História Depois do Efeito - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Distopia, Ficção Cientifica
Visualizações 37
Palavras 1.829
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Literatura Feminina, Luta, Magia, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá, garotada!
Como estão?
Sei que demorei mais que o normal, e até recebi mensagens pedindo para continuar logo, sinto muito.
Mas como disse no primeiro capítulo, não tenho dia certo para postar. Portanto, espero que entendam.

Música Tema: Shake Me Down - Cage The Elephant

Capítulo 12 - Sessão dois: Capítulo Dois


Fanfic / Fanfiction Depois do Efeito - Capítulo 12 - Sessão dois: Capítulo Dois

   O fogo dos candelabros se mexia lentamente, chamando atenção de Anastasia. A garota estava inquieta sentada na mesa farda de alimento. Por mais que quisesse comer, seu instinto dizia que aquela comida não era confiável, e quando olhou Jason e percebeu que o mesmo também não iria comer, assim o fez. Seu irmão se deliciava com a carne de uma ovelha suculenta, devorando como se fosse um verdadeiro animal. E como Anastasia queria não ser tão desconfiada para poder comer assim como o caçula dos Fitzgerald fazia.

- Anastasia, o que te aflige? - a voz dita por Thomas chamou atenção da garota, que negou rapidamente.

- Somente não estou com fome - explicou-se, sorrindo simpática para o homem.

- Entendo. Mas pense nos jovens que desejam em estar ao seu lugar. Se comer, no outro dia poderá ajuda-los. O que acha? - Thomas dizia convicto.

- Têm razão - Anastasia disse, cansada de se esforçar.

- Sim. Tenho - Thomas disse, se calando para devorar a salada.

   Jason observou Anastasia, que calmamente apanhava o prato para por a carne que estava exposta na mesa. Olhou desconfiado a garota, que dizia com os olhos para não se fazer a desfeita. Era tudo um plano. Jason também pegou um prato, o banhando com a comida oferecida, deixando Thomas orgulhoso.

- Jason, me conte, como você está, meu irmão? - o moreno indagou, pondo o alface na boca.

- Já tive dias melhores. E você, Thomas? - Jason o observava, enquanto se deliciava com o prato.

- Você sabe, meu irmão. Não está fácil - Thomas disse, terminando seu prato e usando o papel toalha para limpar sua boca.

    Assim como Thomas, Alexandre também terminou de comer, limpando seus lábios com o papel toalha. Alexandre estava tão entretido no almoço que não prestava atenção na conversa entre sua irmã, Jason e Thomas. Até porque, só estava ali à convite de Anastasia.

- Alexandre, se quiser se retirar, está tudo bem - Thomas disse, fazendo Alexandre agradecer, saindo da sala de jantar, sendo acompanhado por dois homens.

- Onde levaram Alexandre? - Anastasia perguntou, observando os homens atravessarem a porta junto com Alex.

- Numa cabana próximo daqui. Poderei te levar lá depois, Anastasia - Thomas se voluntariou, sorrindo amigável.

- Obrigada, senhor Thomas. Mas posso me virar sozinha - Anastasia disse, direcionando seus olhos ao Jason que assentiu, orgulhoso.

- Como desejar - Thomas deu de ombros, se erguendo - Pedirei para que à levem até seus aposentos. Meu irmão e eu temos muito que conversar.

   Anastasia analisou Jason, questionadora. Jason não a olhou, sabia o que deveria ou não deveria dizer. Assim que alguns membros do grupo do sul se aproximou, a escoltaram para fora da casa, a levando na cabana de seu irmão.

   Jason se levantou ficando ao lado de Thomas, que passou sua mão pelas costas do mesmo, o guiando para fora da sala de jantar, indo até a sala. Se sentaram no sofá, Thomas na poltrona em frente a fogueira, deixando a sala mais quente.

- Vejo que você mudou, Jason. O que te aborrece? - Thomas perguntou.

- Thomas, aceitei somente seu almoço para um objetivo óbvio e sabemos que isso não se trata de família - Jason disse, se apoiando ao joelhos - Como Genevieve está?

