História Depoís da Tempestade - Imagine JongDae - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Personagens Originais
Tags Anjos Caídos, Chen, Exo, Imagine Exo, Jongdae, Kim Jongdae, Nefilim, Sexo, Short Fic, Violencia, Você
Visualizações 160
Palavras 1.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa, olha quem apareceu de repente? Eu mesma! 😎

Esses dias eu ando com uma vontade imensa de trazer atualizações e então estou atualizando tudo que eu posso rs

Boa leitura =

Capítulo 3 - A conversa.


Fanfic / Fanfiction Depoís da Tempestade - Imagine JongDae - Capítulo 3 - A conversa.

Depois da Tempestade — Capítulo 02


A minha chefe havia pedido para eu voltar mais uma vez para a casa de Jongdae, mas agora com a intenção de ficar lá, até que ache alguma coisa ao seu respeito. Eu acabei por não dizer a ela que conversei com o homem ou que sei seu nome, eu simplesmente disse que não vi nada e que em momento algum ele estava em sua casa. E foi com isso que ela pediu para eu ficar a noite toda vigiando sua casa, para saber se eu encontro alguma coisa de importante por lá ou, que me leve até a empresa que eles tanto querem saber.

Hoje era fim de semana, então não estaria na faculdade e muito menos iria me encontrar com Kris. O mesmo trabalha bem puxado no sábado e domingo, então eu sempre fico na minha sem atrapalhar ele nesses dias. Mesmo que eu esteja com saudades de Kris, resolvi não atrapalhar ele.

Eu estava dentro de um táxi no momento, e ele me levava para a casa do homem que eu havia visitado a dois dias atrás. Agora eu teria que sair daqui com alguma informação sobre o mesmo e sobre a empresa que estão de olho, como havia dito. Eu amo meu trabalho, mas tem coisas que eu não gostaria de fazer, como a de agora, isso está sendo invasão de privacidade e ele disse que na próxima vez iria ligar para a polícia. Imagina se eu for presa por isso, sem dúvidas que a empresa afunda também por ser coisa de trabalho.

— Obrigada. — agradeci ao moço e deixei o táxi em seguida. Coloquei o troco no bolso e olhei a casa que estava com suas luzes acesas, parecia que ele estava em sua casa agora. Dessa vez para não ser mais óbvia, eu andei até a entrada da casa para ver como ela era por dentro. Se por fora seria desse tamanho, imagina por dentro. Deve ser linda e luxuosa.

Quando terminei de subir os degraus e me aproximei da porta, pode reparar que ela estava um pouco aberta, o que me fez estranhar e olhar sobre os arredores. Mas eu não achei ninguém por perto e muito menos fora da casa. Será que a porta simplesmente abriu sozinha ou ele esqueceu ela aberta? Suspirei fundo e andei até o lado de dentro da casa, entrei lentamente olhando para os lados e tentando achar ele. Mas ao ouvir a porta fechando, eu tomei um susto e me virei, encontrando ele parado com seus braços cruzados e suas pernas também, enquanto estava encostado na porta.

— Mais uma vez invadindo minha privacidade? Será que devo voltar a repetir o que lhe disse a dois dias atrás?

— Não! Não precisa fazer isso. Eu já estou indo embora…

— Porque entrou na minha casa? O que você está querendo comigo? — ele trancou a porta e colocou as chaves em seu bolso. — Estou esperando sua resposta, senhorita _______.

— Eu não posso falar, isso é confidencial. Desculpe.

— Então é assim? Você faz tudo que sua chefe manda, incluindo me vigiar? Olha, agindo assim, você fica fácil demais sabia?

— Como você sabe disso? — olhei para ele mas Jongdae apenas riu e caminhou até uma prateleira grande onde tinha muitas bebidas. — Se você sabia, então porque me perguntou?

— Queria ouvir você falando, mas como não disse, eu mesmo falei.  — ergueu sua sobrancelha e me ofereceu um copo. — Aceita uma bebida?

— Não aceito nada de estranho. E eu preciso voltar para minha casa, pode abrir a porta por favor.

— Pensei que estava aqui para saber sobre minha pessoa. Bem, é uma pena pois iria te contar o que deseja saber. — ele falou e mais uma vez ofereceu a taça de bebida em minha direção mas eu neguei novamente. — Não quer conhecer a casa?

