História Deixada com um filho-( Kim Taehyung- Bts) - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Visualizações 147
Palavras 3.446
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


🍃🍃🍃🍃🍃🍃🍃🍃❤

Oiii pessoas lindas? Como vai? Espero que super bem.😄

🍃Hoje o capítulo tá meio Hot☻ porém, segurem o coração porque tem uma novidade na fic.😉

Sem enrolação, boa leitura anjos.🤗

🍃🍃🍃🍃🍃🍃🍃🍃❤

Capítulo 32 - Capítulo 31


Dois meses se passaram sem que eu me preocupasse com alguma coisa. Taehyung já não faz parte da minha vida e espero que continue assim. Comprei outra casa a algumas semanas atrás em um bairro perto de onde Hyuna está morando atualmente, mudei meu número de telefone e vendi a casa em que morava antes. Preferi fazer isso para que Taehyung não venha me perturbar e encher a paciência que eu claramente não terei com ele.

Hoseok ficou mal quando contei a ele sobre o que aconteceu. Os meninos souberam dias depois quando Hoseok brigou com o Kim e jogou tudo na cara do mesmo. Eu não estava no dia da briga, mas pelo que Jimin me disse, Hoseok e TaeHyung se xingaram e acabaram agredindo um ao outro, os meninos mal conseguiam os separar. Meu irmão não quer mais olhar na cara do Taehyung e ambas as empresas não possuem mais um contrato. Os outros meninos eu não sei se conversam com o TaeHyung. Eu não falo sobre nada do que aconteceu, e o pessoal também não, até porque, o clima ficaria tenso e estragaria qualquer situação em que possamos estar. Enfim.

Neste exato momento, estou saindo do banheiro de minha casa. Tinha acabado de tomar um banho, o dia foi um tanto que estressante, já que Hoseok estava me enchendo o saco sobre eu precisar de um marido, porque segundo ele: " Você não pode continuar assim, precisa de um marido pra você ficar em casa cuidando do seu filho. Como a Jennie faz." Isso me irritava, estava ficando estranho o fato de Hoseok querer que eu me case com alguém.

- Hoseok é doido. Eu vou me casar pra que? Pra aturar um macho chato, que vai me proibir de conversar com meus amigos e que vai escolher minhas roupas achando que eu virei freira? Num tô doida.- resmungava enquanto procurava uma roupa no closet.- Por acaso eu tô doida? Não. Mulher não precisa de homem. Mulher é independente.- dizia após escolher uma roupa, que era um shortinho moletom azul e uma blusa da mesma cor e tecido. Tratei de secar meu corpo e os vestir. Eu não usaria peças íntimas e não usaria chinela, até porque, estou em casa e isso aqui é roupa de dormir e eu não quero usar nada no pé. Fora que ninguém vai aparecer aqui, justo em plena sexta a noite, que todo mundo deve estar em um lugar se divertindo e fazendo sabe-se lá o que.

E sobre eu ter alguém? Bom, eu fiquei com um rapaz muito fofo durante uma semana, estávamos nos "conhecendo" melhor. O nome dele é Lee Jung Sok, é uma gracinha. Mas por causa do trabalho, mal nos víamos e, bem, eu não queria uma relação que não iríamos nos ver. Acabei deixando só na amizade mesmo. Não vou mentir, tivemos uma noite e tanto, e cá entre nós, se você quer um sexo carinhoso todas as noites da sua vida, Lee Jung Sok é perfeito pra isso, porém, se pedirem pra ele ser mais safado, não se arrependam, ele é melhor ainda. E também tem o Johnny, que apareceu na porta de minha casa a duas semanas atrás, na verdade, ele estava perdido aqui no bairro. Ele procurava a casa da irmã que tinha acabado de se mudar pro bairro. E não é preciso dizer que aconteceu o mesmo de antes. Apesar de Johnny ter aquela aparecia de bebê indefeso, na cama ele parece um demônio do prazer. CARACA QUE HOMEM. Que homens na verdade.

Após vestir minha roupa, estendi a toalha no banheiro e fui passar hidratante corporal e desodorante, depois penteei meu cabelo e fiz um coque. Olhei para Yato ali no berço, o menor estava brincando e tinha um lindo biquinho em seus lábios.

