História Defendendo um assassino- Imagine Park Jimin e Jungkook - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Chim Chim, Comedia, Imagine Jeon Jungkook, Imagine Jimin, Imagine Jungkook, Imagine Park Jimin, Jeon Jungkook, Jimin, Jiminie, Jin, Jungkook, Kook, Kookie, Min Yoongi, Namjoon, Park Jimin, Romance, Sexo, Suga, Taehyung, Yoongi
Visualizações 4.672
Palavras 2.203
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Luta, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Defendendo um assassino- Imagine Park Jimin e Jungkook - Capítulo 1 - Prólogo

28/12/2010

Narrado por (S/n)

– Filha! Chegou a correspondência!- Mamãe vem animada pra mim abrir o envelope com o resultado que diz se eu passei ou não. Assim que eu abro. Eu quase morro do coração de felicidade

Aprovado(a)

Parabéns senhorita S/s

Você passou em 35º entre os 100 aprovados. Parabéns!

  E então?

 Eu passei!- Comecei a dar pulinhos junto com minha mãe de tanta felicidade. O problema é que lá no EUA vou ter que morar sozinha, vou sentir falta da minha mãe, mas é pelo meu futuro. O bom é que eu sei falar inglês então me darei bem lá. Terei que sair do Brasil, da minha casa, de perto da minha mãe. Tudo iria mudar

 Quando vai viajar?

 Daqui 7 dias

Narrado por Jimin

Aprovado(a)

Parabéns senhor Park Jimin

Você passou em 24º entre os 100 aprovados. Parabéns!

Fiquei paralisado, não acreditei no que eu li! Agora que minha vida daria uma guinada total. Terei que sair da Coréia pra ir pro Estados Unidos

 E então passou?- Hoseok perguntava curioso

 Sim- Sorri abertamente e ele gritou e pulou parecia até que quem tinha passado era ele

 Parabéns!! Só não esquece dos amigos aqui- Ele riu

 Nunca esquecerei

 Por que não parece tão animado?

 Estou com medo, lá são pessoas muito diferentes de mim, outro idioma, outra cultura. Confesso que estou inseguro

 Vai dar tudo certo Jiminie acredite. Você tem um futuro brilhante pela frente

 Estou ansioso. Eu preciso daquele saco de pancada, isso tira minha ansiedade

 As luvas estão na estante. Se é assim que irá se sentir melhor vá- Sorriu –Quando irá viajar?

 Daqui 7 dias

7 dias depois

Já consegui comprar um apartamento lá, para ter onde ficar e meus pais me darão uma boa quantia todo mês pra conseguir viver numa boa. Arrumei minha mala, me despedi dos meus amigos e família e agora estou no avião, pensando na minha vida daqui pra frente. Nos meus cálculos já que eu entrei no avião 00:00 chegaria no Estados Unidos por volta das 11:00 da manhã (Tempo de vôo da Coréia pro EUA)

Narrado por (S/n)

7 dias depois

Minha mãe comprou um apartamento pra mim poder viver no Estados Unidos, arrumei minha mala e agora estou no carro indo pro aeroporto e chegando lá fiz tudo que tinha que fazer e me despedi da minha mãe que estava chorando, a despedida demorou tanto que só fui até o avião na última chamada ás 2 horas da madrugada e assim que ele decolou eu dormi a viagem inteira e chegaria no aeroporto internacional do Estados unidos por volta das 11:00 da manhã (Tempo do Brasil para EUA)

(...)

Fui acordada pela aeromoça falando que já tínhamos pousado, dormi muito me levantei sai do avião e peguei meu celular pra avisar pra minha mãe que cheguei bem e tudo mais, fui a procura da saída do aeroporto falando com minha mãe pelo celular e com minha mochila nas costas. Não trouxe tantas roupas, só trouxe o necessário que cabe em uma mochila o resto eu compro tudo aqui mesmo, continuei falando com minha mãe enquanto andava pelo grande aeroporto internacional do Estados Unidos enquanto conversava com a minha mãe. Até que esbarro em alguém e acabo caindo de bunda no chão e meu celular também

 D-Desculpe, você esta bem?- Ele falava inglês com sotaque de estrangeiro, certamente não era daqui, ele tinha traços asiáticos e tinha mais ou menos minha idade provavelmente ou era um pouco mais velho. Ele estendeu a mão para que me levantasse e assim eu fiz

 M-meu celular- Eu disse e ele se agachou e fez a gentileza de pegar meu celular pra mim

 Não quebrou- Sorriu –Jimin, prazer- Ele estendeu a mão pra que eu apertasse e assim eu fiz

 Prazer, S/n- Sorri pra ser educada –Bom, já vou indo. Obrigada- Falei e ele sorriu e assentiu, retornei a ligação pra minha mãe e sai do aeroporto indo até a rua e no final da avenida tinha um ponto de táxi, fui andando até lá enquanto falava no telefone com minha mãe

Narrado por Jimin 

Que menina desastrada. Ri do meu próprio pensamento. Sai do aeroporto e fui até o ponto de táxi que era no final da avenida assim que cheguei olhei pro lado e vi S/n falando No telefone e sem prestar atenção, ela atravessa a rua enquanto um ônibus está passando. UM ÔNIBUS!!! Não é um carro, não é uma bicicleta ou uma moto É UM ÔNIBUS!

