1. Spirit Fanfics >
  2. Depois da Detenção >
  3. Uma Revelação e Sonhos

História Depois da Detenção - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente, seu que o capitulo está pequeno, mais foi o que deu pra fazer, rsrsrs.
espero que gostem, perdoem os erros

Capítulo 3 - Uma Revelação e Sonhos


Fanfic / Fanfiction Depois da Detenção - Capítulo 3 - Uma Revelação e Sonhos

Dois Meses Depois.

Harry estava voltando da biblioteca quando sentiu alguém lhe tampar a boca e lhe puxar para dentro de uma sala vazia.

Harry tentou lutar e se soltar.

- shiii, fique quieto Potter – Harry ouviu uma voz em seu ouvido que ele reconheceu como sendo do seu professor de poções, o que o fez se acalmar um pouco mais.

Assim que a sala estava trancada e com vários feitiços de privacidade, Severus soltou Harry.

- professor posso saber o por que de me “sequestrar” dessa forma? – Harry perguntou.

- eu precisava dar um jeito de ficarmos a sós sem ninguém saber desse encontro – Severus respondeu.

- por quê? – Harry perguntou.

Por um momento Severus hesitou sem saber como continuar – porque o assunto diz respeito a aquela noite – Severus falou se referindo a noite que eles tiverem de sexo alucinado.

- há aquela noite – Harry respondeu meio surpreso afinal depois daquela noite Severus se negava se quer a admitir que eles dormiram juntos, muito menos admitir que eles fizeram sexo. – o que tem aquela noite?

- se lembra que tudo começou por causa de três poções? Duas caíram no chão e uma eu engoli – Severus perguntou.

- lembro – Harry respondeu.

- depois daquela noite eu tentei descobrir que poções eram aquelas e por que reagimos a elas daquela maneira – Severus explicou.

- e...??? – Harry incitou o mestre de poções a continuar.

- e descobrir que aquelas poções eram poções de mudança genética e a outra para mudar uma pessoa temporariamente para dragão, a mistura das duas, adulterou nossos corpos e viramos meio dragões – Severus respondeu.

- nossa – Harry falou surpreso – e a que você ingeriu?

Severus novamente hesitou antes de falar – era uma poção de fertilidade – falou enquanto retirava o feitiço de ilusão e revelava sua barriga para Harry, mostrando que nos últimos dois meses sua barriga crescera ao ponto do professor de poções parecer grávido de nove meses.

 

Mansão Riddle.

Voldemort gritou de frustração jogando todas as coisas de cima da sua mesa no chão, quando novamente, não conseguiu nem um resultado, já fazia dois meses que ele procurava qualquer sinal, qualquer indício de que sua família fosse real, mais até agora nada.

Não havia nem um documento, nem uma foto, nem um quarto de bebê ou de menino na mansão, ele já tinha revirado ela de cabo a rabo, e tudo parecia tão sombrio como sempre fora em sua mansão, se ele realmente fora casado deveria haver alguma coisa em sua mansão que sinalizasse isso não é?

Então por que até agora não encontrou nada, absolutamente nada, qualquer um já teria se convencido de que seus sonhos eram apenas isso, sonhos, e deixado o assunto de lado.

Mas como ele poderia se esquecer, se toda noite ele sonhava com sua família?

Na noite retrasada ele sonhou com ele sentando em um lençol, em um jardim, que ele não conhecia, sentando a sua frente entre suas pernas, estava seu esposo, que tinha as costas apoiadas em seu peito enquanto ele alisava o entre do seu esposo, a frente deles um menininho de mais ou menos dois ou três aninhos corria e pulava gargalhando, enquanto perseguia borboletas feitas de luz que seu esposo tinha conjurado, ele e seu esposo riam do filho deles enquanto sentiam o filho mais novo se mexendo dentro do ventre do seu esposo, ele se esforçava para tentar ver seus rostos mas, eles continuavam com suas faces tão desfocadas como em qualquer outro sonho, ele apenas ficou lá, aproveitando o momento de paz e calma que aquele sonho lhe passava tendo sua família em paz ali ao seu lado, foi quando ele e seu esposo começaram a conversar sobre nomes para o caçulinha deles, mais quando seu esposo ia chamar o filho mais velho deles para comer, o sonho acabou antes mesmo que ele ouvisse o nome do filho mais velho e isso o deixou completamente enfurecido, apesar de ter acordado se sentindo em paz como nunca se lembrava de se sentir.

Ainda sentia a frustração por não ter conseguido ouvir o nome do filho mais velho, que parecia ser um menininho cheio de energia e alegria.

Porem na noite passada ele acordara no meio da noite com um pesadelo e não conseguira voltar a dormir depois disso, nele, um homem estava acorrentado em uma cela suja em alguém prisão que claramente não era Azkaban, ele estava pendurado pelos pulsos com pés mal tocavam o chão, seus cabelos pretos estava longos e sujos e lhe cobriam o rosto, assim como as sombras do lugar, atrás do homem tinha uma pequena janelas com quatro barras verticais que lhe permitiam ver a lua que iluminavam as costas do homem, o que causava mais sombra no rosto do homem contra a luz.

Nessa pesadelo, o homem lhe chamou de amor e lhe implorava para que salvasse o menino deles, ele dizia que o Dumbledore tinha arrancado o filho deles do braços deles e que ele não sabia para onde o velho tinha levado o menino deles, então o homem, que só podia ser seu esposo, chorando lhe implorou para salvar o filho deles.

Voldemort tento abrir a cela enquanto perguntava dos filhos deles para o esposo e a resposta que teve foi que os meninos deles corriam perigo mas que um deles que corria risco de vida eminente e ele deveria salvar esse filho primeiro antes que fosse tarde de mais.

Quando Voldemort finalmente, conseguiu arrombar a porta da cela ele percebeu que seu esposo já tinha morrido, gritando em desespero ele despertou do pesadelo. Depois disso ele não conseguiu voltar a dormir e mesmo sendo madrugada reforçou seus esforços para tentar encontrar sua família, pois em seu coração ele tinha uma certeza, sua família não ia durar muito, se ele demorasse mais para achá-los ele perderia seu marido e seu filho.

Continua...


Notas Finais


Gostaram?
Não esqueçam de comentar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...