1. Spirit Fanfics >
  2. Deliveryman, babictor >
  3. Ten

História Deliveryman, babictor - Capítulo 10


Escrita por: 94sbieber

Capítulo 10 - Ten






🦋 ━━━ *ೃ BÁRBARA PASSOS



— Eu superei Victor. Sinceramente, ele é um idiota. — Chloe suspira enquanto ela gira sua colher em torno de seu yogoberry


Já se passou uma semana desde o incidente com o Victor.  


— Ele não falou com você desde então? — Eu pergunto e ela balança a cabeça imediatamente.  


— Deus, eu não saberia o que fazer se nos falássemos de novo. — Ele geme em resposta 


— Bem, talvez você devesse falar com ele. Vai que ele tem um motivo válido? — Eu sugiro.  


Chloe me encara e minhas bochechas ficam vermelhas.  


— De que lado você está? — Ela me encara.  


— De ninguém. 


Por que eu estava defendendo o Victor? Na verdade por que eu estava aconselhando a Chloe a voltar para o Victor? Não suporto os dois juntos, mas por alguma razão algum pressentimento está me dizendo para juntar os dois novamente.  


— Quer saber? — Chloe me tira dos meus pensamentos.  — Eu vou falar com ele.


— Jura? — Eu pergunto em descrença.  


— Sim. na verdade vou mandar uma mensagem para ele vir aqui agora. — Diz ela com confiança 


— Apenas certifique-se de não ter nenhuma substância ao seu redor que possa facilmente despejar em Victor. — Murmuro.




Vinte minutos depois Chloe suspira alto chamando minha atenção.  


— Ele está aqui. Bárbara, entre na loja da yogoberry — Exige Chloe.  


— O que-


— Anda! — Ela agarra meu braço e me empurra para a loja de yogo.  


— Bem-vinda a Yogoberry. Oh, espere, você não estava aqui há vinte minutos? — O trabalhador atrás de mim pergunta.  


Eu me viro e vejo um adolescente da minha idade usando um boné do 'mundo yogoberry'.  Ele tinha olhos claros e devo dizer, cabelo loiro sujo perfeitamente bagunçado. E devo acrescentar, ele tinha um ótimo rosto 


— Sim, minha amiga meio que me empurrou para cá. Ela quer ficar sozinha com um babaca — Eu explico. — Posso ficar por aqui? Mesmo que eu não compre nada?


— Claro. — Ele dá de ombros e eu me sento a uma mesa perto da janela.  


Observo Chloe brinca com seu colar enquanto Victor fala.  Ele usa suas mãos para gesticular a história e em seus olhos você pode dizer que ele está dizendo a verdade completa.  


— Com licença? — O mesmo cara pergunta atrás de mim, eu pulo um pouco com a surpresa.  


— Sim? — Eu pergunto.  


Ele não estava mais com o chapéu, apenas com o avental agora.


— Você se importa se eu me sentar com você? — Ele pergunta.  


Balanço minha cabeça e ele se senta na minha frente.  


— Gabriel, mas pode me chamar de Mount — Ele estende a mão para eu apertar


Logo aceito com prazer


— Bárbara.


— Nome bonito. — Ele sorri. — Então, quer me dizer por que você está olhando pela janela para o casal ali? 


Quem era esse garoto? meu psicólogo?


— E-e não estou tentando ser invasivo — Ele logo se explica. — Acabei de ver você sentada sozinha e estou de folga, então pensei que você poderia falar com alguém. 


— Está tudo bem, e eles não são um casal  — Eu digo. — E a garota é minha melhor amiga. O cara, eu não sei o que ele é para mim. 


— Entendo. — Mount concorda.  


— Você parece realmente intrigada com o que eles estão falando


— Posso reclamar? — Eu o interrompo. — Meu melhor amigo viajou para fora com um menino e eu não tenho mais ninguém para desabafar.  


Ele balança a cabeça e eu solto um suspiro profundo.  


