História Demons - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, Nina Dobrev
Visualizações 158
Palavras 4.033
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


SIM, EU SOU UMA PÉSSIMA PESSOA E NÃO MEREÇO VOCÊS HUEHUHEUHE

Obrigada pelos quase 30 comentários! Significa muito para mim.

Gente eu, AMO. AMO. AMO, esse capítulo, espero que vocês compartilhem dessa paixão também!

Capítulo 16 - O Jogo Começou


Fanfic / Fanfiction Demons - Capítulo 16 - O Jogo Começou

 

"Não preciso de razão, não preciso de rima 
Não tem nada que eu preferiria fazer  
Descendo, é hora da festa 
Meus amigos também vão estar lá 
Estou na rodovia para o inferno"
 


Atlanta, Geórgia - USA   
03:42 AM 
P.O.V. Katherine Bieber 

-Puta que pariu, que nojo- Gargalhei da expressão de Beatriz, quando Caitlin vomitou pela quarta vez

-É VOCÊ QUE ESTÁ COLOCANDO AS TRIPAS PARA FORA CARALHO?- Assim que seu ar voltou, Beadles respondeu amargamente. 

Me sentei no chão ao lado de Milk sentindo minha cabeça latejar, tudo girava e a única coisa que eu poderia afirmar era que nunca havia ficado tão louca.  Caitlin fechou a tampa do vaso sanitário e saiu da cabine se colocando ao nosso lado, ela encostou a cabeça em meu ombro. 

A música ao fundo  da boate fazia com que nosso estado fosse perfeito para propaganda contra o álcool. Fechei os olhos tentando falhamento fazer a tontura passar, meus pensamentos foram interrompidos quando uma garota abriu a porta do banheiro.  

-Vaza - Caitlin e sua educação.  

-Vocês não são as donas disso aqui - Beatriz soltou o ar me fazendo abrir os olhos.

- Prazer, mulher do Ryan, Irmã do Bieber- Ela apontou para mim, observei cautelosamente a expressão da garota se tornar um pouco apavorante - E a Caitlin é só um encosto mesmo - Soltei um riso sem vida quando a morena lhe lançou o dedo do meio - Anda garota, SAI - A menina apenas abaixou a cabeça enquanto se retirava.

-Vocês vão para o inferno- Comentei segurando o riso - Mulher do Ryan, é? - Caitlin gargalhou alto me fazendo acompanhar  

- Vão se foder! - Milk, a exaltada.  

-Serio mesmo, o pau é grande ? - Segurei a minha barriga que doía devido ao último questionamento de Beadles  

-Enorme - Quando a azul se pronunciou, literalmente deitei no chão para poder respirar nos intervalos da gargalhada. 

Podem dizer que é pelo fato de não ter visto o meu irmão a noite toda, ou pelas com as garotas, mas nesse momento, estava me sentindo viva. Fechei os olhos ainda rindo, tentando apreciar cada instante dentro desse banheiro, se eu não fosse o capeta e o inferno não estivesse me esperando, diria que agora, só agora, eu adquiria uma paz reluzente.  

Abri as pupilas na intenção de olha-las no espelho, para poder observar enquanto eu me divertia a cor de meus olhos, porém a expressão de Bea fez um alarme surgir em mim 

- O que houve? - Minha pergunta fez Caitlin também se voltar a Milk 

- Ás vezes, eu queria não ter entrado nessa vida. - Franzi o cenho, não entendendo a depressão repentina. 

-Beatriz, o que foi ?- Caitlin perguntou ao depositar sua mão sobre o ombro da amiga.  

-Nada - Bea abaixou o olhar limpando uma lágrima que involuntariamente caiu.  

Eu conhecia essa expressão, eu a fazia o tempo todo. Beatriz definitivamente escondia algo crucial.  

-Preciso encontrar o Justin - A azul se levantou sem dar tempo nenhum para que eu ou Caitlin reagissimos.  

-Nós vamos atrás dela ? - Caitlin perguntou sem nenhuma vontade aparente  

Pela Beatriz eu talvez fizesse um esforço para me levantar desse chão, mas o fato dela estar indo atrás do meu irmão, só me desanimava . Desde muito tempo não estou me sentindo viva, e encarar o Justin automaticamente vai trazer os demônios de volta, pois foi por causa dele que eles nasceram.

