História Deixe-me entrar. - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 27
Palavras 859
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá meus anjos!

Capítulo 10 - O começo.


Fanfic / Fanfiction Deixe-me entrar. - Capítulo 10 - O começo.

Kay [on]

  Eu precisava ver ele. O garoto que faz meu coração bater. Aquele que eu amo.
 Peguei meu guarda chuva e sai de casa rapidamente, enquanto corria pelas extensas ruas até a casa do Cody só conseguia pensar no que dizer quando estivéssemos finalmente de frente para ele, como vou me desculpar ou como vou dizer o que sinto. Por que era isso o que eu iria fazer, me declarar para ele.
  Enquanto pensava no que iria acontecer acabei me distraindo e pisando em falso enquanto descia as escadas para a rua do Tanaka, senti meu corpo voar por questão de segundos e me lembrei no dia do acidente, meu corpo pousou bruscamente no chão rolando por alguns metros, não sei exatamente.  Até parar, meu corpo estava dolorido e sentia a chuva gelada molhar meu rosto e escorrer pelo meus fios de cabelo.
  Me lembrei de algo, quando senti meu corpo sendo arremessado naquele dia da viajem de verão, vi o Cody me segurar, seu braço rapidamente se envolvendo em mim. Era por isso,  o médico havia dito que meu caso poderia ter sido pior, o Cody machucou o braço e agora estava me evitando... Tudo está se ligando, e agora faz sentido. Ele tentou me proteger, mesmo assim ainda me machuquei e ele se culpado por isso.
  Pelo o tempo que o conheço ele é o tipo de pessoa que se culpa se algo acontece com as pessoas ao seu redor.
  Me levantei do chão lentamente enquanto várias coisas se passavam pela minha cabeça. Eu sentia meu corpo todo doer, mas eu precisava a qualquer custo encontrar com ele...



Cody [on]


-Kay?

  Kay estava bem na minha porta, com a respiração ofegante e todo molhado por causa da chuva. Além disso, seu rosto estava machucado.

- O que está fazendo? Porque está machucado? Kay, o que...

- Fique quieto!
 
  Ele gritou enquanto abaixava a cabeça. Fiquei boquiaberta com sua atitude.

- Você é realmente o culpado por tudo.

  Escutar aquilo me fez ficar sem reação alguma.

- Você... É o culpado...

  Ele parou de falar e me encarou. Com um olhar intenso e uma expressão seria.

- Você roubou meu coração. E com ele foi todo meu senso comum. Eu me apaixonei por você! E a culpa foi sua, por ser tão gentil. A culpa é sua eu ter aceitado ir acampar.

  Ele começou a andar em minha direção até ficarmos centímetros de distância um do outro.

- Mas a culpa não é sua por aquele acidente. Pare de ser tão imaturo e comece a pensar mais. Não pensou que se afastando só iria me machucar mais? Seu idiota!. Eu te amo!

- Kay...

  Tentei dizer algo, mas nada saia. Apenas o encarei e vi seus olhos cheios de lágrimas prontas para cair.

- Eu sou louco por você, e não precisa dizer nada. Sei que não deve estar entendendo. E acredito que nunca quis me dar esperanças, estava apenas fazendo seu papel como amigo. Mas, eu me apaixonei. E agora estou aqui igual bobo falando sem parar...
 
  Puxei seu corpo para o meu em um abraço de alívio. Alívio por que também o amo. Alívio por vê - lo bem e tagarelando como nunca vi.

- Idiota. Eu gosto de você. E não é como apenas um amigo. Por que você está falando tanto?

- Eu apenas queria me expressar bem.

Sorri por escutar aqui, senti suas lágrimas molharem meu peito pois ainda estava sem camisa e aquela sensação era única e intensa. 


   Fomos para o meu quarto após todo aquele momento fofo. Mas calma! Não fizemos o que está pensando. Apenas precisava limpar o ferimento em seu rosto.

- Como se machucou?

- Apenas bati em um poste.

- Sério isso? Que Desculpa mais falsa. Invente algo melhor.

 Disse terminando de fazer o curativo no rosto do menor.

- Fui atacado por um cardume de cães ferozes.

- Cardume?.

  Começamos a dar risada até perder o ar.

- Estava com saudade.

 Kay disse me olhando.

- Eu também.

 O clima de repente mudou, era algo agradável. A chuva ainda caia intensamente lá fora, o som evadiu o cômodo, aquele olhos azuis me encaravam de uma forma tão inocente. Tudo estava diferente agora, mas era algo bom.
  Finalmente poderíamos viver um amor, juntos. Porque sei de seus sentimentos por mim, e ele sabe sobre os meus. Minha mãe sempre dizia que o amor é algo tão fácil de se entender, mas nós complicamos tudo. Ela tinha razão, agora parecia tudo tão fácil.
 
  Kay se aproximou de mim lentamente colocando suas mãos sobre meu rosto, logo senti o peso de seu corpo em mim e cai sobre a cama. Apesar de ser bem magro ele pesava e muito. Mas naquele momento não me importava com isso, ele não parava de me encarar e agora estava em cima de mim.


- O que foi?

  Perguntei tão baixo que mal pude me ouvir.

- Te assustei?

- Não. Mas é tão diferente te ver assim.

 Ele se aproximou do meu rosto e finalmente pude sentir seus lábios no meu, estavam gelados e trêmulos, depois de tanto deseja-los finalmente estava acontecendo.






Notas Finais


Estou escrevendo os últimos capítulos o mais rápido que posso, essa semana minhas aulas começam e já vou deixar tudo escrito, próximo capítulo vou falar quais dias estarei postando. Não vou deixar mais vocês esperando tanto tempo.

Obrigada por lerem ♡ até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...