História Imagine Park Jimin, BTS - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys (BTS), Drama, Jimin, K-drama, Revelaçoes, Romance
Visualizações 38
Palavras 1.950
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capitulo para vcs, minhas melhores e meus melhores,,,,,,

Capítulo 3 - Parte 3


Mal dormi noite passado, passei a noite virando de uma para outro na cama. Lisa me telefonou pedido para que eu voltasse. Combinamos de nos encontrar em um restaurante perto do meu antigo prédio. Entrei no estabelecimento e me sentei numa mesa perto das janelas. Logo, Lisa chegou vestida com um vestido vermelho decotado. Ela sentou à minha frente com um sorriso sínico e infantil. – Olá Jiminnie.

- Não me chame assim Lisa – Fechei a cara para ela, se desse corda com certeza iria cair na lábia dela. Ela fez bico e se consertou na cadeira.

- Querido, quero você de volta, como éramos antes. Só eu e você – Ela apontou para si e depois para mim. – Por favor, amor – Implorou com os olhos.

- Lisa, meu amor... – Ela abriu um sorriso. – Eu acho melhor nos terminamos... - Seu queixo caiu. – É melhor assim. Tchau – Me levantei e a deixei sozinha.

- JIMIN! – Gritou. Olhei para trás assustado, todos do restaurante também olharam. – O problema foi eu? – Perguntou, levantando-se bruscamente da mesa.

- Exato. Foi você, não eu. E quero as chaves do MEU apartamento, Ok? – Dei as costas e sair do local. Passei em uma loja de brinquedos e comprei um urso de pelúcia, andei até a cafeteria de Susan e perguntei se ela estava. Subi as escadas de seu apartamento e apertei a campainha. Kathy, a moça que estava no mercado com ela que abriu, me olhando com cara feia.

- O que você quer? – Perguntou. Ouvi a voz de Susan vindo até nos.

- Jiminnie! O que faz aqui? – Disse animada. Kathy saiu e dando passagem para menor.

- Vim trazer isso – Tirei da sacola o ursinho. – É para o bebe quando nascer.

Ela ficou boquiaberta. – Oh meu Deus! É a coisa mais fofa do mundo! Entre, vamos conversar – Disse me dando passagem para entrar. O apartamento era pequeno, porém, elegante. Sentei no sofá, Kathy me encarrava de uma forma assustadora enquanto estava na cozinha. Susan apertou os lábios olhando para Kathy.

- Eu já vou Sue. Se precisar é só me gritar. Tchau – Pegou sua bolsa. – Se ele fizer algo... pode me gritar – Disse antes sair.

Meus olhos se arregalaram. – O que ela tem contra mim?

Susan sentou ao meu lado e gargalhou. – Infelizmente ela sabe da nossa... historia.

- Quê? – Falei alto.

- É. Nós fomos colegas de faculdade e, bem.... Ficamos amigas – Deu de ombros.

- Mas como ela sabe?

- Eu contei uma vez.... Ou duas talvez – Ela espetou o nariz no ar. – Está com fome? Acho que hoje vamos servi Kimchi – Ela se levantou com dificuldade. Segurei em seu braço. – Ah cada dia fica mais pesado – Riu.

- Sue? Posso?

- O que?

- Ouvi seu bebe? – Ela abriu um enorme sorriso. Ela abaixei a altura sua barriga e pus o ouvido. Era incrível como o ser humano poderia reproduzir algo tão pequeno. Fiquei imaginando como ele seria, mesmo não sendo meu. Antes de sair, ela se arrumou. Olhei ao redor da casa e vi o porta retrato de um homem asiático com uniforme da marinha coreana.

- Jimin?

- Humm, Oi? – Olhei para trás, ela estava seria.

- Se quer saber, esse é Byun Minseok Don, meu marido – Disse olhando para foto. – Ele era tenente, e morreu tentado salvar um soldado em um treinamento de nado na praia – Ela sorriu para mim. – E é incrível o quanto o universo me odeia, já que foi bem no dia em que descobri que estava gravida – Uma lagrima caiu de seu olho. – Vamos? Estou com fome – Ela andou até a porta, enquanto fiquei parado no mesmo lugar. Descemos até o café e almoçamos Kimchi, ficamos conversando horas e horas até a noite. Olhei para o relógio, já era 23:07, o dia passou rápido. Levei-a até seu apartamento. A mesma me encarrava com um sorriso.

