História D.E.B.S - FBI (Camren) - Capítulo 107


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei, surpreendentemente antes da meia noite (00:00, pra variar! Estou cansadíssima e acabada, mas lembrei de vocês antes de desmaiar de cansaço...

Boa leitura, meus leitores! ❤️🔥

Capítulo 107 - Lauren, shh!


Pov Lauren Jauregui.


Já fazem quase 4 semanas desde que voltei para casa. Tirei o gesso da mão esquerda antes de ontem, e o da mão direita ficaria até minha próxima consulta com o doutor, que diria se eu posso tirar ou não. Enquanto ela ainda não chega, continuo com aquela capa preta e precisando trocar as faixas 2 vezes por semana. Doía bastante por conta da fita branca, as marquinhas vermelhas da pressão que fazia, e alguns cortezinhos que ardiam por ser necessário a limpeza com um remédio específico que compramos.

Sai de dentro da banheira abrindo a espécie de ralo, que deixou toda a água que caiu do chuveiro descer pelo mesmo. Me sequei e saí enrolada em minha toalha que era de uma cor vermelho meio desbotado. Vi minha namorada sentada na beira da cama me observando, em seus pés tinham as meias brancas e no chão seu tênis vintage. 

Claramente já estava trocada, pois demorei um pouco mais no banho porque queria relaxar, já que ela me ajudou e logo saiu para se vestir. Estava com um cropped branco simples que ficava fofo em seu corpo, é uma calça preta rasgada nos joelhos e dobrada nas canelas, por motivos de pretender usar um tênis de cano alto.

-Acho que trocamos de papel, era eu quem ficava admirando sua bunda… -Comentei de costas para ela pegando roupas no armário. Olhei por cima dos ombros e ri ao vê-la desviar os olhos um pouco ruborizada, e focar em colocar os calçados. 

Escolhi uma calça xadrez preta e branco, uma camiseta branca e um moletom preto, meias e um tênis combinando com o resto. Coloquei a calcinha e o sutiã deixando a toalha no trinco da porta, em cima da qual Camila havia usado.

-Amor… -Chamei-a indo até ela, virei de costas e puxei meu cabelo para frente. Eu não conseguia fazer isso com aquele protetor idiota na mão, então sempre pedia pra minha namorada. Ela entendeu o que eu disse, se levantou e aproximou nossos corpos. Senti seus dedos subirem por todo meu corpo até chegar em meus ombros.

-Sabe… Eu prefiro quando não está usando isso, aliás não quero fechá-lo. -Disse quase em sussurrou perto de meus ouvidos, não podia vê-la por estarmos longe do seu espelho, entretanto senti-la era melhor. Desceu aquela peça sob as laterais do meu braço e jogou-a no chão sem dar a mínima. -Assim está bem melhor, amor.

Sua respiração quente bateu contra minha pele me fazendo arrepiar. Começou a fazer um caminho de beijinhos molhados e lentos do meu ombro até o pescoço.

-Oh! -Arfei fechando os olhos e inclinando a cabeça para o lado por impulso. -Camz, é melhor pararmos por aqui… Sabe que não posso fazer muitos esforços com minha mão!

-E quem disse que você vai? -Perguntou dando uma mordidinha em meu pulso, podia sentir seus lábios sorrirem de lado contra minha pele com todo aquele contato. Deu a volta em meu corpo ficando de frente pra mim. -O que me diz?

-A porta está trancada? -Sorri cúmplice vendo-a ir conferir, assentiu e logo partiu para meus lábios quando chegou perto de mim. -Só… Uma… Rapidinha… -Disse entre alguns beijos abaixando minha calcinha, até que a mesma separou nossos lábios e completou:

-...Não mata ninguém! -Pegou minha mão ajudando com aquele pano inútil que caiu no chão. Camila foi me empurrando até a beira da cama, me deixou sentar e rastejar até os travesseiros enquanto dava a volta sorrindo maliciosa ao fazer um coque nos cabelos.


Subiu sob meu corpo entrando no meio das minhas pernas. e iniciou um beijo quente e selvagem, mordeu meu lábio inferior e desceu para o meu pescoço deixando alguns chupões gostosos ali. 

