História Delegado e o delinquente - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bottom!jungkook, Delegado, Delinquente, Lemon, Taekook, Top!taehyung, Vkook, Yaoi
Visualizações 373
Palavras 3.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hoje é aniversário do nosso bolinho Jimin e também dia das crianças, por isso decidi terminar de escrever esse extra rapidinho e postar hoje.
Espero sinceramente que gostem deste capítulo. Ele é como um filho para mim.
Boa leitura.

Capítulo 23 - Extra 3


Jungkook e Taehyung estavam muito felizes naquele dia. Afinal, era o dia de seu casamento, mesmo que não tenha sido de verdade, já que o país que moravam ainda não aprovava o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Mesmo que tenha sido uma festa simples e mais para amigos e familiares, foi muito especial para ambos. Haviam decidido passar a vida toda juntos, amando-se para sempre. Decidiram que teriam um amor eterno.

O pedido de casamento havia sido perfeito também. E quem fez, foi Jungkook.

 

Jeon estava nervoso. Naquele horário, já era para seu namorado estar em casa. Sabia que ultimamente o Kim andava ficando mais na delegacia porque a cidade estava passando por roubos em mercados.

Levou a taça com vinho tinto até os lábios e degustou da bebida. Seu coração batia acelerado e suas mãos suavam por conta do nervosismo.

Levou um pequeno susto quando ouviu a porta do apartamento sendo aberta e viu o amado adentrando o local. Estava tão lindo com seus fios loiros claros e seu uniforme de policial. Achava que estava ficando com certo fetiche pelo namorado com aquele tipo de traje.

– Cheguei amor. – Foi até a sala de jantar e deu um pequeno selar nos lábios do Jeon. Reparou que o castanho estava meio diferente, mas achava que era apenas porque no dia seguinte teria uma prova importante na qual ficou estudando bastante naqueles tempos.

– Como foi o trabalho? – O castanho perguntou tentando agir naturalmente, quase falhando.

– Cansativo, como sempre. Prendi dois bandidos que roubaram o caixa do mercado aqui da nossa rua. Não foi tão difícil, consegui facilmente. – Sorriu parecendo bastante orgulhoso de si mesmo.

– Fico feliz que faça seu trabalho tão bem assim, melhor delegado do mundo. – Aproximou-se do loiro e beijou-lhe os lábios. – Vamos comer logo. Estou com fome e você? – Afastou-se do companheiro e começou a colocar comida no prato que Taehyung havia ganhado do irmão mais velho.

Comeram enquanto conversavam sobre coisas felizes e divertidas. Deram comida na boca um do outro e beijaram-se algumas vezes.

Porém, na hora da sobremesa, Jungkook ficou nervoso novamente. Levantou-se da cadeira e foi até onde havia guardado as sobremesas. Voltou para a mesa e colocou os dois Milk-shakes, um na frente de Taehyung e o outro deixou mais próximo do seu assento.

Sentou-se e nem tomou um gole da bebida, apenas ficou olhando para o amado, esperando a sua reação.

E a reação foi até bem engraçada.

Taehyung foi beber no canudo e levou um susto quando notou a aliança presa no canudo. Os olhos arregalaram-se e ele parecia ter perdido a respiração por um pequeno tempinho. Quase se engasgou.

– O que é isso? – Pegou a aliança e ficou observando o pequeno objeto dourado na palma de sua mão longa.

Jungkook ajoelhou-se no chão e pegou na mão do namorado e pegou também a aliança.

– Taehyung, eu sei que temos praticamente dez anos de diferença de idade, mas nem ligo para isso. Você é a pessoa que eu mais amo no mundo todo. É muito importante para mim! E neste momento estou juntando toda a coragem que já tive no mundo para fazer isso. – Sorriu nervoso. Olhou profundamente nos olhos do amado. – Quer passar o resto dos dias da sua vida acordando ao meu lado? Aguentando meu bafo porque tenho ficado com preguiça de escovar os dentes ultimamente, aguentando os filmes do Iron Man todos os sábados, aceitando meus piores defeitos e qualidades. – Reparou que o Kim nem ousava piscar. – Kim Taehyung, quer se casar comigo?

