História DEMÔNIO(ou não) EM FORMA DE COELHO! - IMAGINE JEON JUNGKOOK - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Imagine Jeon Jungkook
Visualizações 504
Palavras 2.759
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Festa, Luta, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~ ESPERO QUE GOSTEM~

~ PERDOE-ME OS ERROS ORTOGRÁFICOS NÃO CORRIGIDOS

~ BEIJOS ARMYS!

Capítulo 1 - Capitulo Um


~S/N

Aqui estou eu, S/N, chorando muito após chegar do enterro da minha avó materna, ela havia infartado no seu cursinho de tricô. Ela era realmente muito importante na minha vida desde de sempre, ela me cuidou desde meus 5 anos quando perdi meus pais em uma acidente de carro. Tenho meu avô que acabara de ficar viúvo, ele esta descansando em seu quarto, mas quase nunca foi presente em casa, sempre viajando por ser caminhoneiro, quando ele consegue ficar em casa isso acontece. Bem, minha vida é realmente um lixo, perdi meus pais em um acidente de carro há 12 anos atrás e atualmente tenho 17 anos (terceiro anos do ensino médio), tenho um irmão mais velho que desapareceu há 13 anos atrás. Meus avos paternos faleceram a mais ou menos 2 anos atrás em um acidente de trem quando iam para uma viajem só deles. E pra piorar tem um ser, na verdade 7 seres, que me tratam como lixo: me maltratam, me xingam, me excluam, faz bullying com a minha pessoas, etc... Principalmente o mais novo deles, Jeon Jungkook, ou restantes dos amigos desse ser não me incomodam o tanto que ele me incomoda, é irritante, ele se acha deveras, é cruel, ignorante, chato... mas se eu dizer algo é possível que ele parta para agressão física pois ele se acha o fodão com seus amigos, eles são tudo um bando de galinhas que quebram corações, mas tenho que admitir que são bonitos e talentosos, mas o que tem de bonito tem de idiota.

Com esses pensamentos nada agradáveis acabo dormindo, mesmo estando de olhos inchados, nariz vermelho e muita dor psicológica.

_

~Jungkook

Sempre tem aqueles que dizem que não é possível ter a vida perfeita, mas É possível e eu tenho essa vida, sou lindo e maravilho, sou muito rico, tenho pais famosos: minha mãe é uma modelo muito conhecida na Coreia do Sul e em algumas partes do mundo, meu pai é advogado que a maioria das pessoas contratam, mas com esses trabalho eles quase nunca estão presentes em casa, eu não me importo tanto, falo pela irmã caçula Jeno ela tem apenas 6 anos e é a coisa mais importante na minha vida, eu mataria quem encostasse um dedo nela. Bem, atualmente tenho 18 anos(terceiro anos do ensino médio) odeio estudar, mas vou para escola por que lá tem meus amigos e minha preciosa reputação e também tem aquela nerd mimada que eu adora irrita-la.

_

 

~S/N

SEGUNDA-FEIRA/ SEUL n/ COREIA DO SUL/ 06:11 PM

Acordo lentamente com o barulho irritante do despertador, mas sou pobre não irei taca-lo na parede.

Me levanto sem animo e vou até o único banheiro da pequena casa de meu avô, tomo um banho rápido e volto ao meu quarto.

 

 

Ponho o uniforme escolar, mas como sempre, ponho meia calça escura. Arrumo meu cabelo e deixo solto, faço uma maquiagem fraca pois não quero parecer igual as vadias da escola que se enchem de maquiagem.

Pego meus matérias e arrumo na minha mochila e vou até a cozinha/sala de estar e vejo ela vazia, respiro fundo e penso que, se minha avó estivesse viva ela estaria preparando meu sanduiche, mas em vez disso o ambiente esta vazio.

Pego uma maça na geladeira e vejo que em cima da mesa esta um papel de meu avô e nele estava escrito:

S/N, estou viajando a trabalho, volto em menos de 1 semana.

O teu vovô te ama muito.

Suspiro, um senhor de 54 anos trabalhando exaustamente para o melhor de sua neta fracota.

Arregalo os olhos ao lembrar da entrega de bolentins na escola, e meu responsável não estará presente, mas volto ao normal ao pensar em mina notas, eu tenho ótima notas e por isso sou considera a nerd da escola.

