1. Spirit Fanfics >
  2. Delicada >
  3. Noite relaxante

História Delicada - Capítulo 118


Escrita por:


Capítulo 118 - Noite relaxante


Fanfic / Fanfiction Delicada - Capítulo 118 - Noite relaxante

[...] Eu mesma precisava dar um jeito de pegar a chave.  [...]  

                                                                               Anna

Eu me diverti tanto nesse almoço, e a melhor parte foi ter ganhado a aposta, agora eu precisava pensar no que iria dar de presente a Gabe pelo nosso segundo mês de namoro, não dei nada no primeiro, pois tínhamos brigado, mas agora ia ser diferente, estamos bem, melhor do que bem, estamos ótimos, perfeitos, vendo o mundo colorido. Eu levantei da minha cadeira para pegar café na sala de descanso. Queria um café preto com açúcar, nada mais e nada menos. Enquanto esperava, Dylan apareceu do meu lado, e parecia um pouco apreensivo:
- Oi Dylan, tudo bem?
- Oi... Err... –
Coçou a cabeça.
- Aconteceu alguma coisa?
- Não, quer dizer, ainda não
- Como assim?
- Será que posso falar com você um minuto?
- Claro, eu vou... – De repente o celular em minha mão começou a tocar. Era Luke. – Só um segundo – Falei para Dylan me afastando dele – Oi Luke.
- Oi Anna, eu soube que voltou de viagem, queria saber como está
- Muito bem, um pouco bronzeada
- Que ótimo. Anna, eu preciso te contar uma coisa, será que tem um tempinho agora?
- Infelizmente não, tem outra pessoa que quer falar comigo, mas podemos nos ver amanhã, o que acha?
- Tá, tudo bem, nos vemos amanhã
- Ok! Se precisar de algo basta me ligar, eu não estarei em casa, mas o celular vai ficar o tempo todo comigo.
- Tá bem, a gente se fala amanhã.
- Tá, até mais.
- Até –
Desliguei e voltei para perto de Dylan, por sorte meu café já tinha ficado pronto, peguei o copo e soprei. – Então, o que você queria falar comigo?
- A-ah... É que... –
Ele olhou para o celular e pareceu preocupado – Desculpa Anna, eu preciso resolver um problema na minha sala.
- Mas...
- A gente conversa outra hora –
E como se estivesse fugindo, Dylan praticamente correu ate o elevador.
- Que estranho, o que deu nesses homens hoje?! – Dei de ombros e voltei a soprar meu café, só ele era simples e extremamente útil.

Minhas costas estavam doendo terrivelmente, aquela cadeira não era nem um pouco confortável, eu adoraria roubar a do escritório de Gabe, parecia com a do avião, grande, confortável e quase era engolida por ela. Podia ter pelo menos um encosto mais macio. Suspirei alto pegando minhas coisas para ir embora, Stuart havia saído há alguns minutos e o andar já estava esvaziando. Fiquei de pé e olhei para ver se não tinha esquecido nada, e então escutei passos se aproximando, o arrepio em meu corpo já me respondia de quem se tratava. Eu sorri quando me virei para Gabe:
- Que lindo que você está
- Você acha? Esse é meu visual “o dia a dia de um gerente na Lencastre, acabado e mastigado”.
- Há! Há! Há! Ainda assim, está lindo –
Passei meus braços por trás do seu pescoço.
- Não vi você o dia todo, fiquei com saudade
- Eu também, depois de quatro dias grudados, essa separação foi brusca
- Verdade, mas agora estamos juntos. Vamos para casa? –
Me deu um casto selinho.
- Vamos – Retribuí com um mais longo, então fomos em direção ao elevador.

