História Deixe-me Ir; Mitw - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias TazerCraft
Personagens Mike, Pac
Tags +18 Pelo Yuri, 1kilo, Deixe-me Ir, Fluffy, Mike!fem, Mitw, Mitw!fem, Pac!fem, Yuri
Visualizações 136
Palavras 1.548
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Poesias, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


+18 pelo Yuri

Capítulo 1 - Nômade;


Fanfic / Fanfiction Deixe-me Ir; Mitw - Capítulo 1 - Nômade;

Deixe-me Ir

1Kilo


Mikhaela pedalava normalmente pelas calmas ruas de uma manhã tranquila do Rio de Janeiro. O mar a direita da garota morena de cabelos de coloração artificial esverdeada. As ondas borbulhentas batendo contra a areia e o soar fino da brisa de uma manhã calorosa criavam uma música fônica boa aos ouvidos, pelo menos para Mikhaela era uma boa melodia de se ouvir e sentir.

A cesta de sua bicicleta estava repleta de latinhas que havia catado antes. Uma regata branca e o short jeans curto desfiado nas barras eram as vestimentas da garota morena, que pedalava em sua bicicleta com seus pés calçados com um simples chinelo branco. Sua roupa era digna do lugar onde habitava, a beira a mar

Apesar de estar pedalando em sua bike preta antiga, a mente da garota dançava nos pensamentos mais aleatórios possíveis. Apesar de serem meras lembranças, desnecessárias e descartáveis, elas tinham um grande significado para Mikhaela.

Todos os seus pensamentos levavam a garota morena a pensar nela. Sim, todos as lembranças faziam Mikhaela se recordar de Tarik, a garota de pele albina e cabelos castanhos escuros que roubou o coração da garota que tanto pedalava e que agora, estava partido.

Menina me dá sua mão

Pense bem antes de agir

Se não for agora, te espero lá fora

Então deixe-me ir

Acordando com os raios de luz que batiam sobre a janela livre das finas cortinas de seda. Os olhos se abriram minimamente, desgrudando os grandes cílios naturais da pequena garota. Olhou, ainda saindo do transe de quem tinha acabado de acordar, para a janela. O quarto estava silencioso, calmo, e isso era aconchegante apesar da garota de cabelos curtos e acastanhados saber que isso era apenas uma fase, pois quando se levantasse as responsabilidades do dia a dia se chocariam em sua rotina. Só que a bela garota de curvas frágeis e femininas não esperava que a falta do calor do amor da sua vida fosse lhe despertar pra vida e perceber que uma certa esverdeada não estava mais ao seu lado a amar-la.

Um dia te encontro nessas suas voltas

Minha mente é mó confusão

Solta a minha mão, que eu sei que cê' volta

O tempo mostra nossa direção

O sol no horizonte queimava as pupilas da morena, mas decidiu ignorar. Seguir a luz levaria a menina a sua nova vida, lá estava sua liberdade.

Se desprender, se desapegar e se livrar de sua antiga vida. As lágrimas teimavam em querer sair, escorreram pelas suas bochechas queimadas e cairem em direção ao asfalto da calçada de pedras brancas. Mas ela tinha que ser forte, seu orgulho era maior e não deixaria as gotículas líquidas saírem de seu corpo, demostrando seu sofrimento por abandonar tudo que tinha construído ali. Cada tijolinho de sua história estava sendo abandonado, porém era preciso.

A liberdade iluminaria seu caminho, e teria que iluminar seu coração também, como assim esperava.

Se eu soubesse que era assim eu nem vinha

Tô bebendo champanhe e catando latinha

Mas tive que aprender, dar valor

Pra você entender seu amor, mas não quer ser mais minha

Com a pequena camisola azul bebê com um pequeno Pac-Man bordado em panos finos, tão finos que chegavam a ser delicados e infantis. Apenas a camisola revestia seu belo e fino corpo. Uma calcinha de renda amarela estava tampando suas partes íntimas, contornando sua farta bunda.

Tarik era delicada em tudo, tanto em aparência quando em personalidade. Sua forma de agir infantilmente era fofo, uma aura inocente lhe perseguia aonde quer que fosse. Essa era sua principal característica, a sua inocência, e talvez seu adjetivo que levou Mikhaela a escolher tal caminho.

Uma carta estava do seu lado, onde deveria estar o amor da sua vida. Sentando-se da cama, Tarik com os olhinhos ainda semicerrados por ter acabado de acordar, pegando a folha de papel rasgada de um caderninho qualquer. Abriu o papel dobrado, lendo as palavras escritas com uma canteta azul claro.

Então diz que não me quer por perto

Mas diz olhando nos meus olhos

Desculpa se eu não fui sincero

Mas a vida que eu levo, erros lógicos

Óbvio

Cada letra em rap é um código

Sórdido

Psicografado som sólido

Súbito

Nunca fui de fazer som pra público

Verso meu universo, peço que entenda meu mundo

Mina

A gente briga por bobeira demais

A gente pira, o tempo vira por bobeira demais

O amor é bandeira de paz

Mas se não der, vai em paz, meto o pé

Tô vivo e quero viver, ensinar e aprender

Menina, eu sigo com ou sem você, mas tente entender

Eu tentei

A vida é curta pra chorar pela ex

Eu falei pra mim mesmo enquanto eu chorava outra vez, é...

Uma lágrima foi mais forte que o orgulho de Mikhaela, escorregando pela bochecha morena e insentivando outras gotas d'água se derramarem das grandes orbes acastanhadas.

Era difícel, mas teria que seguir em frente. Poderia não ser tarde demais para voltar atrás, para virar o guidão e correr em direção aos braços de sua amada, mas o orgulho sempre foi o pior erro dos seres humanos. Seu orgulho lhe dizia que não havia mais volta, sem retorno. Mikhaela seguria o caminho do Sol, sem olhar para trás.

