1. Spirit Fanfics >
  2. Demônios do sono >
  3. Cap II

História Demônios do sono - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Eu nunca sei oq colocar aq entt

Capítulo 2 - Cap II


Fanfic / Fanfiction Demônios do sono - Capítulo 2 - Cap II

Eu acordo com o som de um galo na minha janela.

- Mas que...

Ouço bicadas na janela, e me levanto da cama para abrí-la. Eu a abro e vejo o galo da vizinha parado na minha frente.

Eu olho pra ele. Ele olha pra mim. Eu coço os meus olhos, e o galo não pretende ir embora. Após encarar o animal com cara de sono por alguns segundos, percebo que ele realmente não vai sair dali e chamo a vizinha.

- SENHORA SOUSAAAAAAAAAA! – eu grito com a cabeça pra fora da janela, e o animal se senta na plataforma, ao lado de algumas flores.

- ah, Glenn! – a minha vizinha, que já é bem velha, me dá um sorriso enorme e eu sinto o cheiro do café que vem da sua casa. – por que me chama à essa hora da manhã?

- o Jorge está na minha janela de novo. – eu falo bocejando e coçando meus olhos.

- Oh, me desculpe! Jorge, vem cá. – ela pega seu galo de volta e fecha a sua janela. Eu faço o mesmo.

“Que jeito perfeito de acordar...”

Eu vou até o banheiro, e me encaro com cara de sono no espelho por alguns segundos. Eu coço os olhos e lavo o meu rosto.

“Terça-feira.”

Depois de tomar banho, paro de novo na frente do espelho só de toalha e me encaro por um tempo.

“Se eu não assistisse meu banho todo dia, eu também ia achar que era mulher.”

Depois que eu penso, viro meus olhos pra uma bolsa de maquiagem em cima da minha pia.

- Não adianta querer que as pessoas percebam que é menino se você se maquia todo dia pra ir pra escola, Glenn. – eu aponto pro espelho, me dando uma bronca. – ah, quer saber? Foda-se.

...

- Que sonho esquisito... – Vic olha pra baixo com a mão no queixo enquanto tenta achar um significado pro sonho.

- Né?

Eu tinha cochichado para Vic sobre meu sonho durante a aula, e ela escutava com atenção.

- Sonhar com silhuetas não quer dizer coisa boa... – ela fala baixinho pra mim enquanto a professora cuspia palavras em inglês sem motivação nenhuma.

- Glenn. – Lucas, que sentava atrás de mim cutuca minhas costas. – o Ander tá perguntando do que vocês estão falando.

- Manda ele ir à merda. – eu falo para o menino que senta atrás de mim e ele ri.

Vic me diz que tem algo sobre sonhar com silhuetas na religião que ela praticava. Eu não sabia, e ainda não sei nada sobre essa religião, então deixei ela me dizer.

De acordo com ela, essa sombra escura pode ser um espirito finado tentando se comunicar, também pode ser um espirito maligno tentando me atormentar, mas também pode ser só um pesadelo aleatório.

- eu não entendi.

- espera mais um tempinho. Se o sonho se repetir várias e várias vezes, você me avisa. – ela me dá a dica, e nós dois fingimos escrever algo sobre a matéria no caderno porque a professora estava olhando.

- Ei. – eu sou cutucado nas costas, e quando viro pra trás, vejo Ander sentado atrás de mim.

- O que você fez com o Lucas?

- calma, gata! A gente só trocou de lugar... – eu olho para trás e vejo Lucas segurando uma nota de 20 reais.

- o quê que foi?

- Do que vocês conversam?

- por que você quer saber?

- sei lá. Estou tentando puxar assunto!

- Ander, eu já disse que eu-

- a aula é inglês. Não conversação. – a professora chama nossa atenção, e eu me viro de frente novamente, e passo o resto da aula inteira ignorando o menino irritante atrás de mim.

No intervalo, me sento em um banco na quadra da escola ao lado de Vic.

- você tem que achar uma forma de conversar com essa sombra. – Vic diz enquanto eu mordo uma maçã.

- mas eu nem sei se é mesmo um espirito! E outra, essas coisas nem existem...

- Você não é daqueles “ver pra crer”? Então, você já viu, só falta crer.

- Você fala tanta asneira... – eu rio e ela faz cara de irritada.

