1. Spirit Fanfics >
  2. December >
  3. Capítulo 5

História December - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Hey, voltei rapidinho!! 😅
Espero que gostem e boa leitura! 💕

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction December - Capítulo 5 - Capítulo 5

CAPÍTULO 5

  Acordei ainda era noite, diferente do que pensei, não consegui dormir direito. Olhei o relógio ao lado da cama, ainda eram onze horas! Fala sério, eu somente cochilei!

  Bufei e levantei com raiva da cama, pequei uma coberta e travesseiro, desci as escadas e decidi assistir uma série.

  Após me acomodar bem no sofá, tirei Game of Thrones da pausa. Estava tentando assistir novamente há muito tempo, porém desistia sempre que via o Joffrey. Que garoto irritante!

  Já estava no terceiro episódio ( o que indica que está muito tarde e que vou me lascar para permanecer acordada), quando vejo Regina. Pausei o vídeo e lhe encarei.

  -Tudo bem eu ficar aqui com você?

  -Claro, fique a vontade. – ela senta ao meu lado. -Quer assistir alguma coisa ou...

  -Oh, não. Estou bem e pera... É Game of Thrones? – me olha com a sobrancelha erguida.

  -Sim? – ela franze as sobrancelhas. -Sim, é sim.

  -Estou acompanhando, na verdade já deveria ter terminado...

  -Está em qual temporada? E episódio...

  -Episódio 8 da terceira. – coloco no episódio que ela disse.

  -Já terminei todas. – explico ao ver sua cara de confusão por ter tirado do que estava assistindo.

  ***

  Estávamos no episódio nove, eu olhava ansiosamente para ela esperando sua reação ao ver o que estava prestes a acontecer. Lembro que quando eu assisti esta cena, chorei horrores!

  -O que foi? Tá me encarando...

  -Huh? Nada! – volto meu olhar para a TV.

  Estava tudo tranquilo. Tudo muito bom maaaas... Assim que começou a tocar a música The Rains Of Castamere eu olhei para ela. Vi ela erguer a sobrancelha, depois a vi totalmente chocada após uma fala de Catelyn Stark.

  -Ah meu Deus!! É sério isso, Swan?! – me encarou.

  -Veja... – apontei para a TV e ela voltou a assistir, em seguida tudo aconteceu. Todas as mortes!

  Ela estava ainda estava em choque quando o episódio terminou. Fiquei esperando ansiosamente que ela dissesse algo.

  -Por favor, me diz que vale a pena terminar a série? – gargalhei.

  -É claro que sim! Não desista assim. – ela semicerra os olhos na minha direção. -É sério, juro!

  -Ok... acho que vou dormir um pouco. – sorrio e assinto.

  -É, eu também. Alison vai acordar com bastante energia! – desliguei a televisão e subimos lentamente, ela parecia não querer “ir”.

  Apesar de sentir isso, não falei nada. Mas antes que ela pudesse entrar no quarto, falei:

  -Qualquer coisa que precisar pode chamar, ok?

  -Tudo bem. – ela entrou. Suspirei e fui para o meu quarto.

  Eram quase seis horas, Alison acorda de nove, teria um tempinho para dormir.

  -SQ-

  O plano era dormir até umas oito e meia, mas acordei antes das oito. Devo estar parecendo um zumbi.

  Tomei um banho rápido e escovei os dentes. Tinha poucas roupas, então peguei uma calça preta bastante antiga e uma regata rosa. Prendi meus cabelos de qualquer jeito e desci.

  Olhei a geladeira por longos minutos, decidi fazer panquecas, ovos e bacon. Suco para Alison e café para mim e Regina (ela parecia gostar bastante). Após terminar tudo, arrumei a mesa.

  Fui para o escritório procurar um livro. Minha amiga é louca por livros, físicos ou não. Super viciada em leitura, e ela conseguiu passar esse vício para mim.

  Porta-retratos me chamaram atenção, eu nunca os tinha visto. Me aproximei e sorri ao ver uma foto da Zelena e Ruby sujas de molho vermelho, em cima do balcão da cozinha, ao lado delas, estava Alison rindo. Na outra foto estava Cora, Henry, Zelena e Regina. Nesta foto a morena parecia bem mais jovem.