Os pés pisavam mais fortemente para pedalar mais rápido, indo embora em menos tempo.

Eu vou ficar, mas vou pela manhã

Sem me despedir, vou antes do café

Que é pra não te acordar, sei que não sou nenhum Don Juan

Sou todo errado, mas tô certo que você me quer

Os olhos quase pretos da garota inocente se incharam em surpresa. Levantou-se rapidamente, caminhando em direção as roupas penduradas em um cadeira giratória. Vestio-as rapidamente, desesperada.

Encaminhou-se até a varanda de seu quarto, observando que a bicicleta de Mikhaela não estava mais ali.

Eu vou ficar, mas vou pela manhã

Sem me despedir, vou antes do café

Que é pra não te acordar, sei que não sou nenhum Don Juan

Sou todo errado, mas tô certo que você me quer

Seu olhar se eleva até o mar, vendo as ondas batendo em harmonia ao clima frio de um novo amanhecer. As mãos se apertaram na barra da varanda que lhe protegia da queda, e os cabelos curtos até o ombro voavam em direção ao horizonte das águas salgadas. Uma lágrima escorre, colidindo com o chão.

Ei amor, sei que tá tão difícil eu falar de amor

Porque lá fora é tanto ódio e rancor

Quero muito te falar

Ei amor, eu tô contigo independente do caô

Cê sabe que aonde você for, eu vou

E já passou da hora da gente se encontrar

E se amar

Nega, cê sabe que contigo nada vai me abalar

A viagem é longa, então faça a mala

Na vibe mais positiva, no pique mandala

Esse papo de que

Se tu não existisse eu te inventaria é tão clichê

Mas cai tão bem quando se trata de você

Só vem comigo, cê não vai se arrepender

Só vem comigo, cê não vai se arrepender

A bicicleta pegava cada vez mais um ritmo mais rápido. As lágrimas teimavam em tampar a visão de Mikhaela que lutava para se focar no futuro e não no presente. Um dia, aquele momento seria seu passado e seu futuro seria seu presente. Precisava pensar no futuro presente, nos próximos passos. A dor em seu peito não poderia lhe abalar, mas mesmo pensando assim continuava a doer.

Não parava de arder.

Noites em claro

Tentando não me envolver

Seja o que Deus quiser

Noites em claro

Tentando não me envolver

Seja o que Deus quiser

Deixe-me ir

A carta voou de suas mãos, indo em direção ao infinito sendo levado pelo vento. Tampando o rosto, ambas as palmas delicadas de pele clara tentavam desesperadamente controlar as lágrimas teimosas que saiam com total liberdade de seus lindos orbes negras como a noite escura estrelada.

Sabia que esse dia chegaria, mas não queria acreditar. Queria viver infinitamente com Mikhaela ao seu lado, porém sabia que isso era apenas uma ilusão - uma mentira de sua mente frágil e inocente. Realmente, sua inocência lhe condenou a sofrer por um amor impossível.

E assim como as suas fortes e gordas lágrimas, Tarik sentia que não teria como evitar o inevitável.

Não vou me despedir porque dói

Não vou brigar pra ficar

Quero estar contigo e sentir, ser seu e só

Sem ter que justificar o tempo em que eu sumi

"Desculpa meu amor, desculpe-me mesmo. Ambas de nós sabíamos que esse dia chegaria, não poderia ser adiado ou adiantado. Estou segundo minha vida, você sabe que não sou daquelas que fica parada por muito tempo.

Sou uma nômade, vivo de lugar em lugar. Sem casa fixa, é assim que levo minha vida querida.

Te peço, não chore. Não tentarei ocultar, eu não voltarei nunca mais. Isso é um adeus definitivo.

Queria ter me despedido adequadamente, com um abraço e um selar amoroso final. Uma cena dramática do filme romântico, que marcaria o final comigo pedalando em direção ao infinito e você de pé atrás de mim, se despedindo e deixando-me ir. Mas eu sabia que não seria assim se eu estivesse te dito. Você faria de tudo para eu continuar contigo, e como te amo eu com certeza ficaria. Porém, eu não sou assim.

Querida, entenda-me. Eu não poderia ficar mais. Tinha que partir o quanto antes, eu tenho um ponto de partida para chegar, e para isso terei que te deixar.

Meu amor, eu só te peço uma coisa: não chore. Não derrame lágrimas em vão. Estarei aqui, em nossas lembranças, para todo o sempre.

E nesse momento minha bicicleta estará partindo, serena e linda, me encaminhando ao começo de uma nova vida."

Seja o que Deus quiser, deixe-me ir

E assim, Mikhaela pedalou em direção ao Sol para nunca mais voltar.


Notas Finais


Mikaela é o Mike!fem e Tarik é o Tarik!fem
Como não achei nenhum nome de origem feminina parecido com Tarik ou que remete, coloquei o nome feminino de Tarik como Tarik mesmo.

Se estou orgulhosa dessa fanfic? Orgulho é pouco, estou SURTANDO DE FELICIDADE!
PRIMEIRA FANFIC DE MITW!FEM DE TODO O SPIRIT FANFIC's!!
Ainda é uma fanfic de partir o coração, apenas porque gosto de partir corações hehehe

E pra fazer meu coração parar de bater mais ainda, eu fiz um desenho do Cellbit e postei no twitter. Logo vi que estava lá no @cellbitfanarts e BUM! O PRÓPRIO RAFAEL LANGE CURTIU A PORRA DO MEU DESENHO!!
tô muito feliz :')

Twitter: @BBilusco


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...