Talvez eu já tenha aceitado o fato de que terei de aguentar o Bieber pro resto da vida, talvez eu já tenha entendido que isso seja uma condenação por eu ter sobrevivido aquele maldito acidente  

Mas por alguns minutos eu precisava de ar, coisa que nunca conseguiria ter com meu irmão do lado.  

-Não vamos atrás dela. -Afirmei fazendo Caitlin apenas dar de ombros 

04:44 AM 

P.O.V. Justin Bieber 

- MAS QUE PORRA É ESSA?-  Os dois levantaram o rosto totalmente assustados  

Não demorou muito para que Charles retirasse seu pau do cu de Katniss e que ela abaixasse o seu vestido . A minha maior vontade era de encher os dois de pancadas, sabem como odeio que mexam nas minhas coisas e isso inclui transar na porra da cadeira importada.

Fiz um sinal com a mão para que a puta saísse e assim ela fez como uma boa cadela, encarei meus amigos exigindo uma explicação, mas os dois pareciam estar sem saída, Somers tentava colocar seu pau na cueca mas enfrentava dificuldades devido a ereção 

-Cara, dá pra você bater uma no banheiro ? - Ele revirou os olhos e caminhou ate o pequeno cômodo, Katniss apenas abaixou a cabeça  

-Eu vou beber - Ela anunciou indo para fora dali 

- O cu Everdeen, sério ? - Soltei um riso já começando a relaxar, ela apenas me mandou o dedo do meio. 

Fui ate o mini bar e fiz um drinque antes de me jogar no sofá, tudo girava e eu claramente estava bem alterado. 

-Foi mal cara- Chaz se pronunciou ao sair do banheiro indo ate o bar e se servindo - Sei o que essa cadeira significa pra você.  

Na verdade não sabe, eles apenas acham que eu tenho esse ciúmes possessório por ela só pelo fato de ser importada, mas na real, foi o último presente de meu pai.  

- Só não transe mais na porra da minha cadeira. - Falei encarando o teto que rodava - Tem vários quartos nesse caralho.  

Chaz querendo encerrar o assunto apenas saiu me deixando sozinho preso em meus pensamentos  

Senti minha barriga doer e rapidamente inclinei o corpo vomitando praticamente tudo o que havia bebido nessa noite, tossi algumas vezes no momento que uma mão começou a acariciar-me. Beatriz sorria tentando me tranquilizar enquanto eu colocava todas as minhas tripas para fora, estendi o copo para que ela me fizesse outro drinque. 

-Você está quase morrendo, quer isso mesmo ? - Assenti quando parei de vomitar  

A azul se levantou e caminhou cambaleante ate o bar, totalmente alterada eu esperava que ela fosse ate o Ryan ao invés de mim  

Me levantei em direção ao outro sofá, nem fodendo encostaria na cadeira e aquele cheiro impregnante de vômito também não era a melhor coisa. Milk se aproximou me entregando um copo e só então percebi que ela tinha servido um para si, a encarei esperando qualquer sinal do que poderia ter acontecido para esta visita repentina  

- Eu vou morrer, Justin- Soltei um riso bebendo de uma só vez o whisky  

-Todos nós vamos Bea. - Ela me encarou e naquele momento eu soube que o assunto era sério - O que aconteceu ?  

-Há alguns meses eu venho recebido umas ameaças - Isso não era algo tão anormal levando em conta nossa profissão - Você não está entendendo - Acredito que meu olhar estivesse demonstrando pensamentos pois ela rapidamente tratou de se explicar - São ameaças reais, eu pensei que poderia ser do Harry, mas não tenho tanta certeza. - Me levantei querendo encerrar o assunto 

- Você não vai morrer - É claro que ela não iria bater as botas - É normal receber ameaças Beatriz ,todos sabem o que fazemos, e tenho certeza que essas coisas pioraram depois de começar a sair com o Ryan, estou certo ? - Ela assentiu abaixando a cabeça - Se quiser eu posso investigar, mas não acho que seja necessário. - Bea sabia como desviar de um tiro como nenhuma das outras garotas, para mata-la o cara deveria ser muito bom  

-Acho que é só coisa da minha cabeça mesmo - Estendi a mão para ela que rapidamente a segurou mas antes que pudesse começar a andar Bea me puxou para um abraço  

No começo não soube como reagir mas correspondi ao toque vendo o quão necessitada ela estava disso  

Ficamos alguns segundos parados ali, era um momento raro, lembro-me de ter abraçado Beatriz umas três vezes ao máximo na vida inteira.  Quando nos separamos segurei em sua mão e juntos caminhamos para fora do escritório, ela sussurrou que iria atrás do Ryan assim que pisamos na pista de dança, apenas assenti caminhando para a área VIP.