- Amor da minha vida!- cantarolei para meu filho que deu um sorriso fofo me fazendo derreter e quase morrer de amores.- Vamos descer pra comer?- perguntei sorrindo pra ele. Estiquei os braços e o peguei, dando um beijo em sua bochecha. Ele começou a gugunar e eu, como não estava entendendo nada, comecei a falar com ele no caminho. E quando cheguei na porta da cozinha, a campainha começou a tocar.- Aish.. Já vai!- disse alto para que a pessoa parasse de tocar aquele aparelho. Quando cheguei na porta e a destranquei, Jungkook sorriu fofo ao ver Yato.- O que faz aqui? Você não ia sair para aquela boate?- perguntei dando espaço pra ele entrar e assim ele fez e logo fechei a porta.

Jk- Eu ia, mas resolvi passar aqui pra ver como vocês estão.- sorriu fofo.

- A! Que gracinha.- sorri apertando a bochecha esquerda dele, que fechou a cara.- A, não faz essa cara.- ri.- Chegou bem na hora.- disse entregando Yato pro moreno.

Jk- Na hora de que?- pergunta curioso.

- Eu ia fazer o jantar do Yato. Segura ele enquanto eu corto algumas...- parei de falar quando notei seu sorriso malicioso e vi que ele olhava para meus peitos. E aí sim que eu fui notar como é que eu tô. Bem, eu não sou santa, mas como eu ia imaginar que o Jungkook viria aqui? Que se dane, não vou trocar de roupa.- Para Jeon. Credo.- disse tampando meus seios.

Jk- Eu não tenho culpa. Você está usando uma roupa minúscula, quer que eu faça o que?- pergunta olhando para meu rosto. "Agora que eu num troco de roupa mesmo."- pensei maliciosa.

- Vou nem te responder. Fica aí na sala.- fui pra cozinha, mas com as mãos tampando minha bunda, já que Jungkook estava olhando pra ela. Acabei rindo quando ele começou a falar com Yato, que por sinal, estava todo animado no colo de Jungkook.

Comecei a pegar as coisas para fazer a comida de meu filho. E enquanto preparava a comida, resolvi fazer pra mim e Jungkook também. Eu ia pedir uma pizza ou qualquer outra coisa pra comer, mas já que o Jeon apareceu, vou fazer comida pra nós.

[•••]

Depois de terminar de cozinhar e de esfriar a comida de meu filho, arrumei a mesa e fui chamar Jungkook pra comer. Tive uma surpresa quando cheguei na sala, Jungkook estava cantando a música "Who you are- Jessie J", era uma música maravilhosa, eu as vezes canto ela, mesmo parecendo que tô envocando um demônio. Fiquei parada ali para não atrapalhar ele a cantar, sua voz era maravilhosa, parece um anjo. Yato o encarava, quieto. Quando acabou de cantar, fiquei de boca aberta.

- Eu sei que você canta bem. Mas... nossa. Sem palavras, parece um príncipe cantando.- disse me aproximando. Ele começou a rir, parecia envergonhado.

Jk- Obrigada! Eu sempre cantei, e bem... o Yato estava quase chorando e eu comecei a cantar pra ele. Se não se importa.- coçou a nuca.

- Que isso. Pode cantar.- disse.- No meu ouvido também.- disse baixo. Ele tá rindo? Por que ele tá rindo? Será que ele ouviu?- Bem. Eu fiz comida pra nós três. E eu não aceito que você não jante aqui. Venha.- disse pegando Yato.

Jk- Ok.- se levantou e me seguiu até a cozinha.

Coloquei meu filho na cadeirinha e começamos a nos servir, enquanto dava comida pra Yato, ouvia Jungkook falar sobre música. Coisa que ele gosta bastante, fora que ele sabe dançar.

Jk- Se você quiser, eu te ensino uns passos quando tiver tempo.- sugeriu.

- Claro. Vou adorar.- sorri após colocar um pouco de (escolham) em minha boca.

O jantar até que foi bom, Jungkook falava sobre muitos assuntos, um deles foi sobre os sonhos que tinha quando garoto. Ele me ajudou a lavar as poucas vasilhas, fez Yato dormir e ainda o levou para o berço. Agora estávamos sentados na sala tomando um vinho que estava pela metade e de bobeira na geladeira.

Jk- Então... Como vai as coisas?- pergunta.

- Vão bem.- disse simplista.

