1. Spirit Fanfics >
  2. Delicate Love. >
  3. Um dia de outuno.

História Delicate Love. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Reportando mais uma
Espero que gostem.

Capítulo 1 - Um dia de outuno.


Londres, Inglaterra, Ano 1790 - Na escola Flor de Liz .

 

 

 

Na antiga Londres , existia uma escola para as damas da alta sociedade, administrata pela condessa Crystal Lovene , que era a diretora da escola, onde se ensina etiquetas , postura , literatura variada, entre outras atividades . A escola era uma das melhores de toda a Inglaterra, que tinha formando várias damas da realeza britância.

 

 

 

Era um dia normal, um dia de outuno, as folhas secas caíram das árvores, formando um tapete seco nas estradas que levam até a escola, na mesma estrada , passava -se a carruagem da diretora da escola, que estava indo para a escola, destruindo as folhas secas pelo caminho, os cavalos corriam muito rápido , para chegarem cedo à escola.

 

 

 

 

No interior da carrugem , a diretora tinha a companhia de sua sobrinha , Lila Rossi, que era a sua protegida, por ser alguém da família, elas estavam conversando sobre o novo ano letivo , que incia -se no mesmo dia.

 

 

 

 

[ …]

 

 

 

 

__ Tia , eu não entendo os seus motivos para ajudar aquelas pobres à intergar na alta sociedade ?!. Sinceramente, você está ficando muito caduca para alguém da sua idade . - Ela questionou a sua tia , olhando sério para a tia , sentindo que a tia tinha lançando um olhar frio para a sua direção.

 

 

 

 

__ Lila, eu acho que estou super protegendo você. Também a sua mãe, no caso a minha querida irmã mais nova. Te mimou demais , durante a sua infância. Seu comportamento não é digno para uma dama da alta sociedade. A rainha Vitória nunca ia me convidar para qualquer chá da tarde, tendo você como companhia. - Ela disse para a sua sobrinha , olhando frio para a sobrinha.

 

 

 

 

__ Não coloque a minha mãe nisto. Se ela fosse a diretora da escola. Ela teria concordando comigo. - Ela se rebeldou para a sua tia , olhando com veneno para a tia.

 

 

 

 

__ Existem vários motivos para que não deixe a sua mãe no comando. Ela ia colocar a minha escola em ruínas. Porque ia gastar todo o dinheiro da ajuda da rainha com besteiras. Ela nem ia pagar bem os funcionários. - Ela disse para a sobrinha rebelde, olhando duro para a sobrinha.

 

 

 

 

__ Sinceramente, tia. Eu acho que conviver com pessoas mais simples . Está te deixando um pouco doente. - Ela disse sem remorso algum , olhando frio para a tia.

 

 

 

 

__ Cale essa boca de trapo, Lila . Não sabe o que está falando. Faça isso novamente, que eu retiro a sua condição de minha protegida. - Ela disse para a sobrinha , gesticulando feio para a sobrinha , olhando nervoso para ela.

 

 

 

 

__ Eu vou contar para minha mãe. Ela vai dar um jeito em você. - Ela ameaçou a tia , olhando irritada para a tia.

 

 

 

 

__ Pare de agir feito uma criança , Lila. Isso é resultado do mimo exagerado de sua mãe. Mais uma demostração de rebeldia. Eu tiro a sua condição de protegida . - Ela ficou furiosa coma sobrinha , olhando frio para ela.

 

 

 

__ Não sou uma criança, tia. Eu já sou uma adulta . - Ela continuou com a sua rebeldia , olhando com raiva para a tia.

 

 

 

 

__ Pouco me importa, Lila. É uma adulta , mas age feito uma criança, Depois disto, eu vou ter uma conversa séria com a sua mãe . Precisamos resolver a sua conduta. - Ela disse para a sobrinha, olhando frio para a sobrinha.

 

 

 

 

__ Com licença, senhoritas Rossi. Mas eu devo avisar de uma coisa muito importante mesmo. - O condutor da carruagem vendo a chegada da escola, dirigindo os cavalos com precissão.

 

 

 

 

__ Espere um minuto , Nelson. Eu preciso continuar com a conversa com a minha sobrinha Lila. Que anda ultimamente , muito rebelde para o meu gosto. Isso é uma conduta inaceitável para uma dama da alta sociedade do nosso amado Pais . - Ela pediu para o condutor, olhando com ódio para a sobrinha.

 

 

 

 

__ Foi você quem começou tudo isso, tia . Eu nem gosto disto. - Ela acusou a tia da discussão ficando irritada com a conduta da tia .

 

 

 

 

__ Nem mesmo eu, Lila. Eu acho que até mesmo que sempre achei o mesmo que a sua mãe a respeito das moças de famílias humildes não serem adequadas para exercer. Porém, assim que tentei deixar uma entrar . Me surpreendi no final . Ela foi a melhor dama da Inglaterra - Ela conta uma boa história a sua sobrinha

 

 

 

 

__ Minha mãe acha um isso uma total piada de mau gosto. . - Ela disse a opinião da sua tia, empurrando a sua tia para que ela se afaste.

 

 

 

 

__ Jamais faça isso, Lila. Agora, eu devo fazer o que deveria ter feito antes. - Ela disse ao sentir a ofensiva da sobrinha, decidindo tirar a condição de protegida dela.

 

 

 

 

__ Você não faria isso. Eu sou da sua família Mereço tudo o que quero . - Ela entrou em estado de choque ao anotar as intenções da tia .

