1. Spirit Fanfics >
  2. Depois do Fim >
  3. We win

História Depois do Fim - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - We win


O plano era literalmente muito simples, ao menos foi o que Yoongi pensou de primeira, acontece que não era nada simples e ele descobriu isso quando eles começaram a colocá-lo em ação.

A primeira parte era cercar discretamente o Núcleo, que ironicamente era no centro da cidade, depois de cercar alguns solitários iriam entrar no Arco seguindo as instruções detalhadas de Hyuna. Por ser dia daquele evento macabro os guardas estavam praticamente todos focados na execução, poucos patrulhavam o Arco e alguns estavam dispersos por toda a grande muralha do núcleo voltados para o centro, vendo a execução.

Era confiança, confiança até de mais que os resistentes não iriam fazer nada, eles realmente estavam prestes a cair por isso.

Quando todos estavam em posição aconteceu a primeira explosão e foi naquele momento que Yoongi percebeu o que realmente eles estavam fazendo.
A segunda explosão ocorreu a mais ou menos um quilometro da primeira e assim por diante, foram doze explosões até que a décima terceira fizesse os guardas irem até a saída ver o que estava acontecendo e esse era o sinal.

Os resistentes foram avançando e já estavam dentro do Arco quando a patrulha percebeu o que estava acontecendo, e eles tivessem que lutar.

Tudo estava acontecendo num ritmo absurdo e Yoongi se assustou quando Namjoon o segurou pelo colete e empurro para um canto se abaixando atrás de uma caçamba antiga de lixo, cara a cara eles se olharam.

— você vai direto no Hoseok entendeu? Vou abrir uma brecha e você corre até o muro, sobe aquela escada — ele disse apontando para uma escada de manutenção ao lado do enorme portão — vai ter uma porta de segurança, atira com isso — lhe entregou uma arma menor — vai ferrar o circuito e a porta vai abrir, você entra e acaba com quem estiver lá dentro, abre os portões e espera a primeira parte entrar, quando entrar é direto no Hoseok e depois entra no prédio principal — finalizou se levantando rapidamente e olhando em volta fazendo sinal para Yoongi se manter abaixado

Namjoon saiu e demorou cinco minutos antes de se jogar novamente ao lado de Yoongi com JungKook ao seu lado

— o Kook vai com você — falou para o mais velho — você vai ajudar ele a entrar no prédio principal, ele vai saber o que fazer — levantou novamente olhando em volta e dando alguns tiros antes de voltar ao lugar — contem até três e corram — falou antes de sair correndo

JungKook e Yoongi se olharam, o mais novo levantou a mão com três dedos esticados e em silêncio fez a contagem, quando o último dedo se abaixou os dois saíram correndo rumo a escada, todos pareciam saber o que eles faziam pois nada entrou em seu caminho até a escada. Eles a subiram com rapidez, Yoongi na frente com a arma firme das mãos e JungKook atrás cuidando de qualquer patrulheiro que os incomodasse lá de baixo.

Quando estava quase chegando na porta de uma sala de controle um guarda entrou em seu campo de visão apontando uma arma, Yoongi rapidamente atirou sem se preocupar com o local e correu empurrando o homem que caiu por cima do corrimão da escada, o Min não esperou para ver o que acontecia com aquele guarda, apenas foi até a porta e pegou a pequena arma que Namjoon tinha lhe dado atirando num painel digital vendo um cartucho metálico grudar na placa que logo desligou liberando o acesso à sala.

Quando empurrou a porta Yoongi foi recepcionado por cinco pessoas, dois homens e três mulheres, duas mulheres lhe apontavam armas junto à um dos homens, as outras duas pessoas estavam próximas à uma espécie de painel que o Min deduziu se tratar da abertura dos portões, antes que decidisse o que faria de fato JungKook entrou atirando nas quatro pessoas que lhes apontavam as armas e em seguida atirou no homem que estava afastado, deixando apenas uma mulher viva.