— Eu conheci aquele cara lá na pizzaria. Resumindo, eu acidentalmente disse que o amava quando desliguei o telefone e ele me deu seu número e eu pensei que ele gostava de mim e tudo mais, então eu meio que tive essa ideia na parte de trás da minha cabeça que eu gostava dele também, mas então minha melhor amiga, Chloe, gostou muito dele e eles foram a um encontro e uma merda estranha aconteceu e ela está brava com ele. Mas eu disse a ela para falar com ele, e então  eles poderiam resolver as coisas, mas por que eu diria isso se talvez eu meio que gosto dele? Eu sei, eu sou uma bagunça. 


Mount me olha com os olhos arregalados e a boca ligeiramente aberta.  


— Você fala muito rápido.


Eu rio e minhas bochechas começam a esquentar.  


— Sim, é uma dádiva divina. — Eu brinco.  


Ele ri junto comigo


— E de volta à sua história, como é que sua melhor amiga saiu com o cara que você talvez goste? Isso não é contra o código feminino ou algo assim? — Ele pergunta.  


— Eu disse a ela que não estava com ciúmes — Murmuro. — Mas é só porque ela tem esse charme que faz você sentir pena dela. Ela nunca teve um namorado e ela me disse que realmente gosta dele, então eu me apeguei a isso. Eu acho que ela realmente gosta dele. 




Mount e eu conversamos por um boa meia hora. Aprendi que ele gosta de jogar, ler, odeia seu trabalho e que está no último ano do ensino médio como eu. E que ele realmente despreza Chloe por roubar "meu homem". 


O estranho é que nunca desabafei com a Chloe como fiz com um garoto que conheci há 30 minutos. 


— Sei que é um mau momento, mas. — Diz ele e aponta para a janela. 


Viro a cabeça e vejo Victor e Chloe de mãos dadas e ele estava beijando a testa dela. 


Alguém passou um álcool e derramou sobre meus olhos? Não sei porque as lágrimas se acumularam aqui


—  Você está bem? — Mount pergunta enquanto pega minha mão e entrelaça na suas. 


— Sinceramente? — Pergunto.


— Sinceramente 


— Não, eu não estou bem — Eu suspiro.  


Eu sou uma adolescente estupida.


— Ei, venha aqui. — Sussurra Mount.  


Eu não conheço esse garoto mas basicamente contei meus problemas a ele e ele ouviu. Ele merece um abraço.  


Eu me levanto e ele também e logo seus braços me envolvem 


— Você vai ficar bem — Diz Mount.  — Lembre-se, amanhã é sempre um novo dia. 


— Você com certeza sabe fazer uma garota sorrir — Digo sorrindo suavemente


 Mount coloca o chapéu de volta na cabeça gesticulando que vai voltar ao trabalho. 


— Vejo você por aí, Bárbara. — Ele sorri e me da um último abraço. 


Um pouco antes de ele sair eu rapidamente coloco um beijo em sua bochecha, ele olha para o chão e vejo um sorriso se formando em seu rosto. 


— Até mais. — Eu aceno e abro a porta da loja


 Chloe logo me nota. 


— Ei, melhor amiga! — Ela acena. 


Hm, pela primeira vez eu percebi como a voz dela pode ser irritante. 


— Ei. — Eu aceno de volta. 


— Não é ótimo? Victor e eu nos resolvemos — Ela sorri brilhantemente e o beija.  


Sim ótimo, o marmita e a marmota


— Sim. — Digo simples — Estou feliz por vocês dois.


— Obrigado. — Victor fala —  Você estava conversando com o garoto do iogurte. 


— Sim


— Você pegou o número dele? — Chloe sussurra para mim. 


Claro, eu sabia que tinha esquecido de pegar o número dele.


— Ei, Bárbara! — Eu ouço alguém atrás de mim me chamar. 


— Aqui. — Mount me entrega um pedaço de  papel com o número dele. — Me mande uma mensagem.


— Vou mandar. — Eu sorrio e ele me dá um abraço rápido antes de correr para dentro para voltar ao trabalho. 


— Droga, ele é uma gracinha — Chloe sussurra.  


— Haha sim — Eu respondo sem jeito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...