História Decaídos e divididos - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Dor, Drama, Ilha, Revelaçoes, Romance, Sala, Sobrevivencia, Suícidio
Visualizações 5
Palavras 789
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Sobrenatural, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


A garota famosa... Hum... Veremos até aonde isso vai dar

Capítulo 3 - Primeiro a seder (Emily)


Não seja assim Érica — aquela maldita voz ainda esta na minha cabeça — eu disse que seria famosa!!! 

Acordei, e olhei ao redor... Me lembrei de onde estava logo em seguida, numa ilha no meio do atlântico, aquilo não me surpreendia mais, na verdade foi ate melhor, assim fujo da minha verdadeira face... Erica Lemisk a filha do Füghnir Lemisk um importante francês miserável que e estilista. 

Como filha mais velha dessa aberração, tive que me tornar uma modelo mirim, e isso me deixou no topo da escada da fama, eu não quero ser uma modelo quero ser uma pintora.

E claro que não posso, com esses cabelos e essa personalidade tenho que ser o rosto da moda. 

— ei Emy — Pamela me chamou — vamos nos separar em quatro grupos um vai ficar no acampamento e os demais iram buscar lenha e suprimentos.

E assim eu fui, junto com o grupo da Pam, na floresta densa avia coisas belas para se pintar borboletas e coelhos... Coelhos? Numa ilha? 

Me distrai e acabei me perdendo, vi um movimento nos arbustos, meu medo estava me sufocando... Droga eu estou paralisada.

Cris o garoto de olhos frios apareceu nos arbustos. 

— Pau no cu — eu quase cai no chão de alivio — você me assustou!!! 

— hum... — ele abriu um sorriso de canto de boca — eu sou assustador não é? 

— babaca!!!

— oque uma dama faz no meio da floresta? — ele me olhdesconfiança desconfiança

— vi um coelho é o segui só isso! — dei um sorriso — pra você nem vo perguntar... Um anti-social, pevertido sempre está na solidão! 

— olha você me conhecê bem... — ele deu de ombros — bom vou te deixar com os coelhos...

— não!!! — iterropi — não me deixe sozinho... Idiota! 

— cadê as palavras magicas? 

— P-por favor... Imbecil — ele nem se virou apenas começou a andar em silêncio

Depois de alguns minutos ele me deixou de volta a meu grupo. Depois em igual silencio e seriedade voltou para a densa floresta. 

Erike chegou com deboche:

— olha só você tem sorte em Emily 

— como assim? — as garotas mais ao fundo soltaram rizinhos 

— ele não te estuprou... 

— se vai abrir a boca para falar coisas de otário — ele me agarrou pelo pescoço 

— quem você acha que é aqui! — Me soltei em um brusco chute — Vadia!

— não me toque, Porco imundo!!! —voltei para o acampamento em pura fúria 

...

Não pude deixar de pensar em Cris, ele não era tão ruim quanto diziam, só um pouco único, como ele aguenta insultos e blasfêmias todos os dias? Eu odeio pessoas falsas e ele as aguenta todos os dias, digno de meu respeito, tenho que dizer “eu não o suporto”.

... 

Dia seguinte as turmas foram revirar os destroços do avião, a princípio foi algo bom, já que encontrei vários intensa de valor, uma bússola e um machado de emergência, mas apenas um o outro avia sumido. Dei os itens encontrados para Tomás e planejava voltar para o acampamento. Ate ouvir uma conversa de umas alunas da sala C. 

— ... Eu não mentiria para você Grace — uma das garotas falou 

— mas isso e absurdo! — a que se chamava Grace respondeu — uma criatura dessas May, e só um susto! 

Elas se afastaram um pouco, é eu me virei para ir embora quando uma voz me perguntou:

— o que você faz aqui? — era Sam da sala A 

— há... — procurei uma explicação 

— não precisa mentir — ela sorriu — ouvi a conversa também 

— o que você acha que é essa tal criatura? 

— nada — ela me olhou com seriedade 

— só nada 

— sim só nada — fez uma breve pausa — olhe May e uma aluna de intercâmbio em uma ilha com estrangeiros é normal essas ilusões ela está assustada! 

— bem talvez você tenha razão — me virei para onde estava meu acampamento — cara não quero voltar, vamos dar um passeio? 

— está me chamando para sair? 

— não abuse 

...

Demos um breve passeio pelos arredores da floresta, conversamos e trocamos idéias, em certo ponto cheguei a ficar tentada em revelar minha verdadera identidade. MMas quando finalmente tomei coragem...

Ouvimos um grito no meio da floresta, aquilo era humano, e parecia ser bem sério.

Corremos para dentro da floresta ate u.a clarera que seria ótima para pintura, mas nesse caso não. Um corpo estava estirado no chão segurava o outro machado de emergência, o que eu tanto procurei.

Demorei reconhecer o cadáver, e quando reconheci vomitei, era Enrique tinha um grande rasgo na região do umbigo. estava vazio por dentro. Sem nenhum órgão. Só pude pensar.

Puta que Merda, foi a criatura! 



   


 



Notas Finais


A está um cadáver no meio da floresta


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...