Demoramos um pouco mais que o normal para chegar em seu apartamento, todos estavam voltando para casa, e como era de se esperar, o trânsito estava infernal. Gabe não conseguiu entrar na garagem do prédio por causa de uma confusão que estava ocorrendo na hora, então fomos pela frente, ele entregou a chave a um dos rapazes para que pudesse guardá-lo depois:
- Nossa, eu estou muito cansado, minhas costas estão doendo – Ele reclamou.
- Eu posso fazer uma massagem
- Seria ótimo princesa –
Apertou seus dedos entre os meus.
- Senhor Scott – Nós nos viramos quando o concierge chamou. Nos aproximamos do balcão.
- Sim?
- Senhor, há uma moça que o está aguardando a um tempo.
- Uma moça? –
Ele estreitou as sobrancelhas.
- Está esperando alguém? – Perguntei.
- Não
- Ela está bem ali –
Ele apontou e olhamos na direção. Um suspiro de irritação brotou de mim.
- Fala sério. O que ela faz aqui? – Perguntei irritada ao ver Lauren sentada um pouco mais ao longe.
- Eu não sei, vamos ver e acabar logo com isso – Ele agradeceu o homem e fomos juntos até a megera. – Lauren?
Assim que escutou seu nome e nos viu ficou de pé:
- Boa noite aos dois. – Ela me olhou – Anna vejo que já está melhor.
- Estou, obrigada.
- O que faz aqui Lauren?
- Eu precisava falar com você –
Maldita cara de pau.
- Eu não acho uma boa hora, eu estou cansado, foi um longo dia, só quero descansar
- Eu sei, mas prometo que é rápido
- Eu não gosto de tratar de assunto de trabalho aqui
- Eu sei, mas é algo importante, por favor, você tem me ignorado por dias, essa foi a única maneira que encontrei para conversarmos.
- Hunf! Tudo bem, mas que não se repita – Ele suspirou derrotado, eu vi que sua vontade de conversar com ela mesmo que por dois segundos, era zero. Ele se virou para mim. – Por que não sobe na frente? Eu vou daqui a pouco.
- Eu posso ficar se quiser
- Não se preocupe, será rápido. Pode subir, assim que eu terminar aqui poderemos jantar. Eu não sei se Will está em casa e colocou comida para o Spike.
- Não se preocupe, eu vejo isso
– Ele se inclinou e me deu um selinho – Vejo você depois.
- Já estou indo –
Sorriu.
- Tchau Anna – Eu apenas a olhei com indiferença, dei as costas e fui para o elevador. É bom que veja que quem está indo para a cobertura sou eu, e não ela, como gostaria. Eu tenho a chave, e não a Lauren, eu sou a escolhida e não esse projeto de mulher.
Depois de vinte minutos Gabe entrou pela porta e resmungou alto. Tadinho, estava muito cansado. Eu cheguei perto dele, e ajudei a tirar seu paletó.
- Pelo visto ela te deixou ainda mais exausto
- Sim
- O que ela queria?
- Falar sobre a festa do Byrne semana que vem, e que queria se desculpar por tudo o que aconteceu, pediu que voltássemos a ser amigos.
Hmm! Sei, amigos, vai nessa:
- E o que você disse?
- Que seria impossível voltar ao que éramos antes, mas que podemos seguir nos tratando com respeito e como conhecidos.
- Hmm! Bom.
- Acho que é melhor assim
- Concordo. –
Beijei seu rosto – Eu pedi o nosso jantar, seu prato preferido com salmão francês.
- Que maravilha, mas e você? Não gosta de comida francesa.
- Ah! O restaurante tinha um cardápio variado, eu pedi carne. –
Gabe sorriu, mas pude notar seu cansaço – Por que não aproveita e toma um banho?! É o tempo que a comida vai demorar para chegar, depois eu faço uma massagem bem relaxante em você. Tudo bem?
- Sim, eu vou adorar. Preciso tirar esse terno e colocar uma roupa mais confortável
- Isso, vai lá, eu vou ajeitar tudo aqui –
Me estiquei dando um selinho nele, e deixei que subisse. Eu fui para a cozinha ajeitar tudo em cima da mesa, Spike veio me fazer companhia. Fui até ao armário pegar no pote um de seus biscoitos. – Quem é o bom garoto? Quem é? – Ele rodopiou todo alegre, e dei seu petisco – Isso mesmo bonitão, você é o garoto.