   Thomas sorriu, deixando Jason com a expressão mais fechada do que antes. Jason sabia que Thomas ainda tinha contato com Genevieve, ambos eram parceiros. Mas somente para negócios, como alimento e entre outras coisas.

- Gene está impossível. Ela sente muito sua falta, Jason - Thomas revelou.

- Sabemos o que verdadeiramente ela quer comigo, Thomas - Jason disse.

- Compreende que se não fizer isso, Cora irá morrer? - Thomas esbravejou, batendo a mão na mesa do centro - Se não fizemos algo, ela morrerá daqui algumas semanas.

- Isso não me importa, Thomas - Jason encostou suas costas no assento, cruzando seus braços.

   O homem estava zangado com Jason. Thomas não entendia o porque Jason não querer ajudar Cora, todos eles eram amigos dela. Thomas sempre sentirá ciúmes da esposa com Jason. Quando Jason fez a rebelião, deixando Cora para trás, para morrer, ela não só se sentia vazia como triste, e quem teve que juntar os cacos foi Thomas.

- Tempos atrás você se importava - Thomas disse, se acalmando e retornando a se sentar. Como um verdadeiro diplomático.

- Tempos se passam e mudamos, Thomas - Jason disse, dando de ombros - Agora, me diga. O que você e Genevieve andam aprontando?

   Thomas rolou seus olhos, irritado com a direção da conversa. Mas disse:

- Genevieve e eu, somente conversamos sobre negócios. Não tenho nenhum contato familiar com Gene, compreende? - Thomas indagou.

- Não confio em você, Thomas - Jason disse, determinado.

- Não precisa que confie, Jason. Faço isso tudo por nosso povo. E você verá que graças a mim, ninguém mais morrerá - Thomas dizia tudo com arrogância, deixando Jason fardo.

- Me perdoe, meu irmão - Jason debochou, dando continuidade: - Mas existem jovens do lado de fora desse muro que podem estar morto. E existem jovens que já estão mortos. E se souber que você disse à Genevieve onde estávamos, juro que o mato.

- Além de querer o morto, ainda preciso de você. Não se esqueça disso - Thomas suspirou, cansado - Agora, vou-me descansar, tive um dia cansativo. Digo para fazer o mesmo.

   Thomas se ergueu, andando até os degraus, só que permaneceu no primeiro quando Jason disse:

- Onde está Anastasia? - Jason questionou, ainda sentando de costas ao homem.

- Está interessado na garota, meu irmão? - Thomas perguntou, um tanto malicioso - Sabe que o futuro dela está prometido á morte. Portanto, aconselhe que se desapegue da garota. O quanto mais antes possível.

   Jason suspirou fundo, escutando as verdades que ninguém tinha os direitos de dizer a ele. O moreno se levantou, se virando e analisando Thomas, que continha um sorriso ardiloso no rosto.

- Peça a um guarda o levar a cabana quatro do corredor sete - Thomas sugeriu, retornando a subir a escada e desaparecendo na paisagem.

   Jason introduziu sua mão na calça de seu jeans, pensando nas palavras de Thomas. Jason estava sendo egoísta de pensar somente sobre seus sentimentos que nem pensou que também a faria sofrer, caso estivesse interessando pela primogênita da família Fitzgerald. Não poderia. 

   Por fim, saiu andando, vendo o céu nublado e alguns trovoados. Alguns sujeitos passavam por ele, murmurando entre si próprios, dizendo coisas que talvez Jason soubesse. Enquanto andava sem rumo pela vila, escutou assobios e gritos ao seu alcance, quando se aproximava, notava ser Afrodite tendo um conflito com Aidan, que a fazia de boba, correndo por um lado e para o outro.

- Seu desgraçado. Fique quieto e lute comigo como um homem - Afrodite brandou.

   Aidan, satisfeito, permaneceu nas costas da loira, a empurrando e fazendo cair. 

- O que dizia? - Aidan disse, se afastando da mulher que se levantava.

   Pela primeira vez, desdem que conheceu Afrodite, Jason nunca a viu tão irritada quanto agora. Aidan tinha um certo dom de conseguir irritar os outros ao ponto de querer matá-lo; o que nunca conseguiam, porque Jason o defendia, ou seu próprio irmão.