Narrado por (S/n)

Estava atravessando a rua enquanto estava no maior papo pelo celular. Quando sinto alguém me empurrar pra calçada me dando um susto. Cai deitada na calçada com o cara do aeroporto em cima de mim, ele estava ofegante e eu não estava entendendo nada

 Por que me empurrou?

 Você é doida? Quase foi atropelada por um ônibus

 An? Ônibus?- Dei uma olhada pro meio da rua e vi o ônibus passando. Ou seja, eu quase morri se esse cara não tivesse aqui, um anjo talvez? –O-obrigada... É Jimin né?- Ele assentiu –Então obrigada Jimin- Ele nada disse e continuou em cima de mim –Então? Não vai sair?

 Que?

 Sair de cima de mim

 A-ah desculpe- Ele riu e se levantou e me estendeu a mão para que eu fizesse o mesmo, peguei meu celular e me levantei com sua ajuda –Tome mais cuidado S/n. Não fique falando no telefone na rua, é perigoso.

 Obrigada mais uma vez- Sorri e vi um Táxi chegando e fiz sinal para que ele parasse, dei uma última olhada para Jimin e acenei com a mão dando tchau e ele retribuiu o aceno. Entrei no Táxi e dei o endereço do apartamento que minha mãe comprou e ele deu a partida pra lá.

Cheguei no meu apartamento dormi pois estava exausta e depois de longas horas de sono. Sai de casa pra comprar algumas coisas

(...)

Comprei tudo que precisava comprar material, comida, roupas etc. Precisava estar preparada daqui 3 dias iria ter o meu primeiro dia de aula em Harvard, e irei ser muito focada nos estudos. Meu futuro que está em jogo.

Narrado por Jimin 

3 dias depois

Fiz tudo que tinha que fazer, comprei tudo que precisava pro primeiro dia. Agora são 6:00 e eu me arrumei pra ir, sai do prédio e entrei no meu carro. Pois é, precisava de um carro também então tive que comprar um. Fui em direção a Harvard, estacionei e entrei na Universidade, fui ver qual era minha sala e fui até lá. Tinham poucos alunos, era cedo ainda então me sentei na segunda carteira do meio e esperei todo o resto da turma chegar, enquanto mexia no celular

Narrado por (S/n)

Acordei mega atrasada e me arrumei super rápido, chamei um táxi e logo desci pra espera-lo na frente do prédio e isso fez eu me atrasar mais, só não tenho um carro porque não fiz 18. Ainda faço esse ano porém ainda não fiz.

(...)

Cheguei na Universidade e fui procurar a sala de direito e fui até lá, entrei na sala e estava lotada, tinha pessoas de todas as idades de 18 pra cima. A aula já havia começado e eu atrapalhei batendo na porta e cortando o que o professor estava falando

 Com licença

 Chegando atrasada no primeiro dia senhorita- Professor arqueou a sobrancelha

 Desculpe

 Que isso não se repita- Assenti e fui até a única carteira vazia que era a primeira e era na frente da carteira de um garoto, era o mesmo do aeroporto, o Jimin. Muita coincidência não? Ele me olhava confuso e sentia que ele tinha vontade de rir, ignorei e me sentei no meu lugar e prestei atenção na aula 

Anotei tudo que o professor falava. Algumas pessoas vieram falar comigo pra se apresentarem e tal mas eu realmente não queria conversa. Eu cheguei aqui com um objetivo e vou dar o meu melhor pra isso. Foi bem estranho o Jimin estudar na mesma Universidade, cursar o mesmo que eu, na mesma sala. Meu! É muita coincidência, mas ignorei tudo isso e dei atenção somente no que o professor falava. Depois que ele saiu entrou outro

 Bom dia! Não sei que coisas horríveis vocês já fizeram em suas vidas até o presente momento mas está claro que seus carmas estão desiquilibrados pra terem sido escolhidos pra minha aula. Sou o professor Min Yoongi de direito penal ou como prefiro chamá-la "Como se safar de um assassinato"- Ele disse isso e nos olha com um olhar muito psicopata e todos o olharam confusos, tipo o que esse professor tem na cabeça? –Ao contrário de muitos dos meus colegas não vou ensinar a como estudar as leis... Ou teorizar sobre elas, mas sim a colocá-las e praticá-la em um tribunal como um advogado de verdade. Agora vamos para o primeiro caso "A assassina da aspirina" Vou escolher um de vocês para nos contar os fatos- Ele falava com a lista do nome de todos os alunos em mãos. –Nos conte os fatos senhorita Katrina Steven- Ele escolheu uma aluna no modo aleatório e ela se levantou para contar sobre os fatos

