História Debingos: um amor policial - Capítulo 68


Escrita por:


Notas do Autor


Oi, meus leitores amados!!

Cá estou, de volta, com mais um capítulo dessa história!!

Imaginem que nosso casal está vestido assim, ok?

Boa leitura!

Capítulo 68 - A Estrela do Dia!


Fanfic / Fanfiction Debingos: um amor policial - Capítulo 68 - A Estrela do Dia!

Sem saída e irritada até o último fio de cabelo, a Matriarca Bloch concorda em ajudar:

- Nem pense em dizer uma vírgula do que sabe, escutou? Vou pensar em uma maneira de ajudá-la!

- Eu sabia que você não me decepcionaria! Até mais!

No saguão do Hotel, Domingos alerta Débora a respeito do avançar das horas e apontam para as crianças, que dormiam sentadas a cadeira:

- É melhor subirmos! As crianças estão exaustas, Débora!

- Você tem razão! Foi um prazer conversar um pouco com você, Nathan! Boa noite a todos!

- O prazer foi meu!

Enquanto Domingos subia ao quarto com Léo nos braços e Débora com Alice, Mariana conta a novidade que descobriu ao mais novo casal: Dathan!

- Deni! Eu PRECISO lhe contar algo que descobri recentemente!

- Ai, minha Nossa Senhora dos Aflitos e Desesperados! Lá vem bomba!

- Você acredita que, quando eu liguei para o celular de sua irmã foi o Domingos quem atendeu?

Deni arregala os olhos e sorri, contente com a boa nova:

- Ai, como esses dois estão grudados! Se eu não soubesse que o cunhadinho era casado, com certeza pensaria que a esposa era a Débora! Você tem noção, de que ele atendeu a uma ligação do celular dela, Mariana!!! Meu Debingos vive!!! 

Nathan não aguenta ver o entusiasmo da amada sem ser contagiado, e questiona às duas:

- Desculpem interromper a animada conversa, mas os dois não são casados? Eu morreria sem saber disso!

- Ih Nathan, essa história é bem longa! Quem sabe amanhã, dê tempo de lhe contar uma parte?

O motorista concorda e se despede delas, prometendo voltar ao Hotel no dia seguinte, o mais cedo que conseguir! Na despedida, ele abraça Mariana, a agradecendo pela companhia, e troca um singelo selinho com a delegada, que gosta da atitude!

A delegada, prevendo a infinidade de perguntas que Mariana a faria, se adianta, assim que ele se afasta, e vai até o quarto, enfiando - se embaixo da coberta, para fugir dos olhares da advogada.

Na suíte, Débora e Domingos colocam as crianças na cama e se trocam em seguida. A advogada retorna do toalete com uma camisola nova, aos olhos do Detetive, que caiu como uma luva ao corpo da mulher! Não desvia o olhar um só instante, e logo é advertido:

- Vá se trocar, Detetive! Amanhã, nosso dia será longo!

Ele busca a roupa em sua mala e a veste, rapidamente! Os dois se encaram, admirando - se mutuamente, e não demoram a invadir as cobertas, em sua habitual e insubstituível conchinha! Antes que o sono os vença, Domingos propõe entre selinhos:

- O que você acha de, quando voltarmos da Defensoria amanhã, alugar um filme para assistirmos? Provavelmente, Nathan e Deni estarão com as crianças, que não os deixarão esquecer do passeio, então o quarto será nosso!

Débora se diverte com o que ouve e o responde, ao pé do ouvido:

- Quem diria que o Detetive tentaria me levar ao mau caminho! Veja só como são as coisas!

Ele se faz de ofendido e cola ainda mais o corpo ao dela, a olhando nos olhos:

- Eu não tenho a intenção de levar ninguém ao mau caminho, Senhorita Advogada! Sou um homem totalmente inocente de suas acusações!

- Eu aceito sua proposta indecente afinal, se tudo der certo, será maravilhoso comemorar a guarda da nossa menininha com você!

- Já deu tudo certo! Acredite, meu bem! Boa noite!

- Durma bem, Dom! 