-VAI, VAI, VAI, VAI!!! - Caitlin berrava enquanto Katherine competia com Chris 

Fechei os olhos tentando me controlar e viajar a mente em qualquer merda que não fosse minha irmã cheirando um pino de cocaína.

Caminhei rude ate o seu lado e a arranquei da mesa sem nenhuma educação, minha vontade era encher ela de pancadas, bater ate que ficasse sóbria.  Não estou sendo babaca, esse vício quase acabou com a minha vida, sei o quão ferrada Katherine é, não precisa de mais substâncias para piorar a sua situação. A joguei no sofá daquela área e comecei a respirar fundo tentando me controlar  

-Você é um ...- A cortei imediatamente 

- Cala a porra da sua boca ou eu juro que te mato - Caitlin e seu irmão se aproximaram relutantes - Qual dos dois vai levar um tiro ? - Katherine começou a rir demonstrando apenas o quão louca estava  

-Para de fingir que se importa seu maluco. - Caitlin fez um sinal para que ela calasse a boca - Deixa o Justin vir calar, não seria a primeira vez né maninho ?- A encarei pegando-a novamente pelo braço 

- Leve-a para o meu escritório, e não deixe ninguém entrar lá à não ser eu - Ordenei para o primeiro segurança que avistei antes de voltar a atenção para os inúteis dos meus amigos  

- O que ela quis dizer com "Não seria a primeira vez?"- Claro que Christian focaria nessa frase  

Pensei no que responder para a burrice de Katherine e rapidamente dei de ombros como se não fosse nada demais  

-Ela está louca, acha que tem algum sentido em qualquer merda que diz ? POR QUÊ DIABOS ELA ESTA ASSIM SEUS MERDAS? - Peguei em Chris pela camisa e o prensei na parede, se alguém iria apanhar, que seja ele ao invés de Caitlin  

-Justin, se acalma. - A morena pedia inutilmente  

-Quantas vezes eu já não falei que não quero Katherine nisso ? - Christian me encarava e apenas medo transparecia em seu olhar - ME RESPONDE PORRA - Ele tentou se soltar me irritando mais ainda e fazendo com que eu depositasse um soco em seu olho direito  

-Como que você para um Bieber ? ela quis Justin eu só..- Então o cortei dando vários socos na sua cara  

Sim eu estava alterado mas eles tinham passado dos limites deixando ela ficar daquela maneira  

Sangue começava a jorrar do rosto de Beadles, deixei que um sorriso maléfico escapasse nos meus lábios, ele merecia essa porra pelo que fez.  Chris tentava se soltar mas era inútil, o que ele sabia de tecnologia eu sabia de violência. E em alguns minutos o loiro poderia estar morto se continuasse a me irritar. Quando fui lançar mais um soco senti braços me puxarem para trás  

- Que porra você está fazendo cara ?- Christian caiu no chão assim que me arrancaram dele, observei Alfredo e Chaz me segurarem com a ajuda de Ryan  

-Katherine está praticamente babando, POR CULPA DELE - Quis partir para cima do infeliz de novo mas todos me impediram  

Caitlin se ajoelhou chorando ao lado do irmão e cuidadosamente tentou tocar nele que gemeu de dor  

Katniss foi tentar ajudá-la mas o estrago era muito feio, Ryan se colocou na minha frente e começou a falar um monte de merda que não fiz a mínima questão de escutar. Katherine estava fumando com esse bosta, que nem uma explicação razoável conseguiu me dar, talvez sóbrio eu não tivesse feito o que fiz, só talvez.  

-PARA!- Sai do transe encarando Butler - Katherine bebeu com as garotas, Chris não teve nada com isso ! - Respirei pesado sentindo minhas veias saltarem - Vai agir como animal ? - Neguei só então sendo solto pelos garotos 

- Temos que levar ele a um hospital - Caitlin estava desesperada  

-Eu dirijo, vamos - Katniss caminhou para fora do local enquanto Chaz e Caitlin levantavam o loiro 

- Vai deixar a gente passar nessa porra ? - O ódio de Caitlin era visível, Ryan me puxou para o lado dando o espaço que eles precisavam. 