— abra esses portões — Yoongi se forçou a dizer enquanto apontava a arma para ela

— não vou fazer isso — respondeu com a voz tremula

— sim você vai — ele voltou a falar — você vai falar e talvez a gente pense em te deixar viva

— vão me matar de qualquer jeito — a mulher choramingou

— não vamos — JungKook falou — mas se você não quiser nos falar tudo bem, vai fazer companhia para os seus amiguinhos

Yoongi viu a mulher tremendo com força se direcionar até o painel mas segurou a mão dela antes que tocasse em qualquer coisa

— não sou tão idiota, fala o que devemos fazer — ele disse

A mulher deu instruções que JungKook seguiu até que fosse pedido uma senha que ainda tremendo ela ditou, quando Jeon apertou o botão para finalizar o barulho dos portões sendo abertos foi escutado e a mulher escorregou até o chão ainda tremendo.

— como vou lá para dentro sem ter que ir até os portões? — perguntou vendo a mulher apontar para outra porta meio escondida

Yoongi e Jeon esperaram até a primeira parte dos resistentes entrar para então deixar aquela sala, não sem antes trancar a mulher lá dentro, voltariam para libertá-la depois.

Foi na metade da enorme escada escura que levava até o Núcleo por dentro da enorme barreira que Yoongi e JungKook perceberam que eles estavam muito ferrados. O barulho das botas batendo contra o chão e ecoando nas paredes frias foi o aviso de que a patrulha estava subindo e que eles eram muitos.

— vamos ter que lutar Hyung — Jeon falou recarregando a arma — atirar sem dó e se a munição acabar derrubamos como der — decretou ao mesmo tempo que o mais velho terminava de recarregar a arma

E então eles correram em direção a tropa que subia, a luta que se seguiu parecia estar se passando em velocidade absurda, Yoongi e JungKook lado a lado fechavam o estreito corredor de escada e a primeira visão dos inimigos passaram a atirar sem nem mesmo uma mísera pausa. A surpresa inicial deu a eles vantagem o suficiente para matar quase metade dos homens que vinham em sua direção e quando os outros se recuperaram do susto o pequeno corredor virou uma verdadeira bagunça.

O Min viu os homens de farda branca correndo na direção deles com as armas disparando e rapidamente se abaixou e pegou em um dos corpos mais próximos o usando de escudo, sabia que seria impossível avançar já que sustentar um corpo morto era trabalhoso e cansativo de mais para que o permitisse lutar por isso olhou para Jeon que tinha feito o mesmo que si e com um afirmar de cabeça eles jogaram os corpos em direção aos homens que chegavam.

O peso dos cadáveres foi o bastante para derrubar três homens e com isso Yoongi e JungKook pegaram armas dos homens já mortos e passaram a correr e atirar em quem entrava em seu campo e visão, no entanto quando aquelas balas acabaram ainda restavam cinco homens de pé e foi contra eles que a dupla de resistentes investiu.

Batalha corpo a corpo não era realmente algo que Yoongi apreciasse, mas depois de certo tempo como resistente você acaba percebendo que toda preparação é necessária e era por isso que ele tinha aprendido o bastante para não morrer, foi esse bastante que o fez derrubar dois homens e sair correndo ao lado de JungKook abrindo a porta no fim da enorme escadaria vendo que a bagunça já estava se formando.

A luz do sol machucou levemente os olhos mas ele correu pegando uma arma caída no chão e passou a varrer todo o local com o olhar e foi naquele momento que ele viu Jung Hoseok naquele palanque ao lado do comandante do Núcleo.

Yoongi disparou até o local derrubando quem entrasse em sua frente e ele sabia que JungKook estava atrás de si e por isso nem mesmo piscou antes de subir naquele palco idiota e apontar a arma para o homem engravatado enquanto Jeon aniquilava qualquer patrulheiro a sua volta.

— você vem com a gente — falou empurrando o homem com a arma enquanto todos os presos de dispersaram pela bagunça ao verem os guardas mortos por Jeon

O homem vendo toda situação apenas seguiu pelo caminho tendo suas costas constantemente empurradas pela arma de JungKook que tinha tomado o lugar de Yoongi.

