1. Spirit Fanfics >
  2. Depois da tempestade >
  3. Outra vez.

História Depois da tempestade - Capítulo 10


Escrita por: maribel455

Capítulo 10 - Outra vez.


Fanfic / Fanfiction Depois da tempestade - Capítulo 10 - Outra vez.

- Miranda

- Aconteceu alguma coisa? - Minha mãe se aproxima de mim, ela é uma mulher negra obviamente, a minha melania era igual a dela, cabelos curtos liso, eu era um pouco maior do que ela pois tinha puxado meu pai. Ela tem o semblante meio cansado depois de ter trabalhado desde nova, mas isso não a impedia de ter um bom humor.

- Não. - Respondo olhando para o celular. Estávamos na sala, era pequena mas porquê o armário que ela gostava tomava conta de todo o espaço, era bonito e cabia todas as fotos, álbuns, os santinhos dela pois a mesma é católica. Eu também sou, mas me afastei. Um sofá de três lugares e duas poltronas eu estava sentada na primeira perto do armário.

- Não parece... - Ela se senta no sofá. Minha cabeça começa a doer, não faço ideia do que vou falar com o Brayan para fazê-lo mudar de ideia. - Alguma coisa não está saíndo do jeito que você queria não é? Tem haver com um homem? - Olho para ela.

- Não... Ou talvez. - Falo baixo olhando para o lado. Ela sorrir, me ver casando era tudo o que ela queria, além de me ver grávida e principalmente me ver fora dessa vida que ando levando... Mas infelizmente ou felizmente as coisas não funcionam assim.

- Por isso não queria passar o final de semana aqui? Poderia muito bem ter trazido ele...

- Não somos um casal, nada haver trazer ele aqui. - Me levanto indo para a cozinha, tinha ficado um pouco incomodada. Estava com os cabelos soltos, saia jeans um pouco curta demais e blusa de alça vermelha.

- Até quando pretende fugir de relacionamento Miranda? - Ela para na minha frente.

- Não sei, até os trinta anos seria bom... - Sorrio de lado, abro a geladeira e pego uma geleia de mocotó.

- Como é esse rapaz? - Me pergunta se sentando na mesa. - Quero ver você com uma pessoa descente. - Me junto a ela na mesa, com uma faca abro a geleia de mocotó.

- O nome dele é Brayan, ficamos juntos duas vezes, isso não significa que vamos nos casar. - Dou uma colherada no mocotó.

- Ele gosta de você?

- Sim, mas eu não sei se sinto o mesmo. - Me lembro dele falando que queria uma coisa mais séria comigo, mais de verdade, eu não sei se estou pronta para me relacionar a minha vida é muito bagunçada o Brayan não se acostumaria. Pensei em falar mais um pouco, mas ela não sabe nem da metade das coisas que eu já fiz, o que ela me diria se eu falasse que matei o pai dele?

- Então por que não fala a verdade? - Ela me olha profundamente, eu também a olho. Deveria ter falado algumas verdades para ele muitas vezes, mas ao invés disso eu preferi a mentira, era o caminho menos trabalhoso.

- Não sei... - Olho para baixo. - Eu sinto vontade de estar com ele, mas não quero me apegar, a senhora sabe o que aconteceu da outra vez... - Dou outra colherada sem olhar para ela.

- Quem garante que vai voltar a acontecer de novo filha? - Ainda não olho para ela mas começo a ficar nervosa, sinto um calor passando pelas minhas costas. O que aconteceu da outra vez acabou comigo, mas não vai se repetir outra vez.

Na segunda - feira de manhã quando voltei fui para o serviço do Brayan mas cheguei um pouco cedo demais, fiquei uns vinte minutos esperando ele no carro. Vi o mesmo chegando com o uniforme do mercadinho, meu coração acelerou na hora, e uma onda de felicidade me veio junto com um sorriso, saí do carro acionando o alarme e fui atrás dele.

- Achei você! - Digo me sentando ao lado dele, que saudades eu senti. - Foi embora sem falar comigo, fiquei chateada com você sabia... - Sorrio para ele.

