1. Spirit Fanfics >
  2. Decalcomania >
  3. Uma bússola

História Decalcomania - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Posso dizer que eu gosto deste capítulo hehehe

Capítulo 13 - Uma bússola


Era fim de tarde, Taehyung encontrava-se na casa dos Jeon. Apenas Dohyun estava na casa com eles.

Deitado de bruços com Jungkook, o Kim assistia com ele um vídeo de uma música de rock. O mais novo segurava o celular empolgado, era uma de suas músicas favoritas e adorava tocá-la.

— E agora é a melhor parte. – Jungkook disse — É divertido tocar ela.

— Parece tão difícil tocar bateria.

— Eu sei, sou incrível, não?!

Taehyung deitou de costas, podendo vê-lo melhor.

— Infelizmente não posso negar. – ergueu o braço para mexer no seu cabelo

— Mas com treino todo mundo pode conseguir, hyung.

— Oh, tão otimista.

— Quer tentar? Eu te mostro.

— Tem certeza? – riu – Porque eu topo.

— Sim, vamos. – levantou – Já que Junghyun não está, podemos fazer barulho.

— Está bem! – seguiu-o animado até a garagem.

Lá, Jungkook retirou uma capa que cobria sua bateria. O Kim ficou maravilhado com o instrumento preto com detalhes prateados.

— Tão bonita. – sentou-se no banco atrás dela, mexendo no prato – Você vai me deixar tocar mesmo? – perguntou esperançoso

— Claro! – sorriu

— E como faz isso? – referiu-se a tocar. O baterista abaixou-se perto dele e apoiou-se na perna alheia.

— Aqui na minha bateria eu tenho um conjunto de cinco tambores. Veja: – iniciou a contagem, apontando os objetos – um, dois, três, quatro e cinco. Este último você usa o pedal para tocá-lo, ele é chamado de bumbo. – Apontou o tambor do chão. Taehyung assentiu, e então teve uma dúvida.

— Uso qualquer um dos pés para apertar o pedal?

— Sim.

— Está bem, acho que usarei o esquerdo. Continue.

— Nos lados temos os pratos. O chimbal, – apontou o outro lado – e aqui o prato de condução.

— Muita informação. Não terei coordenação nem ritmo o suficiente para tocar. – riu

— Por que diz isso? – reclamou, quando o fazia os seus lábios formavam um bico fofo – Nem ao menos tentou ainda!

Taehyung estava cada vez mais encantado com Jungkook. Qualquer coisa que o moreno fazia era capaz de fazê-lo sorrir ou suspirar de amores.

Inclinando-se um pouco para baixo, o Kim pôde alcançar os lábios alheios. Apenas sentiu vontade de fazer aquilo, beijá-lo era viciante. Logo foi correspondido, ainda que o moreno não estivesse esperando. Jungkook pôs-se de pé, para depois sentar-se sobre as pernas do Kim. Olharam-se. Taehyung achava bonito quando Jungkook colocava o cabelo atrás da orelha do jeito que fazia no momento. O sorriso contido, as covinhas que surgiam, as sobrancelhas que erguiam-se... Único e bonito.

Já que Taehyung não retornou a beijá-lo, – por ainda estar o admirando – Jungkook encostou seus lábios demoradamente nos dele, movendo-os aos poucos. As mãos grandes mas delicadas de Taehyung ganharam destinos certos: Uma acariciava-lhe a coxa, a outra apoiava sua coluna. As mãos do Jeon circundavam o pescoço alheio.

Os lábios afastaram-se e um suspiro escapou de Jungkook. Taehyung sentiu o coração errar uma batida, como diziam na internet. Beijou-lhe a bochecha carinhosamente, para depois ter os lábios entre os seus.

Jungkook foi o primeiro a ouvir o ruído atrás de si. Separando os lábios contra a vontade dos dois. Havia sido o som de uma caixa de plástico, uma das que estavam na prateleira, sendo puxada. Levantou-se assim que viu o pai tentando passar-se despercebido ao mexer nas coisas.

— O que está fazendo, pai? – perguntou ao Jeon mais velho. Taehyung sentia sua face quente, e continuou sentado, assim poderia ficar escondido atrás de Jungkook.