O Min se virou para Hoseok e sorriu

— ninguém fica para trás — falou o abraçando apertado

— você não existe Min Yoongi — Hoseok sussurrou segurando o rosto do outro e lhe selando os lábios com força

Os dois se afastaram e Yoongi agarrou a mão do outro como tinham feito a dias atrás e eles seguiram Jeon até o prédio do Comando.

O caminho até lá foi tranquilo já que a guarda estava sobrecarregada de mais em tentar conter os resistentes sem matar ninguém do núcleo.

Quando entraram no enorme prédio puderam ver a extensa recepção moderna e clara, com pressa JungKook empurrou o comandante até o elevador

— vamos para a sala de comando — falou vendo o homem o olhar com seriedade

— não sei do que você está falando

— vocês não facilitam em — murmurou o mais novo de todos — quero que me levem para a droga do lugar que vocês usam para falar com a União seu idiota

— você de...

— Escutou o que ele falou — Yoongi disse colocando a arma na cabeça do homem — nos leve para sala e nem tente uma gracinha, somos três caras e duas armas contra você

O homem botou a mão num enorme painel ao lado da porta do elevador e então as portas se abriram, todos entraram e Yoongi e JungKook fizeram questão de deixar o homem entre as duas armas.

O Comandante apertou um código de quatro números e o elevador começou a subir, não levou tanto tempo quanto Hoseok achava que levaria até as portas se abrirem e eles darem de cara com todo um andar.

O lugar possuía todas as paredes dando visão para fora do prédio, no centro uma enorme mesa de controle branca era vista e ao redor várias bancadas e cadeiras enfileiradas de forma a circular todo o local, como se fosse uma enorme sala de reunião.

— bom garoto — disse Yoongi sarcástico

— agora, ligue para a União — Jeon disse o empurrando até o centro

— o que você pensa...

— ok vamos facilitar, eu quero saber como ligo para a União e eu te dou dez minutos antes do meu amigo atirar na sua cabeça— JungKook falou sem paciência

— precisa de mim, o sistema só abre com minhas digitais — o homem falou sarcástico

— bem, a gente precisa da sua mão, não de você— Hoseok falou irônico

— olha, okay eu falo — o comandante engoliu em seco — é apenas digitar o código e a minha mão ser escaneada

— que código? — Yoongi perguntou

— U, Z, V, U — ditou e JungKook foi até a enorme mesa digitando o que era dito vendo um escâner ser solicitado

— põe a mão aqui babaca — falou e o Comandante foi até o local tendo a mão escaneada

— União sendo contatada — uma voz eletrônica ressoou por todo lugar

— não precisamos mais dele — Hoseok falou

— não vamos matá-lo, Nam tem outros planos — Jeon falou indo até o homem e pegando algumas cordas, que até então ninguém tinha percebido, em sua cintura e amarrando o comandante a uma das cadeiras

Os três resistentes se aproximaram da mesa central analisando a tela que mostrava o símbolo da União, a antiga Pangeia no centro de um círculo dourado

— você foi adicionado à espera da União, favor aguardar — uma voz feminina pronunciou e os três se olharam incertos

Yoongi olhou para Hoseok que estava parado ao seu lado com atenção, droga como ele sentia falta dele, como simplesmente estava entrando em combustão por ainda não ter lhe abraçado e beijado como de fato queria, suas células pareciam querer queimar só com a ideia de que eles finalmente estavam juntos mas ainda não podia ter o que queria.

Hoseok suspirou e andou até a primeira fileira de bancada e se sentou suspirando, olhou para o Min que o observava com atenção e estendeu a mão, ele também estava sentindo seu corpo inquieto, sentia que logo sua mente criaria forma para lhe impelir a fazer o que vinha ansiando durante o tempo de cárcere.
Yoongi se aproximou segurando a mão estendida e sentiu o corpo ser puxado na direção do mais novo e então tudo pareceu queimar quando os braços de Hoseok o envolveram com força, seu corpo pareceu finalmente... certo.