A reação do loiro foi simplesmente puxar Jungkook pela camisa e beijar-lhe na boca com toda a paixão do mundo.

– E você ainda pergunta? É claro que eu aceito, seu idiota! – Afastou as bocas e aceitou o pedido mais importante da sua vida com um sincero sorriso de orelha a orelha.

 

Os mais novos casados entraram no quarto do hotel cinco estrelas – o qual havia sido pagado com uma pequena parte da herança de Jungkook – e ficaram deslumbrados com o local.

O quarto era praticamente todo decorado com as cores preto e vermelho. E a cama era a coisa mais linda e decorada do quarto. O edredom e lençol eram pretos, os travesseiros com fronhas vermelhas e bem no centro da cama, havia um coração formado com pétalas de rosas vermelhas. O cômodo mais bem decorado que já haviam visto em suas não muito longas vidas.

Aquele dia estava sendo maravilhoso, mesmo que não tenha sido como os casamentos grandiosos de homem e mulher. Naquele dia, concordaram em ficar o resto da vida juntos, e não existe coisa mais linda do que esta. Você aceitar em passar o resto da sua vida ao lado de alguém.

– Está pronto para ter a melhor noite da sua vida? – Taehyung prensou Jungkook na parede e sussurrou isso em seu ouvido.

– Eu nasci preparado. – Respondeu o castanho enquanto mordia seu lábio inferior.

O Kim encostou seus lábios nos do mais novo e levou suas mãos até a cintura dele. Jungkook enroscou suas pernas na cintura do mais velho e dependurou-se ali enquanto chupava a língua do atual marido.

Taehyung foi andando com Jungkook em seu colo até a cama, onde se jogou ficando por cima do castanho.

Ao perceber que estava ficando sem respiração, afastou as bocas com um último selar e aproximou a boca do pescoço com pele branquinha de Jungkook. Começou a distribuir beijos, lambidas e chupões pelo mesmo, arrancando gemidos sôfregos do Jeon.

A mão longa não demorou a dar uma apertada na coxa farta do mais novo e com esta ação, ouviu um gemido mais alto e manhoso do garoto.

– Sabia que eu adoro quando você geme manhosinho assim para mim? – Sussurrou no ouvido alheio e apertou novamente a coxa coberta pela calça social.

– Sabia que eu adoro quando você aperta minha coxa assim? – Devolveu a pequenina provocação e deu uma lambida no pescoço do mais velho enquanto dava um sorriso safado para ele.

O bom de você já estar com alguém por tanto tempo e transar com ele pelo menos três vezes na semana, é que você já conhece todos os lugares mais sensíveis do corpo alheio. Isso torna o sexo muito mais interessante.

Taehyung tirou seu terno e o do esposo também, ambos ficando apenas com as cuecas.

– Está apressado, meu amor? – Jeon sorriu malicioso reparando na pressa do Kim em ver o corpo nu dele.

– Claro que sim. Você é tão gostoso que me deixa louco de tesão. – Selou o mais novo na boca novamente.

– Eu sei disso. – Deu uma risadinha pelo nariz e trocou de posição com Taehyung.

Começou a descer a boca pelo corpo semi-nu do esposo. Foi da boca, distribuindo beijos pelo pescoço, em seguida pelo abdômen não tão definido até chegar à pélvis do loiro.

Tirou sua cueca preta e deixou um selinho na glande do mais velho, vendo-o gemer roucamente em resposta.  Deixou outro selar na cabecinha de baixo e nem esperou demais. Enfiou rapidamente o órgão genital na cavidade bocal. Taehyung colocou suas mãos nos fios castanhos do Jeon e começou a somente fazer carinho. Não queria comandar, não naquele momento. Naquele momento deixaria o mais baixo divertir-se com seu pênis como bem querer.