   A garota sacou rapidamente sua faca de dentro de seu sapato, querendo atingi-lo. Mas Jason sabia que não daria certo; na perspectiva de Aidan, o mundo é mais lento que o normal, portanto ele se desviaria e acertaria algum membro do grupo do sul ou até mesmo um jovem.

- Afrodite! - Jason atravessou as pessoas, notando Afrodite formar uma posição de soldado - O que pensa que está fazendo?

- Jason, sinto muito - abaixou seu rosto, enquanto Aidan caçoava de sua cara.

- Aidan, o que fez? - Jason indagou, sabendo que o mais novo havia aprontado mais uma vez.

- Jason, convenhamos, sou irresistível - Aidan disse soberbo, fazendo Jason suspirar fundo.

   O moreno havia se esquecido como o garoto era vaidoso. Nunca gostará desse feitio de Aidan; mas mesmo assim o tratará como irmão que nunca teve.

- Afrodite, ache um lugar para ficar. Deixe que resolvo - Jason disse, pondo sua mão no ombro da mulher.

   Afrodite assentiu, andando para fora da roda, deixando muitos desapontado por não concluir com a briga. Aidan sorria debochado e disse:

- Você virou um estraga prazeres, meu irmão - Aidan disse, cruzando seus braços - Cadê aquele Jason de épocas atrás?

- Aidan, os tempos mudaram - Jason disse, aproximando de Aidan, e continuou - E você não mudou nada, não é mesmo?

- Sabe como é. Se arrisque para a vida se arriscar por você.

- Isso ainda matará você, Aidan - Jason aconselhou.

- Não tenho medo da morte, meu irmão - Aidan sorriu francamente, e deu continuidade - Conversou com Thomas?

   Ambos caminhavam entre as barracas juntos, agora mais sério que antes. Aidan sentia saudades de Jason, o mesmo cresceu com ele não só como amigos e sim como irmão. Genevieve até dizia que eles eram os três mosqueteiros, e isso deixava o trio mais unido que antes; com as noite, antes de dormir, brincarem de mosqueteiros junto com Cora, a filha de Genevieve.

- Sabia que Thomas ainda tem contato com Genevieve? - Jason perguntou surpreendendo o moreno.

- São apenas negócios, Jason - Aidan disse irrelevante.

- Nós dois sabemos que Genevieve e Thomas sempre foram mais próximos. Temo que ele que nos entregou a Genevieve - Jason disse, observando a feição de Aidan, atento para descobrir algo.

- Thomas não seria capaz disso. Sabe que ele quer ter paz mais que todos - Aidan argumentou, parando em frente a Jason.

- Sabemos também que Thomas é determinado. Até que ponto ele chegaria para ter paz? - Jason indagou, notando a cabana com o seu nome escrito na porta.

- Jason, não duvide das intensões de meu irmão. Thomas é o homem mais honrado e digno que conheço - Aidan esbravejou, zangado.

   Além dos mais, Aidan ainda era irmão de sangue de Thomas, não deixaria Jason falar mal de Thomas como um o vilão. Até porque, Aidan sabia que Thomas era forte o suficiente para ficar a favor de seu povo; e ele jamais voltaria ser próximo a Genevieve.

   Jason deu de ombros, subindo as escadas da varanda e deixando Aidan inquieto com os pensamentos, imaginando se seu irmão iria ser radical daquele jeito. Aidan sabia que Genevieve apenas queria uma coisa: Anastasia Fitzgerald. Mas Thomas não iria dizer onde ela estava, sabendo que Genevieve mataria quem ou o que fosse detê-la.

   Aidan desejava com todas as suas forças que Thomas não tivesse feito isso.

   Jason adentrou na cabana, vendo uma pequena sala rústica, com uma fogueira e alguns acentos, nada de especial. Retirou seus sapatos, os jogando no canto da sala e caminhou ao quarto, se jogando na cama para assim dormir, deixando sua mente mais tranquila do que o normal.


Notas Finais


Até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...