- Fazia muito tempo que não conversamos assim – Seu olhar baixou para minhas mãos e as segurou, dando-lhe um beijo. – Posso pedir uma coisa?

- O quê?

- Fique comigo, só essa noite – Engoliu a seco. – Por favor... – Disse baixo.

Fico ou não fico?

- Ok. Eu fico – A dúvida que havia em meu coração se desmanchou completamente. Eu te amo, Sue Stone. Entrei em sua casa, a moça de olhos castanhos claros tomou banho e vestiu um pijama. Esperei até que ela me chamasse. Ela me deu um conjunto de moletom e vesti. Deitei-me ao seu lado, de frente a ela. Susan acariciou me rosto e sorriu de lado. Meu coração acelerou diante de seu olhar brilhante.

- Porque me olha assim? – Perguntei.

- Assim como?

- Não sei... você me deixa confuso, o que está pensando?

Ela olhou para o teto e apertou os lábios. – Em como vai ser o Lee.

- Quem é Lee? – Perguntei duvidoso.

- É o nome que eu escolhi para o bebê – Umedeceu os lábios e virou para mim. – E você, Jimin? Não tem vontade de casar? Ter uma família?

Fechei os olhos e pensei. – Hum, talvez? Um dia, quando achar a pessoa certa – Me consertei debaixo dos lençóis. Ela se espreguiçou e fechou os olhos. – Jimin? Vamos dormi de conchinha?

Meu rosto ficou vermelho. Quê? – S-sim – Abracei ela por trás e fechei os olhos. – Boa noite, Susan.

- Boa noite, Jimin.

Dormimos a noite toda abraçados. Em algum momento da madrugada, ela se virou para mim e afundou o rosto em meu peito. Coloquei uma mecha de cabelo atrás de seu cabelo. Acordei com a luz do sol em meu rosto, abri meus olhos e a procurei na cama. De repente ela pareceu por uma porta, que dava para seu closet, de vestido vermelho florido. – Bom dia Jimin – Susan veio até mim e sentou na cama ao meu lado. – Como dormiu?

- Feito um bebê – Falei. Ela fez cara feia e se afastou.

- Bem, eu acho que é melhor você escovar os dentes – Ela saiu do quarto e me deixou sozinho. Susan deixou tudo pronto. Toalha de banho, escova de dente descartável e minhas roupas limpas e secas. Tudo perfeito. Fiz minhas higienes e fui para cozinha, um café esplendido. Ela sentou à mesa, observando tudo que eu fazia.

Semanas depois nos aproximamos muito. Fui na última ultrassom que ela fez, estava faltando poucas semanas para Lee nascer. Estava montando o berço quando a vi encostar na porta segurando sua barriga. – Oh Jimin...O bebe... O bebe vai nascer – Ela rangia os dentes de dor. Me desesperei, fiquei paralisado.

- O-o que eu... eu faço? – Perguntei respirando fundo. Minha cabeça tinha dado um nó. Ela segurou minha mão se levantado e caminhamos até o sofá, sentando-a.

- Pegue a minha…. Mala debaixo da cama – Disse com dor, ela mordia os lábios. Peguei a mala e a levei para o hospital. As enfeiras de imediato atenderam-na e a puseram na cadeira de rodas levando para emergência. Fiquei esperando horas e horas, ao certo foi quase um dia e meio sem notícias dela. Liguei para Kathy, já que eu tinha faltado ao trabalho. A mesma sempre me ligava quando tinha notícias sobre o parto de Susan. Foram exato três dias e 6 horas sem saber o que tinha acontecido. Kathy estava preocupada e eu também, estávamos sentados quando um médico nos chamou, um homem de cabelos negros e jaleco branco com seu nome no bolso no peito. Son Chaenyeol. – Quem trouxe a senhorita Stone? – Perguntou.

- Eu – Levantei a mão. Ele olhou a prancheta.

- Park Jimin? – Perguntou. Assenti com a cabeça. – Venha comigo – Antes que eu fosse, Kathy segurou em meu braço.

- Jimin?

- Sim?

- Você sabe que eu não gosta nada de você. Mas por favor, me dê notícias sobre Susan e o bebe.... Por favor – Seus olhos marejavam em lagrimas. Sorri para ela.