– Ah! Jungkookie! Você é uma delícia! – Gemeu muito alto ao sentir seu membro encostar por um breve segundo na garganta alheia. O barulho do Jeon quase se engasgando tornou aquilo muito mais pornográfico e tornou a sensação do quarto muito mais quente.

A sensação de orgasmo estava vindo, mas Taehyung não queria gozar. Ainda estava muito cedo para isso. Por este motivo, tirou o pênis da boca alheia e beijou o amado ferozmente.

Trocaram de posição novamente e o Kim deixou o amado companheiro de barriga para baixo, quase com a bunda empinada para si, fazendo-o quase salivar com a visão tão gostosa e maravilhosa.

Aproximou a boca da bunda branquinha alheia e enfiou a língua rapidamente na entrada do castanho, o qual arqueou as costas e gritou de prazer. Amava quando o loiro fazia isso consigo. Amava a sensação de ter a língua do amado penetrando-lhe. Mas amava mais ainda quando era o pênis grosso alheio.

– Taehyung! – Gritou novamente ao sentir o amado começar a dar estocadas com o músculo úmido. – Oh céus! Eu amo quando você faz isso! – Continuou gritando. Afinal, Taehyung parecia que não tinha piedade de Jungkook.

Sem ter muita noção do que estava fazendo, começou a ajudar no beijo grego. Levava o quadril para trás, indo de encontro com o músculo alheio. Ao sentir sua entrada sendo preenchida daquele jeito, gemia manhoso e gritava de prazer.

Taehyung colocou uma mão em cada lado da bunda de Jungkook e começou a apertar e dar tapas fracos na pele, deixando-a mais avermelhada e marcada.

Jeon ajeitou-se melhor na cama de uma maneira que o beijo grego fosse mais prazeroso e que suas pernas não ficassem tão cansadas ao permanecer por tantos minutos naquela posição.

Jungkook levou as mãos até os mamilos e começou a tocar ali. Passava os dedos, apertava e raspava as unhas.

Ao perceber que o parceiro não aguentaria muito mais tempo, tirou sua língua dali. Ouviu algumas reclamações de Jungkook, mas ignorou todas. Foi até a mala que havia levado e pegou o pote de lubrificante e uma das embalagens de camisinha. Voltou para perto do mais novo e encapou seu próprio membro com a camisinha, e o lubrificante foi passado na entrada do castanho.

– Pronto? – Perguntou deixando um chupão no pescoço do Jeon.

– Você ainda pergunta? Sério mesmo? – Deixou uma risada debochada soar pelo quarto. Isso foi como um sim para o delegado, que levou seu membro até a entrada do Jungkook.

Como sempre, os primeiros segundos foram bastante dolorosos, afinal o membro de Taehyung já é grosso naturalmente, duro fica mais ainda. Porém, logo o prazer ficou mais perceptível que a dor a qual ainda estava presente.

Jungkook começou a ajudar nas estocadas, indo para trás com o quadril, assim como fez com o beijo grego delicioso.

– Mais forte Tae! Mais fundo amor! – Começou a gemer manhoso, levando o Kim a loucura.

– Ah, Jungkookie! Você é tão gostoso! – Apertou as coxas já rosadas, já quase bem vermelhas de tanto serem apertadas pelas mãos famintas e longas.

Jungkook cansou-se daquela posição e logo estava no colo de Taehyung, com uma perna em cada lado da cintura alheia, quicando no pênis do Kim.

Ultimamente preferia mais quicar no pau alheio como bem queria, do que ficar de quatro ou na posição “papai e mamãe”.

– Eu adoro quando você faz isso. – Taehyung confessou enquanto gemia sem pudor algum e dava tapas estalados na bunda e coxa do amado atual esposo.

– Adoro quando você me fode todinho! – Gemeu manhoso mais uma vez.