Jk- Tsc.. Eu achei que você estava abalada depois do que aconteceu.- deslizou o dedo na borda do copo e logo o colocou na mesa de centro.

- Bem. Eu não estou. Pra falar a verdade, estou bem depois do que houve.- sorri fraco.- Eu sei que deveria estar um pouco mal, mas.. não estou.- disse e encarei o copo.- É estranho. Né!- disse.

Jk- Não acho que seja. Você é uma mulher forte e mulheres fortes não devem ficar mal por causa de situações como essa.- segurou minha mão e olhei pra ele, seus lábios rosados eram uma tentação.- Pega leve. Ou você vai ficar bêbada. Essa bebida tem uma porcentagem elevada de álcool.- sorriu tirando o copo da minha mão e pondo ao lado do dele. O encarei, mordendo os lábios. Me levantei, ficando em sua frente.- O que foi?- pergunta curioso. Tirei minha blusa e ele arregalou os olhos, suas bochechas coraram e acabei rindo maliciosa e me abaixei em sua frente, me inclinando e dando um selinho nele que ficou curioso.

- Eu sei que você não veio aqui só pra ver como eu e Yato estamos.- disse enquanto desabotoava sua calça jeans.

Ele mal abriu a boca e eu segurei seu membro, fazendo uma leve pressão em sua boxer de cor vermelha. Tirei seu membro da peça íntima e comecei a fazer movimentos lentos de vai e vem. Encarei Jungkook que estava me encarando com a boca entreaberta e sorri. Coloquei seu membro em minha boca e comecei a fazer movimentos lentos, o que não cabia masturbava, e olhei pra ele enquanto fazia os movimentos.

Jk- Caralho.. S-S/n..- gemeu e tombou a cabeça pra trás. Uma de suas mãos segurou o coque feito com meu cabelo e começou a ditar os movimentos. Sua respiração estava ofegante. Seu membro começou a ficar rijo e logo já estava duro como pedra.- Co-continua..- sussurrou fechando os olhos e soltou meu cabelo. Uma de suas mãos acariciavam meu rosto enquanto fazia os movimentos e logo ele mordeu os lábios. Parei os movimentos e ele me olhou indignado, logo sorriu ao ver que estava tirando meu short e ele fez o mesmo, ficando agora nu.

Sentei em seu colo após ele jogar as roupas em um canto qualquer dali, nossos lábios se tocaram e iniciamos um beijo lento e quente. Ele se levantou comigo em seu colo, entrelaçei as pernas em sua cintura para não cair. Seu braço esquerdo estava me segurando pela cintura e sua mão direita estava em minha coxa. Logo ele me prenssou na parede gélida, me fazendo arrepiar, meu cabelo se soltou e ele sorriu. Comecei a arfar quando sua mão deslizou para o meio de minhas pernas e começou a me estimular.

Jk- Você me pegou desprevenido.- sussurrou rouco após se afastar do beijo.- Eu não vim com segundas intenções.- Introduziu um dedo dentro de mim.

- Não importa.- disse após soltar um gemido.- Eu já queria você faz um tempo.- disse em duplo sentido e ele sorriu, atacando meus lábios em um beijo quente.- E-eu quero você.- sussurrei em forma de gemido.

Jk- Então você terá.- disse e parou de me estimular, colocando seu membro em minha entrada e logo entrando devagar. Gememos juntos e ele começou a ir mais rápido.

-AAWN JEON..- gemi alto e encostei minha testa na dele, ao sentir ele sair e penetrar com tudo em mim.- A-assim você... você me deixa sem andar.- arranhei suas costas com certa força e ele riu.

Jk- Eu vou foder você S/n..- fez de novo.- Você gosta?- pergunta e acerta um tapa em minha coxa.- Gosta de foder assim, né?- pergunta novamente. Esse homem é maravilhoso.

- Gosto. Gosto de foder assim.- disse ofegante enquanto olhava em seus lábios.

Jk- Vamos pro seu quarto!- disse e acenti enquanto começavamos a nos beijar. Ele subiu as escadas com cuidado para não cairmos e ainda dentro de mim, podia sentir um arrepio correr sobre minha espinha.

No corredor, ele me prenssou contra a parede e voltou a fazer movimentos lentos de vai e vem, após parar o beijo, seus lábios foram para meu busto e deixou uma marca ali, subiu para meu pescoço e fez o mesmo logo mordiscou minha orelha e sussurrou.