— senti sua falta Hyung, mais do que achei que seria possível — a voz de Hoseok saiu abafada contra o peito de Yoongi que ainda estava de pé

— eu senti também, mas ainda tive espaço para querer acabar com a sua maldita raça — o mais velho falou segurando o rosto do outro e o fazendo lhe olhar — droga Hoseok eu senti tanta raiva quando percebi o que você tinha feito, tanta raiva quando eu vi que não devia ter confiado em você mas que fui burro e fiz isso pois é isso que eu sempre faço...

Yoongi não pode continuar falando, não quando as lágrimas que ele tinha trancado no fundo de si saíram como as gotas de uma tempestade.

— me desculpe — a voz do Jung era baixa — eu só precisava te salvar...

— você não é a droga de um herói Hobi — Yoongi o interrompeu com a voz chorosa — eu não estava nem aí se a gente ia morrer merda, eu só não queria que te tirassem de mim

— nós dois sabemos que foi a melhor decisão Yoon — Hoseok falou com um sorriso fraco enquanto fazia um delicado carinho no rosto molhado do mais velho — eu sabia que você não ia entender isso na hora, a adrenalina, o perigo, tudo aquilo nublaria sua racionalidade, mas a gente sabe que um de nós teria que voltar, os meninos não poderiam perder nos dois, seria problema de mais, eu apenas pensei mais rápido e tomei a decisão difícil

— eu odeio como tudo isso aconteceu, odeio ter te deixado para trás como um fracote...

— ei ei ei, não fala isso, ficou maluco? — Hoseok se exaltou— acha que se você fosse um fracote eu ia te deixar sair dali sozinho? Que iria ter te levado até o Arco comigo? Pelos céus Min Yoongi você é a pessoa mais forte que eu conheço, eu te fiz correr apenas por não conseguir nem pensar em deixar eles colocarem as mãos em você, eu te amo e eu fui... A droga de um herói, como você disse, por isso.

— então me promete uma coisa... herói— a voz de Yoongi saiu firme, mas a pontada de humor fez um sorriso brincar nos lábios do mais novo — nunca mais me deixe no escuro sobre qualquer coisa, eu te amo e foi uma droga ter que lidar com tudo isso, da próxima ou morremos juntos, ou somos presos juntos, ou escapamos juntos, do contrário nada feito.

— tudo bem... posso lidar com isso — Hoseok falou tomando os lábios de Yoongi com carinho e sentindo pela primeira vez o seu corpo se tranquilizar e sua mente se clarear novamente.

Mas então um barulho despertou todos os três resistentes, as janelas de emergência foram baixadas e um alarme de emergência soou por todo prédio, o Comandante do Núcleo os olhava com repulsa e determinação, a cabeça próxima a um dos muitos painéis disponíveis nas mesas que circulavam a sala e o corpo ainda preso a cadeira.

— droga — JungKook praguejou indo até o homem e o agarrando pelos cabelos — o que você fez seu doente?

— nunca vão falar com a União, os patrulheiros já vão chegar, não vão sair

— seu estúpido acha mesmo que sobrou algum patrulheiro? — Yoongi falou parando a frente dele— desfaça isso agora

— por qual razão? — o comandante sorriu cínico e logo a voz eletrônica foi escutada, a comunicação tinha sido cortada com acionamento do sistema de segurança

— bem... você se trancou no prédio com nos três, sua ajuda não vai chegar, eu e esses dois estamos acostumados a passar algum tempo sem provisões e você? — Hoseok falou com tranquilidade

— não ganhará nada de mim — ditou firme

JungKook grunhiu e jogou a cabeça do homem contra a bancada quebrando o painel da mesma e se dirigindo até a mesa de controle central, observou a tela que se erguia a sua frente e pensou com calma logo tendo uma ideia completamente infundada, com pressa digitou a palavra "cancelar" e o símbolo de emergência apareceu na tela.

