1. Spirit Fanfics >
  2. Depois de uma longa história -Mileven >
  3. Padastro?

História Depois de uma longa história -Mileven - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Vamo ferra um poco mais a vida da eleven já de inicio? Hehe

Capítulo 3 - Padastro?


Fanfic / Fanfiction Depois de uma longa história -Mileven - Capítulo 3 - Padastro?

Autora.P.O.V.

Max não entendeu o que aconteçeu, mas logo se tocou do que havia aconteçido com a amiga.

-El... teve aqueles pesadelos de novo? -falou preocupada ainda abraçada na amiga.

Eleven se soltou no abraço e limpando as lagrimas ela assentiu.

-Quer me contar oque aconteçeu, ou prefere relaxar um pouco? 

-Pode ser os dois? -disse entre risos fracos e tristes.

-Claro. -Disse passando o braço pelos ombros da amiga e ligando a tv.

-Quer assistir oque tá passando mesmo?

Eleven assentiu, max com um braço passando pelos ombros da menina e a cabeça apoiada em seu ombro, Eleven apoiou sua cabeça na da garota.

(...)

Já eram seis da manha, Eleven não fechou os olhos durante a noite, Já max, ne metade no filme pregou os olhos e só acordou com eleven a chamando.

-Acorda Max. -disse balançando a menina.

-Ãn?? Ah, bom dia El. Voce não dormiu nada essa noite né? 

-Não.. mas, eu to bem tá? Vamos tomar café.

Eleven estendeu a mão para Max que se levantou.

Hopper já estava vestida com uma camiseta branca com manchas pretas e uma calça jeans, tinha os cabelos soltos.

Max se vestiu com uma camisa amarela e uma calça jeans com rasgos no joelho.

-Vamos tomar café da manhã? 

A ruiva assentiu e as duas foram para a cozinha, onde encontraram John e Nancy na mesa e Joyce e um homem  na cozinha.

-Bom dia. -Falaram as meninas se sentando.

-Bom dia. -os 4 responderam, Joyce e o homem que as meninas não conheciam se aproximaram e sentaram a frente das jovens.

-Meninas esse é Charles, meu novo namorado. -Falou Joyce.

Os meninos chegaram a mesa e Joyce apresentou seu novo namorado a todos, logo se sentaram, joyce olhou diretamente para Eleven que no inicio não entendeu.

-Meninos, Eleven, eu acho que, como agora o Charles faz parte da familia, podemos falar do que aconteçeu no passado, claro que só se voces concondarem.

Todos olharam para ela, um pouco depois todos assentiram, com excessão de eleven, que achava muita invasão de privacidade contar seus pontos mais frageis para uma pessoa que acabou de conhecer.

-E por voce El? Ta tudo bem? -Falou Joyce com uma voz preocupada.

Com um pouco de relutancia ela assentiu.

Joyce olhou nos olhos da garota, e pela convivencia com a mesma, viu que não estava confortavel com a situação, mas concordou para não fazer disfeita.

-Voces contam tudo pra ele? El, podemos conversar? 

Eleven assentiu, as duas foram ao quarto da menor, Charles que olhava para a porta, a viu fechando, sendo que ninguem a havia fechado.

-A.a porta se fechou sozinha?? 

-É disso que temos que falar.

*no quarto de Eleven*

El se sentou em sua cama e joyce se agachou em sua frente.

-El, suas olheras estão enormes.... voce não conseguiu dormir né? 

Eleven negou com a cabeça.

-Quer me contar como foi o pesadelo? Se não quiser, não prescisa...

-Eu... primeiro vi o devorador de mentes, ele chegou perto de mim, e quando estava a um  "passo" de mim, eu senti cair e do nada estava na cabana, lá estava Hopper.... fazendo o que ele sempre fazia... -era possivel notar o rosto da menor ficando vermelho e lagrimas descendo de seus olhos.- com uma lata de cerveja ao lado, a poltrona quase deitada, a tv ligada e farelos de salgadinho caindo em seu uniforme, quando o toquei, somente seus ossos apareceram, e então viraram poeira, logo me vi cercada por demogorgons, fechei os olhos e acordei com max preocupada ao meu lado... -Lagrimas escorriam cada vez mais rápido nos olhos da garota.

Eleven sabia que podia confiar em joyce, ela havia  passado por um trauma, por varios, quase perdeu o filho para um monstro e perdeu seu namorado para um, meio que elas se entendiam, e ela tambem era a única que a ouvia, nem seu namorado a ouvia, mesmo ela indo a um psicologo sua verdadeira "psicologa" estava ali, a mãe de dois de seus amigos e agora sua mãe adotiva.

Joyce se sentou ao lado de eleven e a abraçou.

-voce tá bem? -a preocupação era perceptivel por qualquer um em sua voz.

