História Depois de Você - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 27
Palavras 1.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa tarde Amorizinhos
Boa leitura.
Amo Vocês
<3 <3

Capítulo 14 - Discussão !


Fanfic / Fanfiction Depois de Você - Capítulo 14 - Discussão !

- Aonde você está, Sophie.... - digo em silêncio, repetindo enquanto subo as escadas.

Eu não sei em qual classe você estuda...Ou qual sala  você mais gosta...Bom.. Quando eu estava triste e fui pro terceiro andar, você apareceu lá ! Talvez você esteja lá..

Digo animada e subo correndo as escadas, não é aconselhável subir escadas correndo, mas eu só quero encontrar a Soph, mesmo que eu não a conheça bem, sinto um aperto no peito ao saber que ela sumiu.

Já no terceiro Andar, encarou a sala onde eu estava a alguns dias atrás e corro em direção a mesma.

- SOPH - abro a porta com uma precisão... Mas acabo me desanimando ao ver que a Soph não está lá...

- Ah.. - entro na sala e passeio com minha mão pela mesa empoeirada "aonde você está Sophie" digo a mim mesmo quando escuto um barulho enorme de muitas coisas caindo no andar de baixo, e logo escuto um grito.

- Sophie ?! - digo aflita e abro a porta e saiu correndo novamente pelas escadas até chegar no segundo andar onde o barulho de gemido toma lugar.

- Aienw... Que dor - Olho para as inúmeras salas ali, quando vejo a porta da biblioteca entre aberta. Claro como fui burra, eu sempre encontrei a Soph alí, digo e corro um pouco mais devagar até entrar complemente na sala e deixar a porta da mesma aberta.

- Sophie ?! - digo assustada quando a vejo sentada de frente a uma estante de livros, e rodeada dos mesmo ao seu lado no chão alguns abertos outros fechados.

- Isa ? E você - ela diz, parece meio tonta

- Sim! Soph oque Faz aqui ? Todos estão loucos a sua procura, e seu pai também ! - ela regala os olhos ao ouvir a palavra "Pai".

- Q-que M-meu P-pai ?! - ela dis quase engasgando ainda no chão e me encarando assustada.

- SIM! E as aulas TUDO pararam para procurar você ! Onde se tava ?! - ela balança a cabeça negativamente freneticamente parecendo não acreditar.

- N-Não, NÃO ISA, meu pai vai me matar! - ela diz ainda me encarando mas seus pensamentos parecem voar para longe daqui.

- Claro que não! vem, O Kauan está quase enfartando, você não quer que seu futuro marido morra né ? - Eu ri esperando ela rir e corar mas ela ainda estava perplexa.

- Não vou viver esse tempo todo... Isa você não tem ideia do que ele vai fazer, eu já era - eu a encarrei arqueando uma sombracelha.

- Olha eu nunca tive pai, mas não acho que ele vá fazer isso com você, eu vou estar do seu lado, não tenha medo daquele medicuzinho, eu não tenho - ri de lado e ela ri, mas de nervoso.

- Isso é porque você não é filha dele, ele não pode te fazer nada.... Isa....Eu tenho medo... - ela diz melancolia e eu estendo a minha mão.

- Que dramática, eu já te disse que não precisa disso, agora vem ! -Ela encarou a mesma e depois aceitou.

- Foi bom te conhecer - Ela diz, e então eu dou uma risada e descemos,mesmo sem arrumar os livros, amanhã eu o faço se nenhuma faxineira o fizer.

- SOPHIE - grita Daniel e vem correndo em nossa direção, sinto a tensão dela ao meu lado apertando a minha mão, enquanto todos nos olham e os meninos principalmente Kauan da um longo suspiro de alívio, e os mesmo correm em nossa direção.

- Sophie ! - repete ele mais uma vez e a abraça, fazendo com que sua mão se solte da minha, mas mesmo ele a abraçando ela não muda o semblante de preocupada como se o pior estivesse por vir.

- Aonde você estava ?! - Totalmente de depende ele muda seu tom de voz e seu semblante, eu a encaro e Trocamos olhares, seus olhos sobre mim meio que me dizem "Eu não disse ?".

- P-Pai eu.. - ela não consegue terminar a frase, ele a interrompe.

- Eu não dei permissão para você falar ! Agora você vai me escutar ! - ele grita com ela, eu dou um passo firme a frente mas o Matheu segura meu braço, e eu o encarou brava.

- Como você some do nada, sem avisar ninguém ! Por sua causa a escola inteira está sem Aula sabia ?! - Não foi uma pergunta, foi mais como uma acusação, eu escuto pequenas falas como "ainda bem" " não queria aula mesmo", eu olho Sophie que está nervosa e triste, eu volto o meu olhar para seu pai, o fuzilando com a mente, como ele pode ser tão grosso com a própria filha ?.

- D-Desculpa pai - ela diz e eu percebo que se controla para não chorar, eu não posso ve-la assim, e ainda mais por causa desse monstro,sem pode fazer nada, eu olho para Kauan que está se controlando também, volto meu olhar para Matheu e o xingo baixo por está me segurando.

- DESCULPAS NÃO MUDAM NADA, CONVERSAREMOS EM CASA! - Ele da um puxão nela a tirando do meu lado em uma velocidade incrível, eu a escuto gritar Provavelmente pelo susto, ou pela dor dele está apertando seu braço.