— deseja continuar o cancelamento do sistema de segurança? — a voz eletrônica perguntou e apareceram duas opções na tela, com rapidez JungKook apertou a confirmação e o alarme parou, as janelas se abriram novamente e ele olhou para os mais velhos

— como você fez isso? — Hoseok perguntou admirado

— sei lá... até agora tudo deles era tão óbvio que eu resolvi testar a coisa mais óbvia que pensei — disse voltando a fazer o processo de comunicação com a União

— sorte a nossa eles serem burros então— Yoongi falou se pondo ao lado de Hoseok e sentindo o ombro ser envolvido pelo braço do mais novo

Diferente da outra vez o símbolo da União brilhou e então a tela mudou, agora uma mulher os olhava, ela possuía cabelos cacheados na altura dos ombros e feições ocidentais, parecia usar um blazer preto e uma blusa vinho, um óculos dourado completava toda a imagem imponente da jovem de lábios vermelhos que lhes sorriu com um humor letal

— olá, vocês chamaram a União e eu sou Angel, a líder e pelo que vejo seu comandante não está comandando mais nada.

— pode se dizer que não — Yoongi falou

— podem me dizer a razão de estamos nessa... inesperada ligação?

— queremos ajuda — JungKook se pronunciou tomando a frente e falando o que Namjoon tinha solicitado — vamos contar a verdade, a que vocês não sabem e esperamos que nos ajude

— teremos uma longa conversa então! — sentenciou Angel.


◇◇◇


O tempo tinha passado com lentidão, no início os habitantes do Núcleo não aceitaram muito bem, mas os resistentes já tinham ficado muito tempo fora dos muros e por isso não havia discussão sobre as coisas voltarem ao que eram.

A União foi inteirada de toda realidade que envolvia o Núcleo e Angel tinha sido categórica em afirmar que tudo seria analisado e as coisas iriam funcionar como deviam.

Yoongi e Hoseok estavam parados numa área mais aberta do Arco, tinham sido encarregados de buscar a delegação da União que estava vindo avaliar toda a situação pessoalmente depois de duas semanas desde a invasão.

As coisas entre eles estavam como sempre e ao mesmo tempo que isso era bom, se tornava quase agonizante, eles sabiam que as coisas não podiam ser as mesmas, não tinha mais espaço para isso dentro deles, mas toda a situação fazia com que protelar aquilo fosse o mais confortável a se fazer.

— okay eu não aguento mais — Yoongi falou enquanto eles estavam parados olhando para o nada — até quando vamos ficar assim?

— do que esta falando? — Hoseok perguntou o olhando atentamente

— disso — sinalizou os dois — dessa... coisa que a gente tá vivendo desde a invasão, pelos céus Hobi a gente viveu na merda durante anos, enfiados num buraco de baixo da terra lutando para não morrer, eu podia compreender que não tinha espaço para mais nada e mesmo assim a gente... tinha alguma coisa, mas a coisa mudou, eu literalmente matei mais pessoas do que posso contar para te recuperar, o que tínhamos não é o suficiente, nunca foi, mas agora parece insuportável

Hoseok suspirou se aproximando e segurando os braços do outro com carinho

— eu sei tá bem? Eu sei, mas... é estranho Yoon, eu não sei o que fazer, o que a gente tinha antes, aquela coisa, era simples, era fácil e agora... eu não sei se posso lidar com algo maior que aquilo okay? Eu nunca aprendia sobre isso, eu aprendi muitas coisas, eu sei muitas coisas, sentimentos e relacionamentos não estão entre elas.

Eles ficaram em silêncio por um tempo, apenas se olhando, presos na sua própria consciência, em sua própria angústia até que Yoongi tomasse coragem e se aproximasse segurando o rosto do mais novo, como tinha feito naquela sala de comando semanas antes.

— podemos tentar, eu não sou tão mais velho que você, eu também não sei muito sobre isso, mas eu posso tentar aprender — sorriu com carinho — você me ensinou muita coisa Seok... me ensinou muito sobre como não morrer e como viver num mundo depois do fim dele... posse tentar te mostrar o pouco que sei sobre os sentimentos e o resto... A gente pode descobrir junto, costumavam dizer que as coisa são mais fáceis quando se tem alguém.