Ignorei o sermão que viria de Butler e comecei a caminhar em direção ao meu escritório, minha mão doía para caralho.  

Nunca bati em nenhum dos moleques por de fato ter um certo nível de consideração por eles, mas drogar minha irmã ultrapassava todos os limites. 

Não que eu desse a mínima para ela.  

- Me dê um bom motivo para que eu não te mate agora mesmo. - Foi a primeira coisa que falei assim que adentrei no local 

Quando uma resposta sem educação não veio em seguida, procurei por Katherine a encontrando ajoelhada em frente ao vaso sanitário no banheiro, provavelmente jogando todas as suas tripas para fora. 

Bufei querendo atirar nessa garota e me deliciar com seus miolos pelo chão. 

Fui ao seu encontro sabendo que infelizmente minha fantasia não aconteceria agora, segurei em seu cabelo e me inclinei para não deixar nenhum fio solto, acariciei suas costas apenas e unicamente na intenção de que ela terminasse de vomitar logo.

Afinal, não dou a minima. 

Katherine nesse estado estava tão frágil que nem parecia ela, quer dizer, quando falamos na minha irmã, pensamos logo no inferno ou no capeta fazendo uma festa, porém, dessa forma, ela poderia ser comparada a uma garota normal que havia ultrapassado os limites em substancias ilícitas, porém, contudo, Kit Kath nunca seria alguém normal. E em partes, a culpa é minha. 

- Me solta, Bieber. - Ai está quem tanto amamos. 

E sim, isso foi minha mente praticando ironia. 

O único sentimento que possuo pela Katherine é o de desgosto. Por ter que à aguentar até o resto da minha vida. Dei de ombros quando ela gemeu, se não queria ajuda, não iria ter ajuda. 

Sai do banheiro e me sentei no sofá observando que alguém já tinha limpado onde alguns minutos atrás eu havia vomitado, inclinei o corpo para apoiar as costas enquanto esperava a animal se recompor. Fechei os olhos, pensei em Christian e no estado que ele havia saído para o hospital. 

Por algum motivo, eu faria de novo. 

Não que gostasse de ver meus amigos apanhando, longe disso. Mas o loiro havia ultrapassado e quebrado a confiança que sempre depositei nele. Afinal, se o compararmos com os garotos, Beadles era o único que ainda conseguia se controlar e pensar com a cabeça de cima. Obviamente isso não aconteceu com Katherine.

Mas quem pode o culpar? 

-  O que você fez? - Kit Kath se sentou do outro lado do escritório limpando sua boca aguada, provavelmente deveria ter lavado – Sabe Bieber, poderia parar de criar essas cenas. 

- Me desculpe? - A encarei já comecando a me irritar  

- Você não se importa comigo, poderia simplesmente parar de fazer um chilique sempre que me vê fazendo algo que não gosta. - Katherine me olhou profundamente com seus demônios em chamas - Não estou nem ai para o que você prefere, eu sou sua irmã, não sua puta. 

- Claro, minhas putas tem algo que você não tem – Apontei com a cabeça para o meu pau e ela gargalhou irônica jogando a cabeça para trás 

- Bieber, você fica duro só em chegar à dois centímetros da minha boca. Só não fodemos ainda porque eu nunca, e preste bem atenção nessas palavras : Eu nunca transaria com você - Maninha não faz isso. 

Me levantei do sofá, caminhando lentamente até onde a morena estava sentada sem cortar o olhar. Katherine havia acabado de iniciar um jogo para mim, um jogo que eu faria qualquer coisa para ganhar. 

Sim ela é minha irmã, e sim se eu fosse religioso já a teria levado urgentemente para uma exorcisão, porque com certeza essa garota é possuída por alguma coisa, mas no momento nada disso importava. Queria fazer ela ficar quieta, queria que ela engolisse todas as palavras que disse. 

E de preferencia engolisse com o meu pau na sua boca. 

Eu a odeio e isso nunca vai mudar, porém, o fato de imaginar ela gemendo meu nome e me olhando com a expressão de desejo já faz o meu pau latejar.

Talvez o céu chore, talvez o inferno comemore, mas eu a foderia até rasgar essa buceta. 

