1. Spirit Fanfics >
  2. Deeper than the Ocean - Changlix, Minsung, Hyunin >
  3. Capítulo 35 - Aniversário do Changbin pt. 3

História Deeper than the Ocean - Changlix, Minsung, Hyunin - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


oi rs


nossa meus mores, desculpa pela demora :( semana passada eu não tava muito bem pra conseguir escrever e essa semana eu acabei me enrolando com umas coisas e não consegui postar no fim de semana


mas olha só, a atualização é dupla :))) (vou tentar fazer dupla né k)


boa leitura!!

Capítulo 38 - Capítulo 35 - Aniversário do Changbin pt. 3


Finalmente, depois de dez minutos na fila, os quatro chegaram em uma das cabines pra comprar as entradas, o homem que estava atrás do balcão olhou pra eles.

- Bom dia, sejam bem vindos ao Let's Do Something Fun*! Como posso ajudá-los hoje? - ele vestia um uniforme fofo nas cores azul e rosa, temas do parque.

- Gostaríamos de quatro entradas - disse Changbin, que estava na frente com a mão entrelaçada a de Felix, que olhava por trás do homem pra ver as atrações.

- Temos uma promoção para  casais, se comprarem a entrada de namorados, ganham 30% de desconto! Gostariam de duas entradas de casais? - perguntou ele mostrando a tabela com os preços grudada no balcão.

Agora, por que ele achava que Minho e Jisung eram um casal sendo que eles não estavam de mãos dadas como o casal a frente deles? Simples, eles estavam de cara virada um pro outro, mas seus corpos estavam inconscientemente próximos, quase grudados.

- Nós não somos um casal - disse Jisung, olhando sério pro homem que os atendia.

- São sim, parem de cu doce. Parecessem duas crianças - disse, acreditem vocês, Felix, revirando os olhos e ouvindo uma risadinha baixa do namorado - Duas de casais, por favor.

E depois daquele corte inesperado da pessoa mais doce ali presente, os dois citados ficaram em silêncio. O funcionário entregou as pulseiras de entrada pra eles, Changbin colocou a de Felix e este colocou a do namorado no pulso dele. Agora, Jisung tinha conseguido pôr a dele, mas Minho se batia pra tentar colar uma ponta na outra, a cena chegava a ser cômica. O Han ficou olhando por uns trinta segundos, mas o Lee não pedia ajuda, então só suspirou e foi até ele, puxou o pulso dele e foi arrumar a confusão que ele estava fazendo.

- Quantas vezes vou ter que dizer que não precisa fazer tudo sozinho? Eu estou aqui pra ajudar também, sabe? - e terminou de colocar a pulseira listrada de rosa e azul bebê, olhando pra cima e quase tendo um treco com os olhos azuis escuros o encarando tão intensamente.

- Eu sei... Desculpa - disse ele, não parecendo estar falando só sobre a pulseira, mas o Han só ignorou e eles entraram definitivamente no parque.

Felix apertou a mão de Changbin em animação enquanto entravam na área do parque, o letreiro colorido e brilhoso gigante acima deles, todas as atrações enormes e chamativas se mexendo e brilhando também, as pessoas nunca sem a pura felicidade no rosto, o cheiro doce maravilhoso de algo que ele não sabia o que era, os gritos, alguns de susto, outros de felicidade,  as crianças correndo pra lá e pra cá com arquinhos de bichinhos nas cabeças. Ele sorriu grande, seus olhos brilhavam e pra melhorar tudo, olhou pro moreno ao seu lado, que olhava em contemplação pra si.

- Pronto? - perguntou o Seo.

- Pronto!! - respondeu animado.

E eles estavam definitivamente entrando na aura do parque. O primeiro brinquedo que viram foi a torre, a tão famosa torre que subia mais de 100m e despencava em uma velocidade surreal. 

- Aquele ali!! Eu quero ir naquele ali!! - disse empolgado Felix, dando pulinhos no lugar e apontando pra atração.

