História Depois do Prazer - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Luan Santana
Personagens Luan Santana, Personagens Originais
Visualizações 263
Palavras 2.384
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, voltei! 💖💖 Eu ia postar ontem, mas não deu 😑💔 Desculpa a demora! 🌚💖

Obrigada pelos favoritos e comentários! 💖

Boa leitura! ❤

Capítulo 18 - Dia especial


Luan Santana POV

Acordei com a claridade que atravessava a janela batendo em meu rosto, bufei me xingando mentalmente por não ter fechado a cortina na noite passada, me virei para o lado oposto, e então toda e qualquer mínima raiva que eu sentia se esvaiu ao vê-la ali, ao meu lado.

Mel dormia tranquilamente, alheia a qualquer problema mundial, sua boca estava entreaberta e os fios de seu cabelo escuros que faziam contraste com sua pele branquinha, estavam caindo sobre sua testa o que me fez sorrir fraco. 

Me aproximei dela e levei minha mão até seu cabelo tirando-o de sua testa e colando nossas narizes em um pequeno carinho. Nossas respirações se misturaram e eu fechei os olhos, e me vi sorrindo ao lembrar da noite maravilhosa que tivemos.

Eu ainda não sabia explicar o que realmente sentia por Melissa, mas é fato que eu sentia algo. Nem que fosse desejo.

Ela era linda e eu gostava de tê-la ao meu lado, sua companhia é muito agradável e seu toque então... eu me sentia muito atraído por cada parte dela e isso estava me deixando um pouco confuso. Quando a vi beijando aquele cara na praça, eu senti um incômodo absurdo. Não sei se chega a ser ciúmes, mas o fato é que eu não gostei nenhum um pouco daquilo. Sei que posso estar sendo estúpido, afinal não temos nada sério, e eu não pretendo entrar em um relacionamento... mas eu gostaria de poder conhecê-la melhor. E queria fazer isso sem precisar "devidí-la".

Mel se remexeu na cama e eu me afastei um pouco de seu corpo, alguns segundos depois ela abriu os olhos com certa dificuldade e olhou ao redor um pouco confusa, me fitou logo em seguida, e então pareceu se recordar de onde estava e, claro, o que tínhamos feito naquele quarto e seus lábios se curvaram em um  pequeno sorriso tímido.

- Bom dia, dorminhoca. - Falei sorrindo enquanto ela bocejava.

- Bom dia, cantor. - Disse com a voz rouca se sentando na cama e eu não pude deixar de reparar no quanto minha camisa tinha ficado bem em seu corpo. Qualquer coisa fica bem nela.

Okay, eu não devia ter pensando isso. 

Melissa esticou os braços se espreguiçando e em seguida passou as mãos pelos cabelos tentando alinhar os fios, mas isso não funcionou muito. Também me sentei na cama e me escorei na cabeceira enquanto a encarava.

Alguns segundos depois nossos olhares se cruzaram e ela riu tímida, me fazendo rir também, mesmo sem entender o motivo da sua risada.

- O que foi? - Perguntei confuso. 

- Eu que pergunto. Por que tá me olhando assim? - Questionou sem graça. 

- Só admirando sua beleza, ué. - Falei dando de ombros e a vi corar levemente. 

- Que beleza menino? Eu acabei de acordar, tô toda descabelada. - Falou fazendo careta e eu sorri de lado.

- Você realmente tá toda descabelada. - Concordei e ela me mostrou a língua. - Mas continua linda. - Afirmei e ela riu sem graça.

- Você também não tá nada mal com essa carinha de sono aí. - Falou com desdém e levou uma de suas mãos até meu cabelo o bagunçando.

Eu apenas ri me afastando dela e fiz uma careta imaginando o quão horrível meu cabelo tinha ficado depois disso. Não que ele estivesse bonito antes, mas enfim...

Voltei a encarar Mel intensamente e ela sorriu tímida levando uma mecha de seu cabelo para atrás da orelha.

- Para de fazer isso, cara! - Pediu me dando um tapa de leve no ombro.

- Fazer o que, uai? - Questionei franzindo o cenho.