- Sabe de uma coisa Kit Kath – Sussurrei me sentando em cima dela, coloquei uma perna em cada lado da sua cintura impedindo qualquer plano que Katherine tenha de fugir – Eu adoro um jogo – Dessa vez falei baixinho em seu ouvido deixando uma leve lambida no mesmo – Eu adoro o fato de ganhar as coisas, porquê sou foda – Dei uma apertada na sua barriga com meu pau a fazendo sorrir só de perceber que ele já estava completamente duro. 

-Sabe de uma coisa maninho? - A encarei e por mais que o meu desejo fosse extremo nesse momento, Katherine permanecia estável – Eu não to nem aí.  

Ela me empurrou para fora do seu corpo me fazendo cair de bunda no chão, retirei a arma da cintura e mirei na sua testa, eu poderia acabar com isso agora mesmo, poderia simplesmente matá-la. 

05:57 AM 

P.O.V. Katherine Bieber 

Dizer que eu não estava mais quente que o normal seria estupidez, claro que a bebida interferia no fato de Justin Bieber ter me deixado molhada, ele é meu irmão, e por mais que o capeta me amasse, incesto não era algo que gostaria de ter na lápide. 

Porém rejeição nunca foi algo que Justin soubesse lidar muito bem. A arma apontada para mim claramente poderia ser disparada a qualquer instante, cruzei as pernas tentando pelo menos controlar a porra da minha boceta, um problema de cada vez Katherine, um problema de cada vez. 

Assim que a excitação baixou, o encarei demoníacamente, ele não poderia acabar com minha vida depois de infelizmente tê-la prolongado aqui por tanto tempo, afinal, voltaríamos ao drama do acidente dos meus pais que Justin mesmo causou e ao invés de me deixar queimar viva resolveu escutar o nosso querido papai no leito de morte dele, era até irônico se me permite dizer 

-Vai me matar Bieber? - O sarcasmo era vidente – Vai me matar por que? - Literalmente abri as pernas fazendo ele encarar o meio delas 

Quer jogar maninho? Vamos lá. 

- Vai me matar por quê nunca vai foder isso daqui? - Passei a mão por cima da calcinha devido ao fato de estar usando um vestido, Justin jogou a arma no chão e iria voar em cima de mim se não tivesse sido interrompido por um Ryan atordoado entrando no escritório 

- Interrompi alguma coisa? - Ele perguntou assim que eu fechei as pernas automaticamente com sua entrada. 

- Se a porta ta fechada, obviamente Ryan. - Justin se levantou e de costas para o amigo caminhou diretamente ao banheiro, sorri internamente sabendo que ele teria de se aliviar muito. 

- A porra fodeu Justin – Encarei Butler, eu estava muito louca ou ele não falava nada com nada – Colocaram fogo na boate. 

Me levantei no mesmo instante em que Justin saiu do banheiro, comecei a sentir o cheiro de fumaça e automaticamente meus pés travaram.

Fogo, incêndio, eu não poderia simplesmente correr. 

Sempre que sentia esse odor lembrava daquela noite mais do que nunca, percebi que Justin e Ryan começaram a brigar um com o outro, na verdade eles discutiam sobre como isso poderia estar acontecendo, me sentei novamente no sofá e fechei os olhos, talvez fosse agora Katherine.

Talvez você finalmente pudesse descansar. 

Deixei que uma lágrima caísse em meio ao caos, pensei em tudo o que já passei para estar aqui, e finalmente entendi a ironia da vida, teria que acabar como começou, teria que de fato terminar em fogo. Afinal, como você pode tratar demônios sem ir direto para o inferno? Meu corpo foi puxado para cima, e rapidamente abri os olhos vendo que o Justin berrava comigo enquanto tirava a sua camisa e jogava em mim 

- VAI RYAN CARALHO – Bieber me colocou a frente e depositou suas duas mãos na minha cintura, ele tentava desviar de qualquer chama que aparecesse enquanto descíamos as escadas. 

- JUSTIN PARA! - Implorei tentando me jogar para o fogo mas ele era mais forte que eu – POR QUÊ NÃO PODE SIMPLESMENTE ME DEIXAR MORRER? - Virei o rosto para encará-lo mas o Bieber nem parecia estar presente.

Parecíamos ser os últimos a sair da boate, quando finalmente respiramos ar puro, tentei voltar correndo para dentro do fogo, porém, obviamente o infeliz me impediu, comecei a chorar percebendo que era fraca até para morrer.