- Então vamos lá - e os quatro foram pra fila. Changbin e Jisung não estavam com medo, já tinham ido num parecido no ano anterior, Felix estava super animado e Minho olhava com desconfiança pra torre, via ela subir devagar e despencar, e então vinham os gritos desesperados. Ele se assustou as três vezes que viram as pessoas que estavam em sua frente irem em suas vezes e gritarem como se estivessem morrendo. 

Quando finalmente chegou a vez deles e de mais onze pessoas, todos foram tranquilamente sentar em seus assentos e esperar o funcionário vir checar seus cintos de segurança, mas Minho estava acuado. Ele chegou devagar perto do assento, olhou pra ele desconfiado por alguns segundos e depois sentou. Quando o funcionário veio checar seu cinto, ele perguntou pra ele se ele tinha prendido direito e nessa hora Jisung, que acompanhava tudo sentado ao lado do Lee desde o início, se pronunciou.

- Está com medo? - e sorriu sacana pro maior, que virou pra si assustado, mas mudou a expressão assim que viu a cara de deboche do menor.

- Medo?? Claro que não, eu não tenho medo de nada, sou um soldado. Meu castelo é maior que isso - e os assentos começaram a subir e ele praguejou em sua língua mãe.

Devagar eles foram subindo, Changbin super calmo e segurando a mão do namorado impaciente que pulava no assento, Jisung balançando as pernas pra sentir a sensação de chacoalhá-las àquela altura e Minho... Bom, ele olhava pra frente apenas, apertava com força os apoios de braço e quando arriscou olhar pra baixo, viu tudo rodar e fechou os olhos com força, apertou com tanta força as mãos nos apoios que seus nós dos dedos ficaram brancos.

Quando chegaram no topo, os assentos chacoalharam ao baterem na trava e uma contagem regressiva começou.

5

Minho olhou pra cima, pedindo ajuda divina talvez.

4

Ele ouvia seu irmão impaciente conversando com o namorado.

3

Por que ele aceitou ir naquilo mesmo?

2

Sentiu o toque quente da mão de Jisung pegando a sua e elas se entrelaçando firmemente.

1

Olhou pro mais novo e ele sorriu pra si.

0

E todos despencaram daquela altura. O Lee mais novo gritava empolgado, o Seo fazia uma cara engraçada, mas não soltava um som, o Han gritava de emoção e o Lee mais velho gritava de desespero. Quando os assentos chegaram perto do chão e Minho achou que iam colidir com força com o chão de concreto, o freio foi acionado e eles pararam quase bruscamente, mas encostaram suavemente na trava da parte de baixo. Seus cintos soltaram automaticamente, Felix desceu imediatamente e logo em seguida Changbin e Jisung.

- Isso foi incrível!! - soltou Felix com um sorriso enorme no rosto - Vamos de novo?

- Hyung? Não vai descer? - perguntou o Han pra Minho, que ainda apertava os apoios com força, seus olhos estavam estalados e sua respiração desregulada - Know-Hyung?

E ele foi descendo do assento e colocou os pés no chão, mas assim que soltou os apoios, suas pernas falharam e ele caiu de joelhos.

- Hyung! - disse preocupado o Han, indo até o encontro do mais velho no chão - Hyung, você tá bem??

- Não sinto minhas pernas... - falou fraco o maior.

- Lino? - chamou Felix, vendo o irmão daquele jeito - Que foi??

- Parece que foi adrenalina demais pro seu irmão - comentou o Seo, achando até cômica a situação.

- Vem, Hyung, levanta - disse Jisung, erguendo o maior. Apoiou o braço dele em seus ombros e eles saíram da área da torre - Acho melhor a gente ir em algo mais suave agora - comentou ele pros outros dois ao seu lado.

Eles olharam ao redor e viram as montanhas russas e mais coisas radicais demais pro Lee naquele estado, mas ao olhar pro lado, Changbin viu a casa dos espelhos.

- Acho que ele aguenta a Casa dos Espelhos - e ao concordarem, foram pra lá. A fila não era grande, então conseguiram entrar rápido.

O lugar era circular e em todas as paredes haviam espelhos que distorciam a realidade, enquanto o casal de namorados foi pro lado esquerdo, o par de frescos foi pro lado direito. O primeiro espelho fazia a cintura muito larga e o tronco e as pernas ficarem finas.