 

 

 

 

 

__ Deveria ter pensando nisto. Antes de ficar agindo que nem uma criança de quarto anos de vida . - Ela disse frio para a sobrinha ao lançar um olhar reprovador na sobrinha.

 

 

 

__ Isso não é justo. - Ela começando a se rebeldar .

 

 

 

 

__ É justo sim. Sou responsável por você. Está se comportando que nem uma criança mimada. Isso não condiz com uma dama da alta sociedade . A reputação da minha escola está em jogo - Ela fala séria para a sua sobrinha

 

 

 

 

__ Eu te odeio mesmo. Você é a pior tia do mundo.- Ela choraminga com raiva.

 

 

__ Pode falar o que quiser . Eu nem ligo para as suas ameaças. Está na hora de crescer de verdade. - Ela disse ao continuar a se abanar com o seu leque.

 

 

 

 

_ Eu vou contar tudo para a minha mãe. Ela vai dar um jeito em você. Vai se arrepender do que está fazendo contra mim . - Ela ameaçou a tia com um olhar assassino.

 

 

 

 

__ Bem, isso vai garantir a sua saída da minha escola. Eu estou vendo que a sua mãe estragou você. - Ela disse para a sobrinha ao abanar o seu leque na frente do rosto.

 

 

 

 

__ Que droga. - Ela se revoltou com a ameaça da tia .

 

 

 

 

__ Agora, que a discussão entre vocês já terminou ?! Pensei que nunca terminar . Posso dar o meu aviso para vocês . - O condutor disse para as duas, percebendo que elas tinham parado de discutir entre si , querendo avisar sobre a chegada deles na escola .

 

 

 

 

__ Sim, Nelson . Pode dizer, me desculpe por dar a devida atenção . - Ela disse para o condutor, abandando-se com o seu leque fino, olhando para o condutor.

 

 

 

 

__ Tudo bem. Eu somente queria avisar sobre a nossa chegada a nossa escola.Não demorar por muito tempo - O condutor começa a conduzir os seus cavalos na entrada da escola .

 

 

 

 

__ Obrigada pelo aviso, Nelson. - Ela disse em gratidão ao condutor , continuando-se a se abanar com o seu leque fino, depois o fechando com único movimento de ágil de mão.

 

 

 

[ … ]

 

 

 

 

 

 

Lila lançou um olhar irritado para a tia, por causa que ela tinhou a sua condição de protegida da escola , deixando -a profundamente irritada com a tia, pensando em escrever uma carta para a sua mãe, contando toda a sua versão para a mãe.

 

 

 

 

[ … ]

 

 

 

 

 

Depois do clima hostil passou. A carruagem das Rossi tinha finalmente chegado ao seu destino final, parando em frente a entrada , assim que a carruagem parou . O condutor saltou para desembarcar da carruagem, correndo para abrir a porta para que as passageiras desçam .

 

 

 

Enquanto isso, o vice- diretor e o seu assistente pessoal , vieram para receber a diretora e a sobrinha que tinham chegado aquele momento. Vendo a sobrinha se afastando de mau humor. E a mulher respirou profundamente , balançado negativamente a sua cabeça .

 

 

 

[ … ]

 

 

 

 

 

 

 

__ Bom dia, senhoritas Rossi. Estamos aguardando com ansiedade a chegada das duas. Estamos animados com o ano letivo deste ano - Ele saudando as duas récem- chegadas, dando um sorriso de boas – vindas para as duas.

 

 

 

 

__ Bom dia, conde London. Bom dia, Henrique. Eu estou muito feliz com as boas – vindas. Me desculpem o mau comportamento, é que eu tive uma discussão feia com a minha sobrinha , que decidiu bancar a rebelde hoje. - Ela disse cordês para os dois homens que tinham recebido tão bem

 

 

 

 

__ Ignore isso, minha senhora. Ela tem muito o que aprender.A sua sobrinha não é mais uma criança . Como ela vai virar uma dama respeitada se comportando deste modo tão impróprio - Ele disse para a diretora ao fixar o seu olhar nos olhos da colega .

 

 

 

 

__ Sim, mas eu retirei a condição de protegida dela. Eu quero que a tratem com uma aluna comum. Talvez isso sirva de lição. Também a proibam de enviar cartas para a minha irmã para reclamar do castigo - Ela disse para o vice – diretor

 

 

 

 

__ As suas ordens são os seus desejos mais sinceros para mim. Eu farei isso Estou a todo ouvidos . - Ele aceitou as ordens da diretora ao prestar uma referência para a senhora.

 

 

 

 

__ Bem, reúna as alunas no pátio da escola. Eu tenho um anúncio importante para fazer. Isso precisa ser ouvido por todas - Ela ordenou para que o senhor reúna as alunas, começando a caminhar para dentro da escola.

 

 

 

__ Claro que sim. Mas você vai esperar pela sua sobrinha. Sempre faz isso cada ano letivo . - Ele perguntou educadamente vendo a diretora entrando na escola.

 

 

 

 

__ Não, depois de tudo o que ela fez para mim. Ela que se vire. Não é mais minha protegida. - Ela respondeu frio para o vice – diretor ao começar a adentrar a escola , olhando para frente.

 

 

 

 

__ Sim, minha senhora. - Ele aceitou a resposta fria da diretora , assistindo a sua entrada na escola.


 


 


Notas Finais


me desculpe por algum erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...