As horas praticamente "voam" e um tímido sol entre nuvens brilha no céu, para anunciar a chegada de um novo e nebuloso dia! Debingos se mexem, ao mesmo tempo, e abrem os olhos devagar:

- É tão bom acordar e saber, que o seu rosto é a primeira imagem que eu vejo! Isso tudo é mesmo real? Essa avalanche de emoções?

- É recíproco! Eu me sinto o homem mais feliz do mundo, ao acordar e me deparar com o seu sorriso, logo de manhã! E respondendo a sua pergunta: isso tudo é real, sim e, no que depender de mim, todos os outros dias de nossas vidas serão assim também!

Débora toca o rosto dele com carinho, como se quisesse gravar cada detalhe e, emocionada, pede ao amado:

- Promete que nada vai mudar entre a gente, mesmo quando voltarmos ao Brasil?

- Não se preocupe, meu amor! Eu a amo, e isso, jamais mudará! Não chore! Eu estou aqui com você!

Eles selam a promessa com um beijo repleto de significados e, ao conferirem as horas, resolvem acordar às crianças, que viram ao lado oposto, nem um pouco dispostas a atender ao chamado e se levantar. O casal se entreolha e deixam que os pequenos durmam por mais alguns minutos.

Enquanto isso, Deni acordava mais sonolenta do que o normal e, ao se levantar, esbarra em Mariana, sem perceber, que cai da cama, acordando em um sobressalto:

- O que foi? Que horas são? Deni!!!

A delegada, ao se dar conta do que fez, corre em direção ao banheiro, onde se tranca, sem pensar duas vezes. A advogada se levanta do chão, um pouco dolorida, devido o tombo, e solicita o Serviço de Quarto:

- Bom dia! Vocês tem um Kit Primeiro Socorros disponível? Se vier com uma pomada para roxos, seria ótimo!

- Claro, Senhora! Já levamos ao seu quarto...

- A reserva está em nome de Deni Bloch, a delegada mais louca que eu já conheci!

O atendente desliga, achando graça do comentário nada convencional feito pela hóspede, que contata o celular de Débora, que o atende no primeiro toque:

- Oi Mari! Que bom que já acordaram! O Domingos foi tomar banho, enquanto eu sigo na tentativa de chamar as crianças, o que não está fácil hoje!

- Nem me fale em dia difícil! Escuta essa: acordei com um esbarrão de sua irmã, que me fez cair ao chão, tamanho o meu susto! 

Débora sorri ao imaginar a inusitada cena, mas se contêm, em respeito à amiga:

- Como a desastrada da Deni conseguiu esbarrar em você?

- E eu sei? Estava dormindo, Débora! Nem sequer vi, quando aquela doida se levantou!

- É impressionante, como eu ainda me surpreendo com as loucuras da Deni! Ah, tem notícias do Enrique?

- Temos nos falado ao telefone! Não vê a hora de me encontrar, acredita? Disse que, por pouco, não comprou a passagem de avião!

- Coitado do seu marido! Diga a ele, que vamos voltar ao Brasil logo e, assim, vocês matam as saudades um do outro!

- Eu mal posso esperar por esse dia! Espero que ele esteja se comportando em minha ausência!

Débora tranquiliza Mariana, afirmando que Enrique é responsável e apaixonado por ela. A colega de quarto de Deni se despede da amiga e apressa a delegada, pois Nathan não demoraria a chegar:

- Ô rainha das águas! Quer acabar com a água do chuveiro? Agilize, que eu preciso me arrumar!

Enquanto Mariana seguia em um "monólogo", pois Deni não ouviu nada do que ela disse, Domingos saía do banheiro devidamente arrumado e perfumado, para garantir a guarda da pequena Alice! Falando nela, a menina acorda graças ao forte perfume do pai, que a faz espirrar:

- Atchim! Atchim!

Débora e Domingos não seguram a risada e encontram uma mini garotinha de braços cruzados e nariz vermelho! Débora se abaixa para abraçá - la:

- É impressão minha ou certa menina tem alergia a perfume forte?

Domingos se desculpa com Alice, que estende os pequeninos braços, o chamando com as mãozinhas:

- A Alice espirrou, mas o papai tá cheiroso! Por quê tanto perfume, se a mamãe tá aqui?