— Ah, vocês estão aí? Eu não vi nada! – fingiu estar distraído – Estou procurando minha bússola. – continuava procurando na caixa – Liguei para JungEun e ela disse que estava numa caixa que você trouxe para garagem.

— Não mesmo, eu levei para o porão. A caixa era de papelão.

— Certo.

— Por que não usa no seu celular? – cruzou o braços.

— Se eu tenho uma bússola, por que eu usaria o meu celular, Jungkook? Eu vou encontrá-la. – caminhava de volta para a porta enquanto falava sozinho: – É importante ter uma bússola, por que JungEun insiste em guardá-la?!

Jungkook olhou para trás por cima do ombro. Taehyung parecia assustado, aquilo o fez rir.

— Não se preocupe. – virou-se – Não é como se ele estivesse acostumado a me ver beijando homens, mas ele não está preocupado com isso. – estendeu o braço, com a mão em baixo do queixo de Taehyung, apertou suas bochechas, deixando um bico nos lábios dele.

— Significa que ele não ficará bravo? – falou com dificuldade

Jungkook encostou seus lábios nos dele rapidamente.

— Isso. – retornou a postura – Ainda quer tocar?

— Quero.

°°°

Já era noite. Novamente deitado na cama com Jungkook, Taehyung já estava com barriga cheia graças ao jantar feito por Dohyun.

O Kim olhou para o lado, Junghyun estava deitado entre os dois agora e contava o que tinha feito durante o dia.

— O céu estava muito azul. – esticou os braços para cima, abrindo os dedos das mãos. Por uns segundos pareceu lembrar-se do céu que viu. – A titia disse que quer uma bolsa nova.

— Hyun, isso é fofoca. – Jungkook avisou. Ele estava deitado de lado e a cabeça estava apoiada em seu braço.

— Por quê?

— Você estava falando o que a titia disse para a mamãe. Isso é uma fofoca.

— Por quê?

— Por que sim.

— Por quê?

— Parece que o disco de alguém arranhou de novo. Eu vou verificar! – com o indicador tocou a barriga do irmãozinho, iniciando as cócegas. Junghyun buscou ajuda nos braços de Taehyung.

— Eu vou salvar você! – Taehyung anunciou – Vamos derrotá-los juntos!

— Quê?! – Jungkook perguntou

— Ao ataque!

Os dois sentaram-se, prontos para fazer cócegas em Jungkook.

— Oh, não! – ria – Eu me rendo!

— Você estará livre se o capitão Junghyun disser que sim. – parou e olhou para a criança – O que você diz, capitão?

— Sim. – respondeu e logo ganhou de Jungkook um beijo na testa

JungEun, que estava parada na porta aberta e assistia a brincadeira, fez notar sua presença chamando o filho mais novo:

— Junghyun? Venha vestir o pijama.

— Mas por que, mamãe? – Junghyun abraçou Jungkook para não ir

— Para ficar prontinho para dormir. Vamos?

— Por quê?

— Jungkook e Taehyung têm assuntos de adultos para conversar agora. – aproximou-se da cama para pegá-lo – Venha.

Obedecendo sua mãe, Junghyun ficou em pé e caminhou até os braços dela.

— Como você está pesado. – falou – Despeça-se deles.

— Tchau! – acenou

— Boa noite, rapazes. – JungEun sorriu para os dois. Ao sair do quarto fechou a porta.

Taehyung olhou para Jungkook.

— E o seu pijama, não vai colocar?

— Quer me ver de pijama, Taehyung?

— Bem... – riu – Aposto que é do homem de ferro.

— Não tenho pijama do homem de ferro. – fez uma expressão triste – Mas, geralmente eu não uso pijama. – deitou-se novamente

— E usa o quê?

Jungkook apenas deu de ombros.

— Acho que entendi. – continuou o observando – Obrigado por me ensinar uma música hoje.

— Quer me contratar como seu professor?

— Sem dúvidas.

O Jeon sentou-se novamente e segurou-o pela nuca, deixando apenas um beijo perto de seus lábios. Taehyung resmungou, puxando-o pela camisa para que unisse suas bocas desta vez.

Infelizmente, Taehyung brevemente voltaria para a casa ao lado


Notas Finais


Até a próxima!
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...