- Hyung, olha só! - chamou a atenção do mais velho e balançou o corpo pra cima e pra baixo, fazendo ora sua cabeça enorme, ora o resto de seu corpo. Minho gargalhou com a situação e foi pro lado do Han, então os dois ficaram brincando na frente do espelho e fazendo sons engraçados conforme suas formas mudavam.

Quando pararam de se mover, Jisung inconscientemente encostou a cabeça no ombro do moreno, mas assim que percebeu levantou a cabeça de novo. Olhou pra Minho e ele olhava surpreso pra si, mas depois sorriu e juntou levemente suas mãos. Jisung estava sentindo falta daquele toque quente e macio, sorriu pra ele também, mas assim que uma criança riu alto ao lado deles, soltou a mão do maior e foi pro próximo espelho.

"Mas eu sou idiota mesmo" pensou o Lee, suspirando e indo atrás do mais novo.

Já o nosso querido casal, que já tinha passado por alguns espelhos, estavam agora no espelho que engordava absurdamente, Felix ria alto até parar pra olhar pra aquele espelho, ali ele olhou sério pro seu reflexo distorcido.

- Que foi, meu amor? - perguntou Changbin pro loiro que antes ria maravilhosamente e agora tinha aquela não usual expressão séria no rosto.

- Se eu ficasse assim, você ainda me amaria, Binnie? - perguntou ele, olhando pro moreno ao seu lado.

- Claro que sim, Lix. Primeiro porque eu te amo e segundo porque aparência não importa e beleza é relativa - respondeu acariciando a mãozinha fofa do maior - Ficar acima do peso não te faria menos maravilhoso pra mim. Ninguém fica "menos bonito" por estar acima do peso.

O Lee mordeu o lábio inferior em angústia. Como poderia não amar aquele homem incrível em sua frente? Sorriu depois e abraçou o menor com força, colocando o nariz no pescoço dele.

- Eu te amo tanto, Binnie... - e apertou seus braços em volta dos ombros dele.

- Eu também te amo, meu amor. Mais do que sequer achei que poderia ser possível - respondeu o mais velho, também abraçando o outro com força.

Assim que se separaram, entrelaçaram as mãos de novo e continuaram vendo mais espelhos. O último fazia o corpo esticar e parecer maior do que realmente é, os dois estavam de frente pra ele.

- E aí, como é se sentir alto pela primeira vez na vida? - perguntou debochado o loiro, sorrindo irônico pro menor, que inclusive virou pra olhá-lo com uma cara de bunda.

- Se você não fosse tão bonito eu te dava um socão agora - resmungou ele, ouvindo a risada fofa do loiro e em seguida recebendo um beijinho na ponta do nariz.

- Você é perfeito assim, Binnie - e a marra de Changbin caiu por terra.

- Aí! Romeu e Julieta versão gay contemporânea!! - chamou Jisung da porta de saída com Minho - Acelera aí, faz favor.

E eles saíram do local, com Minho já recuperado da torre, então foram pra outras atrações. Foram no barco pirata, onde Felix abraçava Changbin pelo braço enquanto gritava empolgado e Minho quase esmagando a mão de Jisung. Depois tiveram que ir em algo mais leve, de novo, então foram no pedalinho, Jisung ficou emburrado porque enquanto ele estava ali com Minho, que parecia uma idosa pedalando de forma tão lenta que até os patos iam mais rápido, Changbin segurava fortemente a beirada do pedalinho porque Felix pedalava tão rápido que eles quase viraram duas vezes.

Já era hora do almoço, então depois de saírem do lago com um Changbin traumatizado foram pra praça de alimentação do parque. Assim que sentaram, o Seo só entregou seu cartão pro amigo e disse pra ele ir comprar algo pra ele e Felix, já que ainda estava se recuperando da experiência com o namorado. Jisung e Minho voltaram com uma refeição completa, tinham trazido Bibimbap, Kimchi e Bulgogi, já para beber trouxeram suco natural de laranja e limão. Changbin ergueu uma sobrancelha pro Han, que apenas deu de ombros e disse "Precisamos arrumar a dieta das altezas aqui" e o Seo concordava.