Saio de casa, trancando a porta e pondo a chave no bolso.

Eu estava horrivelmente destruída, e para piorar a situação a escola estaria cheia de pais repreendendo e elogiando seus filhos.

*Espero que Sue já tenha voltado de viajem

Pensei enquanto caminhava para escola. Sue é minha melhor amiga desde que eu entrei no fundamental, ela tem uma vida boa e é filha do diretor da escola, ela é o contrario de mim, ela é decidida, bonita e super legal e boa me fazer amizades só que ela tem uma paixonite por uma dos amigos do ser que eu odeio, mas deixando isso de lado ela sabe por tudo o que passei e sempre me ajudou, mas de uns tempos para cá ela esta me deixando de lado e conversando mais com a Kyuna a piranha da escola, não que eu seja ciumenta mas a Kyuna não é flor que se cheire e para Sue eu só quero o melhor pois ela me ajudou a superar uma depressão que eu tive nas férias do ano passado.

Nesse final de semana ela viajou com os pais para a china(seu pais natal) para ver sua tia.

Parei de pensar na Sue pois havia chegado a escola, que tinha muito mais gente que de costume.

Eu passava despercebida entre os pais e alunos, estava indo para minha sala mas ouço um grito abafado que apenas eu ouvi, começo a subir as escadas para o terraço onde ouvi o “suposto” grito.

Vejo que a porta do terraço esta aberta, mas era proibido ir lá e então estava a dar meia volta, quando escuto uma conversa.

???: Me solta tio, me deixa ir embora... – falou uma voz chorosa

*Uma criança? – pensei

???: Garotinha, você é muito fofa, adoraria estragar esse corpinho todo. – falou uma voz conhecida –

*Raiki? – pensei

Raiki é um cara metido com drogas, como toda a escola comenta.

???: Sai de perto de mim..- falou chorando

Ela iria estuprar aquela garota e não podia deixar.

Corri até o terraço, onde vi ele lambendo a bochecha da menina, aquela cena era horrível e me subiu um ódio enorme.

S/N: Solta ela seu maldito! – empurrei ele de perto dela

Raiki: Quem tu pensa que é pra me mandar, hein nerd? – falou cínico

A menina veio atrás de mim, pegando em minha cintura, ela estava tremendo de medo e com isso mais ódio me subiu no sangue.

Quando ele estava chegando perto iria dar um tapa em sua cara mas ele segurou meu pulso machucando-o.

Raiki: Você não passa de uma fracota idiota, tenho pena da sua mãe por parir alguém como você. – falou cínico e doido

Meu pulso esta latejando de dor pela força que ele apertava, a menina estava chorando e tremendo, ouvi ela dizer.

???: Me salva. – implorou

Não aguentei e dei um chute no meio das pernas do cara, que caiu no chão de dor.

Peguei a menina que aparentava ter uns 6 anos no colo e sai correndo do terraço.

Estava nos degraus quando aquele cara levantando na porta com um olhar mortal estava vindo em minha direção com dificuldade.

A menina se abraçou em meu pescoço e comecei a correr. Cheguei nos corredores onde não havia ninguém,  a reunião de pais havia começado, corri mais um pouco e olhei para trás e aquele cara estava com uma cara de assassino para cima de mim.

Corri mais com meu pulso doendo, não aparecia ninguém e aquele cara ainda persistia, ele estava focado em mim e não na menina.

S/N: Menina vou te botar no chão e tu corre e foge. – falei para ela

Menina: E você tia? – perguntou preocupada

S/N: Ninguém vai se importar se eu me machucar ou não. – falei apenas

Menina: Eu me preocupo! – falou

Não falei nada e deixei ela no chão e ela saiu correndo e desapareceu da minha vista, eu parei de correr por eu não sou tão atlética assim.

Sinto que sou prensada na parede, era Raiki, ele tinha um olhar sedento em minha.

Raiki: Você vai se arrepender. – falou cínico

Ele se aproximava da minha face, já estava sentido meus olhos arderem e com isso fechei os olhos, fazer o que eu que provoquei isso em vez de correr mais, ele estava perto da minha boca, eu iria perder o bv e de presente a minha preciosa virgindade.

Só que não veio e senti que ele se afastou, ou melhor, alguém o afastou de mim.