- Eu acho que ter pesadelos é só o teu corpo te atormentando. – eu olho para o outro lado e vejo Ander.

- Ander, sai daqui. – eu falo engolindo a raiva e me virando para Victoria de novo.

- eu só quero ajudar... me deixa ser teu amigo! – ele pega no meu braço, fazendo nossos olhos se encontrarem.

- Tá bem. – eu suspiro e ele sorri.

- Eu disse pro Glenn que podem ser três coisas....

Vic explica a situação para Ander, que escuta atento.

Enquanto a luz do sol e o cheiro de suor dos jogos dominavam a quadra em que estávamos, tentávamos achar uma solução para derrubar a “silhueta”.

- Existe algo chamado “sonho lúcido”. Já tentaram isso? – Ander encontra uma solução possível.

- Não... A gente vai tentar depois. – Vic discute com Ander enquanto eu apenas observo.

- foi só um sonho! – eu me intrometo na conversa dos dois. – só aconteceu uma vez! Provavelmente um pesadelo. Não foi nada!

- Você tá dizendo isso mas não sabe se vai sonhar com ela de novo. – a amiga morena insiste que meu sonho tinha algum significado.

- Por que eu não vou! Foi só um pesadelo e acabou!

- Bem... – o menino irritante sentado do meu lado esboça a sua opinião. – na verdade, sonhos são como “filmes” que o seu cérebro produz pra te manter entretido enquanto dorme. É por isso que muitas vezes você não consegue lembrar da maioria deles, eles não são importantes. Se você se lembra desse sonho inteiro, é porque ele significa alguma coisa.

Nós olhamos o garoto falar coisas que fazem sentido com os olhos arregalados e a boca aberta.

- Eu achei que você era burro! – Vic diz com uma mão no peito e uma expressão de surpresa, me fazendo soltar uma risada.

- A burra aqui é você por não saber disso. É tipo, uma informação comum... – o ruivo faz cara de nojo para minha melhor amiga, e eu só consigo rir.

- Você me chamou de quê?

- de burra.

- ah, vá a merda, Archie Andrews.

Os dois começam a brigar, me fazendo entrar no meio. Os dois cuspiam xingamentos e frases fúteis, e eu me concentrava em não perder a cabeça.

O sino do final do recreio soava pela escola, e eu me levanto em direção à minha sala. Os dois não paravam de discutir, só seguiam seu caminho atrás de mim, falando coisas ofensivas um para o outro bem alto.

No fim das aulas, eu volto pra casa a pé, e por algum motivo que não me lembro agora, eu estou acompanhado de Ander e Vic.

- eu falei que nossa relação ia mudar. Eu já tô indo até na sua casa! – o menino com casaco de time tira a mão da nuca e coloca seu braço sobre a minha cintura.

- isso é assédio. – eu tiro sua mão do meu corpo com raiva e ele levanta as mãos em um sinal de paz.

- calma, calma... eu não faço nada que você não gostar...

- Eu não gosto quando você respira. – eu falo friamente e Vic ri alto, enquanto Ander abaixa a cabeça.

Eu abro a porta da minha casa para meus convidados entrarem, e assim eles fazem. Eu os encaminho para o meu quarto, e peço para que se sintam em casa. Vou até a cozinha trazer algo para comermos e escuto sons de briga vindo do quarto.

- O que caralhos estão fazendo? – eu abro a porta com força e vejo Vic em cima de Ander, que está com o rosto vermelho.

- esse arrombadinho fica repetindo que vai namorar você. Eu não aguento mais ouvir a voz dele. – minha melhor amiga diz enquanto distribui tapas no peito do meu outro convidado.

- Lá de baixo parece que vocês estavam transando.

- QUE NOJO! – os dois repetem em voz alta e se afastam, se olhando com nojo e desprezo.

- nem era esse o ponto. A gente veio aqui pra falar sobre essa sombra.

- não tem nada pra falar! Eu só queria ver um filme com a minha amiga, e com o menino que me persegue na escola. – eu falo colocando salgadinhos em cima da mesinha.

Ander e Vic insistiam em falar sobre o sonho estranho, e eu não conseguia entender porque eles achavam isso tão importante. Era só um sonho. Só um sonho...


Notas Finais


Eu vou colocar esse emoji em tudo agr
🛐


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...