  Mas um em especial chamou minha atenção, uma garotinha com os cabelos longos e escuros, sorrindo para a foto com uma janelinha adorável. A foto era antiga, no cantinho da mesma estava escrito Regina Mills, cinco aninhos. Sorri. A fotografia estava bastante gasta e escura, mas ainda sim era linda.

  As outras fotos da família Mader... espera. Porque o sobrenome da Regina é Mills?! O nome é Mader. Talvez elas não sejam filhas do mesmo pai, e o nome da morena seja dele.

  Parei de observar senão passaria o dia ali, e peguei o livro: O Diário de Anne Frank.

  Ruby sempre me indicou esse livro, porém sempre fui amante dos clichês. Hoje eu daria uma chance. Talvez eu termine domingo, já que no dia seguinte (sexta-feira) o Bae pegaria a Ali.

  Sentei no sofá e comecei minha leitura. Não sei ao certo quanto tempo passei lendo mas parei ao ouvir um resmungo:

  -Ai porra... – olhei para a escada e lá estava Regina, numa camisola preta curtíssima de seda. -Ah! Oi, bom dia! – saúda extremamente corada.

  -Bom dia! Você está bem?

  -Oh, sim. Eu somente bati meu dedo nesta mesinha de canto. – aponta.

  -Ok... – sorrio. -Eu já preparei o café. – aviso ao vê-la se dirigindo à cozinha.

  -Então vou me ajeitar e ver a Ali.

  -Tudo bem. Vou esperar vocês. – ela assente.

* Horas depois *

  Alison e Regina jogavam alguma coisa quando ouço meu celular tocar. Vi o nome da Rose e suspirei, não atendi. Tocou mais duas vezes, até chegar uma mensagem.

  {Rose, 14:03}: Mana, a mamãe quer falar conosco. Pediu para que eu falasse com você, disse que não estava conseguindo entrar em contato. Já estou aqui, só falta você.

  Revirei os olhos e desliguei o celular.

  -Regina? – ela me olha. -Tudo bem eu dar uma saidinha? Minha mãe precisa falar comigo...

  -Não, tudo bem. Vai lá. – assinto.

  -Obrigada. – me aproximo da minha afilhada e lhe dou beijo na testa. -Logo estou de volta!

  -Tudo bem! Tchau, dinda! – aceno e saio da casa.

  Após uns dez minutos dirigindo, estacionei em frente a casa. Contei mentalmente até dez e saí do carro.

  Toquei a campainha mesmo estando com minha chave. Esperei pacientemente alguém atender, logo vi o Neal.

  O olhei e entrei sem ao menos cumprimentá-lo. Todos estavam reunidos na sala.

  -O que houve? Tem alguém doente? – olhei para cada um.

  -Deixa de graça! – mamãe fala sem paciência.

  Sentei-me ao lado da Rose e cruzei os braços.

  -A Eva está vindo para cá, gostaria que todos vocês me ajudassem, quero a presença de todos nos jantares, sem discussões... – falou a última parte olhando para mim.

  -Quando ela chega? – Neal pergunta.

  -Provavelmente amanhã de manhã...  

 -Não poderei vir. – solto, todos me olham.  

  -Posso saber por que? – mamãe cruza os braços.

  Na verdade eu poderia vir o fim de semana pois não estaria com a Alison, mas não queria.

  -Estou ficando com a Ali enquanto Ruby viaja...

  -Está de babá? – ela ergue a sobrancelha.

  -Sim, estou de babá da minha afilhada. – levanto. -Se era isso, já disse que não poderei vir. Até mais e boa sorte! – saio sem dar tempo de algum rebater.

  ***

  -Regina? – entrei chamando. -Desculpe a demora, mas passei numa lanchonete e... – fui parando de falar ao sentir o clima na sala.

  Alison brincava no tapete totalmente aérea, enquanto Regina e Gideon estavam num canto da sala. De onde estava, a morena tinha uma boa visão da Ali.

  -Tá tudo bem, Regina? – perguntei-lhe diretamente, ignorante totalmente o olhar do seu namorado. Ergui a sobrancelha ao ver que ele segurava o braço dela. -Regina?

  -Tá sim. – semicerrei os olhos.

