História Depois da hora do Lobo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Jon Snow, Sansa Stark
Tags Drama, Game Of Thrones, Jonsa, Romance
Visualizações 265
Palavras 1.374
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tentarei postar o máximo possível, obrigada por acompanharem este escrito.

Capítulo 4 - Reunião


Passaram-se três semanas e então um corvo de Pedra do Dragão chegara, informando que o Rei do Norte ia para Além da Muralha, mas antes se guarneceria em Winterfell, viria com a Rainha Targaryen e seus três filhos. Comunicou o retorno do rei aos senhores seus apoiadores, muitos ficaram apreensivos com a vinda da rainha e seus dragões, mas tranquilos com a volta de seu soberano.

 

-Lorde Tyrion deve estar tramando um casamento entre o Rei do Norte e a Rainha Dragão. - Mindinho falara em frente aos Stark, após o término da audiência. - Uma aliança interessante entre o Sul e o Norte, não? - Sorriu cinicamente.

 

-Quanto a casamentos creio que caiba ao rei decidir sobre o assunto, Lorde Baelish. - Respondeu friamente, era possível, fazia o estilo de jogo de Tyrion esse tipo de acordo. - A audiência já acabou, Lorde Baelish, eu e meus irmãos iremos nos retirar. - Se levantou, sendo seguida por Arya que empurrava a cadeira de Bran.

 

Os dias passavam iguais para a Senhora de Winterfell, exceto pela alegria de estar com os irmãos, mas suas tentativas com chá de Lua não obtiam resultado. Estava tomando mais uma xícara da bebida quando um guarda apareceu.

 

-O rei chegou, o vimos das muralhas senhora. - Falou o lanceiro em posição rígida.

 

-Obrigada, irei avisar os meus irmãos e o aguardaremos no pátio. - Respondera levantando-se da mesa e deixando a bebida de lado.

 

Arya estaria no pátio, talvez até já soubesse da iminente chegada de Jon, foi ao encontro de Bran que provavelmente estaria a frente do represeiro.

 

-Bran... - Chamou.

 

-Jon chegou, eu sei. - A encarou.

 

-Poderá finalmente falar com ele. - Disse animando o irmão.

 

-Não apenas eu, você também tem algo importante para contar. Os outros podem não perceber, mas Arya também notou algo de diferente em você.

 

-Não obtive êxito em meus métodos. - Falou debilmente como se Bran não soubesse. -O que você vê no futuro, sobre, sobre... - Não conseguia terminar a frase.

 

-O futuro não é um livro de histórias para ser lido abertamente. - Falou o mais amável possível, não tinha a intenção de ser rude. - Será alguém de honra e coragem, isso eu posso garantir.

 

-Obrigada. - Iria ter a criança então, no fim era isso que queria saber.

 

Os irmãos seguiram para o pátio interno do castelo para esperar seu rei e irmão, que não tardaria a chegar. Arya que treinava no pátio fora trocar as roupas suadas, seria importante que todos passassem uma imagem imponente à rainha dragão.

Os três Stark aguardavam o rei um ao lado do outro no fim do pátio, com a Senhora de Winterfell na ponta direita, a irmã menor no centro e o caçula na ponta esquerda.

-Abram os portões. - Gritou um guarda na muralha interior.

 

Os portões se abriram, e o Rei do Norte estava a frente dos demais que compunham a caravana em um cavalo negro como as roupas de uma patrulheiro. Aquela que deveria ser a Rainha Dragão vinha um pouco atrás ao lado de sua Mão, seguida por Sor Davos e uma jovem de traços estrangeiros.

 

Ao passar pela muralha interna Jon desceu do cavalo boquiaberto ao ver os irmãos, não sabia o que estava sentindo. Quis abraçar Arya e Bran, e beijar Sansa. Há anos não via os caçulas, e parecia que não via Sansa a mesma quantidade de tempo.

 

-Irmãzinha... -Disse abrindo os braços em um sorriso involuntário.

 

-Jon! - Correu para abraçá-lo, que a girou no ar.

 

-Senti sua falta. - Não conseguia parar de sorrir, ela sorriu, saiu do abraço e foi em direção do jovem na cadeira. - De você também. -Abaixou-se para abraçá-lo. - Parece que não a vejo a mesma quantidade tempo que não vejo Arya e Bran, Lady Stark. - Beijou-lhe a testa enquanto segurava seu rosto.

 

-O Norte se alegra com o retorno de seu Rei. -Responde, olhando os visitantes. -Sejam bem-vindos ao Norte. - Fala para os visitantes.