Jk- Eu vou te deixar toda marcada.- deu um tapa em minha bunda e voltou a caminhar enquanto eu movo meu quadril para cima e para baixo. Quando chegamos no quarto, ele me deitou sobre o colchão e se pôs sobre mim, dando um selinho estalado em minha boca e depois me virou.- De quatro amor, eu quero marcar essa bunda linda.- disse, e como se fosse uma ordem, o obedeci.- Boa garota.- deu um selinho em minhas nadegas, acompanhado de vários tapas quase fortes. Me segurava pra não o xingar, já que minha bunda começou a arder e ele não parou com os tapas. Logo sua ereção voltou a me penetrar, desta vez, com força e rapidez. Seus gemidos eram como uma canção erótica, eram roucos e sensuais.

- Jeon..- gemi seu nome ao sentir que meu ápice estava chegando. Agarrei os lençóis em forma de apreender meu prazer e mordi os lábios. Meu corpo já estava suado e meu interior começou a apertar seu pênis dentro de mim.- Aaawnn...- gemi manhosa e minhas pernas bambearam. Os braços fortes do moreno se envolveram em minha cintura, me puxando para perto de seu corpo, seu bravo direito me abraçou pelo busto, me deixando de joelhos para ele continuar a me penetrar. Seu corpo estava suado e sua respiração ofegante.

Jk- Você é muito gostosa..- disse rouco e grave, me deixando arrepiada.- Não goza agora.- riu e desceu sua mão de minha cintura para meu clitóris, fazendo movimentos circulares. Uma de minhas mãos foi para seus cabelos, que estavam molhados pelo suor a outra mão para meu seio.

- Como e-eu não vou gozar? Você está me masturbando e me fodendo.. não tem como..- disse entre arfares.

Jk- Então não se segure...- mordeu meu ombro e depositou um beijo ali.- Goza pra mim.- sorriu malicioso e me penetrou fundo, me arrepiando enquanto acertava meu ponto G. Seu perfume me embreagava e seus fortes braços me apertaram. Ele também iria gozar. Sua mão esquerda segurou minha perna e a ergueu, para ele ter mais acesso e me penetrar.

- Jungkook..... aaann..- gemi arrastado após meu ápice chegar com tudo. Meu corpo deu espamos e meu corpo ficou mole. Logo o moreno atingiu seu máximo e me segurou forte.

Jk- Perfeita.- sussurrou após dar um beijo em meu pescoço e se retirou de dentro de mim, soltou minha perna e ele se deitou e eu me deitei em cima dele.

- Você é perfeito também.- disse e ele riu.

Jk- Por isso você não resiste a meu charme.- disse convicto.- Sou perfeito.- sorriu.

- Convencido.- o encarei. Seus olhos estavam fechados e logo abriram após seu lindo sorriso aparecer.

Jk- Para de me olhar assim.- tampou meus olhos, me fazendo rir.

- Como não olhar pra um homão da porra que nem você!- indaguei enquanto ria e tirei sua mão de meus olhos.

Jk- Me acha mesmo um "homão da porra"?- perguntou fazendo aspas.

- Acho.- me sentei em seu colo. Ele logo se sentou e ficamos cara a cara.

Jk- Você tirou esse palavreado da onde?- pergunta curioso.

- Ana. Resumindo o que significa. Gostoso é a palavra chave.- disse e ele riu.

Jk- Entendi.- segurou minha cintura.- Mas e então?- pergunta meio nervoso.

- O que?- perguntei sem entender e ele ficou corado.

Jk- A gente vai ficar nessa mesmo? Quer dizer, a gente só se pega as vezes.- disse coçando a nuca nervoso.

Bem, eu não disse antes, mas, eu e o Jungkook meio que estava ficando. Tipo dois dias atrás, a gente acabou tranzando na empresa, fora que quase fomos pegos ontem. Jungkook me olhou curioso e eu acabei sorrindo pra ele.

- Voce quer que comecemos a namorar, isso que você quis dizer?- perguntei e ele acentiu.- Bem, não é uma má ideia.- disse pondo meus braços ao redor de seu pescoço.

Jk- Olha. Eu não quero que seja forçado e você fique se sentindo mal depois. Eu não quero apressar as coisas e...- o calei dando um beijo em seus lábios.

- Eu não estou vendo nada forçado aqui Jeon. Eu não quero que fiquemos apenas nisso. Eu quero algo sério.- disse e ele sorriu.