Gabe desceu bocejando, a comida tinha chegado a poucos minutos e deu tempo de arrumar tudo nos pratos:
- Nossa, o cheiro está ótimo
- Está mesmo, me deu até água na boca. –
Eu sentei assim como ele. – Ryan pegou pesado com você hoje não é?
- Nem me fale, Josh fez um bom trabalho, mas eu tive que cuidar de outras coisas pendentes.
- Ainda acha que aquela minha ideia de ficar em Laguna era ruim?
- Não, com certeza não –
Sorriu cortando um pedaço do seu salmão.
- Há! Há! Há! Ainda não conseguiu voltar ao ritmo, continua com a cabeça e o corpo nas nossas férias
- Sim, é fácil se acostumar com passeios e dias livres
- Confesso que estou sentindo muita falta de lá, dos nossos passeios, do parque, da praia, e com uma vontade imensa de tomar uma certa bebida afrodisíaca.
- De fato, eu sinto falta de tudo, inclusive da Anna sob o efeito de paixão avassaladora. Aquilo foi inesquecível.
- Há! Há! Há! Ainda tenho a marca de seus dedos na minha cintura, você sempre aperta com força, esquece que suas mãos são grandes e que sou pequena em comparação a você.
- Eu sei, desculpe, mas é algo difícil de controlar quando tenho seu corpo sob o meu, são muitas sensações, não consigo administrar todas.
- Hmm! Pensei que você tivesse tudo sob seu controle
- Tudo que é relacionado a você foge dele
- Há! Há! Interessante
- Não, é frustrante –
Ele falou apontando o garfo para mim antes de pegar um pedaço do salmão.
Assim que terminamos eu tirei tudo da mesa e deixei os pratos na pia, já estava tarde para lavar, ficaria para amanhã. Nós subimos e o fiz sentar na cama, peguei um gel de massagem e passei em sua costa:
- Nossa, você está tenso. Como conseguiu ficar assim em um dia? Ontem estava tão relaxado.
- Esse é o problema, a mudança de cenário, foi brusca. –
Ele gemeu de contentamento.
- Tem um nó bem aqui... Dói quando aperto?
- Um pouco
- Eu vou tirar, só relaxa –
Beijei seu pescoço e seu ombro.
- Suas mãos são tão macias, é bem fácil relaxar
Beijei sua nuca, e o enchi de beijos ate o outro lado. Gabe sorriu e se entregou aos meus dedos macios:
- Amor, sabe o que eu estava pensando?
- O que?
- Eu nunca vi você sem barba, nem por foto
- Hmm!
- Fico imaginando como é sem barba e com o cabelo um pouco mais curto
- Está dizendo que pareço um náufrago?
- Há! Há! Há! Claro que não, seu cabelo é cheio, mas não é comprido, um corte moderno e sem barba deve lhe dar outra aparência.
- É, eu quase não usava barba na faculdade, só quando comecei a trabalhar
- E é lindo, eu adoro esse seu aspecto empresário intimidador, que não segue os padrões.
- Há! Há! Há! Entendi
- É só uma curiosidade
- Bom, qualquer dia eu tiro a barba e corto o cabelo, faço esse esforço por você
- Jura?
- Sim
- Eu vou adorar, vai lhe dar um rosto totalmente novo
- Fica diferente mesmo, mas não tanto –
Ele jogou a cabeça para frente quando acertei um ponto dolorido e tratei de massagear.
- De qualquer forma continua sendo lindo
Novamente ele gemeu quando amassei sua coluna, não pude conter um sorriso. Sua respiração estava lenta, e seus olhos cada vez mais fechados, o pobrezinho estava cansado:
- Quer deitar? Você está quase dormindo.
- Tudo bem
- Deite de bruços, assim posso continuar –
Me afastei para que ele deitasse, e assim que se acomodou passei as pernas em torno do seu corpo e continuei a massagem. Era engraçado escutar ele gemer.
- Isso é tão bom
- Um beijinho antes de dormir –
Seu rosto estava virado para o lado e lhe dei um selinho demorado, ele sorriu e continuou relaxado. Sua costa era tão larga, e a cintura fina, seus braços tão fortes, e eu parecia tão pequena perto dele. Depois de dez minutos havia gel por toda sua costa, e tinha um cheirinho bom de eucalipto, agora Gabe dormia profundamente. Deitei ao seu lado e cobri a nós dois.


