horrivel.

— Está tudo bem? — Indagou. L estava ofegante, mas assentiu com a cabeça. Light beijou-o novamente, esperando que a dor dele passasse. Após alguns minutos, L mexeu a cintura.

— Vai, Light... — Disse.

O castanho começou a estocá-lo lentamente, fazendo gemidos altos ecoarem o quarto pouco iluminado. Os outros hóspedes ouviriam, mas não tinha importância. Os movimentos foram cada vez rápidos. As mãos de L foram para as costas do maior, arranhando-as com toda a sua vontade. A dor era excitante para Light, tornando as coisas mais interessantes para ambos.

O prazer mútuo de ser fodido e masturbado ao mesmo tempo foi suficiente para rapidamente levá-lo ao limite, gozando na mão do namorado. Light continuou a meter dentro do menor, chegando ao seu ápice pouco tempo tempo depois.

O maior caiu sobre o corpo do mesmo, cansado e ofegante. L estava trêmulo, se recuperando do acontecimento. Ele não imaginava que seria tão perfeito, assim como Light não pensava que isso realmente fosse acontecer.

Ele foi ao banheiro, tomando um banho rápido. Saiu com apenas uma bermuda e o corpo levemente molhado. L não estava na cama. Olhou para o lado e viu o mesmo na sacada com um roupão preto. Aproximou-se do mesmo lentamente, o abraçando por trás, e encostando o rosto em seu ombro.

L: Foi perfeito.

Light: Fico feliz por isso. Ainda temos dois dias para aproveitar.

L: E você quer aproveitar só transando comigo?

Light: Bem, seria um problema? — Ele ri.

L: Idiota.

Light: Temos muito o que fazer aqui. Tenho certeza de que você vai voltar para casa melhor. Mas, sem querer estragar o clima...

L: O que foi?

Light: Como será que os meninos estão?

L: ...



O som estava "levemente" alto no estúdio. Seria bom o Ohba e o Obata não chegarem uma hora dessas.


Nate: AUMENTA!!!

Misa: ISSO AÍ!!!


Estava tocando uma música de balada bem maluca, mesmo estando só os quatro lá dentro, com cinco caixas de pizza na mesa. Eles com certeza devem tirar dinheiro do rabo pra comprar essas coisas. Ah, espera, eles são ricos.


Misa: Nunca que com eles aqui a gente tinha essa liberdade!!


Enquanto isso, Mihael e Matt estavam numa pegada no sofá da sala. Uma balada de quatro pessoas, nada melhor!


Nate: Como será que eles estão?!

Misa: Eu também queria saber, mas por enquanto eu não tô nem aí!!



L: É, eles com certeza estão bem.

Light: Deus os ajude... — Light encosta no parapeito da sacada, pegando as mãos do menor.

L: O que foi, Light?

Light: Você promete que nunca vai me abandonat?


L abre um sorriso.


L: Eu prometo... — Ele dá um selinho no maior, o abracandoe encarando a vista do alto.


L estava mais calmo e TALVEZ a teoria de Mihael estava certa, mas não importava mais. Eles com certeza era o casal mais perfeito que existia, e nada poderia separá-los, não é?



Notas Finais


Que tesão. Eu to gritando mais alto quea explosão do vulcão Krakatoa KKKKKK

Eu escrevi a cena do hot em travessão porque eu gosto de detalhar bem os sentimentos, e a escrita de lemons fica mais bonita nesse formato. E me perdoem se não ficou lá essas coisas, é meu primeiro lemon que, no caso, eu to escrevendo pra postar.

Não, não teve boquete, não teve chupada anal e nem lambida de porra KKKKKK GENTE EU NAO SEI ESCREVER ESSAS COISAS!!

Mas espero que tenham gostado e até o próximo capítulo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...