Engraçado foi eles ensinando os irmãos a usarem os hashis, Felix se embananava todo pra tentar segurar corretamente os dois palitos, já Minho, quando conseguia segurar de forma certa, sempre derrubava o que tentava comer.

- Eu vou enfiar isso daqui no olho de alguém - resmungou ele em seu canto, Jisung só ria quietinho.

- Consegui!! - comemorou o loiro ao conseguir segurar direito e conseguir pegar um pouco de comida, mas assim que tentou levá-lo à boca, derrubou-a em seu colo. Ele fez uma cara de emburrado e olhou pro namorado, que ria discreto - Binnieeee...

- Hm?

- Dá na minha boca? - pediu manhoso e obviamente o Seo não resistiu, dava uma porção pra ele depois uma pra si.

Minho, do outro lado da mesa olhava a situação toda junto com Jisung, e depois olhou pro menor ao seu lado, que levava um pedaço de carne pra boca. O Han viu ele olhando e ligou os pontos.

- Ah, não. Nem vem.

- Hannie~!!! Eu não consigo usar os palitos!! - fez manha, parecendo uma criança - Por favor...? 

O menor só suspirou e começou a fazer o mesmo que o amigo do outro lado da mesa, pegava um pouco das porções à sua frente e levava pra boca do maior. Minho estava gostando da situação, a atenção de Jisung estava toda em si e ver o mais novo pegar comida pra si e levar até perto de sua boca, abrindo a própria um pouco em um pedido silencioso. Ele ficava muito fofo concentrado, não podia acreditar que tinha sido um babaca com aquele homem.

- Binnie, eu quero provar aquilo ali! - disse Felix apontando pro Bulgogi.

- O nome é Bulgogi, Lix. É um dos meus pratos favoritos - disse Changbin, pegando um pedaço da carne e colocando a mão embaixo pra levar até a boca do loiro - Abre a boca, meu amor - e colocou a carne na boca pequena do maior, que começou a mastigar e fez uma expressão de satisfação - Gostou?

- Aham! - e terminou de mastigar - O que é isso?

- Carne grelhada e temperada - respondeu o menor, pegando um pedaço pra si.

- Como assim "carne"? - perguntou confuso o Lee mais novo.

- Sabe as vacas que você viu no filme comigo? - perguntou Jisung do outro lado da mesa, dando Kimchi pro Lee mais velho - Então, carne delas.

Nesse momento o loiro estalou os olhos e seu rosto começou a ficar pálido.

- Lix? Você tá bem? - perguntou Changbin preocupado com o bronze natural saindo do rosto de seu namorado.

- E-Eu... Comi carne das... Vaquinhas? - perguntou ele olhando pro menor ao seu lado.

- Sim, ué, o hambúrguer também tem carne de vaca - respondeu ele normalmente.

- Como vocês conseguem comer sabendo que estão comendo um animal morto???? - perguntou ele pra Changbin e Jisung.

- Porque... É bom...? - respondeu o Seo, sendo encarado furiosamente pelo loiro.

- Minho, e você? - perguntou Felix olhando pro irmão, que recebia um pedaço de carne do Han, mas ele só deu de ombros e comeu o que estava a seu lado o ofereceu - Minho!!

- Parabéns, Changbin!! Seu namorado é vegetariano! - disse Jisung, largando os hashis e batendo palminhas em ironia.

- Eu sou o quê? - perguntou Felix, olhando pro Han, ainda meio bravo.

- Vegetariano, você não come carne porque não acha que vale matar os animais para consumo. Porém ainda consume os derivados, como leite e ovos - explicou de forma simples pro príncipe mais novo.

Após essa descoberta, Changbin teve que comer a carne sendo encarado de forma feia pelo namorado e dar comida pra ele enquanto ele olhava bravo pra si, já Minho e Jisung tiveram um ótimo momento, mais como um momento de amigos, o que eles não eram, não apenas, mas enfim. Eles terminaram de almoçar e saíram da praça de alimentação, e pra deixar Felix menos puto consigo, Changbin comprou um algodão doce pra ele, que ficou todo felizinho com aquilo que mais parecia uma nuvem doce.

