1. Spirit Fanfics >
  2. Depois do fim, um recomeço. >
  3. Destino

História Depois do fim, um recomeço. - Capítulo 21


Escrita por:


Capítulo 21 - Destino


Fanfic / Fanfiction Depois do fim, um recomeço. - Capítulo 21 - Destino

Acordo mais um dia em hogwarts, nunca ansiei tanto para que o ano acabasse e enfim pudesse me ver livre do castelo, não por ele em si, mas pelas lembranças que ele me traz. 

Hoje terei aula o dia inteiro, os exames se aproximam e depois das aulas pretendo passar mais um tempo na biblioteca. Olho pela janela, mesmo com o tempo chuvoso a equipe de quadribol já se encontra lá fora nos treinos, Rony está como goleiro e Harry ainda joga como apanhador, é bom vê-los juntos, não quero que nossa amizade acabe quando formos embora de hogwarts, quero poder ver os Weasley com frequência, eles sempre foram uma segunda família para mim.

Olho os horários e na primeira aula já se inicia a tormenta 

- Adivinhações... Não...

Coloco minha capa apressada, pego alguns livros e desço, encontro Luna no salão comunal e vamos à aula juntas, vejo Blásio junto com Pansy e alguns garotos ao canto, mais uma vez não vejo Malfoy, tento esquece-lo mesmo que por um segundo, amanhã certamente ele aparecerá com alguma desculpa para entregar sua parte do trabalho.

Durante toda a aula de Sibila, tento ter atenção, mas a verdade e que não estou prestando nada atenção no que ela diz e então sou acordada de súbito

- Jovem? Granger querida está ouvindo? Vamos testar mais uma vez a sua pessima capacidade em adivinhar o futuro..- ela senta ao meu lado - Você primeiro querida, leia as cartas para mim e depois lhe mostrarei como se faz lendo as suas também.  - a turma já faz sua parte em duplas, Sibila obviamente quis ter o prazer de ser meu par, apenas para dizer o quanto sou ruim em adivinhações. Pego o baralho e peço para que ela retire três cartas, e ela o faz, logo depois eu pego as cartas para decifrar mas a verdade é que não entendo absolutamente nada, nunca fui boa em adivinhação...

- Aqui diz que você terá uma longa vida, e que em breve vai se aposentar para descansar... - invento tudo e ela obviamente ri de tudo que eu digo, confirmando a minha inabilidade em adivinhações.. 

- Lhe mostrarei como se faz querida, não se preocupe..- ela pega o baralho da minha mão já impaciente, e pede para que eu retire três cartas do montante e eu o faço, ela coloca as cartas sobre a mesa, e eu vejo três figuras distintas - a roda do destino, o julgamento e o ceifador.. Ó tão jovem e as cartas já dizem tanto. - ela olha fundo nos meus olhos e eu a encaro, estou perdida no azul de seus olhos, absorta nas palavras - você não deve fugir do seu destino minha querida, por mais dificil que pareça ser, é exatamente sobre isso que você vê agora nos meus olhos, não tenha medo querida, não deixe que o ceifador arruíne o seu desejo. - ela juntou as cartas levantou-se da mesa e saiu, eu estava imóvel, por um segundo eu pude ver meus pais nos olhos dela, assim como também vi Draco, será que isso é o meu destino? Não... Eu não poderia acreditar nisso, nunca acreditei em adivinhações. 

Assisto as outras aulas, mas não consigo tirar da cabeça as palavras de Sibila e as imagens que vi em seus olhos. 

Depois das aulas vou ao salão comunal me preparar para encontrar os meninos no jantar.

- Hermione... Tome isto. - diz Blásio quando eu entro no salão comunal, me entregando alguns papéis- Draco pediu para entregar.. - olho os papéis séria.

- Devemos nos reunir primeiro, ele não pode me entregar os papéis assim, ele simplesmente some, diga a ele que não quero isso, devemos fazer tudo em..

- Hermione, Draco está no St Mungus, como não soube disso? 

Fico perplexa, deixando todos os papéis cair no chão, recolho todos eles rapidamente, e encaro Blásio.

- Como assim? Eu não soube...eu.. 

- Nao posso dizer muito, ele apenas pediu para entregar. - ele diz.

- Mas... É.. Ele está bem?

- Não muito, foi um caso difícil... Preciso ir. - ele diz e sai, mas eu continuo absorta em suas palavras. Mais uma vez ele foi esquecido, ninguém comentava sobre isso no castelo, era como se fosse irrelevante para todos e eu só conseguia pensar como ele deveria estar e o que aconteu. Eu preciso falar com alguem sobre isso. 

- Professora? - estou na sala de Minerva- posso falar com a senhora? - digo um pouco aflita.

- Sim Granger, sente-se.. - ela diz apontando a cadeira na qual eu me sento prontamente.

- O que houve com Draco? Acabei de saber que ele esta no St Mungus. 

- Sim Granger, ele foi transferido para lá a alguns dias. Mas porque tanto interesse? - ela diz parecendo estar em duvida. - você foi a única, fora Blásio, a vir perguntar sobre o Malfoy. 

- Sim professora, temos um trabalho juntos - digo, tentando não transparecer nenhuma preocupação. - na verdade, temos que entregar amanhã e gostaria de saber se posso ir até lá, para saber se ele está de acordo com o que foi feito. 

- Ah... Entendi... Ah acho que sim Granger, tudo bem, lhe darei autorização para ir, mas procure sair cedo e volte antes das últimas aulas. - ela diz parecendo preocupada-  diga ao rapaz que desejamos todos melhoras. 

- Tudo bem professora, direi.

Volto ao salão comunal, não consigo pensar em mais nada, me troco e não tenho ânimo para ir ao salão principal, não conseguiria esconder de Harry os acontecimentos e talvez ele não aprovasse que eu fosse vê-lo sozinha devido a tudo que aconteceu. Deito em minha cama e encaro sob minha mesa os papeis e as fotos de Draco com sua familia, não consigo dormir. De onde saíram tantos sentimentos? E porque por ele? Era dificil para mim entender e as palavras de Sibila martelavam em minha cabeça "não fuja do seu destino..." 

Acordo cedo no dia seguinte, recolho os papéis que Blasio me entregou e vou até o St Mungus, está havendo treinos de quadribol mas saio conseguindo não ser notada. 

- Bom dia- digo a recepcionista do hospital, uma senhora bem vestida com óculos meia lua- Vim para visitar o sr Malfoy. - ela me encara de cima a baixo e procura com a varinha o nome Malfoy nos papéis.

- Ah sim, sessão cinco para feridas e tratamentos mágicos, quarto sete.

Subo dois andares e procuro nas descrições, até enfim encontrar o quarto sete. Observo pela janela entreaberta, lá está ele deitado, absorto em algum pensamento, noto que o braço no qual está a marca negra parece sangrar um pouco mas a marca continua intacta. Meu coração está prestes a explodir, respiro fundo, bato na porta e ele me encara

- Malfoy? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...