Jk- Então eu devo te chamar de amor?- pergunta rindo.

- Não.- disse e ele franziu a testa.- Deve me chamar de amor da sua vida.- quando terminei de falar, ele começou a rir.

Jk- Ok amor da minha vida.- rimos e começamos a nos beijar.

Bem, eu não vou ficar sozinha pro resto da minha vida. Ainda mais porque o Jungkook é um bom partido, um homem carinhoso e ele gosta do meu filho. Desde o dia em que soube do que o Taehyung fez, ele não saiu do meu pé e sempre esteve comigo quando precisei. Fora que rolava umas pegação entre nós e rolava sexo.

Eu me sinto bem com ele. Ele me faz rir e quase sempre me arrasta pros lugares. E não posso deixar de mensionar, que quando o Yato caiu e machucou, não parava de chorar e o Jungkook que o fez se acalmar, porque eu comecei a chorar com meu filho porque eu fiquei preocupada.

Flashback on

Estava na pracinha perto do apartamento do Jungkook. Ele me ligou e disse que ia passar na minha casa pra me levar a um lugar junto com Yato. Eu não queria vim, mas ele me arrastou pra cá.

O moreno estava no carrinho de sorvete todo indeciso sobre qual sabor ele compraria. Yato estava segurando no banco e brincando. Mas quando uns meninos maiores e mais velhos que meu filho, passaram correndo por nós e o derrubou, o menor bateu a cabeça e começou a chorar. Fiquei tão brava com esses meninos que enquanto pegava meu filho os chamava de "moleques".

- Calma meu anjinho. Calma.- o balançava para ele parar de chorar, mas não adiantava. Meus olhos começaram a lacrimejar quando meu filho começou a chorar desesperadamente. Logo Jungkook apareceu desesperado.

Jk- O que foi? O que houve?- perguntou.

- Uns moleques derrubaram ele e agora ele não para de chorar.- comecei a chorar e Jungkook ao perceber minha frustração, pegou Yato e começou cantar. Era uma canção linda, de Ali Gatie- It's You, Hyuna vive cantando e Jungkook meio que viciou nessa música. 

Jk- It’s you, it’s always you
If I’m ever gonna fall in love, I know it’s gonna be you
It’s you, it’s always you
Met a lot of people, but nobody feels like you
So, please, don’t break my heart
Don’t tear me apart
I know how it starts, trust me, I’ve been broken before
Don’t break me again, I am delicate
Please, don’t break my heart
Trust me, I’ve been broken before...- e enquanto ele cantava, Yato se acalmava ainda mais. E eu também. Ele tinha uma voz de anjo.- Pronto. Pronto.- sorriu pra mim. Ele colocou Yato no carrinho e quando se virou pra mim, o abracei.- Eu sei que minha voz é linda. Mas não precisa me abraçar.- brincou devolvendo o abraço.

- O que eu seria sem você? Eu nem consigo acalmar meu filho.- disse quase chorando.

Jk- Hey! Não se preocupe. Ok? Você consegue sim. Mas você está muito nervosa ultimamente e precisa relaxar. Ok?- disse enquanto acariciava meu cabelo.

- Tá.- após dizer isso, ele segurou meu rosto e me deu um selinho, me fazendo ficar sem jeito e envergonhada, já que um casal de idosos passou ali e nos encarou.

Flashback off 

Bem, não é preciso nem dizer que meu coração quase pulou do peito naquele momento. E eu realmente quero ter um relacionamento com o Jungkook. E eu nem sei o que eu tenho. Eu sempre fico animada quando estou com ele, fico com um sentimento estranho e da uma vontade imensa de ficar perto dele. Será que é amor? Eu tô apaixonada? AAAAH.. ALGUÉM ME AJUDA. Após nos deitarmos, nos cobrimos e fomos dormir. 


Notas Finais


🍃🍃🍃🍃🍃🍃🍃❤

Aaaaaaah.. me perdoem se tinha algum erro. Eu não corriji kkk

🍃Como ficou? Eu espero que tenham gostado, eu demorei a pensar no que ia escrever e passei o dia quase todo escrevendo rs. Por isso demorei a postar..😢

Bem, era isso. Até o próximo capítulo amores😄🤗

🍃🍃🍃🍃🍃🍃🍃❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...