Sentei no asfalto sabendo que nem se tivesse forças para de fato acabar com a prápria vida, teria forças para passar por cima do Bieber, ele discutia sem parar com o Ryan, não encontrei nenhum dos outros garotos nem garotas aqui fora, algo devia ter acontecido.

Katherine, olha o incêndio. 

As putas gemiam aqui fora e alguns homens as “consolavam” pelo menos nisso o Justin iria ganhar, abracei meu corpo percebendo que a camisa que ele havia me dado ainda estava sobre meu ombro, encarei meu irmão atordoado, minha visão só foi tirada dele quando de repente um corpo caiu sobre nós. 

LITERALMENTE. 

Olhei para cima e apenas uma silhueta no terraço era observável, um grito agudo de Ryan me fez encarar o corpo e sem precisar de muito, identifiquei a pessoa morta. Uma garota, com o cabelo mais reluzente que qualquer outra aqui, em seu pescoço havia um bilhete, colaram nela antes de ser morta. 

Beatriz Milk. 

Justin segurou Butler que queria entrar no prédio, um barulho de helicóptero se aproximando invadiu meus tímpanos, jogaram uma escada em direção ao telhado e quem quer que tenha matado Bea, começou a subi-la. 

Bieber retirou uma mão de Ryan e com a mesma  começou a atirar para cima, porém o veiculo foi mais rápido voando para fora dali com o assassino vivo, me levantei do chão procurando alguma forma de ajudar, entretanto Butler se jogou por entre o corpo de Beatriz deixando a situação ainda mais traumática  

O fogo já estava sendo apagado por alguns bombeiros que chegavam sem delongas, o pessoal começou a se dispersar, afinal se algum oficial realmente descobrisse o que era esse local, metade dessas pessoas ficariam atrás das grades, observei Justin tentar tirar o Ryan do corpo de Beatriz mas o Butler não parecia querer ouvir nada que Bieber dizia, senti meu coração apertar com aquela situação. 

A pessoa simplesmente jogou o corpo sem nem se importar com quem estivesse embaixo, Beatriz já saiu lá de cima morta, não foi a queda que a matou e os cortes em seu corpo demonstram isso, ela foi torturada. 

Quem quer que tenha feito isso, planejou por um bom tempo, afinal, não precisa ser um gênio para saber que esse incêndio deve ter sido plantado como uma distração que funcionou muito bem, caminhei em direção aos garotos e me ajoelhei ao lado de Butler, coloquei uma mão em seu ombro.

-Nós vamos vingá-la. - Eu sabia que quando se perdia um amor, seja ele qual for, a única coisa que conforta alguém como nós é a morte reversa. 

Só que no meu caso, eu nunca iria ter isso. Pois quem matou meus pais foi o próprio Bieber, claro que ele não puxou o gatilho mas teve mais de 80% de culpa. Encarei Justin que apesar de estar melhor que Ryan não era um ícone de estabilidade, retirei o bilhete do pescoço de Beatriz, passei os olhos pelo mesmo e li em voz alta: 

“Rosas são vermelhas, violetas são azuis, a smurfete bateu as botas e isso totalmente me seduz.

Qual é, não vão dar nenhuma risadinha? Eu amei a rima. Como vocês estão sérios, parece até que alguém morreu.  

Biebers, eu dei a partida, essa é sua arena, o jogo começou, vou desafiar vocês para uma partida que só termina quando todos os que estão próximos aos queridos irmãos morram.  

Que a sorte esteja sempre a seu favor, com amor, - M” 

 

Quem diabos é M?  


Notas Finais


Gente a morte da Bea estava mesmo programada, Ryan nunca foi destinado à ela, não fiz esse capítulo para emocionar, pretendo fazer o próximo HUEHUEHUE BR
Desculpem a demora, aconteceu umas coisas que pela primeira vez em anos prefiro manter para mim!
Vou tentar postar na semana devido ao mês ausente.

Espero que ainda estejam aqui :/

Obrigada por tudo.

Link das minhas outras fanfics:

Believe: https://www.spiritfanfiction.com/historia/believe-13272254

Once Upon A Time: https://www.spiritfanfiction.com/historia/once-upon-a-time-7810102


PS. VOCÊS PERCEBERAM QUE O TÍTULO DO CAPÍTULO SE APLICA TANTO A "M" QUANTO AO JUSTIN E A KATH QUASE FODENDO ALI? HAHAHAHA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...