  -Alison, vamos arrumar as coisas para comermos? – ela assente rapidamente e levanta. -Calma!! – peço ao vê-la correndo na direção da cozinha.

  Sigo-a mas antes de sair do campo de visão do casal, me viro para Regina.

  -Qualquer coisa é só chamar. – ela assente novamente.

  A garotinha estava me esperando pacientemente na cadeira. Pegamos copos, pratos (de plástico), logo peguei os talheres e sentamos na mesa.

  Tinha comprado torta de limão, preferida da Alison, espero que Regina goste. Mas também trouxe dois pedaços de empada, dois capuccino e suco de maracujá.

  Esperamos Regina por quase dez minutos, mas logo Alison ficou sem paciência e acabamos comendo.

  Vinte minutos e nada de Regina, preocupada, dei meu celular para Alison jogar e fui até a sala. Os dois estavam sentados.

  -Regina? – chamei ao perceber seus olhos marejados.

  -Ah, oi... o que houve?

  -Nada... Você está bem? – ela assente rapidamente. -Tem certeza?

  -Ela já disse que está bem! – Gideon fala com a voz arrastada. O ignoro.

  -Tem certeza, Regina?

  -Tenho sim, Em... Swan! Tenho.

  -Ok... – saí de perto deles e voltei para chamar a Alison para brincarmos um pouco.

  -SQ-

  -Olá... – a morena fala batendo levemente na porta do quarto e entrando em seguida.

  -Tiaaa, por quê demorou tanto? A gente tá brincando faz um tempão!!! – abriu os braços para expressar o quanto brincamos.

  -Estava conversando, mas agora vou brincar com vocês, o que acha? – senta ao meu lado no chão, de frente para Alison.

  Passamos uns trinta minutos brincando, quando de repente Alison olha pra gente.

  -Tia Regina, por que namora aquele moço esquisito? – arregalo o olhos.

  -Alison!

  -Não, tudo bem... – ela olha para a garotinha. -E-eu... gosto dele, querida. E quando criamos uma amizade e começamos a gostar muito desta pessoa, as vezes isso acontece... – semicerra os olhos. -Isso aconteceu comigo e com o Gideon. – suspirei incomodada.

  -Hum... mas e a dinda, porque não namora?

  -Oh, isso tem que perguntar a ela. – ambas me olham.

  -Apesar da senhorita não ter idade para essas perguntas, vou responder... eu não namoro porque não tenho uma amizade assim como a tia Regina falou, e não pode namorar com quem não gosta, isso não faz muito bem... – sinto Regina me olhar intensamente. Olho para ela brevemente, não conseguiria manter contato.

  -Por que? Fica dodói? – sorrio docemente.

  -Não, meu amor. Mas fica tudo esquisito aqui – aponto para seu “coração”. -E aqui. – toco na sua cabeça. -Mas vamos voltar a brincar! – bato palmas.

  -Eu vou lá embaixo pegar... pegar...

  -Vai lá. – falo já que ela não termina sua fala.

  Brinquei mais um pouco mas com a demora, resolvi ver se Regina estava bem. Desci as escadas se fui para a cozinha, ela estava encostada no balcão tomando um copo d’água.

  -Hey... ‘Cê tá bem? – me aproximo, mas ainda mantendo uma distância segura.

  -Estou. – entendi que ela não queria mais falar.

  Suspirei e me virei para ir embora. Mas antes que eu sumisse do seu campo de visão, ela voltou a falar:

  -Na verdade não... Você tem remédio pra cólica? – me viro vendo-a completamente corada.

  -Oh, não tenho... sinto muito. – ela assente.

  -Tudo bem, vou lá ficar com a Ali... – ela passa por mim.

  -Ei! - se vira pra mim. -Tenho que dar uma saída, ok? – ela assente novamente.

  Peguei minhas chaves e carteira e sai da casa. Liguei o carro e procurei uma farmácia, demorei um pouco mais do que esperado. A maioria estava fechada, na verdade próximo a casa tinham quatro, três estavam fechadas. Estacionei em frente a única aberta e entrei.

  Olhei várias prateleiras até encontrar um que achasse bom para cólica, nunca senti dores e nem fico com TPM, - por mais difícil que possa parecer – mas as vezes fico emotiva.