- O que tá fazendo aqui? - Ele pergunta se levantando, e eu o acompanho.

- Vim ver você. Senti saudades. - Me aproximo olhando para a boca dele que estava me chamando.

- Você tá brincando com a minha cara né? - Ele junta as sobrancelhas me olhando, qual é o problema dele?

- Porque foi embora sem falar comigo? - Fico seria.

- Você mentiu pra mim. - Abaixo a cabeça começando a ficar nervosa. - A Lia me contou a verdade que você não me contou. - Puta merda, odeio aquela mulher.

- As coisas não são bem assim Brayan... - Tento acalma-lo , coloco minha mão na cintura dele mas no mesmo a tira na hora.

- Claro que são, você nem precisava ter se dado ao trabalho de vir aqui Miranda, eu sei que o que aconteceu entre a gente pra você foi só sexo. - Ele me olha fixamente, reconheço esse olhar, o mesmo que ele me deu naquele dia...

- Como você sabe? Pode ter significado alguma coisa pra mim. - Estava ficando mais nervosa ainda.

- Para de mentir, se tivesse significado alguma coisa pra você não teria mentido pra mim. Pode falar a verdade, sei que você apenas estava se divertindo comigo, você não mentiu pra mim uma vez apenas... Mas também quando eu perguntei se você queria alguma coisa comigo, fui ingênuo com você, mas isso não vai voltar a acontecer outra vez.

- Ok, eu errei com você. - Admiti. - Você queria ir muito rápido com as coisas eu não estava preparada, e nem sei se ainda tô... Mas eu tô aqui.

- Idai Miranda, não faz nenhuma diferença, vai embora por favor, você já bagunçou muito a minha vida. - Uma lágrima escorre pelo rosto dele. Mas eu não estava entendendo, não entendo porquê estou aqui, não entendo porquê estou me importando tanto com isso. Mas estou começando a ficar com raiva, raiva em ter vindo aqui, raiva por está sentindo toda essa merda.

- Claro... Então você acha que pode fingir que nada aconteceu com a gente, não é bem assim que as coisas funcionam Brayan. - Altero a minha voz mas tento me calmar depois, ele só está com raiva das mentiras que eu contei, então tenho que ser paciente. - Eu quero você, e você também me quer, - Me aproximo. - o que acha de ir pra minha casa a gente pode ficar lá o dia inteiro matando a saudade... - Era só isso que eu queria.

- Miranda presta bem atenção, não vou voltar a transar com você porque vou me casa na sexta. - O que? - Tudo o que aconteceu entre a gente ficou lá trás, você pode voltar com a sua vida, se divertindo com qualquer outra pessoa eu tenho certeza que daqui a algumas semanas você esqueci de mim. - Do que esse cara tá falando, se eu quisesse transar com outra pessoa nem estaria aqui. Ele sai em direção a saída mas o puxo pelo braço.

- Legal saber que você vai se casar na sexta Brayan, - Digo com sarcasmo. - acha mesmo que aquela idiota vai fazer você sentir as coisas que sentiu comigo?

- Não fica se sentindo por favor.

- Olha, - Tento falar com paciência respirando fundo com as mãos na cintura. - eu não falei a verdade porque não estava pronta para ter alguma coisa séria com alguém, olha pra minha vida acha mesmo que você iria conseguir se adaptar a isso tudo?

- Eu estava disposto Miranda, mas eu não quero saber das suas desculpas, agora já foi, o que tinha que acontecer com a gente já aconteceu.

- Brayan escuta... - Não acredito, passamos dois dias longe e ele já voltou a me ver da mesma forma que via antes.

- Chega, - Me interrompe, olhando para ele eu tenho vontade de chorar mas me seguro com força, uma coisa dentro de mim diz que ele não vai mais voltar pra mim. - acabou, e como eu já disse não me preocura mais. - Ele volta para o trabalho mas não tenho forçar para ir atrás dele, porra mais que merda, isso tá doendo, doendo muito. Não sei o que fazer, quero ele de volta, mas não tenho muito tempo pra fazer isso, deveria ter voltado no mesmo dia pra resolver isso, vai lá se saber quantas coisas ele né pensou em relação a gente.