— eu posso errar muito Yoon — Hoseok falou grudando as testas

— e eu também posso, mas a gente pode descobrir a forma certa depois e concertar os erros, ninguém nasce sabendo nada... por favor... vamos tentar, eu só preciso ter você comigo, o mundo já acabou e eu já o perdi, não posso deixar que a gente acabe... ou que eu te perca

— você não me perderia Min Yoongi... nem que o mundo acabasse de novo

— Por favor não vamos nem pensar sobre isso — uma voz feminina os despertou e ambos se viraram em direção a voz

Lá em meio ao caos que era o Arco estava Angel, a sarcástica e letal agente da União, ela não parecia muito pomposa como o antigo Comandante do Núcleo mas sem duvidas ela era mais poderosa e forte que ele.

— Angel, eu suponho — Yoongi se adiantou estendendo a mão

— eu mesma — disse sorrindo e apertando a mão que lhe era oferecida com determinação — acredito que tenhamos assuntos a discutir

— sem a menor dúvida— Hoseok falou tomando a frente da caminhada.

Não demorou muito para que todos estivessem na antiga sala de comando do Núcleo e que a reunião fosse iniciada.
A verdade que os Comandantes do Núcleo esconderam por anos foi revelada e a agente da União escutou cada pequeno detalhe de toda a realidade que assolava um dos muitos países que tinham se reerguido depois do fim.

— suponho então que o que devemos fazer já esteja claro para todos — Angel se pronunciou — vamos garantir que o povo todo saiba disso, se vão ou não acreditar já é outra história, falemos eleições para um novo comando, uma coisa que a União presa mais que tudo é justiça e por isso é vital que todos participem, faremos questão de reunir provas para provar tudo que vocês afirmarem ao povo e até o presente momento vocês são povo da União, cuidaremos de vocês, e garantirmos que todo o processo de recuperação seja tranquilo e acima de tudo justo, recomendo uma reunião geral com todos os residentes do Núcleo, antigos e novos, para que tudo seja transparente ao povo. Acho que é só, obrigada pela sinceridade e confiança, por hora eu preciso conversar com aqueles que me convocaram.

Os demais foram deixando o local até que restasse apenas o grupo de sete que Namjoon liderava, a conversa com Angel foi tranquila, apenas para certificação de alguns pontos e histórias.

O tempo passou mais rápido do que todos esperavam e logo Angel estava se encaminhando para seu transporte de volta, ao lado de Hoseok e Yoongi.

— como é? Seu país — Yoongi se permitiu perguntar cedendo a curiosidade

— em sua maior parte...devastado como os outros, mas assim como aqui conseguimos nos reerguer, nos unimos com alguns vizinhos e bem... um antigo ditado dizia que a União faz a força — a mulher riu

— não sabemos muito sobre tudo que aconteceu, resistentes foram privados de certas informações— Hoseok comentou — nunca soube o que é a União de fato

— somos... bem um União— a mulher gracejou — depois do... fim do mundo, meu país e alguns vizinhos se uniram, foram se reerguendo e recuperando o pouco que conseguiam de tecnologia e inovação, então as informações foram chegando, os países que tinham sido dizimados, o que ainda sobreviviam, a queda da ONU... a União precisava se estabilizar, eramos os maiores de todos por sermos mais que um país, sermos uma junção. A maior parte de nós era jovem e destemida, força juvenil é uma grande arma de mudança e crescimento, daí para frente foi...natural e bem aqui estamos

— você parece tão jovem... como pode comandar algo tão grande? — perguntou Yoongi parando a frente do veículo de Angel que se virou os olhando com simpatia

— idade não é fator limitante para isso, não quando suas prioridades, responsabilidades e senso de justiça são bem fundados. Meu povo me elegeu e por isso estou onde estou, mas eu não tenho poder ilimitado, eles me colocaram e eles podem me tirar se perceberem que não estou agindo como devia.