O Detetive coça a barba por fazer, pego de surpresa com a pergunta e Débora o encara:

- Muito bem observado, Alice! Por quê essa produção toda, se eu estou bem aqui?

O homem se diverte, por mais uma vez, presenciá - la com ciúmes, e a puxa pela cintura:

- Ei! Não precisa sentir ciúmes! Quero estar apresentável! Eu só tenho olhos para você, meu bem!

Alice cutuca Léo, para que ele veja a cena romântica:

- Acorda, Léo! O papai se declarou para a mamãe! 

O menino se espreguiça e fica entusiasmado com o que ouve, sentando - se na cama com as mãos no queixo, para observar o casal. Os dois decidem se aproximar e puxam a barra da calça do pai:

- Como você tá cheiroso, papai! Usou Aquele Perfume, não foi?

- Isso aí, filhão! Bom dia! É melhor os dois escovarem os dentes, porque eu tô sentindo um bafo de leão daqui!

Débora os acompanha até o banheiro e fica por lá, para se ajeitar, enquanto Domingos solicita o Café. As crianças decidem ir ao encontro do pai, e voltam ao quarto sorridentes, para que ele veja que os dentinhos estavam limpos:

- A boca da Alice tá cheirosa, papai! Cadê o café com pãozinho?

- Estou pedindo agora, Madame Alice!

No quarto ao lado, Deni finalmente saiu do banho enrolada na toalha, em busca de suas roupas! Mariana a esperava sentada no colchão e, sem dizer absolutamente nada, passou por ela e entrou no chuveiro:

" Eita! Acho que a Mariana ficou chateada com meu pequeno incidente! Quando ela sair do banho, vou resolver isso! "

Débora acaba sua ducha e surge deslumbrante em uma peça vermelha, que cobria até a altura dos joelhos e marcava a cinturinha! Diferente do macacão que usou na Premiação, essa roupa não tem aberturas nem decotes, afinal a ocasião pede algo mais clássico e chique! 

Domingos perde a linha de raciocínio ao delinear cada mísera parte do belo corpo da advogada, que sente as bochechas queimarem, devido a intensidade dos olhares que ele lançou em sua direção, mas não se deixa abater:

- Apreciando a paisagem, Detetive?

Ele aproxima - se dela e sussurra, de maneira, que as crianças não ouçam:

- Você não imagina o quanto, Advogada!

As crianças, assim que a vêem, assobiam e batem palmas aprovando o visual:

- Uau! Como a mamãe tá bonita! O papai tá babando, olha lá!

A advogada fica sem reação ao receber um beijo nas duas mãos, seguido de elogio:

- Realmente crianças, a mãe de vocês está magnífica!

Débora se encanta com o jeito sedutor de Domingos e sente as tão famosas borboletas no estômago! Léo e Alice pegam os celulares dos adultos e registram, quando o homem beija carinhosamente as duas bochechas da mulher, achando o momento extremamente fofo! 

Debingos resolvem arrumar os dois, afinal eles deveriam estar elegantes, principalmente Alice, que era a Estrela do Dia.

O Serviço de Quarto bate à porta e a advogada, alerta ao funcionário:

- Preparem alguns sanduíches para levarmos, pois temos um compromisso importante!

O Detetive completa a fala dela:

- Desculpem o mau jeito e a correria, mas se puderem embrulhar os sanduíches para a viagem, nós agradeceríamos a gentileza!

- Sem problemas, Senhor! Já voltamos com os alimentos e as bebidas em seus suportes!

No quarto de Deni, o Kit Primeiros Socorros é anunciado com batidas a porta, e a delegada recebe os medicamentos:

- Muito obrigada! Eu mesma assino o recibo!

Mariana sai do banheiro e encara Deni:

- Você viu se chegou alguma coisa para mim?

- Mari! Eu não quero ficar nesse clima pesado com você! Desculpe se a assustei, mas sou um pouco desajeitada ao acordar, sabe?

- Eu pude perceber, mas passe a abrir os olhos, para que possa ver aonde pisa! Que tal?

Deni escuta a ironia em silêncio, pois sabia que era merecida, e entrega a pomada em mãos:

- Chegou uma pomada e um analgésico para você! Está muito machucada?