 

-Somos gratos pela recepção. - Responde uma linda mulher de cabelos grisalhos. -Sei que será proveitoso a todos a nossa estadia.

 

-Lady Sansa. - O Lannister fez uma reverência.

 

-Lorde Tyrion. - Repetiu a reverência. -Vossa graça, temos muito a conversar. - Informa a senhora de Winterfell. - Urgentemente.

 

-Sor Davos, por favor, mostre as dependências do castelo à rainha. - Ordena o Rei do Norte.

 

-Não. - Interrompe Brandon. - Ela deve vir conosco, o que tenho a dizer interessa a ela também.

Seguiram para a sala de reuniões de Winterfell, Sansa suspeitava que a mensagem de Bran deveria ser sobre estratégias de guerra já que não imaginava que assunto pessoal diria respeito a Rainha Dragão.

Jon sentia-se desconfortável entre Sansa e Daenerys, eram ambas mulheres incríveis tão incríveis quanto diferentes entre si. Bran devia ter alguma estratégia de guerra, para chamá-los em conjunto. Seguiram para a reunião: Jon, Davos, Sansa, Arya, Bran Daenerys, Tyrion e Missandei, porém Davos e Missandei foram indicados por Bran a não entrarem. Na sala de reuniões Bran tomou a primeira palavra.

-Jon, vim lhe dizer o que meu pai não teve de fazê-lo. - Iniciou sem rodeios e sem esboçar emoção.

-Não entendo, Bran. - O Rei do Norte estava confuso, como todos os presentes. - O que sabe sobre nosso pai, se é algo sobre nossa família é melhor que estejamos entre família. - Olhou para Daenerys.

-Não se engane Jon, todos aqui são sua família. -Continuou indiferente as objeções do Rei. - Você pode não saber de nada, mas eu sei de tudo. Passado, presente e futuro, eu vejo tudo. - Explica encarando todos e a nada. - Meu pai prometeu falar sobre sua mãe, ele a amava muito. Era forte, viva e decidida, mas morreu no parto, próximo as marcas de Dorne. Seu nome: Lyanna Stark.

-Isso não faz sentido, Lyanna era nossa tia. - Responde confuso.

-Lyanna é nossa tia, minha, de Sansa e de Arya, mas sua mãe. - Respondeu o encarando indiferente. - E seu pai é Rhaegar Targaryen, fugiram juntos do torneio de Harrenhal.

-Isso... Por que...? - Jon não sabia como reagir.

-Como você pode ter certeza? - Pergunta a Rainha Dragão, encarando cada um na sala.

-Porque eu sou o Corvo de Três Olhos, eu sei de tudo, como quando a Maegi lhe deixou estéril. - Responder sem olhá-la.

-Por que ele mentiu, por que não disse nada? - O rei parecia desolado, seus olhos encararam a mulher de cabelos vermelhos.

-Você é um Dragão, então. - A rainha o encarou.

-Eu sou um bastardo, só isso. - Suspirou baixando a cabeça.

-Não tenho mais nada a lhe dizer. - Olhou para a irmã mais velha. - Mas Sansa, sim.

-Bran... - Não eram irmãos, era tudo no que pensava. -O que tenho a dizer pode esperar, não é uma boa hora. - Mentiu sem convencer ninguém.

-Fale, desde que cheguei que quero saber o que esconde. - Falou a seguia Stark de espada da bainha.

-Eu, eu... Estou grávida. - Falou sem rodeios.

*O silêncio cortou o ambiente. Jon parecia ainda mais incrédulo com a afirmação de Sansa do que sobre sua origem parental. Arya e Daenerys entenderam a situação a partir da reação do Rei do Norte.

-Ao que parece não sou mais o último dragão vivo. - Sorriu de lado.

-Eu sou um bastardo, não um dragão. - Olhou para a ruiva. - Assim como a criação que Sansa carrega.

-Percebi tarde demais para que o chá de lua fizesse efeito, procurei ajuda de mulheres do Povo Livre me ajudaram como puderam, mas não como eu precisava. - Respondeu friamente.

-Como, como você pode querer isso? - Jon não conseguia acreditar em tais ações.

Vocês eram irmãos até instantes atrás. - A Mão da Rainha defendeu a ex-esposa. - Estamos no Norte e não em Por Real. E o que fará, Jon? - Todos olharam para o Rei do Norte.

-Rhaegar desposou duas mulheres, os Targaryens permitem a poligamia, case-se comigo e com Lady Stark, assim o sangue do dragão continuará. - Manifestou-se a rainha dragão.

-Chega, peço que se retirem. - Falou sombriamente encarando o chão. - Você não, Sansa. - Falou quando a viu movimentar-se.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...