- Eu também não gosto de você, mas sim, trarei notícias – Soltei sua mão e fui com Dr.Son. Susan estava internada na UTI. Dr.Son me chamou para perto e olhou o relatório dela.

- Sr.Park, o estado da Sr.Stone é um pouco... Digamos, critico.

- Ela está em coma?

Ele balançou a cabeça negando. – Não, só dopada. Mas ela pegou uma infecção durante o parto, que foi muito complicado já que não estava ainda na hora do bebe nascer – Disse. Parecia que ele estava escondendo.

- Mas ela vai ficar bem?

- Sim.

- E o bebe? – Minha perguntou o fez ficar pálido, sua expressão ficou mais séria.

- O bebe, Sr. Park.... Não sobreviveu – Meu coração foi a mil ao ouvir aquelas palavras. – Foi muito complicado, tivemos que fazer uma escolha rápida, ou ela ou o bebe – Dr.Son olhou para o chão e respirou fundo, apertando meu ombro. – Ela vai precisar de muita força. Boa tarde, Sr.Park – Ele se retirou, me deixando sozinho. Como diria a ela? Como ela irá reagir?  Contei a Kathy, que desabou em lagrimas ao ouvir a notícia. Uma semana depois Susan acordou. Ela estava lenta e cansada, parecia ter corrido uma maratona. No dia seguinte, enquanto tomava café no quarto do hospital, entrei. Ela me olhou alegre e me abraçou.

- Jiminnie, que bom que você veio. Estou ansiosa para ver o rostinho do Lee – Ela não parava de falar. Sentei na poltrona e a observei, pensando como daria aquela noticia cruel. Susan parou de fala e me encarrou. – O que foi Jimin? Porque essa cara?

Engoli a seco, soei frio e senti uma enorme dor de barriga. – Susan... preciso ti falar algo.

- O que? O que foi que aconteceu Jimin? – Perguntou preocupada. Olhei serio para a menor e me consertei na poltrona.

- Susan, respire fundo e por favor... Não faça nenhuma loucura Ok?

- Você está me assustando... vá direto ao ponto.

Respirei fundo. – Seu parto, foi meio complicado. Os médicos... não tiveram opção, eles... – Um nó se formou em minha garganta.

- Eles o que? – Seus olhos já estavam em lagrimas. – Diga! O que aconteceu?

- O bebe não resistiu.... Sinto muito Sue – Cheguei perto dela, mas a mesma se afastou.

- Você é um mentiroso. Sempre foi... O meu bebe não, não...Não! – Ela caiu em lagrimas. Abracei-a com toda minha força, mesmo ela não querendo. Aquilo a matou por dentro. Mas nem tudo são flores nessa vida. E no caso de Susan, parecia que tudo não estava ao seu favor. Algumas semanas depois ela enterrou o bebe junto ao pai. Stone Byun Lee e Byun Minseok Don. Filho querido, Marido querido. Ela não conseguiu ser mais a mesma. Alegria, sorrisos, gargalhadas. Tudo aquilo se tornou uma mancha do passado. Sempre quando a visitava, Sue estava fitando o quarto do bebe ou encarando a janela. Kathy sempre estava lá para ajudá-la, mas nem sempre podia ficar muito tempo, já que estava se preparando para se casar. Eu ligava todos os dias e sempre era a mesma coisa.

Ela não está comendo. Sue não sai para nada. Ela não tomou banho. Ela esqueceu de pagar as contas. Tive que tirar uma licença na empresa, alguém tinha que cuidar dela. Muitas das vezes precisava dar banho nela, brigávamos muito já que ela não fazia nada em casa. Acabei me mudando para seu apartamento. Sempre olhava ela pela noite, para que não tentasse nada que comprometesse sua vida. Hoje faz 3 meses desde a morte do bebe. Estava fazendo o almoço, quando vi ela sentar na bancada, pálida e sempre com a mesma expressão triste.

- Está com fome? – Perguntei. Havia um tempo que não ouvia sua voz. Ela apertou os lábios e umedeceu.

- Sim – Disse baixo. Olhei quase incrédulo. – Muita fome – Ela olhou para mim e se levantou, se direcionando para cozinha. – Quer ajuda?

- Com certeza – Sorri.

                    continuaaaaaaa......


Notas Finais


Esse foi o penúltimo capitulo, o final só postarei amanhã a noite
Ok?
Beijos e obrigado pelos comentários


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...