— Não quero, não te conheço. E se tentar alguma coisa comigo?

— Mas eu não vou tentar nada com você!

— Como me garante isso?

— Porque eu nunca vou atrás de mulheres, elas quem vem até mim. Você é um exemplo disso. — ele riu fraco e eu encarei ele bem seria.

— Eu estou aqui a trabalho, senhor Jongdae. Se não fosse por isso, não teria pisado em sua casa.

— Eu sei. Agora vamos por aqui, venha conhecer minha casa agora. — fez uma passagem para eu poder seguir. Caminhei até onde estava e fiquei ao seu lado esperando ele me levar, e confesso que a sua sala já é bonita, imagina o resto de sua casa. Esse homem deve ser muito rico. — O que seu trabalho quer com a minha empresa?

— O que? Aquela empresa é sua? Não é de outra pessoa? Um Lee…

— Eu quem criei ela, mas o deixei como fundador por motivos pessoais. Mas eu preciso saber o que você deseja com a empresa no momento. Está querendo me afundar, senhorita?

— Eu não, na verdade nem mesmo eu sei o que desejam com sua empresa. Mas a minha chefe, talvez esteja querendo te afundar sim, porém, não sei o motivo. Você deve ter feito alguma coisa com ela, sei lá.

— Agora me fale, porque você é tão burra? — o olhei com desdém sem entender o xingamento gratuito dessa maneira. — Tem certas coisas que estão abaixo de seu nariz e você não percebeu até agora. E se te contassem, você jamais iria acreditar.

— Do que está falando Jongdae? Poderia ser mais específico por favor.

— Um dia, você irá ver do que eu estou falando ______. — ele sorriu e me chamou para outro canto de sua casa, eu só não sabia qual seria e sentia um pouco de medo. — Aqui é onde fica meu jardim. Tenho plantas de todos os jeito que imagina e cuido delas todos os dias.

— Ow, aqui é muito lindo Jongdae. — comentei me aproximando mais um pouco das rosas que eu fiquei fascinada. Elas eram muito lindas e tinha uma de cada cor, rosa, amarela, verde, roxo e assim vai. Só fiquei curiosa para saber como ele consegue dar conta de tantas flores assim sem se preocupar com nem uma. — É muito lindo.

— É sim. — comentou olhando bem fixo pra mim. — Me diga, porque não contou para a empresa meu nome nem nada sobre mim?

— Como você sabe que eu não disse? Na verdade, como você sabe de tantas coisas ao meu respeito?

— Quem sabe um dia, você irá saber de tudo. — ele sorriu enquanto caminhava para o outro lado, passando suas mãos pelas rosas.

— Eu não contei por achar invasão de privacidade de minha parte. E também, se eu não descobrir nada sobre você, irei sair logo do seu caso e eles mandam outra pessoa no meu lugar.

— Não gosta do seu trabalho?

— Eu amo meu trabalho, mas eu esperava ficar na parte de jornais, editar eles e mandar para as lojas. Não ficar bisbilhotando a vida dos outros enquanto sou ameaçada de morte. — suspirei. — Preciso esperar mais um pouco para acabar a faculdade e me mandarem para o cargo que eu desejo.

— Boa sorte.

— Obrigada!

— O que mais você deseja saber sobre mim?

— Nada. Eu só preciso voltar para minha casa agora. — ele apenas assentiu e me levou de volta para a cozinha e no caminho fomos bem calados. — Desculpa se te atrapalhei, Jongdae.

— Não atrapalhou. Mas se quiser, pode voltar até minha casa quando quiser. Eu não irei me incomodar de recebê-la.

— Talvez não, eu irei te atrapalhar se vim mais vezes. — sorrir e me coloquei ao lado de fora da casa. — Bem, até mais Jongdae.

— Até senhorita ______, espero te ver mais vezes futuramente. — apenas sorrir para o menino e dei as costas. Peguei o celular de minha bolsa e fui pedir um táxi mais próximo que estava de mim.

Eu não sabia, mas depois de conhecer JongDae minha vida iria mudar completamente e, meus sentimentos ficaram confusos conforme o tempo!


Notas Finais


Aaaa gente, por favor, não deixem de comentar por favor mesmo 💞
É importante pra mim o feedback de todos vocês 🤧❤

Perfil: @Sweetback


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...