Escorreguei pelos armários onde ele tinha me prensado, nem vi quem me afastou dele, apenas pus a mão em meu rosto me lembrando de algo nada agradável em minha infância. Senti as lagrimas em minhas mãos.

*Por que não continuei a correr?  - pensei

Minha respiração estava descompassada, minhas mãos tremiam e a lembrança insistia a me perseguir mas fui tirada dessa lembrança por mãos pegando minhas mãos senti um choque em meu corpo por esse toque. Abri os olhos lentamente, me deparando com o demônio em fora de coelho: Jungkook.

Quando percebi que era ele, soltei minhas mãos das deles e senti um vazio em mim.

Menina: Moça ta tudo bem? – perguntou a menina

Assenti.

Jungkook: Espera, ela te salvou? – perguntou apontando para mim

Ele se levantou olhando para a menina.

Menina: Sim, foi essa moça bonita que me salvou. – falou e me abraçou no pescoço

Eu estava escorada nos armários e ela veio e me abraçou gentilmente, o moreno ficou espantando pelo comportamento da menina.

Jungkook: Jeno você esta dizendo que essa fracota te salvou e você ainda acha ela bonita? – perguntou sarcástico

E eu ficava apenas quieta e com isso descobri que o nome da menina é Jeno

Jeno: Ela me salvou sim! E ela é muito mais bonita do que aquelas que tu trás para casa. – falou me abraçando mais

Ele me olhou irritado pela aproximação da menina comigo.

Jungkook me olhou e falou.

Jungkook: Vamos embora Jeno, nossa mãe e pai nos esperam. – falou pegando na mão da menina

Jeno: Obrigado moça. -  ela se curvou

Eu curvei minha cabeça e vi eles desaparecerem no corredor. Suspiro e me levanto pensando onde é que Raiki foi parar, mas deixo de lado e vou para sala já que meu responsável não esta aqui. Cheguei na sala onde não tinha ninguém, fui ate minha mesa e me sentei tirando meu caderno e estojo e assim começo a rabiscar algo.

Faço desenhos de como estou me sentindo ultimamente, realmente estava difícil viver com todas as dificuldade que tinha, eu já estava confusa sobre tudo antes de minha avó morrer e piorou quando ela se foi, já não tinha mais sentido na minha vida e eu não estava suportando isso mas tinha que ser forte pelo meu avô ele é tudo o que eu tenho.

Não havia percebido, mas o sinal do intervalo e para o termino da reunião havia tocado, agora eu ficaria pior pois os pais dos outros alunos iriam conversar nos corredores e eu ficaria só. Fechei o caderno e guardei os lápis e sai da sala indo até o corredor e chegando lá tinha poucos pais, mas chegando no refeitório estava cheio, as mesas ocupadas por pais e alunos.

Fui até a merendeira e pedi um sanduiche, paguei e procurei um lugar e nada, todos ocupados. Estava passando pela mesa do demônio coelho, quando a pequena Jeno segura meu pulso levemente.

Jeno: Essa foi a moça que me salvou. – falou sorrindo para mim

Uma mulher muito bonita se levantou e ficou frente a mim, e o idiota do Jungkook saiu da mesa irritado e foi até um de seus amigos.

Mulher: Eu agradeço  por ter salvado minha filha daquele garoto idiota. – falou a mulher com muita formalidade na fala

S/N: Esta tudo bem senhora, não foi nada de mais e na verdade quem salvou-nos verdadeiramente foi o Jungkook. – falei sinceramente

Mulher: Oh sim, Jeno me falou mas, se você não estivesse passando por lá minha querida filha estaria em problemas, nem gosto de pensar nisso. -  falou

O homem da mesa se pronunciou.

Homem: Querida, a convide-a. – falou apenas

Mulher: Oh sim, S/N é seu nome né? – perguntou e eu assenti – Pois bem, quero te convidar para um janta em minha casa hoje a noite, para comemorar as milagrosas notas de meu filho. – falou gentilmente

Fiquei assustada pelo seu pedido.

S/N: Não sei se poderei aceitar e além do mais não quero estragar o clima familiar. – falei mexendo as mãos abertas em sinal de ‘não’

Mulher: Não seja por isso, convide seus pais! Está decidido, você ira sem falta, aqui esta meu endereço... – me entregou um pedaço de papel

Ela estava indo embora e eu apenas olhava o endereço o reconhecendo.