Mariana mostra os roxos e Deni fica culpada e sem graça, por ser tão desastrada:

- Poxa, Mariana! Eu nem sei o que dizer! Se quiser, eu posso espalhar a pomada em suas costas e pedir água na recepção para tomar o analgésico! Talvez assim, eu me sinta um pouco melhor!

Mariana se compadece com o estado da amiga, que demonstrava estar arrependida, afinal foi um incidente, e baixa a guarda:

- Ei Deni! Você é doidinha, mas eu não consigo ficar muito tempo brigada contigo! Vem me dar um abraço devagar, porque estou dolorida!

Deni a abraça forte e se desculpa mais uma vez com ela, que acabou de informar sentir dor. A delegada espalha a pomada pelos hematomas que encontra no corpo da outra, e elas seguem ao quarto de Debingos!

No caminho, porém, Deni ouve a buzina do carro de Nathan e decide ir a Fachada do Hotel:

- Mari, vai andando na frente, que eu chego já! E não se esqueça do analgésico!

- Vai buscar o seu príncipe encantado? Aliás, a senhorita me deve explicações sobre o que vi ontem a noite! Não pense que me esqueci!

Deni acena e Mariana chega ao quarto de Débora, onde encontra sanduíches embrulhados em papel alumínio:

- Bom dia para vocês!

- Oi Mariana! Esses roxos todos são do tombo que me contou mais cedo? Nossa!

- Vai ficar tudo bem! Já coloquei a pomada, então deve fazer efeito muito em breve! Pediram sanduíches?

- Sim! Não sabemos quanto tempo levará a conversa com o Defensor Público, então nos precavemos! Aonde está a Deni?

- Adivinha? Escutou a buzina de certo motorista, e foi toda alegrinha a Fachada do Hotel para recebê-lo!

- Não me diga! 

As crianças se colocam a frente de Mariana, para que ela as note, o que não demora a acontecer:

- Nossa! Aonde vocês estão indo tão arrumados e cheirosos?

Alice se pronuncia e acaba entregando os pais:

- Esse perfume forte é do papai, que quer impressionar a mamãe, porque ela ficou cheia de ciúmes dele!

Débora tenta repreender a pequena linguaruda a tempo, mas já era tarde:

- Alice!

Mariana a encara e troca um olhar divertido com Domingos, que coça a barba e passa a mão nos cabelos, em sinal de nervosismo!

Na fachada do Hotel, Nathan cumprimenta os funcionários e espera por Deni, que surge instantes depois! Assim que a vê, o mundo passa a existir em câmera lenta, afinal ela estava belíssima! Usava uma blusa de cor neutra feita de cetim, acompanhada por um colete jeans, que a deixava com um charme a mais, legging na cor preta e, nos pés, botas de cano curto também negras! Além de, é claro, seu distintivo de delegada!

Os dois se aproximam e se atrapalham nos cumprimentos, optando por se abraçarem, afinal ainda não era a hora de assumir o que sentiam para qualquer pessoa, mesmo que não tenham rotulado nada até o momento! Ao se desfazer do abraço, os olhares e sorrisos se encontram! O silêncio é quebrado por ele:

- Nossa! Você está belíssima! Acho que nunca a tinha visto a caráter, como delegada! Arrisco dizer, que está ainda mais bonita!

- O senhor também está na beca hoje, Nathan! Obrigada pelo elogio!

No quarto, após a situação embaraçosa em que passou com a pequena menina prodígio, Débora guarda os sanduíches e as bebidas em um suporte e segue a fachada do Hotel com os outros, pois se cansou de esperar pela irmã! Ao chegar lá, a encontra com Nathan:

- Bom dia, futuro cunhado!

Deni fica vermelha igual um pimentão com o comentário da irmã, mas Nathan aprova a ousadia e entra na "brincadeira":

- Muito bom dia! Todos prontos?

O grupo acena positivamente e Domingos ajuda Débora a carregar o suporte de bebidas e sanduíches, para que ela não fizesse tudo sozinha! Ela o agradece com um sorriso e eles seguram as mãos das crianças, para que não se afastem no caminho!