— vocês tem uma boa filosofia — Hoseok falou passando o braço pelos ombros de Yoongi

— vocês vão ter uma também — falou Angel acenando com a cabeça e entrando no veículo

Os dois observaram a mulher se distanciar e mesmo depois que não conseguiam mais a ver, Hoseok se virou para o mais velho abrindo um sorriso que fez Yoongi o olhar incerto

— o que acha de irmos para a reserva? Pro lugar que a gente morava — propôs Hoseok

— como?

— desde que tudo aconteceu a gente... ficou diferente e depois da nossa conversa mais cedo acho que irmos para onde tudo começou é um bom jeito de iniciar nossa aprendizagem — falou com um sorriso que não dava a muito tempo e Yoongi sentiu seu coração transbordar com isso

Só precisou que Yoongi afirmasse com a cabeça para que eles fossem em direção ao local, como se não existisse mais nada além deles, como se o mundo não tivesse acabado, como se eles não tivesse matado e quase sido mortos, como se anos e anos de sobrevivência pós desastre não tivesse os desgastado.
Eles andaram por aquelas ruas pela primeira vez sem olhar com saudade os restos do que elas foram um dia, eles não estavam mais fugindo de patrulhas, buscando restos de comida dentro da validade, eles não estavam mais saudando aquelas ruas com melancolia, não estavam mais remoendo o passado antes daqueles desastres, pela primeira vez em muito tempo eles estavam imersos num mundo onde o passado e o presente não importavam, que o antes e o depois do fim não eram pesos sendo arrastados, mas que eles estavam vencendo na sua própria bolha de amor.

E quando eles se deitaram naquele antigo quarto que dividiam e se enroscada um no outro para se entregarem ao reino dos sonhos eles não divagaram sobre como suas vidas eram pesadas e desgastantes, eles não sentiram o peito afundar com o sentimento de derrota, não sentiram as costas doendo pelo peso de serem sobreviventes e ainda assim perdedores, eles se entregaram ao mundo dos sonhos sentindo que eram vencedores, que tinham ganhado a batalha de suas vidas, que tinham o maior prêmio de todos lhes sendo entregue e essa era a melhor sensação do mundo.

Não importava quanto tempo tinha levado para o mundo se reerguer, se o governo parecia esconder mais do que pensavam, se o mundo já tinha acabado, se as coisas iam voltar ou normal ou não, se a água era tóxica e o ar matava aos poucos, pela primeira vez não fazia a mínima diferença qualquer coisa dessas, pois pela primeira vez Hoseok e Yoongi sentiam a sensação mais avassaladora que qualquer ser humano podia sentir, o sentimento mais irritantemente forte que a raça humana tinha conhecimento, pela primeira vez eles distinguiram e conheceram o que era a paixão, o que era o amor entre duas pessoas que se conheceram ao acaso e que simplesmente aprenderam a se gostar acima de todos os erros e defeitos, conheceram a realidade de amar e poder sentir os braços de quem se ama a sua volta lhe apertando com força, eles entenderam o sentimento que aprisionaram por tanto tempo de baixo das preocupações da sobrevivência, eles entenderam toda aquela parceria e entendimentos silenciosos que só duas almas unidas pelo amor e paixão poderiam ter.

Yoongi tremeu naquela noite ao constatar, já a beira de adormecer, que aquele sentimento era tão devastador quanto todos os terremotos e explosões que arruinaram o mundo e que se ele não tivesse recuperado Jung Hoseok o mundo não seria o único devastado.

Pois Jung Hoseok era para Min Yoongi, tal qual Min Yoongi era para Jung Hoseok a representação da arma mais poderosa de todas, capaz de manter um império firme sob qualquer tempestade e arruinar uma civilização quando ameaçado.


Notas Finais


Este foi o quarto e último capítulo de Depois do Fim!!

Eu até pensei em fazer algo maior ou um quinto capítulo mas analisei e percebi que é melhor como está, deixo com vocês imaginar como foi o depois do fim deles!

Espero que tenham gostado, eu amei chegar até aqui com vcs e espero que possamos seguir juntos em futuras fics!!

Recomendo lerem o nome de cada capítulo e ver o que formam rs

Se cuidem e se mantenham bem!!

Até a próxima!

Com carinho,
Angel!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...