Jeon pouco se importou se no dia seguinte teria dor forte na bunda, ou se nem conseguiria andar direito. Fez o que estava com vontade de fazer.

Começou a quicar loucamente no colo alheio, sentindo o membro do Kim entrando completamente em sua entrada, levando-o a loucura. Seus gemidos ecoavam pelo quarto assim como os do Kim. As peles de ambos se chocavam, provocando sons bastante eróticos. Isso era realmente tão bom para eles!

Eles amavam-se muito. E sempre que eles faziam amor, sentiam-se como se estivessem se tornando uma pessoa só. Era simplesmente uma sensação tão absurdamente incrível e maravilhosa.

– Taehyung! – Gritou sentindo sua próstata sendo finalmente achada e acertada pelo Kim, que também ajudava nas estocadas, levando o quadril para cima.

Gritava de prazer, pouco se importando com o fato de existirem outras pessoas naquele hotel. Pessoas dormindo no quarto ao lado, ou à frente. Queriam apenas aproveitar juntos sua lua de mel, algo que provavelmente não voltaria a acontecer, apenas se ambos resolvessem casar novamente.

Uma coisa que seria muito improvável de se acontecer.

O Kim não conseguia aguentar muito mais tempo. Sentir o interior do amado engolindo-lhe era uma sensação maravilhosa. Não conseguiria descrever exatamente como que sentia ir ao céu e inferno ao mesmo tempo ao foder o garoto mais novo. E Jungkook também não estava muito longe de ter o tão desejado orgasmo.

Mais algumas estocadas e ambos gozaram quase no mesmíssimo segundo.

Jungkook saiu de cima do colo alheio e deitou-se na cama exausto. Seu interior doía um pouco, mas como sempre, fazer sexo com o marido valia à pena.

Taehyung tirou a camisinha do seu membro e tentou limpar seu abdômen sujo de gozo com um pano que achou no quarto. Nem sabia o porquê do objeto estar ali.

– Quer um segundo round no banheiro? – Encarou o mais novo que apesar de estar um pouco dolorido e cansado, não pensou em recusar em nenhum segundo.

– Claro que aceito, meu amado marido. – Sorriu e viu o delegado sorrir abobalhado também. Trocaram beijos apaixonados.

Taehyung ajudou Jungkook a levantar da cama e ambos foram até o banheiro da suíte.

O banheiro não era tão grande. O cômodo era em formato de retângulo. No lado esquerdo havia uma banheira bem grande. Ao lado da banheira, havia o vaso sanitário e na frente do vaso, a pia não tão grande, mas de tamanho suficiente. À frente da porta de entrada para o banheiro, ficava o box com dois chuveiros um do lado do outro. O local possuía uma áurea agradável para quando você quer cagar ou tomar um bom banho bem relaxante.

Foram andando até a banheira. Colocaram-na para encher e enquanto esperavam, Taehyung prensou Jungkook na parede e ficaram se beijando ali, por um bom tempo.

Quando a banheira já estava com uma quantidade de água suficiente para se sentirem bem em permanecerem ali, entraram nela rapidamente e mergulharam o corpo até o pescoço na água com uma pequena quantidade de espuma.

Taehyung ficou por cima do Jeon, beijando-lhe o pescoço. Dessa vez, queriam algo mais calmo. Algo bem menos agressivo. Algo com mais paixão e sentimento do que tesão.

Jungkook levou sua mão até o membro de Taehyung e começou a lhe masturbar. Seu polegar resvalava na glande alheia, provocando gemidos sôfregos e muitas arfadas no mais velho.

– Você ama quando eu faço isso, não é mesmo meu amor? – Deu uma forte apertada no membro do loiro, o qual assentiu com a cabeça de cima.