Gabe

Eu puxei o ar antes de ganhar coragem para abrir os olhos, estava tão bom o conforto do meu travesseiro, e a cama nem se fale, parecia parte de mim. Eu dormi tão bem, apaguei, e posso dizer que devo tudo a fantástica massagem da Anna, parecia que um peso estava sendo tirado dos meus ombros, estava tão cansado que tudo o que queria era dormir, mas ela pediu minha comida preferida e ainda me fez relaxar. Estiquei o braço para tocá-la, mas senti o espaço vazio:
- Anna?
- Hey! Você acordou – Me apoiei no braço para olhar. Ela entrou no quarto com uma bandeja cheia de coisas. Me ajeitei sentando – Olha o que eu trouxe para você.
- Nossa, café na cama? – Sorri com felicidade. Ela esticou as pernas da bandeja e colocou sobre mim.
- Isso – Se esticou me dando um selinho – Bom dia amor.
- Bom dia, mas por que tudo isso?
- Ontem você estava tão cansado, vi que relaxou com a massagem e queria que continuasse assim, então trouxe seu café.
- Obrigado amor, aquela sua massagem foi milagrosa, eu dormi como uma pedra e estou ótimo.
- Fico feliz em saber. Agora coma, para recuperar as forças e chegar jorrando vitalidade na empresa.
- Você já tomou seu café?
- Já, com Will, ele ficou com inveja do que preparei para você, que resolvi comer com ele para ver que não sou exclusivista.
- Há! há! Will não tem que se meter, claro que você é exclusiva, só minha.
- Não custa fazer um agrado para seu primo – Ela passou a mão em meu cabelo ajeitando, ao mesmo tempo em que soltava uma risadinha – Essa cara tá toda amassada.
- Não é por menos, meu sono estava ótimo – Tomei um pouco de café.
- Há! Há! Certo. Eu vou tomar banho, continue comendo – Ela levantou e me deu mais um beijo – Tem salada de fruta.
- Já vi, e vou comer, obrigado princesa
- Coma tudo – Ela entrou no banheiro. Ok, definitivamente eu adoro ser mimado. Além da massagem, do café na cama, tive um pequeno show, ver Anna se arrumando, vestindo as peças íntimas, colocar a meia calça, a saia, a camisa, fazer uma trança estilosa no cabelo e se maquiar. Logo foi minha vez de tomar banho, e na hora de me arrumar ela ainda me ajudou, principalmente com a camisa e a gravata. Eu estava no paraíso, essa mulher estava me deixando mal acostumado, e confesso que gostava muito.  


 

 

Continua...
 


Notas Finais


É isso ai meus amores!!! É tudo por hoje!!

Que atitude estranha desses dois hein? Luke e Dylan, o que será que querem falar com a Anna??

Em compensação, que coisa mais fofa Anna e Gabe, são tão lindos juntos, não concordam?!

Gente, só ressaltando, nesse tempo de pandemia, fiquem em casa, sei que é chato, mas é para o bem de todos, vamos cuidar de quem amamos. Aproveitem esse tempo para ler, escutar música, maratonar série, etc. Ou ate mesmo me mandar mensagem no PV rsrsrs respondo quem mandar!! Vamos fazer nossa parte, logo tudo isso vai acabar, confiem.

Bjs, até o próximo capítulo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...