-V-vai logo, amor… -Pedi com a respiração pesada, eu estava louca para aquilo, nunca senti tanto desespero para transar quanto agora.

-Psiuu. -Colocou o indicador em minha boca fazendo “silêncio”. Suas mãos estavam ocupadas demais dando apoio ao corpo naquele momento, então a mesma começou a passar sua língua por toda a região, para depois prosseguir em meus seios. Chupou-os com a maior maestria me deixando louca. -Geme baixo, amor. -Lembrou-me dos nossos amigos no outro cômodo, sorria de forma prazerosa e orgulhosa de si mesma ao dizer isso.

Continuou uma trilha de beijos até chegar centímetros abaixo do meu umbigo, arrepiei-me completamente só de olhar para baixo e ver minha namorada morder sexy onde parou. Se afastou abrindos mais minhas pernas e desceu a mãos até minha entrada, agora ficando cara á cara comigo. Veio de encontro com meus lábio iniciando um beijo, sua língua entrou calmamente em minha boca, enroscando-se a minha numa sintonia perfeito. Aquilo era tão bom que chegava a gemer contra ela. 

Estava tudo consideravelmente tranquilo, até ela começar a maltratar meu ponto que não se aguentava de tanto prazer. Juntou dois dedos e fez movimentos para cima e para baixo, desde minha entrada ao clitóris, me fazendo sentir todos os tipos de sensações possíveis. 

-Ohhn… oohnn! -Comecei a gemer um pouco mais alto sem conseguir me segurar.

-Lauren, shhh! -Sussurrou ela chamando minha atenção.

-N-nãão dá… huumm! -Gemi contra seu rosto, então sua mão livre tampou minha boca apoiando o cotovelo no travesseiro ao lado. Ao ver que funcionava, Camila começou a aumentar a velocidade daquele momento delicioso que lambuzava toda sua pele. 

Fechei os olhos com força, minha mão enfaixada ficou sobre a cama, enquanto a outra arranhava com força as costas da minha namorada, cada vez mais trazendo pra mim. Ao colar tanto nossos corpos, sentia seus seios por baixo de toda aquela roupa pressionando os meus por pura luxúria de Camz que queria me dar prazer. 

Senti dois dedos penetrarem minha buceta, mesmo assim, com o polegar, ela continuava uma massagem rápida em meu clitóris. Não era necessário nenhum movimento dentro de mim, apenas senti-la lá já me deixava louca. Sem conseguir me controlar curvei as costas tensas indo de encontro dom seu corpo. Minha entrada já pulsava contra seus dedos, até que finalmente cheguei ao ápice gemendo alto com a boca fecha contra sua mão.

Camila se jogou ao meu lado na cama ainda vestida, nem se importou de tirar suas roupas, até porque eu não podia forçar a barra e piorar a situação da minha mãos. 

Meu corpo todo ainda formigava enquanto a respiração ofegante estava alta. Penetrei meus dedos em meus cabelos respirando um pouco cansada.

-Wow, como eu senti saudades disso! -Comentou ela sorrindo ao ver eu tentar recuperar ar o bastante para montar uma frase inteira.

-E como. -Rimos juntas. -Isso já era muito gostoso em minha imaginação, a diferença é que, dessa vez, os dedos são realmentes seus.

-Sua safada! -Deu um tapinha em meu ombro rindo baixinho.

-Eu queria muito fazer o mesmo por você, Camz… Mas deixa pra próxima.

-Não! -Neguei vendo-a um pouco confusa. -Na próxima, tenho certeza que ainda não terá ído ao médico para ele te liberar. Talvez na próxima da próxima da próxima! -Afirmou dando em cima de mim, deixou um beijo em meus lábios e levantou da cama.

Claramente haveriam outras próximas antes que eu pudesse recompensá-la. Se estou reclamando? De forma alguma!


Notas Finais


Esse não era o capítulo esperado, porém muitos de vocês acharam que o de ontem era um puta Hot, então em compensação (dos meus leitores iludidos e tarados) trouxe apenas para adoçar a vida de vocês! De nada, aliás.

Haha, vejo vocês amanhã! 😅😉🔥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...