– Sim. Eu amo muito! Mas eu amo mais ainda quando estou dentro de você. – Disse enquanto afastava a mão do garoto amado de seu pau e colocava ambas as mãos dele em seu pescoço e ombro. – Posso? – Perguntou e reparou que o rapaz de cabelos castanhos claros concordou rapidamente enquanto sorria amoroso.

O membro de Taehyung logo se infiltrou novamente dentro do interior quente e apertado do menino Jeon. Jungkook sentiu que a dor e desconforto voltaram, mas logo o prazer ficou maior, como toda vez que fazia sexo com o de cabelos loiros.

Nem esperaram tempo demais. Taehyung logo começou a estocar a entrada apertada do Jeon, que gemeu sem pudor nenhum.

As estocadas eram bastante fortes e profundas, fazendo os dois sentirem muito prazer e gemerem alto juntos.

– Por favor, Tae! Mais forte e profundo!

– Vou fazer o melhor que eu puder meu bem.

As bocas deles se encontraram. O ósculo era sem um ritmo muito certo e as línguas se acariciavam de um jeito meio desorganizado. Contudo, nenhum deles se importava verdadeiramente com isso. Queriam mesmo era aproveitar ao máximo o gosto da boca do outro.

Eram viciados pela boca um do outro tanto quanto um drogado viciado pelo seu crack.

A banheira fazia um barulho estranho por causa das fortes estocadas. Parecia que o objeto iria quebrar a qualquer momento e sairia água por tudo que era lado, inundando o banheiro e quarto todo. E talvez o corredor daquele andar do hotel.

Quando o ar faltou-lhes, afastaram as bocas e Taehyung levou sua mão até o pênis do amado e masturbou-lhe ali até que o Jeon gozasse em sua mão. Já o Jeon, levou sua língua até o pescoço com a pele mais morena e linda do Kim. As unhas de Jungkook começaram a arranhar os ombros e principalmente as costas do delegado, afinal, seu interior era preenchido sem piedade alguma.

Confessava que amava bastante quando o Taehyung fazia isto consigo. Isso deixava o sexo muito mais selvagem e interessante.

O fato era que sexo mais calmo não funcionava com esse casal. O sexo dele era sempre mais selvagem. Todavia, não reclamavam. Até preferiam desse jeito a mais calmo e carinhoso. Gostavam muito mais de demonstrar seus sentimentos e desejos durante a coisa bruta, do que a mais calma. Fazer o que?

Após gozarem novamente naquela mesma noite, saíram da banheira, tomaram uma ducha não tão rápida e secaram-se. Voltaram para o quarto e arrumaram a cama que estava bastante desarrumada. Arrumaram do jeito mais simples e rápido possível e mergulharam no colchão macio e muito confortável do hotel. Foram para debaixo do lençol e só naquele momento perceberam uma mesa mais afastada. Em cima desta mesa, havia uma espécie de balde bonitinho. Neste balde, havia gelos, duas taças, um vinho tinto, champanhe e uma lata de cerveja. Do lado desse balde, havia um bilhete nele contendo uma letra bonita, e estava escrito: “Espero que aproveitem a noite o máximo possível e gostem da sua estadia durante esses pouquíssimos dias. Qualquer coisa podem ligar para a recepção. Boa estadia senhores.”

O delegado levantou-se nu da cama e pegou o balde, voltando a deitar-se depois.

Taehyung serviu o vinho tinto na sua taça e o champanhe na taça de Jungkook. Ambos passaram o resto da noite bebendo e conversando. E ao ficarem bêbados, não recusaram a ideia de transarem pela última vez.

– Jungkook, eu te amo tanto que você nem imagina. – Apesar de não ser a primeira que admitia os sentimentos, o coração do castanho claro acelerou um pouco e o sorriso bobo permaneceu nos lábios cheinhos e vermelhinhos.

– Eu também te amo muito, Tae! – Deixou outro selar nos lábios do delegado após a terceira transa deles naquela noite.

E assim tiveram a melhor noite de suas vidas. A famosa noite de núpcias.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...