- Você não vai leva-la ! - Kauan sai do lado de Luka e em um pulo também está segurando Sophie.

- Afaste-se da minha filha, não quero nenhum de vocês mais perto dela - ele nos encaram um por um, e ao chegar em mim ele cerra os olhos eu eu quase pulo em sua garganta se não fosse pelo Matheu que ainda me segura.

- São todos más influências! - ele diz quase nos cuspindo, e empurra Kauan que segurava gentilmente o braço de Sophie o fazendo bater contra a parede, Luka corre para ajuda-lo.

- GRRR - já cansada de tudo isso puxo o meu braço e vou para cima desse medicuzinho de quinta categoria, que agora está arrastando Sophie para fora da Escola e ninguém ousa fazer nada.

- Você  é um IDIOTA ! Achando que resolve as coisas assim, eu te ODEIO do fundo do meu coração, Oque eu sinto por você é NOJO, NOJO ouviu bem ?! NOJO. Solta ela ! - Já perto dele o empurrou na parede assim como ele fez com o Kauan, ele me encara, não consigo desifrar seus sentimentos, mas São bem pior como hoje de manhã, ele me encara como se estivesse pronto para me atacar.

- ISA ! - Matheu surge atrás de mim, e me puxa pela cintura para longe.

- Me solta MATHEU ELE AGORA VAI ME OUVIR, AAAA - eu me debato e tento desprender suas mãos da minha cintura mas em vão ele só a apertava mais.

- EU TE ODEIO DANIEL, EU TE ODEIO - de relance o vejo passando pela porta ainda segurando o fino braço de Sophie, e desaparecendo diante a porta.

- AAaaaa não podemos deixar ele ir, oque ele vai fazer com ela ?! - Kauan também preso por Luka, se debate diante dos seus braços fortes.

- Nada ! Ele não vai fazer nada ! Ele é o pai dela não é ? - Luka o responde com o semblante irritado.

- Sim, mas não sabemos do que ele é capaz ! - Kauan irritado se solta dos seu braços, e eu faço o mesmo com Matheu que até agora me apertava contra sí.

- Vamos para casa ! Amanhã saberemos - Diz Luka sem exbolsar reação nenhuma.

- Não, eu não posso esperar por amanhã! - Kauan diz o encarando.

- E oque você pretende fazer ?! Ir na casa dele que você nem sabe aonde fica ?! E arrancar a força ela de lá, como o Super Homem ?! - Luka responde agora irritado.

-Eu não sei.. - Kauan responde andando de um lado para o outro.

- Olha.. Isa, ele está cuidando de você agora não é ? Se souber de alguma coisa nos avise - Luka responde tentando parecer calmo

- Eu não vou falar com ele, mas.. Se eu souber de alguma coisa eu os aviso pode deixar Kauan, e eu tenho certeza que ele não faria nada com ela... - Na verdade eu não tinha certeza, mas eu precisa ser confiante e tentar passar segurança para ele.

- Tah... Até amanhã então galera - ele diz indo em director a porta.

- Tchau Isa, tchau Matheu, eu vou com ele - Luka diz e também sai.

- Posso te acompanhar ? - Matheu me encara

- Nem vem, você me segurou - digo arqueado uma sombracelha.

- Mas.. - ele diz e eu já vou saindo da escola.

- Até amanhã Matheu - digo e saiu sem esperar ele responder, na realidade eu só precisava esfriar a cabeça, porque mesmo tento certeza que ele não estaria na minha casa, eu precisa me acalma porque se ele estivesse do jeito que estou eu pularia do seu pescoço, de verdade.

Então já estava bem longe da escola, e longe da minha casa também, eu pensei em passar pela sorveteria para falar com o Bryan.. Mas já o enchi com meus problemas demais, então comecei a caminhar sem rumo e ir andando pros lugares que nunca nem tinha consciência que existia ali na minha pequena cidade.

Tão de repente como a mudança de humor de Daniel, começou a chover, e na minha pele quente pela discussão agora a pouco, eu sentia as gotas frias da água da chuva, Eu precisava daquilo, precisava do meu tempo, então comecei a caminhar com cuidado no pequeno meio fio entre a rua e a calçada, me equilibrando como fazia quando pequena, eu pendia pros lados e dava meios gritinhos, e isso me fazia rir, acho que as pessoas que passavam de guarda-chuva a pé, ou de carro, me achavam louca mas.. Que é feliz sem ter um pouco de loucura dentro de sí ?

Eu ria e cantarolava, eu rodopiava na rua levantando meu rosto para as gotas caírem sobre ele, eu me sentia preenchida pela felicidade, como se eu tivesse que passar por tudo aquilo, pare ser um pouco feliz, mas são apenas gotas de chuvas pensei comigo.

- Como quem vai e vem. Por que eu sou de quem - Me veio a mente uma música que gosto muito, Poemas que colori da Mariana Nolasco, então comecei a cantarola e rodopiar.







Notas Finais


Espero que tenham gostado <3 nos vemos talvez sábado.
Boa tarde <3

E não se esqueçam de ir ver minha outra fanfic : Apaixonado pela minha ALUNA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...