O motorista abre a porta para eles, que esperam por Debingos! Sendo assim, Alice se acomoda entre as pernas de Domingos e Léo, se junta a Débora. Mariana se posiciona na ponta e Deni, no banco da frente, no carona.

Enquanto eles seguem ao Escritório com o auxílio do GPS, Rebecca descobre a identidade e o local aonde fica o Escritório do Defensor Público! Espera alguns minutos e telefona para o homem:

- Doutor Pedro Vaz? Quem fala é Rebecca Bloch! O Senhor teria um minuto?

- Mas é claro! Para alguém como a Senhora, eu a encaixaria, caso não tivesse! Em que posso ser útil?

- A minha filha, Débora Bloch, aparecerá em seu Escritório a qualquer momento, para expressar o desejo de guarda da menor Alice junto ao Detetive Domingos Montagner! Vou direto ao ponto: eu quero que o Senhor impeça a Débora de conseguir a guarda! Ela não tem a menor condição, principalmente emocional, de ser responsável por uma criança, acredite!

- Desculpe Senhora, mas o que está me pedindo é considerado crime! Eu fiz um juramento para chegar onde estou, e pretendo honrá - lo!

Rebecca perde a paciência com o homem e o ameaça:

- O Senhor prefere que eu procure sua família pessoalmente? Eu sei tudo sobre sua vida, então se eu fosse o Doutor, pensaria em tudo o que eu disse com cuidado! Como eu sou generosa, vou enviar a foto de uma mulher, que considero peça chave para o caso!

- Não ouse prejudicar a minha família ou vai se arrepender! Eu também tenho as costas quentes!

- Enviarei uma boa soma em dinheiro ao endereço de seu Escritório! Quem sabe assim, o Senhor clareia as ideias!

Rebecca tem um acesso de fúria ao encerrar a ligação e, em um rompante, destrói o que vê pela frente:

- Mas será possível!!! Um Defensor Público honesto? Vou enviar a foto e o dinheiro, para ver até que ponto, essa honestidade resiste!

No carro, durante a viagem, Débora pega dois sanduíches e os entrega as crianças:

- É melhor comerem, porque ainda falta uma parte do caminho!

Alice e Léo não retrucam e saboreiam os alimentos rapidamente! Minutos depois, tomam seus respectivos cafés e se aconchegam nos braços de Debingos! Deni insiste para que a irmã prove o sanduíche, pois ela precisará estar bem alimentada para enfrentar o que vem pela frente! Domingos aproveita a oportunidade, e rouba um pedaço do alimento entregue a ela, que o olha feio:

- Por que insiste em roubar meus lanches? Tem vários sanduíches bem ali!

- Pare de reclamar, que foi só uma pequena parte!

- Pequena parte? Você comeu praticamente a metade!

Deni, Mariana e Nathan não seguraram às gargalhadas e estenderam o suporte à Débora, que pegou outro sanduíche e o afastou de Domingos, que se divertiu com a atitude infantil da mulher:

- Esse é meu! Nem adianta me olhar com seu jeito pidão!

- Tudo bem! Coma o sanduíche, esfomeada! Agora entendo a quem a Alice puxou!

A advogada o belisca sutilmente, com a boca cheia de maionese, e ele a rouba um selinho, limpando os rastros de pão e amansando a "fera"!

O trânsito melhora consideravelmente, o que encurta o tempo de chegada ao Escritório! Nathan os pede para sair do veículo, pois isso facilitaria a achar uma vaga! Débora e Domingos acordam as crianças, que procuram por Nathan. Os adultos respondem a pergunta silenciosa:

- O Tio Nathan foi estacionar o carro, mas logo estará de volta!

O grupo resolve entrar, para se adiantar, enquanto o motorista estacionava o "táxi":

- Vamos entrando, pois o Defensor deve estar a nossa espera! 

Domingos entrelaça seus dedos para passar confiança, exatamente como fez no dia da Premiação, e recebe um sorriso nervoso como resposta. Sendo assim, propõe:

- Vamos entrar juntos e com o pé direito, porque dizem que é sinal de força e confiança!




Notas Finais


E aí, pessoal!!! O que acham que vai acontecer nesse encontro com o Defensor Público? Até breve!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...