  Peguei o remédio e, antes que pudesse pagar, vi doces e chocolates. A maioria das mulheres dizem que ajuda, então peguei três barras de chocolate, um pacote de jujuba e um de marshmallow, paguei por tudo e saí, foi aí que percebi que ainda estava com uma calça velha e regata, umas pessoas me olhavam.

  Entrei no carro e joguei a sacola no banco ao meu lado e parti rumo minha casa temporária.

  ***

  -Regina? Desculpe a demora, mas... que silêncio, cadê Alison? – franzi o cenho e olhei pro sofá e Regina estava deitada com a mão no rosto.

  Me aproximei bastante preocupada.

  -Ei, você tá bem? O que houve?

  -O Bae pegou a Ali, ele pediu para trabalhar de casa amanhã para poder pegá-la mais cedo. – arregalei os olhos com sua voz embargada.

  -Mas e você? – seguro suavemente sua mão que estava apoiada na barriga.

  -Não é nada! – suspiro. -Ai, desculpa a ignorância... Desculpe.

  -Tudo bem. Que falar o que houve? – ela tira a mão do rosto. Seu nariz e olhos vermelhinhos a deixava adorável.

  -Nada... é só que... quando você saiu, liguei pro Gideon e... Enfim, eu me irritei! – sinto que sua voz vacila.

  -Hum, ok. – seguro suas mãos e ajudo-a a sentar. -Comprei umas coisas pra você. – lhe entrego a sacola. -Espero que tenha comprado certo... é que eu não sei muito bem a melhor marca sabe? – começo a falar ao ver que ela observava tudo que comprei calada. -E se não for bom, não tem problema e...

  -Shii... Obrigada!! – me olha cheia de gratidão. -Muito obrigada! Eu não sabia que tinha ido comprar isso, então liguei para o meu namorado para que ele pudesse comprar, mas ele somente ignorou e disse que odiava essas fases. – Revira os olhos.

  Que cara mais ignorante!!

  -Esqueça isso. – peço para que o humor dela não piore. Não sei se isso aconteceria mas prefiro não arriscar. -Vou buscar um copo d’água para o remédio... Podemos assistir Game of Thrones? – ergo a sobrancelha com um sorrisinho em expectativa.

  -Claro. Obrigada novamente. – pisco e levanto correndo para pegar a água.

  -SQ-

  -Vou tomar banho e desço para fazer algo para jantarmos, ok? – fala após terminarmos mais um episódio.

  -Eu posso fazer ou até mesmo pedir algo... – sugiro. -Sei que Ruby quando tá com cólica fica com muita dor, no corpo todo... É assim que todas?

  -Você não sente nada? – nego. -Nadinha?

  -Nadinha mesmo. É sério! – sorrio. -Enfim, o que prefere?

  -Hum, tanto faz. Eu como qualquer coisa. – levanta e sobe as escadas.

  Depois de pensar muito, decidi fazer minha especialidade: macarrão com queijo. Eu sei cozinhar o suficiente para sobreviver, não sou nenhuma cozinheira. Mas quando decido fazer algo, sai muito bom!

  Peguei tudo que precisaria e alguns minutos depois, tudo estava pronto. Arrumei a mesa e fui jogar uma água no corpo.

  ***

  -Hey, demorei muito? – pergunto sentando na cadeira, Regina já me esperava na mesa.

  -Não. – assinto e começo a me servir.

  Começos a comer em silêncio, confesso que meu macarrão saiu muito bom, muito mesmo.

  -Então... – olhei para Regina e esperei que continuasse. -E-eu... você se importa se eu ficar aqui esse fim de semana? Bom, se você for ficar aqui e não achar legal, não tem problema... eu posso ir e...

  -Ei, ei! É claro que não tem problema. – interrompo sua fala.

  -Obrigada... – suspiro e termino de tomar o resto de vinho na minha taça.

  -O que acha de companhia? – sorrio.

  -Eu adoraria!



Notas Finais


•Raiva do Gideon só aumenta...
•Digam-me o que estão achando, pfv! ⚠⚠
•A partir deste vai começar uma aproximação, ok? Finalmente!
•Está perto de vocês saberem um pouco sobre a Regis... Preparem-se!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...