Ainda sem reação volto para o carro e vou para casa, o Castiel e a Tabita me ligaram várias vezes mas não estava com cabeça pra isso.

- Oi, como foi na sua mãe? - Esmeralda me pergunta me vendo trancar a porta. Me sento no sofá tirando o tênis.

- Foi bom... - Repondo sem vontade. - Você pode me trazer um remédio para dor de cabeça? - Peço me encostando no sofá relaxando as minhas costas.

- Claro, só um minuto. - Ela vai até a cozinha e volta rápido, tomo o remédio fazendo cara feia ao senti a pílula descendo junto com a água pela minha garganta.

- Obrigada. - Volto a me encostar no sofá.

- Está tudo bem? - Ela me pergunta ainda parada nada minha frente. - Sabe que pode conversar comigo. - A Esmeralda sabe de quase todas as coisas que eu já fiz, olho para ela e me sento direito.

- Fiquei com um cara comprometido, achei que fosse só coisa de momento, mas ele gosta ou gostava de mim, - Olho para o lado. - mas eu não fui muito sincera com ele...

- Tá gostando dele não é... - Ela sorri de lado.

- Claro que não, para de falar besteiras. - Me levanto rápido ficando um pouco tonta.

- Senão gosta está assim por quê? - Nós olhamos, não acho uma resposta. - Tente se colocar no lugar dele um pouco. Está na cara que você também gosta, mas ainda esta mentindo, pra ele e pra si mesma e se continuar assim nada vai mudar. - Ela da um leve sorriso de lado para mim, pega meu copo e volta para os seus afazeres. 

Pensei um pouco no assunto mas não achei nenhuma saída, se ele estiver realmente disposto a se casar com ela nada do que eu dizer para ele vai mudar.

Vou para o meu quarto, pego uma garrafa de whisky e um copo, entro no banheiro começo a encher a banheira colocamos bastante sais de banho, deixo a garrafa e o copo ao lado da banheira, tiro a roupa e entro na mesma tentando relaxar, tomo um pouco do whisky, encosto a minha cabeça na parte de trás da banheira vendo a mesma se encher de água e a espuma se espalhando. Não tirava o Brayan da cabeça, meu corpo precisa do dele, eu preciso dele. Nossa olha quanta coisa eu tô falando gente, será que eu tô gostando dele ou é só uma coisa de momento...

- Oii! - Tabita aparece na porta do banheiro sorrindo, ela estava bem arrumada, usando uma jardineira jeans preta, blusa de manga por baixo azul e os cabelos presos num rabo de cavalo. - Te liguei várias vezes, - Não respondo, volto minha atenção para a espuma que agora cobria toda a minha nudes. - aconteceu uma coisa, - Ela se senta do lado da banheira tomando meu whisky, faz cara feia ao engolir a bebida. - nossa, isso tá forte... Bom eu fui na casa do Jean, - Dou atenção para ela. - a gente acabou ficando sabe, e a noiva dele pegou a gente no pulo... - Fico surpresa com a tranquilidade que ela fala.

- Ficou maluca? - Digo.

- Não ué, diferente de você eu admito que gosto do Jean, eu quero ele, e ele também me quer.

- Mas isso não te dá direito de ficar com ele na casa dele, isso vai dar uma merda enorme pra ele. - Viro o rosto. 

- Você acha? Mas parecia que ele tinha gostado.

- Eu não sei Tabita, mas você não deveria ter feito isso... - Nós olhamos, ela se levanta e começa a tirar a roupa. Já tinha visto ela nua várias vezes antes, mas agora ela estava mais robusta. A mesma entra na banheira, solta os cabelos depois os molha.

- Eu gosto dele Miranda, - Ela olha para baixo encolhida dentro da banheira. - concordo que fui meio imprudente, mas o Jean tem uma coisa que me atraí, tem uma coisa que me lembra da pessoa que eu já fui. - Sorri de lado, levanta a cabeça olhando para o lado. - Agora eu fodi tudo...