Eleven assentiu, logo em seguida Charles entrou no quarto de Eleven, Encontrando Joyce abraçada a menina que agora estava com o rosto rosado e lagrimas ainda escorrendo do rosto.

-Charles, da próxima vez, bate. -Falou joyce.

-Tá certo.. desculpa, os meninos acabaram de me contar tudo que aconteçeu... e eu sinto muito, pelo Bob, e pelo hopper.

Risos tristes sairam da boca de Eleven e suas lágrimas aumentaram.

-Charles, pode nos deixar sozinhas? -Joyce já havia superado bob, ainda se lembrava dele com muito amor e carinho mesmo, mas prescisava seguir em frente. Já Eleven era apenas uma criança que perdeu o pai de uma forma brusca, não era de tocar nesse assunto, sabia que se não cosse tocado por ela, esse assunto estava morto.

-Claro, mas eu poderia ter uma demonstração dos poderes da eleven?

~voce está atiçando a onça com uma vara curta charles...

-porque não? -Falou El com um sorriso sarcastico no rosto, lagrimas saiam  contra sua vontade de seu rosto.

-se eu me descontrolar, me ajuda. -Susurrou para que somente Joyce ouvisse a mesma assentiu.

El "apontou" para sua estante de livros alguns deles voaram sobre a cabeça de charles, e ali cairam. Fazendo a jovem dar leves risadas, fazendo joyce ficar assustada e Charles bravo.

Eleven "apontou" agora para o seu armario,  uma pequena "espada" saiu de lá e foi até a mão de Eleven, Joyce segurou o ante-braço da mais nova.

-Eleven. Já chega. -Falou com a vóz Séria.

Eleven assentiu, se sentou de novo em sua cama e limpou o sangue que saia de seu nariz.

-oque voce fez!? -falou o homem irritado.

-apenas dei o que queria, uma amostra do meu poder. 

-Não se fala assim com os mais velhos. -disse com  a voz irrritada e calma ao mesmo tempo.

Joyce olhou para Charles e então para eleven.

-Charles, por favor, nos deixe a sós. 

Charles respirou fundo e saiu do quarto, Eleven fez o favor de bater a porta BEM auto.

-oque foi isso Jane? -Chamava a menina por jane quando o assunto era mesmo sério.

-Ele viu que eu não estava me sentindo confortavel com o assunto, e mesmo assim continuou...

-Ele só esta se acostumando com a idéia, tente relaxar e tente dormir um pouco. -Falou saindo do quarto.

Eleven respirou fundo e se jogou na cama.

~Troglodita.

(...)

Após se jogar na cama, a exaustão era tanta que seu cerebro simplismente adormeçeu, não teve tempo para pesadelos.

Hopper acordou já umas 4 da tarde, ninguem quis acorda-la, ela se levantou e foi a sala, esfregou os olhos e viu Joyce e Charles olhando algo na TV.

-Onde estão os meninos e a max? 

-Que bom que acordou querida, as mães deles ligaram dizendo que já estava na hora de eles voltarem.

-Eleven, Acho que começamos com o pé esquerdo, podemos recomeçar e ser amigos? -Disse Charles estendendo a mão.

~Como se a escolha fosse minha.

Jane olhou para Joyce, tinha um olhar amendontrado e Esperançoso ao mesmo tempo.

Por não querer desapontar Joyce, apertou a mão do homem e não fez muita cena, foi para o seu quarto e começou a desenhar.

Um tempo depois desenhando ela viu a imagem que se formou por conta própria, era ela cercada por demogorgons, uma das imagens de seu sonho. 

Eleven fechou os olhos e os primeiros pensamentos que veio a sua cabeça foram os momentos bons e ruins que passara com jim, desde o ano que se conheceram até a sua morte, Eleven tinha se apegado a ele, de fato já se sentia filha de jim hopper, nunca mais teve essa mesma relação com alguem, ele....  ele só queria a proteger dos tão temidos "homens maus" ... em 84, eles tiveram uma briga feia, que a levou a fazer coisas muito grandes, e tambem a levou a perceber que as pessoas chamavam qualquer luhar que tinha quatro paredes de casa, mas pra ela isso tinha um significado diferente, pra ela a casa dela seria onde Jim, mike e seus amigos estiverem, principalmente Jim, Aquele que a protegeu por tanto tempo, e mesmo ela dando bola a fora, ele estava ao seu lado para a ensinar o que era certo e errado, mesmo ela tendo problemas para entender isso.

"Mas por favor por amor ao seu velho e pobre pai, mantenha pelo menos 8 cm da porta aberta"

Risos tristes sairam dos lábios de Eleven e lagrimas sairam de seu rosto, lagrimas tristes e emocionadas. 




Notas Finais


Quem não chorou com a morte do hopper não é mesmo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...