Mulher: Você deve conhecer meu filho não é? É seu colega, certo? – perguntou

Finalmente reconheci aquele endereço.

S/N:  O Jungkook, certo? Creio que não poderei ir não somos tão amigos e não temos uma relação boa. – falei encontrando as palavras certas para não dizer que ele faz bullying comigo –

Mulher: Mas ele fala tanto de você quando estou em casa... – falou confusa

S/N: Não deve ser boa coisa então, mas eu não tão ruim como ele fala. – falei olhando para baixo

Mulher: Ruim? Ohh, entendi, pois bem, por favor apareça lá em casa a Jeno ficara feliz. – falou olhando sua filha com seu marido na porta da cantina

S/N: Tudo bem, tentarei ir... – falei apenas

Ela sorriu e foi embora, e eu me sentei-me na mesa começando a comer meu sanduiche, e agora ficava a duvida se iria pra casa do demônio ou não, e eu estava curiosa do que ele falava para seus pais. Enquanto pensava nisso, a voz do diretor foi ouvida nos holofotes da escola e ele estava dizendo:

~Alunos o restante da manha foi dispensado, poderão ir para casa.~

Falou e sem muita demora fui para sala, mas chegando lá tive uma cena muito peculiar.

Taehyung, um dos amigos do demônio coelho estava chorando em silencio e ele nem me notou, mas me procunciei.

S/N: Esta tudo bem, Taehyung? – perguntei receosa

Assim que ele ouviu minha voz ele secou as lagrimas na roupa e pôs uma cara seria na face.

Taehyung: Por que falaria da minha vida pra você? – falou frio

Suspirei e fui ate minha mesa, arrumando os meus matérias, peguei minha mochila e pus nas costas e falei.

S/N: Você estava chorando, VOCÊ, um dos populares e isso é estranho – falei apenas

Estava quase saindo da sala, quando ouço sua voz.

Taehyung: Me ajude! – falou levantando da mesa dele virando o rosto para não ter contanto visual comigo

Não acreditei em suas palavras.

S/N: C-como? – perguntei assustada

Ele suspirou pesado.

Taehyung: Minhas notas em matemática foram horríveis e meu pai vai me tirar tudo se eu não passar de ano, me ajude. – pediu

*Merda! – pensei

Ele também pode ter me feito mal, mas lembrei-me das palavras de minha avó

FLASHBACK ON – 3 ANOS ATRAS

Mas um dia se passou naquele inferno chamado escola, e como sempre chego em casa chorando pois sabia que meus avós estavam trabalhando, mas naquele dia não. Minha avó estava em casa.

Avó: Minha querida, o que aconteceu? – perguntou assustada

Não aguentei e abracei ela.

S/N: Não estou aguentando vovó, aquele menino e seus amigos que eu te falei sempre me fazem mal queria que eles sumissem!          . – desabei em lagrimas

Avó: Quer um conselho, ‘o primeiro passo para você ser feliz,é não desejar mal ao próximo’, então não deseje isso a eles. – falou

S/N: Mas eles me fazem tão mal, principalmente o mais novo deles. – chorei mais

Avó: Ignore-os, você é uma garota forte, não ligue para eles apenas não deseje para eles o mal pois assim você se tornara igual a eles. – falou e me beijou a testa

FLASHBACK OFF

“O primeiro passo para você ser feliz,é não desejar mal ao próximo.”

S/N: Te ajudarei, Taehyung. – falei

Ele me olhou surpreso por eu aceitar, ele pensava que eu não iria aceitar depois de tudo o que ele fez comigo.

Taehyung: S-serio? – perguntou espantando

S/N: Sim, estou falando serio, eu te ajudarei, estarei esperando você decidir onde estudar, ah, acho que não preciso passar meu numero, né Tata? – falei brincando

(Chamei ele de Tata por que ele me fez um trote pelo telefone e fingiu que seu nome era Tata)

Ele riu baixo, e assentiu com a cabeça.

Sai da sala e pensado se me arrependeria depois.

Fui para casa e chegando na mesma decidi ir no jantar que a mãe do demônio coelho me convidou, preciso me divertir a minha avó queria isso que eu tenha uma vida feliz, pode ser difícil, mas tentarei ao máximo deixar minha avó feliz pois eu sei que ela esta me observando de algum lugar do céu, eu posso sentir.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...