- Me olhar assim, você me intimida desse jeito. - Confessou rindo sem graça e eu fiquei surpreso com sua revelação.

- Eu te intimido? - Perguntei olhando para seu rosto.

- Você não sabe o quanto. - Ela sussurrou mordendo os lábios de leve, numa demonstração de nervosismo.

Automaticamente desci meu olhar para sua boca e inspirei fundo molhando meus lábios de forma instintiva. Voltei a olhar em seus lindos olhos claros e não consegui me conter, aproximei-me dela lentamente e senti sua respiração descompassada bater em meu rosto, levei minha mão até sua nuca e sem esperar mais nada colei nossos lábios.

Suas mãos foram timidamente para minha nuca, emaranhando-se nos cabelos daquela região e eu aprofundei ainda mais o beijo. Nossas línguas se enroscaram da maneira mais gostosa possível e quando dei por mim já estava a puxando para o meu colo.

Mel passou suas pernas uma para cada lado do meu corpo e eu continuei a beijando impetuosamente, e assim ficamos por bons minutos, mas antes que as coisas saíssem do controle, eu fui contra cada partícula do meu ser e da minha vontade e afastei nossos lábios.

Ela me olhou com a boca um pouco vermelhinha e inchada e eu sorri lhe dando alguns selinhos e a puxando para um abraço, ainda com ela em meu colo.

- Acho melhor eu ir para o quarto da Bruna. - Ela sussurrou depois de um tempo em silêncio, apenas sentindo a presença um do outro.

- Eu também acho. - Sussurrei de volta, afinal não seria legal que meus pais a vissem saindo do meu quarto, mas também não tinha a mínima vontade de a deixar sair dos meus braços agora.

Depois de mais um tempo plantei um beijo em seu pescoço, vendo-a se arrepiar e tirei meus braços de sua cintura a dando a liberdade para sair do meu colo e assim ela fez.

Melissa se colocou de pé e começou a catar no chão as roupas que ela vestia noite passada. Ela vestiu o short por baixo da minha camisa que ela usava e jogou sua blusa no ombro.

- Depois eu te devolvo. - Falou se referindo a minha camisa.

- Eu acho que você deveria ficar com ela, ficou muito melhor em você do que em mim. - Falei brincalhão a fazendo rir envergonhada e negar com a cabeça. 

- Meu Deus, a Bruna vai me zoar muito por eu ter dormido aqui. - Falou calçando sua sandália e foi a minha vez de rir.

- Com certeza ela vai. - Afirmei me preparando psicologicamente para a série de piadas escrotas que teremos que enfrentar quando minha querida irmã nos visse.

Mel olhou para o meu quarto como se procurasse vestígios de mais alguma coisa sua, ao ver que não tinha mais nada, me olhou e sorriu, aquele sorriso tímido e fofo que me tirava de órbita.

- Então... eu já vou indo. - Falou dando as costas para sair, mas eu a chamei de novo. - O que? - Me olhou confusa.

- Não tá esquecendo de nada? - Perguntei fazendo um bico e ela gargalhou vindo até mim e selou nossos lábios em um selinho demorado. - Até daqui a pouco. - Falei quando ela se afastou.

- Até. - E então ela saiu definitivamente do meu quarto e suspirei olhando para a porta.

"Eu não posso me apaixonar por ela. É só um lance casual. Só isso." Repetia para mim mesmo diversas vezes.

Meio contrariado me levantei da cama e segui até o banheiro para tomar um banho e quem sabe organizar a bagunça de pensamentos em minha cabeça.


Melissa Duarte POV

Saí do quarto de Luan nas pontas dos pés e fui até o de Bruna, abri a porta calmamente e entrei no mesmo tipo ninja, mas não adiantou muito...

- AAAH! - Bruna gritou saindo do banheiro, me assustando. - Sua danadinha! Isso são horas, dona Melissa?! 

- Ai que susto, menina! - Falei levando a mão até o coração e caminhei em direção a cama.

- Não enrola, pode ir desembuchando! - Exigiu se jogando ao meu lado. 

