História Death Phone - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Death Note
Personagens Personagens Originais, Ryuuku
Tags Colegial, Death Iphone, Death Note, Death Phone, Iphone, Shinigami, Universitário
Visualizações 389
Palavras 2.423
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OKAI!
Seguinte povo... sei q vcs tavam ansiosos pro próx capítulo então não vou enrolar muito aqui.
Portanto leiam as notas finais, plis.
Bjs de luz e até lá embaixo.

Capítulo 2 - Aliados e Inimigos


Uma semana depois

O Samambaia não funciona com o mundo normal, não segue o cronograma usual, não possui o tempo igual do mundo exterior nem se encontra na mesma dimensão que os demais. O Campus é um mundo à parte, com suas próprias leis que desafiam certas lógicas, sua cultura e mitologia aprimorada, além de um tempo que não segue as horas mundanas.

É uma terra tranquila, no meio de lugar nenhum, cercado por pastos e plantações. Apenas razões específicas movimentam, tumultuam, agitam tão distinto local. Só por acontecimentos e eventos de extrema importância ou absurdo o lugar muda seus aspectos.

FANFICS RECOMENDATIONS

Lee
O q? Excluídas?

Leonardo Uchiha
Sim, isso mesmo.

Hatsune Uzumaki
Vçs tem certeza disso?

Leonardo Uchiha
Sim. Toda certeza.

Maykon Dragnell
Mas convenhamos essa fic nem era boa mesmo.

Sayuri-chan
É, tenho q concordar. Só lia pra passar tempo mesmo.
Nunca fui muito fã.
Nem deixava comentário.

Leonardo Uchiha
Tá, tá. Eu sei que vçs num goxtavam.
Mas a questão não é só essa.

Shirogami
Então oq?
Pra que esse desespero menino?
Fics são apagadas todo dia.
Mesmo as nossas favoritas.
Supere.

Leonardo Uchiha
Acontece que eu fui falar com a autora.
Mas aí já começa a coisa estranha.

Lee
Fala logo oq é, porra!

Leonardo Uchiha
As outras fanfics tbm foram apagadas.
Eu não achei a conta dela.

Sayuri-chan
Então ela apagou o perfil todo... nossa...

Shirogami
Ou será que foi banida? Infringiu alguma regra?
Acho que já vi coisas lá contra as diretrizes da comunidade, hein...

Leonardo Uchiha
Então. Eu sigo ela no twitter e resolvi ir perguntar.
Mas mal entrei no perfil dela e me deparei com uma chuva de tweets.
Ela estava putaça.
Pelo jeito ela perdeu a conta mesmo.
Mas antes disso, qnd perguntaram sobre o último capítulo, ela disse que nunca escreveu.
Que nunca nomearia um cap daquele jeito.
E outra...
Outras autoras q sigo eu vi comentando q elas tiveram as fics deletadas sem motivos, sumiram do nada.
Sem advertência, sem aviso, sem contato.
Apenas... sumiram.

Sayuri-chan
Elas têm que ir reclamar no suporte, não no twitter.

Leonardo Uchiha
Elas foram...
Mas pelo visto o site está com muitas reclamações desse tipo.

Lee
Deve ter sido algum bug no site, na parte técnica, essas coisas.

Leonardo Uchiha
Tá, mas então pq todas as fics excluídas possuíam
como última atualização um cap com
o mesmo título de adeus mundo cruel?

Hatsune Uzumaki
Isso é mesmo estranho.
Ouvi dizer nuns grupos do face ai que parece até ataque de hackers.

Shirogami
P
q caralhos hackers iam querer no Spirit vey?
Ñ faz sentido.

Hatsune Uzumaki
Sinceramente... com cada coisa q já vi lá até q faz hein.
É quase como se estivessem fazendo o trabalho q o site não faz em limpar o lugar.

Leonardo Uchiha
Ata.
Mas quem caralhos se acha no direito de julgar fanfic?
O gosto é meu, leio oq quiser.

Hatsune Uzumaki
Bom... Está sendo chamado de Kuria.

Leonardo Uchiha
Kuria?

Hatsune Uzumaki
É, significa algo como limpeza em japonês

⌂ ⌂ ⌂ ⌂ ⌂ ⌂

Biblioteca Central Prof. Alpheu da Veiga Jardim

É unanime entre os alunos.               

Independente do curso.

O melhor lugar de todo campus é com certeza o terceiro andar da biblioteca. Pois é lá que se encontra puffs e alguns perto de tomadas para carregar o celular. É o paraíso na terra pra todos aqueles que precisavam de um minuto de silêncio e cochilo.

E era assim que um dos milhares de rapazes se encontrava. Em coma num dos puffs azuis, abraçando a blusa de frio onde o celular que carregava. Velha técnica conhecida para evitar furtos durante os minutinhos de sono.

Mas o celular mal conseguia dar conta de tantas notificações. Fossem no whatsapp, no facebook ou mesmo as chamadas e sms. Porém, ele nada via uma vez que, como sempre, havia colocado o celular no silencioso.

Tudo era paz e sossego.

— Mas é o cúmulo mesmo! — A voz feminina falou alto, ignorando o ambiente onde estava.

O rapaz mal se mexeu.

— Mas ooowwoou! — A moça meteu a bicuda na canela dele, o que fez que abrisse levemente os olhos. — Só podia ser você mesmo. Dormindo no meio de uma treta dessas.

— Quem morreu Wendy? — Perguntou, depois de identificar os cabelos cacheados a sua frente como de sua melhor amiga.

— Até agora? — Riu de desdém e se agachou abaixando a voz.. — Só conseguiram contabilizar por volta de duas mil histórias.

O rapaz puxou os óculos de dentro da mochila finalmente focalizando o mundo ao redor e o rosto preocupado da morena a sua frente.

— O que?

— Não leu as mensagens desde que chegou?

— Não, estava fazendo uma tarefa de última hora e depois vim dormir. — Puxou imediatamente o aparelho do carregador. — Quanta mensagem... — Falou, ao que o celular travou a tela. — Resumindo é?

— Parece que o spirit está sendo atacado por hackers ou algo do tipo, várias fanfics e perfis foram excluídas e os autores estão putos da vida e lotando o suporte. — Respondeu sentando-se do lado dele.

— Hackers? Sério?

— É o que pediram para descobrirmos. Eu tenho a merda de um seminário agora, mas assim que eu acabar vamos ver se foi isso que aconteceu.

— Mesmo que seja este o caso... Quem se daria ao trabalho de fazer isso? Por que?

Wendy observou o amigo já com o olhar vago e mordendo a unha do polegar.

— Ah começou... — Se levantou checando as horas no celular. — Eu vou pra minha aula antes que você acabe me atrasando. Não faça nem fale nada por agora, apenas aproveita que tá com tempo livre e ajuda a galera do suporte.

— Claro, relaxa. — Retrucou se espreguiçando e não convencendo em nada a moça.

— Estou falando sério Leo. A galera está surtando.

— Pra variar... — O rapaz se espreguiçou. — Tá, tá... Não precisa fazer essa cara, já entendi. Vou responder as reclamações, não se preocupe.

— Certo... — Wendy ergueu uma sobrancelha. — Nos vemos mais tarde então, até!

— Até...

Leo se acomodou pegando o celular e limpando as notificações. “Que escândalo que estão fazendo.” Depois, fez uma busca rápida para entender o que estava acontecendo e o que as pessoas estavam dizendo a respeito. “Kuria?”

Checou as horas e depois de ter certeza de que Wendy já deveria estar dentro da sala de aula apresentando seu seminário, desceu as escadas o mais rápido possível.

 Pegou sua mochila no guarda volumes e correu até o CA de Relações Internacionais. Como esperado estava vazio naquele horário então Leo tirou o notebook e todos os cabos necessário de dentro da mochila e se instalou num canto. “Se ladrão que rouba ladrão tem mil anos de perdão, hacker que hackeia outro hacker...”

⌂ ⌂ ⌂ ⌂ ⌂ ⌂

O computador estava ligado rodando um vídeo aula qualquer do youtube que a moça não se dava ao trabalho de prestar atenção. O celular da Samsung em cima da escrivaninha exibia notificações que ela também ignorava. Tudo que lhe importa e tomava atenção era o bloco de notas do iPhone. Ela lia e relia as regras, mesmo já sentindo que as tinha decorado.

► Mesmo que a nota seja apagada não reverterá seu efeito. Nenhuma fanfic ou perfil será recuperado.

E assim ela apagou mais uma nota cheia de links de perfis e nomes de fanfic. Apagou a tela e fitou o computador. “Que entediante.” Pausou o vídeo e desligou a tela.

Foi quando viu pelo reflexo um vulto atrás de si.

— Parece que você andou se divertindo. — A voz soou estridente pelo quarto.

A moça se virou dando um pulo e vendo a criatura a sua frente. “M-mas... o que...?” O ser em questão era alto, possuía braços longos e unhas compridas. Apesar de lembrar um ser humano seu rosto não era nada parecido com o de uma pessoa, principalmente os lábios compridos e os olhos vermelhos.

Mas essa não era a parte estranha. A parte estranha ficava por conta da roupa esquisita, o que parecia ser uma regata preta com os dizerem “I LOVE” e o desenho de uma maçã na frente.

— Ora, não faça essa cara eu...

— HAAAAAAAAAAAAAAA!!!

Saiu correndo e gritando do quarto. Desceu as escadas no turbo até chegar na cozinha.

— Qual seu problema? — A criatura que brotou na sua frente voltou a falar. A moça correu até o porta facas e pegou a primeira que encontrou.

Era de passar margarina.

— Nossa, você definitivamente vai fazer um belo estrago com isso. — O outro debochou.

— Quem diabos é você?

— Diabo... Ah, sempre essa confusão com nós shinigamis. — A criatura se mostrou bastante chateada. — Olha deixa eu me apresentar então.

Limpou a garganta.

— O meu nome é Ryuk, eu sou mestre da escuridão, a sombra das trevas, o sombrio rei da morte, o exu Caveirinha invocado em alguém que é gótico, tá ligado? De tanto que o negócio é insano, eu mato até cachorro, eu sou negro em pessoa, eu ando negro, falo negro, uso roupas negras, olho negro, depressão é o meu sobrenome. Sou das trevas trevosas e o Batman perto de mim fica colorido, se eu pudesse matava mil porque sou cabra ma...

— Ri o que? Olha aqui seu gótico drogado esquizofrênico, é melhor sair antes que eu chame a polícia. — Ameaçou percebendo que ainda estava com o iPhone na mão continuou.

— Boa sorte com isso. — O ser grande e desengonçado caminhou até a geladeira e simplesmente atravessou a cabeça pela porta. — Hum... onde está? Ah! Aqui. — Endireitou o corpo de volta segurando a sacola com as maçãs.

— Mas... quê?...

— A propósito eu não tenho certeza se isso faz ligações. — Apontou para o celular na mão dela. — Mas se fizer acredito que não adiantará de nada. Ninguém mais pode me ver ou ouvir a não ser que toque no Death iPhone e... Bom, se leu as regras e já escreveu tantos títulos não acho que queira perder a posse, não é mesmo?

Fechando os olhos e respirando profundamente a jovem colocou a faca de volta no lugar.

— Em outras palavras, você é o dono desse celular, é isso?

— Isso. — respondeu enquanto mastigava. — Mas agora ele é seu.

— Após este celular tocar o solo, ele passa a ser propriedade do mundo humano. — Recitou a regra que havia lido. — Logo é compreensível que ele possuía um dono e que, tanto o aparelho quando seu portador, não são desse mundo.

— Hum... Você é uma das espertas então...

— E agora? — O monstrengo parou antes de morder a maçã.

— E agora o que?

— Você que é o dono, não está aqui para pegá-lo de volta?

— Ah, não... não. — Terminou de comer a fruta e lambeu os dedos sob olhar de nojo da mola. — Veja bem, o mundo dos shinigamis anda uma porcaria. Desde que modernizaram as coisas, arrumaram sinal de wifi e descobriram o Kondzilla eu não tenho mais um minuto de sossego.

— Hum... Posso imaginar.

— Então eu decidi jogar meu celular aqui em baixo e ver o que acontecia. E você, por coincidência o encontrou.

— Tá, deixa eu ver se entendi. Você é um exu da morte que perdeu o celular no mundo dos humanos e está dizendo que eu posso ficar com ele e usar dos seus poderes sem nada em troca?

— Sim, basicamente é isso.

— Mas vem cá, se você é um ceifeiro não deveria está coletando as almas das pessoas ou algo assim? 

— Ah isso é coisa ultrapassada. Ainda precisamos das almas dos humanos e temos como conseguir isso sem ter que vim aqui. Mas como disse nosso mundo se modernizou bastante, só que, ao contrário do que eu esperava, eu apenas fiquei mais e mais entediado com isso. Então resolvi ver como andava o mundo dos humanos já que fazia um tempo desde que estive aqui.

— Sei como se sente. Mas infelizmente pra nós humanos não há outro mundo para correr a não ser os imaginários.

— É, eu descobri os livros, mangás e fanfics também. Mas depois de um tempo isso também ficou entediante. Então, sabendo das reclamações dos usuários de um dos maiores e mais populares sites de fanfic, eu resolvi juntar a minha marca de celular favorita com os poderes dos shinigamis e assim nasceu o Death iPhone.

— Definitivamente a maior obra prima que os shinigamis já fizeram. — Admirou o celular em sua mão.

— E você sabe o que vai fazer com ele, Regina?

— Bom, eu... Peraí, como você sabe meu nome?

— Ora, eu sou um shinigami, posso ver o nome, nicknames e número de seguidores de todas as suas redes sociais acima da sua cabeça.

— Uau... — Falou sem estar realmente surpresa. — Bom, eu irei usar esse Death iPhone para o bem maior, eu irei limpar o Spirit dos cânceres que existe lá, farei com que apenas as boas fanfics prevaleçam e serei aclamada por todos os autores e leitores do bom português. Eles já até me deram um nome, sabia? E assim mesmo, das sombras, eu irei governar sobre o Spirit, eu serei aquele a julgar e condenar os analfabetos. e eles me venerarão como o Deus desse Novo Spirit.

⌂ ⌂ ⌂ ⌂ ⌂ ⌂

— Desgraçado! — Leo xingou irritado. — Que merda está acontecendo afinal?

— LEONEL!!!!!! — A porta da sala foi aberta de uma vez e Wendy passou com um raio até ele. — Eu não disse pra me esperar, miserável!?

— Wendy! Que bom que está aqui, eu preciso que...

— Eu não acredito que veio investigar sem mim! — A moça colocou as mãos na cintura e olhou de cima com indignação.

— Me agradeça por te poupar o tempo.

— Hã?

Leo se levantou mostrando o notebook para ela.

— O que? Não é um hacker? — Ela não acreditou nos seus olhos. — Você tem certeza disso?

— Sim, eu verifiquei várias vezes.

— Mas é impossível!

— Mas é exatamente o que aconteceu. As fanfics e perfis sumiram o nada. Não há nenhum vestígio sequer de que um dia existiram. Eu procurei o dia todo se poderia ser alguém de dentro, da equipe, mas não consegui achar nada, nem sequer um suspeito. Seja quem for é alguém de fora.

— Mas não há traços de que o site foi invadido. Como.. é possível...

— É o que vamos descobrir. — Leo fechou o notebook e começou a guardar as coisas.

— O que vai fazer?

— Vou pra sua casa, sua internet é boa lá.

— Hein???

— Está decidido. — Falou colocando a mochila nas costas. — É melhor ter estoque extra de miojo.

— Querido... — Wendy respondeu batendo o cabelo. — Eu sou uma universitária, não sou? O que esperava que houvesse na minha dispensa? 

Os dois sorriram um para o outro com um olhar de determinação.

— Muito bem, então é guerra. Vamos desmascarar esse tal de Kuria.


Notas Finais


YEEEAAAH
SAI DA TUMBA! \O/
Ok, vamos lá... ~senta que lá vem discurso~

Primeiramente MUUUUUITO obrigado a todos vocês que favoritas e comentaram a fanfic. Sério... cês são doente. Mais de 200 favoritos e 60 comentários só com UM capítulo. Povo loco....
Devo isso especialmente a uma certa page, uma certa cdc/adm dessa page... ~souyandere você é maravilhosa e eu te adoro e tenho medo de você ao mesmo tempo. De qualquer jeito, obrigada por me expor na internet. kkkkk
(Mas o filme da netflx ainda é muito mais ouro! Sério gente... vcs tem q ver com a mente do meme mais aberta)

Sim, eu achei e li todos os comentários da postagem. (os xerox holmes foram meus favoritos) E não só isso... resolvi responder eles no meu twitter (é @ReaperQueeen se quiserem ver, talvez vc esteja exposto lá XD karma is a bad bitch)

Segundamente... Pra vocês que aderiram ao "esbouçar gostosas gargalhadas" e querem entender melhor os memes internos: https://youtu.be/x7LSGM0VzC8
Taí, sejam felizes. Não tem todos os vídeos então recomendo pesquisarem tbm se gostarem.

Terceiramente... Sobre se eu vou aceitar nomes de fanfics pra por na história. Bom, eu não quero perder minha conta nem tretar com nenhum aturo(a) específico, MAAAS estarei aceitando os nomes pra modificar e fazer referências. Mandem no privado aqui ou no twitter. UM nome por favor, não flodem até porque não vou ficar colocando listas e listas de títulos na fic pq o objetivo não é esse.

Quartamente... Só pra esclarecer pra quem não for olhar no twitter e tá confundindo as coisas. Quem é a loka com síndrome de Deus se achando a fodona do português pra julgar fanfic é a Regina, não eu. Então sim, vai ter pontuação errada, acento faltando, letra trocada etc e etc. #LidemComIsso

Eu na verdade adoro as fanfics bizarras, esbouço boas gargalhadas. E foi numa conversa assim no whatsapp com uns amigos que eu fiz o textinho que viria a ser a sinopse da fanfic. Daí como todos riram bastante eu resolvi escrever o cap só de zoas e postei pra eles lerem. Só que aí fui parar no pérolas, comecei a ter muitos favoritos, comentários e tal, a história que vcs já sabem. Não estou reclamando, mas de verdade não esperava e sinceramente não sei lidar com isso.

Por isso não vou prometer um dia específico pra postar nem que a história vai ser boa, que vai ser super hilária etc e etc
Só vou continuar a escrever normalmente, tentando fazer uma sátira engraçada (coisa q ñ sou e descobri ser bem difícil de escrever) no meu ritmo, do meu jeito e é isso aí.

Ps.: Por último, mas nem por isso menos importante... Vcs não pararam pra pensar que, a parti do momento que eu zuei um fandom, quer dizer que eu sei as bizarrices de fic q tem nele pq muito provavelmente EU SOU DESSE FANDOM? Reflitãum!

Outras referências:
Fala do Ryuk -> https://youtu.be/qDOe1-XG6os
Kuria -> só botei Clean no tradutor e pra minha sorte começava com K tbm.
Regina -> vejam o significado do nome e vão entender pq escolhi... Sim, referencia a Meninas Malvadas tbm. 😝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...