Não sabia o que responder, até porquê eu estava quase que na mesma situação, só não tive o prazer de beija o Brayan. Coloco mais um pouco da bebida no meu copo, tomo um gole e depois ofereço a Tabita, ela faz o mesmo.

- Como foi na sua mãe? - Pergunta ficando de joelhos na banheira.

- Legal, mas não parava de pensar no Brayan, então quase não aproveitei. - Respondo olhando-a, ela se aproxima de mim abrindo as minhas pernas, coloca a mão esquerda na minha nuca e nos beijando, eu retribuo colocando as mãos na cintura dela enquanto rodopiava minha língua dentro de sua boca, ela se ajeita em cima de mim, aperto as coxas dela enquanto a mesma puxava firme o meu cabelo.

Tabita se levanta rápido me puxando para o quarto, me joga na cama e volta a ficar por cima de mim, eu estava com tesão mas sentia que faltava alguma coisa. Ela beijava meu corpo até finalmente chegar na minha intimidade, esfregando a língua com vontade para cima e para baixo me deixando toda molhada e me fazendo gemer mais alto. Depois de uns minutos ela se levanta cuspindo em sua mão e passando sobre sua intimidade, logo depois encaixa o clitóris dela junto com o meu fazemos a tesourinha.

Os movimentos dela estavam rápidos, tentei acompanhar então trocamos de lugar, agora eu estou em cima e ela em baixo, os gemidos dela aumentam, nós olhamos com tesão e raiva, como se estivessemos descontado toda a nossa raiva fazendo sexo. Ela puxa o bico do meu seio ainda com a mão molhada do cuspe me fazendo revirar os olhos, ela é muito boa nisso, bato com vontade na bunda dela começando a ficar com calor, chupo o seio direito dela ainda fazendo movimentos rápidos lá em baixo.

Tabita começa a gemer muito alto, me levanto tapando a boca dela com a palma da mão, seus gemidos ficam embasados. Estava sentindo que ia gozar em pouco tempo, fui um pouco mais rápido fazendo ela gozar primeiro, Tabita praticamente gritou durante o orgasmo mas a minha mão diminuiu um pouco o som. Gozei depois de uns cinco segundos tirando a mão da boca dela e apertado sua coxa para me conter.

Aproveitei um pouco o momento ainda na mesma posição, olhei para baixo e vi que estávamos completamente molhadas e meladas com o gozo uma da outra. Respirei fundo e me deitei ao lado dela, com nossas respirações ainda ofegantes.

- Você é muito boa nisso! - Tabita diz olhando para o teto.

- Eu sei disso. - Damos uma risada, ela se vira para me olhar, faço o mesmo.

- Obrigada! - Ela diz com um pequeno sorriso de lado. Coloco uma mecha do cabelo dela atrás de sua orelha. - Posso dormi aqui hoje?

- Pode dormir aqui todos os dias... - Respondo com a respiração voltando ao normal.

Na terça - feira fico no meu escritório o dia todo, estava fazendo o castigo do silêncio com o Castiel, sei que a culpa não é totalmente dele mas o mesmo tinha que dar um jeito na cadela dele. Fazer sexo com a Tabita ontem me fez sentir que estava traindo o Brayan no começo, mas depois que a coisa ficou quente eu esqueci um pouco dele e me senti melhor depois, gosto da companhia da Tabita, gosto de verdade de está com ela, mas nós duas sabemos que não passamos disso.

- Oi! - Ela entra na minha sala, estava com uma das minhas roupas, blusa grande azul marinho, calça jeans preta e os cabelos soltos. - Tenho novidades.

- Diga. - Olho para ela sorrindo de lado, a mesma se senta na cadeira em frente a minha mesa.

- O Castiel disse que você está dando um castigo nele, sabia que isso é coisa de criança? - Ela cruza os braços.

- Sabia. - Dou de ombros.

- Enfim, ele ficou sabendo do casamento no Brayan... Deu um jeitinho de adiar o casamento dele para o mês que vêm!

- Ele fez o que?


...




Notas Finais


Espero que gostem! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...