História Delicate - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bangtan Sonyeondan, Bts, Jimin, Park Jimin
Visualizações 9
Palavras 569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura♡
E
Volte Sempre♧

Capítulo 18 - Eighteen


~Park Jimin~


Me espreguiço na cama, sentindo meu corpo acordar. Abro os olhos, observando a Jihoo desenhando em um papel...muito concentrada no que está fazendo.

Se eu sentar na cama, isso a fará tirar a atenção do seus rascunhos...e o avô dela me mandou, para justamente a ajudar a ter ideias para os rascunhos...Então apenas fico observando o teto do quarto, que a propósito é cheio daquelas estrelinhas que brilham no escuro.

E pensar que hoje a noite tenho que entregar um relatório para aquela...mas o que eu vou entregar? Não há nada para eu contar, a Jihoo simplesmente é incrível e não há nenhum furo na empresa dela...

-Jimin?

Direciono meu olhar para ela, que estava me olhando. Merda. Aproveito que já havia tirado a concentração dela, eu sento na cama.

Não demora nem um segundo para que ela meça a minha temperatura, colocando um termômetro na minha axila, logo em seguida ela levanta da cama e sai do quarto.

Pego uma das folhas e observo o rascunho desenhado, era um colar com um pingente com o formato da metade de um coração, percebo que no topo da folha está escrito: "Rubi rosa/vermelho ou diamante preto?".

O termômetro apita bem no momento em que a Jihoo entra no quarto. Ela tira o termômetro e me entrega uma caneca com chá de camomila.

-Não está mais febril. -Ela avisa. -Devia ser cansaço ou estresse...ou os dois.

Ela me observa tomar um longo gole do chá, para depois reparar no papel que eu deixei em cima do meu colo.

-Não sei se ficou bom... -Seu olhar parece triste ao mesmo tempo em que  espia a folha.

-Ficou ótimo, simples e discreto e tenho certeza que a pedra que você escolher será o grã finale. -Falo capturando sua atenção.

Ela parece refletir por um tempo e então seus olhos brilham.

-As pedras! -A Kim exclama se levantando da cama e me puxando. -Você vai me ajudar!

Tenho que tomar cuidado para não derrubar o líquido da caneca enquanto sou arrastado até a última porta do corredor. A porta com senha...estava curioso para saber o que havia nela...


...

Depois de sair da casa da Jihoo, passar no escritório da Yura e tomar um banho quentinho e relaxante, eu me jogo na minha cama.

Como a Lee Yura vai dar uma festa hoje, ela me disse que não precisava trabalhar. Ou seja, vou poder ter o meu sono da beleza.

-Você já jantou? -O Taehyung perguntado entrando no quarto e em seguida se jogando na cama.

-Sim. -Resmungo me virando para o lado da parede.

-Jantou nada. -Ele começa o sermão. -A coisinha lá me contou a quantidade de comida que você comeu, e é uma quantidade equivalente a uma entrada ou até aperitivo.

-Eu não tava com tanta fome assim. -Falo encarando a parede branca.

-O que tá te deixando preocupado?

Sua pergunta me faz olhar para a parede de uma reflexiva. A cor branca equivale a paz, mas por que eu não me sinto em paz quando estou vestido com essa cor? Talvez...porque paz seja algo muito do nosso interior...algo invisível aos olhos e ao cérebro, mas totalmente perceptível ao coração.

-O avô da Jihoo...ele sabe o que a Yura me pediu. -Confesso algo que estava entalado na minha garganta deis de que eu recebi a ligação. -E ele também sabe do Jungkook.

Me viro para o lado do Taehyung, para ver sua reação, seu olhar está bem pensativo.

-Ele vai ajudar? -Sua primeira pergunta depois de alguns minutos em silêncio.

-Ele disse que sim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...