Já que ainda precisavam ficar pelo menos uma hora longe de atrações que se moviam rápido demais, eles aproveitaram e foram na lojinha de presentes do parque. Felix mal entrou e foi correndo pras pelúcias.

- Binnie, olha, uma baleia!! - disse ele enquanto segurava a pelúcia de baleia azul - E um golfinho!! E tem uma foca também!! 

- Estou vendo - respondeu terno o moreno, que achava uma graça o loiro agarrando todas as pelúcias de animais marinhos.

Já Jisung e Minho foram olhar os arquinhos, uma área bem grande só pra eles, devo dizer. O Han estava só olhando quando leva um susto ao ter um arquinho colocado em sua cabeça, ao virar pra trás ele dá com Minho olhando pra si.

- É, combinou - ele disse e o menor foi pra um dos espelhos ver do que era, acabou que eram orelhas de esquilo na tonalidade próxima da do seu cabelo - Você ficou fofo - disse o Lee de trás de si, ele olhou nos olhos do maior pelo espelho enquanto tocava  arquinho fofinho.

- Você precisa de um também! - disse determinado o mais novo, ele olhou por um tempo pro maior até identificar com que animal ele parecia, então foi atrás do arquinho perfeito e voltou com orelhas branquinhas de coelho - Abaixa aqui!! - pediu pro maior, que se abaixou e deixou o menor colocar o arquinho em si - Pronto.

- Por que um coelho? - perguntou Minho ao olhar pro espelho e ver as grandes orelhas em sua cabeça.

- Pelos dentinhos - disse o Han.

- O quê que tem meus dentes?? - perguntou o maior, abrindo a boca pra olhar seus dentes no espelho.

- São fofos, parecem de coelho - respondeu Jisung.

- Ei! Eu quero um também!! - disse Felix, surgindo atrás deles segurando uma pelúcia de peixe enquanto Changbin vinha atrás com mais de sete nos braços.

O loiro foi olhar pelos arquinhos e ficou pelo menos dois minutos olhando indeciso, mas finalmente voltou com dois na mão, foi até o espelho e colocou orelhas laranjas de gato em si e depois virando pro namorado.

- Como estou? 

- Maravilhoso, como sempre - respondeu ele, doce como sempre era com o Lee. Jisung fazia imitações engraçadas de trás dele e ao seu lado Minho segurava o riso.

- Aqui, esse é seu - disse Felix, colocando um na cabeça do namorado - Fofo como achei que ficaria - Changbin foi até o espelhinho e viu orelhas rosinhas de porco em sua cabeça.

- Um porco? - perguntou ele pro loiro, que só concordou com a cabeça, então só deu de ombros.

Saindo dali, esperaram um pouco sentados em um dos bancos que haviam por toda a área do parque, quando deu mais ou menos uma hora que tinham almoçado, foram pra tão esperada montanha russa. Entraram na fila com Minho resmungando, mas foram mesmo assim, quando chegou a vez deles, Felix puxou o namorado pra irem nos assentos da frente, já Jisung e Minho foram mais pra trás. 

Quando o carrinho começou o subir, o Han só ouvia o Lee ao seu lado praguejando e resmungando que não devia ter ido naquilo. Jisung só segurou a mão dele quando chegaram no topo e se preparou pra descida brusca. 

E o carrinho desceu com tudo, Felix levantou as mãos pra cima em empolgação e Changbin mais parecia uma pedra, já tinha ido tantas vezes que nem se emocionava quase mais. Jisung segurava com a mão esquerda o cinto de metal e com a outra a mão de um Minho que apertava a mão livre tão forte no metal que o sangue saiu quase todo da área, além do griteiro que ele fez.

Assim que saíram, Felix saiu todo animado e querendo ir de novo, já Minho teve que ser apoiado por Jisung porque suas pernas tremiam.

- Nunca mais chego perto de um treco desses - reclamou enjoado ele pro Han, que só concordava.

A atração seguinte foi a Casa Mal Assombrada, eles entraram com um grupo de mais de dez e seguiam a pé o único caminho possível. Assim que tomaram o primeiro susto com mãos surgindo das paredes do nada e tentando agarrá-los, Felix grudou no braço de Changbin e apertou o passo, assim como a maioria, depois do segundo, todos saíram correndo, bom, menos Jisung, Minho e um casal mais a frente, que não pareciam se afetar com as atrações falsas.