 Foi uma tentativa de assassinato. A ré Senhorita Sadowski, era secretária da vítima Arthur Kaufman dono de uma agência de publicidade. Porém ela não era apenas uma secretária como também era amante- Ela disse e se sentou

 Muito bem senhorita. O que aconteceu quando Agnes mulher dele por 27 anos descobriu o romance? Responda hmmm deixe me ver- Ele falava enquanto escolhia alguém pela lista de nome dos alunos –Senhor Park Jimin.- Jimin se levantou

 Ele terminou o romance e a transferiu para o setor de contabilidade. Ela teria trocado o remédio de pressão dele por aspirina, a qual ela sabia que ele era alérgico

 E o que houve quando ele tomou a aspirina?

 Ele entrou em choque anafilático, sua garganta inchou e ele ficou sem oxigênio por sete minutos antes do processo de reanimação pela assistente ou melhor a amante.

 Muito bem! Já determinamos o "Actus réus". Qual foi o "means rea"? Você- Ele apontou pra mim responder e eu não fazia a menor ideia do que ele estava falando. Me levantei insegura do que falar

 E-é... "Means Rea"? C-certo- Falei pra ganhar tempo e logo o professor respondeu

 Veio despreparada logo no primeiro dia senhorita...- Olhou a lista –Senhorita S/n?- Me olhou desafiador e arqueou a sobrancelha e eu fiquei insegura e com vergonha de estar passando por isso na frente da sala inteira

 Bom... Sim mas... Eu não sabia que tinha que ter alguma coisa preparada

 Avisei todos vocês por e-mail a dois dias

 E-eu não recebi- Falei e ele se aproximou da minha mesa e escutei a risada de alguns alunos

 Senhorita S/n...- Ele disse se aproximando da minha mssa –Como advogado de defesa eu passo a maior parte do meu tempo perto de mentirosos profissionais. Então vai ter que se esforçar muito pra me enganar- Ele disse frente a frente comigo de um modo amedrontador na frente de todos na sala

 Ela só foi aceita tem uns dois dias professor releva e ela estava na lista de espera então... Deve ser por isso que a senhorita S/n não recebeu seu email – Jimin disse. Na verdade eu só não sabia mesmo, não estava na lista de espera nem nada disso, ele apenas falou isso para limpar minha barra. O Professor Yoongi respirou fundo

 Deixe-me ajudá-la. "Actus Réus" significa ato culposo ou seja o envenenamento com a aspirina. E "Means Rea" é a intenção criminosa. Então qual foi a intenção criminosa da assassina?- Ele falou e eu não fazia a menor ideia do que responder, estava envergonhada e nervosa –Pense Senhorita S/n. Não é nada mais do que pensar. Você tem um cérebro?

 S-sim senhor- Eu disse

 Então responda!

 Matar, S/n- Jimin sussurrou me passando a resposta sem que ninguém percebesse

 M-matar?- Respondi insegura

 Está me perguntando?- Arqueou a sobrancelha me encarando

 N-não. Essa é a minha resposta

 Está correta. Sente-se- Me sentei e dei uma breve olhada pra trás

 Valeu- Sussurrei e Jimin sorriu e eu voltei a olhar pra frente, pro professor que explicava a matéria

 Vamos pra parte que interessa. Como ficamos em pune de um assassinato- Ele disse indo pra lousa e escrevendo nela

1º passo: Desacreditar as testemunhas

2º passo: Apresentar um novo suspeito

3º passo: Enterrar a prova

 Jogaremos tanta informação para o júri, que eles vão entrar na sala de decisão com um só sentimento avassalador: A Dúvida. É assim que se sai em pune de um assassinato- Ele acha o que? Que alguém aqui vai cometer um assassinato? E se cometer tem mesmo é que ser preso. Eu nunca vou defender nenhum assassino. –Senhorita S/n. Alguma dúvida?- Ele perguntou pra mim talvez pela minha cara de confusa

 Eu só queria saber porque está nos ensinando a como se safar de um homicídio, tipo eu não vou matar ninguém na minha vida e nem defender assassinos

 Recebemos muitas alunas como você Senhorita, garotas inteligentes, idealistas que vem pra faculdade de Direito querendo ajudar os injustiçados e desfavorecidos e que acabam em uma empresa e largam tudo ao engravidar, porque preferem ficar em casa, claro pela criança. Se você quer seguir essa carreira, saiba que não vai ter que defender apenas os inocentes, vão vir os culpados também e é sempre os que são culpados que pagam mais 

Continua



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...