- Bruna não começa...

- Não começa você! - Me cortou. - Acha mesmo que você vai dormir com o meu irmão e não vai me dar satisfações? - Perguntou arqueando as sobrancelhas.

- E quem disse que eu dormi com seu irmão? - Rebati e ela riu debochada.

- Será que foram os gemidos que vinheram do quarto dele a madrugada toda ou esse chupão no seu pescoço? - Perguntou cínica e eu arregalei os olhos.

- Aí meu Deus... - Sussurrei envergonhada. - Você... você ouviu alguma coisa? - Perguntei alarmada e ela riu da minha cara.

- Não. - Respondeu me fazendo relaxar os ombros. - Mas realmente tem um roxo aí. - Apontou e eu corei levando minha mão até o meu pescoço. - E ah... você também tá com a camisa do Pi. Quer mais evidências que essas?

- Droga! - Murmurei e olhei para Bruna que ansiava por explicações.

- Vamos querida, conte-me tudo. - Exigiu me fazendo revirar os olhos.

- O que você quer saber? As posições ou...

- Eca, Melissa! - Ela fez careta. - Me poupe dos detalhes, eu só quero que me diga o que conversaram e como foram parar na cama. - Disse simples e eu suspirei pesado, e como não tinha outra alternativa fui obrigada a matar sua curiosidade.

(...)


                                        10h30min 

Depois de Bruna me zoar MUITO ela me convenceu a passar o dia com ela, e mesmo sabendo que era tudo uma maneira que ela encontrou de me deixar cara a cara com Luan na sua frente, eu acabei aceitando. Afinal era domingo e não tinha nada melhor pra fazer.

Ela me emprestou uma roupa e eu tomei um banho antes de descermos para a cozinha.

- Bom dia, meninas! - Dona Marizete falou assim que nos viu.

- Bom dia! - Respondemos em uníssono.

- Dormiram bem? - Perguntou enquanto colocava a mesa do café.

- Sim! - Respondi sorrindo. 

- A Mel mais do que eu, com certeza. - Bruna ussurrou para que só eu ouvisse e eu lhe lancei um olhar mortal, a fazendo segurar o riso.

- Então, a senhora precisa de ajuda? - Perguntei olhando para dona Mari.

- Não, querida. Está quase tudo pronto. - Ela sorriu simpática e eu apenas assenti.

- Bom dia, bom dia, bom dia! - Luan falou entrando na cozinha e eu senti meu sangue gelar.

- Que animação, hein, Pi? - Bruna provocou. - Noite boa? 

- Noite ótima! - Respondeu cínico e me mandou uma piscadela que fez meu coração palpitar e o rosto enrubecer.

- Hummm. - Bruna murmurou rindo e eu me sentia cada vez mais sem graça. Ainda bem que dona Marizete não estava prestando atenção nos filhos. 

Logo seu Amarildo chegou na cozinha e começamos a tomar café da manhã, porém Bruna fazia questão de soltar piadinhas e indiretas para mim e Luan a todo instante e aquilo já tava começando a me irritar. Já Luan parecia não se importar, já que vez ou outra ele me olhava sorrindo despreocupado e com um semblante que dizia: " Não liga, não."

Respirei fundo e contei até dez mentalmente para não jogar uma faca na minha adorável amiga e assim se seguiu durante toda a refeição.

(...)


- Que tal uma piscininha? - Bruna perguntou quando estávamos eu, ela e Luan na sala.

Já se passava das três da tarde e dona Marizete e seu Amarildo estavam assistindo no quarto deles.

- Eu topo. - Luan falou.

- Tô com preguiça. - Resmunguei me afundando no sofá.

- Como sempre. - Bruna revirou os olhos. - Mas não me importa, você vai e ponto final! - Falou me puxando pelo braço e me arrastou para as escadas rumo ao seu quarto enquanto eu ouvia a risada de Luan de fundo. 

Mesmo contra a minha vontade e disposição, fui obrigada a colocar um mini biquíni tomara-que-caia preto da Bruna, e em questões de segundos nós já estávamos prontas. 

- