História Death Will Tear Us Apart - Capítulo 15


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Almas Gêmeas, Angst, Bottom!jeongguk, Bottom!jimin, Bottom!jungkook, Bottomnochu, Flex, Jeongguk, Jeongguk!bottom, Jeongguk!seme, Jeongguk!top, Jikook, Jikook Flex, Jikook!au, Jikook!flex, Jimin, Jimin!bottom, Jimin!seme, Jimin!top, Jk!bottom, Jk!top, Jkbottomdebusan, Jm!top, Jungkook, Jungkook!top, Kookmin, Lemon, Revelaçoes, Sad, Sadfic, Soulmates, Soulmates!au, Top!jeongguk, Top!jimin, Top!jk, Universo Alternativo
Visualizações 607
Palavras 2.937
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


É meus anjos, parece que a supremacia JK TOP não existe nos leitores dessa fic euhehuhuehuehu eu jamais imaginei que A MAIORIA ESMAGADORA fosse querer um flex, mas foi exatamente o que aconteceu. Eu nem apaguei o cap. da enquete, justamente pras vocês verem com os próprios olhos.

De 35 comentários, só uns 5 pediram jimin bottom, o resto foi todo mundo gritando "flex flex flex"; Se a galera quer flex, então é flex que vocês terão. Quanto às JK top stans, eu realmente espero que vcs possam continuar apreciando a estória, independente disto, pq eu planejei várias tretas nesse plot.

AGORA CURTAM O LEMONZINHO JIMIN TOP, ESSE É MEU MOMENTO O/

Capítulo 15 - Death Maybe Is Serendipity


Fanfic / Fanfiction Death Will Tear Us Apart - Capítulo 15 - Death Maybe Is Serendipity

Mal estacionaram na garagem do prédio, e, como dois adolescentes, já estavam sugando ávidamente a boca um do outro; os corpos se chocando; as mãos se apertando mutuamente em qualquer pedaço de carne disponível. As roupas estavam amassadas. Os corpos já se colando aos tecidos devido à fina camada de suor que começava à cobrir a pele de ambos. Completamente de acordo com o clima tão quente que era passível de ser considerado o novo inferno.

Dentro do elevador de serviço, que era o único sem câmeras e o único que se podia embarcar para subir pela garagem do prédio residencial de luxo, Jungkook empurrou Jimin com selvageria contra à parede de aço, onde loiro sentiu o metal gelado esfriar-lhe à pele da bochecha e peito, ainda que nenhum frio fosse capaz de diminuir à temperatura de seu corpo excitado. 

Jeon colou seu peitoral nas costas do outro, prensando-lhe contra a parede ao passo que seu caralho duro, coberto pelas calças, roçavam e cutucavam duramente o traseiro de Jimin. O moreno apertava-lhe a cintura, soltando o hálito quente no pescoço de Park, que suspirava nervosamente embaçando a parede que refletia vagamente suas imagens. O loiro empinava cada vez mais a bunda na direção do outro, levando um de seus braços para trás, onde segurou e apertou a carne durinha e trabalhada do traseiro direito do noivo. 

Jimin, embora totalmente anuviado pelo desejo do pau roçando entre suas bandas, também se pegava imaginando como seria enterrar-se fundo no buraquinho entre as nádegas perfeitamente esculpidas de todo o exercício físico que Jungkook costumava fazer na academia, este que tinha como conjunto um belo par de coxas inchadas e torneadas, sendo como uma moldura cara para um quadro mais valioso ainda.  Levou então a outra mão para o mesmo lugar, apertando de uma vez e com muita vontade, os dois lados do bumbum bonito. Percebeu nitidamente que Jungkook rebolava o quadril de encontro às suas mãos, ainda que continuasse à pressionar o membro duro nele por trás.

Jimin então se vira de frente, empurrando Jeon com brutalidade, mas logo capturando o corpo do mais alto novamente para vir de encontro ao seu, puxando Jungkook pela bunda. Parecia que agora, o loiro era incapaz de tirar as mãos dali. Queria colar suas mãos ali para sempre, apalpar e acariciar aquele traseiro gostoso como um devoto. Grudou seus lábios nos de Jeon com urgência e selvageria, enquanto Jungkook levou ambas as mãos para os fios prateados, puxando-lhes com força, onde os dois rapazes brigavam pelo controle. A rudeza do ósculo foi tamanha que quando se separaram para sair do elevador, os narizes, lábios e queixos encontravam-se extremamente avermelhados.

Afobados, correram para a frente da porta do apartamento, largando as roupas e sapatos pela casa, enquanto se empurravam pelo caminho, derrubando quadros das paredes e vasos de flores de cima dos móveis. Sequer haviam trancado a porta do apartamento com a chave, Jimin apenas fechou a porta pesada com um chute, enquanto Jungkook atirou as chaves em algum lugar do tapete felpudo da sala de estar - não pode ver aonde exatamente, já que tinha os olhos fechados e sugava o ar entredentes enquanto Jimin lhe sugava a pele do pescoço branco, que já estava cheio de marcas vermelhinhas.

Ao entrarem no quarto, Jungkook empurra o menor na cama, subindo por cima deste, que ainda vestia a gravata preta e a cueca apertada de mesma cor. O moreno o beija, apertando suas coxas grossas com as mãos grandes, e lentamente vai se sentando no colo do outro, puxando-o para cima pela gravata, como se esta fosse uma coleira, fazendo-o se sentar também. Jungkook leva as mãos para as costas do noivo, arranhando-lhe com as unhas curtas, lambe sua orelha e geme desejoso ao pé do seu ouvido, enquanto rebola o quadril sobre o membro duro coberto do loiro, que lhe agarrava as nádegas possessivamente. 

— Jimin... — O moreno fala, suspirando.

— Humn... — Jimin resmunga, sem dar muita atenção, puxando o corpo de Jungkook mais para baixo, de modo à pressionar seu membro entumecido, preso dentro da boxer, na bunda sentada em seu colo.

— Eu quero... Quero que hoje seja diferente. — Jeon diz, sorrateiramente. Park trava o corpo, nervoso de que exista a possibilidade de Jungkook lhe oferecer o que parece que iria. 

— O que quer dizer com... Diferente ? — Jimin pergunta, incerto, encarando Jungkook nos olhos.

— Eu... Eu te amo e quero experimentar todas as sensações possíveis com você. — Fala, sem jeito. O loiro continua o encarando, tentando conter o sorrisinho que queria escapar de seus lábios.

Jimin então abraça o corpo musculoso, e passa a sugar lenta, mas precisamente a pele do pescoço dele, enquanto vai derrubando o moreno de costas no colchão, ficando entre suas pernas. Arranha-lhe o abdome, fazendo Jungkook se arrepiar. Cola suas testas e diz baixinho:

— Se você se sentir muito desconfortável à qualquer momento, me peça para parar, tudo bem? — O moreno assente, puxando Park para mais um beijo, que logo é quebrado quando Jimin desce os lábios para um dos mamilos entumecidos, rodeando o biquinho eriçado com a língua, enquanto observa as reações do amado.

Jeon sequer consegue encarar o olhar lascivo de Jimin sobre si, cerrando as pálpebras e sentindo seu corpo inteiro tremer com a carícia em um local nunca antes tocado daquela forma. Suas mãos se fecham, tentando descontar o prazer. O loiro desceu os chupões pela barriga magra e completamente definida, que imediatamente tornou-se um caminho de manchas vermelhas. Olhando provocante para Jungkook, capturou o elástico da cueca azul com os dentes e a retirou do corpo alheio, fazendo o moreno arfar com a visão totalmente erótica.

Beijando-lhe a perna, deixa um rastro de saliva se alastrar pela coxa grossa, até que os lábios cheinhos capturam o pênis duro, sugando-lhe ávidamente, brincando de deslizar a língua sobre as veias salientes, e tendo como resultado um pau teso e pulsante dentro da boca. Jungkook então segura os dois lados da cabeça de Park, segurando-o pelo fio prateados, retirando seu membro da boca alheia, apenas para deslizar a glande inchada pelo lábios e bochechas do loiro, deixando um rastro de pré-gozo no rosto do mesmo. Então penetra-lhe a boca outra vez, e deixa que Jimin continue a mover-se para cima e para baixo sobre seu falo com a cavidade quente e língua molhada.

De súbito, o mais baixo abandona o membro prestes à atingir o prazer, e passa a língua lentamente pela entrada descoberta do moreno, abrindo-o pra si, segurando suas pernas por detrás dos joelhos. Jungkook arregala os olhos e aperta os lençóis da cama entre o dedos, totalmente surpreso, não só pela carícia, como também pela sensação que esta promove à seu corpo. Então Jimin desliza o músculo macio mais duas vezes no buraquinho até então imaculado do noivo, e num último movimento por fora, circula a entrada rugosa e a penetra. Jungkook treme e arfa, sentindo o pênis latejar e pulsar, caído por cima da barriga, enquanto a deliciosa língua de Jimin estoca-lhe de forma faminta e animada. 

O moreno não consegue ter sequer pensamentos coerentes no momento, é tudo tão arrepiante e gostoso. Enquanto a saliva quente escorre por seu ânus, a respiração de Jimin sobre o pedaço de pele molhado o faz sentir frio em contraste. Seu corpo suava, o peito subia e descia, a boca aberta em busca de ar, soltando gemidos finos e incoerentes que jamais havia imaginado um dia saírem de seus lábios, as costas arqueadas se desencostando do colchão, fazendo-o quase dobrar-se ao meio.

— Puta que pariu, Jimin! Eu vou... Humnnn...  — Jungkook fala, com a voz falhada, manhosa e mais estridente que de costume.

Percebe que Jimin trouxe dois de seus dedos para seus lábios, enquanto lhe encara com o rosto ainda sufocado em sua bunda. Jungkook chupa os dígitos com fervor, no mesmo ritmo da língua que penetra seu cuzinho, melando-os o máximo possível, já que sabe aonde eles irão entrar. O loiro os retira da boca alheia e delicadamente os insere na entrada apertada, sentindo-a tentar expulsá-los. Vê o desconforto do parceiro e leva a boquinha quente para o pênis que não parava de mover-se no ar com vida própria, buscando algum tipo de alívio. Engole o membro teso de uma só vez, sugando-lhe em movimentos rápidos, enquanto gira os dedos e estoca-os dentro de Jeon, que está à um passo de ir à loucura com tantos estímulos ao mesmo tempo. E o breve desconforto que sentia vai embora quando sente as pontas dos dedos grossos do Park acariciarem o que imaginou ser sua próstata, já que um prazer absurdo lhe tomava quando os dígitos roçavam aquela parte dentro de si. Sequer sabia como estava sendo capaz de aguentar tudo aquilo sem gozar com força, engasgando o noivo, pois era tudo tão fodidamente delicioso e novo, que só sabia gemer, arregalar os olhos e se contorcer.

Então Jimin, num movimento rápido como um felino, afasta-se de seu corpo, e o puxa pelos braços, deixando o moreno de quatro na cama, fazendo Jungkook ver-se refletido no enorme espelho à sua frente. Observa Jimin melar o falo duro com lubrificante, massageando-se, o que deixa o moreno ainda mais excitado, mordendo seu lábio inferior com a visão do loiro se tocando, numa pose tão absurdamente quente que era impossível não desejá-lo lhe dominando e se enterrando fundo em si. 

Jimin então passa à deslizar o pênis melado entre as bochechas da bunda alheia, e retira sua gravata e a coloca no pescoço de Jeon, sorrindo de forma safada.

 — Vai doer um pouco no começo, mas depois fica muito, muito bom, eu prometo, bebê. Mas me diga se quiser que eu pare, uh? — Jimin fala, num sussurro, encostando os lábios na orelha do outro, que arrepia com o hálito quente em sua pele.

Jungkook sente então como é ser rasgado ao meio, com uma pressão forte no ânus quando o membro grosso de Jimin o penetra, com cuidado, mas de forma rápida. Fecha os olhos e franze o cenho, fazendo uma careta de dor, enquanto Jimin massageia suas costas para distraí-lo, permanecendo sem movimentar o quadril, até que o outro se acostume.

Devagar, começa à estocá-lo, buscando seu ponto sensível em cada vez que se empurra para dentro. À todo o momento observa as expressões de Jungkook pelo espelho, checando se este estaria confortável. Sabia que o moreno faria de tudo para agradá-lo, até mesmo fingir que não sentia dor.

O loiro balançava o quadril em movimentos suaves, até perceber Jungkook arfando, e jogando sutilmente o traseiro para trás. Então Jimin estoca-o com mais força, indo e voltando mais rápido, acelerando seus movimentos gradualmente, até sentir sua glande roçar numa área mais áspera e ver o garoto entregue à si, gemendo deleitoso. 

Jimin sorri e puxa Jungkook pela gravata, virando a ponta para trás para que possa puxá-lo e colar as costas dele em seu peitoral, ficando os dois de joelhos no colchão. O loiro rodeia com o braço livre a cintura fina de Jungkook, aperta-o mais contra si, enquanto o mais alto descansa a cabeça em seu ombro, gemendo fraquinho à cada estocada mais firme dele. 

— Abra os olhos, sarang...  — Jimin pede com a voz macia, sussurrada ao pé do ouvido de forma sensual.

Quando Jeon abre os olhos e vê a imagem refletida no espelho, sente-se surtar em luxúria. Tal cena era absolutamente gloriosa. Os dois corpos bonitos refletidos, com o moreno na frente, submisso ao loiro de sorriso sacana atrás de si; seu corpo balançando e indo para frente à cada estocada rude; seu pênis duro sacudindo; as peles brilhando de suor, podendo ser notado já que a luz dos postes da rua entravam pela janela do quarto, iluminando fracamente o cômodo. Jungkook se deixa sorrir, insano com o que vê e sente. Nem em um milhão de anos  — pelo menos não nesta vida  — se imaginara tendo tanto prazer assim.

Seus olhos encontram os de Jimin nas imagens refletidas e se encarando, o rapaz o aperta mais em seu abraço, solta a gravata de seda, apertando seu pescoço com a destra agora livre, segurando-o no lugar enquanto o estoca mais e mais rápido, mais fundo, com mais fervor, tomando-o e o dominando, clamando o corpo forte para si, como seu único dono e possessor, enquanto lhe rasga e explora, gemendo em seu ouvido.

O olhar de Jimin era tão incisivo e sexy, que Jeon, ao ter sua próstata esmurrada várias vezes seguidas pelo loiro, expele seu sêmen em jatos longos, derramando seu prazer sobre os lençóis da cama, vendo pela visão periférica o quão pornô parecia aquela cena. E ao ter a belíssima visão de seu parceiro gozando só com seu pau enterrado dentro de si, Jimin se desmancha dentro do cuzinho quente e apertado, se deixando vir tão forte que vários espasmos tomam conta de seu corpo, sendo no momento incapaz de sustentar seu peso e o de Jungkook juntos, derrubando o garoto na cama e caindo deitado sobre suas costas, enquanto sua porra continua à encher o canal estreito do outro.

Ficam ali por minutos à fio, Jungkook deitado sobre o lençol sujo com seu próprio gozo e Jimin em cima de si, tremendo pelo orgasmo intenso. As respirações eram pesadas, e o ar no cômodo estava tão denso que poderia ser cortado com um faca. Apenas quando o pênis amoleceu e Jimin sentiu o líquido melado escorrer entre seus corpos, retirou-se de dentro de Jeon, deitando-se ao lado deste, de costas na cama.

Observou o moreno, que olhava para si com um sorriso maravilhado no rosto. E quando se encaram nos olhos, começam à rir freneticamente, os dois corando violentamente, então Jungkook enterra o rosto envergonhado no pescoço do loiro, que o abraça com força, deslizando uma mão em suas costas, enquanto a outra descansa numa das nádegas do bumbum durinho.

Sequer percebem o momento em que adormeceram, sem nem mesmo precisarem trocar uma palavra. Jungkook acorda com o familiar barulho de utensílios caindo na cozinha, então abre os olhos assustado, constatando que Jimin ainda dormia agarrado à si. Tenso e surpreso, levanta sem muita cerimônia, fazendo o garoto grunhir e abrir os olhos encarando-o irritado, mas Jeon puxa os lençóis e cobre os corpos nus, olhando para o noivo com uma expressão de pavor.

 — Jimin, tem alguém aqui! Invadiram o apartamento!  — Fala cochichando nervosamente.

— Oh...  — A expressão de Jimin se torna assustada, mas logo se suaviza, como se lembrando de algo, mas não tem tempo de explicar, quando um cabelo preto com mechas verdes emoldurando um rosto bochechudo aparece no portal.

— Yah! Pensei que vocês não fossem acordar nunca. Se cubram da próxima vez, eu não queria ver a sua bunda, Kook  — JiYoon fala em tom divertido, cruzando os braços e se encostando na porta aberta — E você, Jimin... Cacete, que corpo gostoso do caralho. Meu pai amado!

— Noona!  — Jungkook grita exasperado e enciumado. Jimin cobre a boca com as mãos e ri desesperado, se jogando pra todos lados, em seu costumeiro ataque de risos.

— O que aconteceu aqui, uh? Algo parece diferente...  — A Jeon mais velha declara desconfiada, apertando os olhos para o casal na cama.

— Como o quê? Sexo né, JiYoon!  — Jungkook responde, fitando-a irritado. Então se vira para o loiro  — E você, Park Jimin? Por que infernos você foi dar a chave daqui pra essa sem noção?

— Aigoo, Kookie, você sabe que podemos precisar da Ji em alguma emergência...  — O loiro fala, fazendo bico, desaparecendo com a pose dominadora que havia demonstrado na noite anterior. A lembrança fez Jungkook corar e encarar o chão, desistindo de iniciar uma discussão com o noivo e a gêmea.

— Eu não usei minha cópia da chave. Eu planejei tocar a campainha, mas vocês deixaram a porta aberta. Provavelmente o fogo tava demais né? Aliás, Kook, você tá com o pescoço e o peito pintados de manchas roxas...  — JiYoon fala, desviando o olhar do irmão para o amigo sentado na cama — Vocês por acaso inventaram de praticar BDSM?  — Pergunta, risonha.

— Ah não, mas ontem eu fodi o Jungkook com força.  — Jimin responde, se levantando da cama, abandonando o lençol e andando nu, sem vergonha alguma.

— Park Jimin!  — Jungkook grita, desacreditado.

— Vamos, Ji, eu te conto no banheiro enquanto tomo banho... Tinha que ver, ele gemia que nem uma mocinha!  — Então JiYoon e Jimin riem descontroladamente e correm para o banheiro do corredor, trancando-se os dois lá dentro.

Jungkook levanta, exasperado e soca diversas vezes a porta de madeira, sobre gritos, protestos e ameaças à Jimin e à irmã, mas desiste ao escutar o chuveiro sendo aberto e as risadinhas abafadas lá dentro. Então parte para a cozinha, sacudindo a cabeça de um lado pro outro, quase indo ao chão quando sente a pontada de dor no quadril lhe pegar.

 — Ai, merda!  — Geme dolorido.

Como se não bastasse as zoações tanto do noivo como da irmã, provavelmente passaria aquele dia e o seguinte andando torto. Estava amaldiçoando Park mentalmente até sua quinta geração, mas era incapaz de negar o quão fodidamente deliciosa havia sido aquela experiência, e de que como poderia considerar aquela a melhor transa de sua vida.

Parece que Jungkook vai ter que aceitar as piadinhas dos dois demônios no banheiro, já que não tinha intenção alguma de continuar sendo o único à penetrar naquela relação. Talvez, só talvez, estivesse sentindo que a morte de YangMi e sua reencarnação como Park Jimin havia sido uma piada do destino que havia deixado as coisas ainda melhores. Como se num acerto acidental. Uma felicidade inesperada. Sorriu, enquanto quebrava os ovos na frigideira e esquentava a água para o café da manhã em família dos três.
 


Notas Finais


Cês já leram Fight For You? Ela é tão fluffyzinha *u* ai chegou o segundo capítulo, eu estraguei ela com uma lua de mel cheia de **** pesada, AVEMARIA, Jesus eu sou devota e louvo à ti, mas JIKOOK FAZ AMORZINHO SELVAGEM: https://www.spiritfanfiction.com/historia/fight-for-you-12112944


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...