Minho olhou em volta e só viu o casal que tinha ficado pra trás com eles e a menina encapetada de brinquedo que aparecia e sumia da parede, então andou mais um pouquinho e quando tomou coragem, segurou a mão do Han, que olhou confuso pra si.

- Hannie, eu... Quero pedir desculpas por toda aquela situação do aquário com os polvos e...

- Tá tudo bem, Hyung. Você não mentiu - respondeu ele seco, ainda triste com a situação.

- Não, não tá tudo bem - e apertou a mão do outro - Eu fiquei daquele jeito porque toda aquela história de noivado me persegue desde os 20, os súditos queriam que eu me casasse logo, porque meu pai casou com 24 e eu ainda não tinha ninguém pra pelo menos eles pensarem como um possível par pra mim - ele terminou e revirou os olhos - Você não é só um amigo pra mim, Sunggie. Você é muito mais que isso. Você é especial, me faz sentir como nunca antes. Eu nunca beijaria ou abraçaria ou faria você sabe o quê com alguém que é apenas meu amigo. Me desculpa por fazer você pensar assim... - e abaixou a cabeça, não  vendo o menor mordendo o lábio em felicidade.

- Tá perdoado, Hyung - disse e assim que o mais velho levantou o rosto surpreso, ele pulou em seu pescoço e o beijou com vontade, estava com tanta saudade dos lábios atrevidos do Lee que chegava a ser assustador. Deixou que a língua dele entrasse em sua boca e se entrelaçasse com a sua.

Minha nossa, sentiu muita falta do beijo do maior. 

Assim que se separaram, encostaram as testas, sentindo a respiração quente e desregulada um do outro batendo em seus rostos.

- Ownn!!! - ouviram alguém dizendo e olharam pra frente, vendo um cara vestido de Jack, o Estripador com uma serra elétrica falsa na mão olhando pra eles - Ah! Desculpa incomodar, mas eu tinha que verificar se tinha ficado alguém pra trás e não quis incomodar o momento - respondeu ele com a voz abafada pela máscara.

- Não, tudo bem, desculpa a demora. Já estamos saindo - respondeu Jisung, segurando na mão do Lee e indo pra saída com o funcionário.

Ao chegarem lá, se despediram do homem, que desejou felicidades pra eles e saíram da área da casa mal assombrada. Jisung deitou a cabeça no ombro de Minho e este apertou a mão do outro que segurava com tanta vontade.

- Lindo, lindo - eles ouviram e viraram pra trás vendo Changbin com a sacola de pelúcias na mão ao lado de um Felix que numa mão abraçava um pacote tamanho família de Doritos e com a outra comia feliz, com a boca já suja do farelo laranja característico - Fico feliz que se resolveram, mas tinham que fazer isso dentro da Casa Mal Assombrada? O Lix saiu tão assustado de lá que eu nem sabia o que fazer, tive que comprar um Doritos pra distrair ele porque ele tinha medo até da própria sombra.

- Ele tá bem agora, não tá? - perguntou Jisung retórico pro Seo e ambos olharam pro loiro, que tinha uma carinha de pura felicidade enquanto comia o salgadinho favorito.

- Me dá um! - pediu Minho, indo pegar do pacote nas mãos do irmão, mas ele abraçou o pacote e virou pro lado, não deixando o irmão pegar - Felix!! Me dá um!! - Mas o loiro só deu a língua pra ele e virou de costas - Lembra que o pai Seung sempre ensinou a dividir!! - Felix virou emburrado pra ele e deixou ele pegar um pouco, mas depois voltou a virar de costas.

- Eu acho que ele não vai terminar tão cedo esse pacote - comentou Jisung, olhando em volta e pensando onde podiam ir até ver o letreiro neon em azul e amarelo - Que tal o fliperama?


Notas Finais


minhas flores, vou tentar postar o segundo cap antes do final de semana e daí voltar pra programação normal e postar o terceiro no sábado ou domingo, tá?

não desistam de mim, pfvr :(


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...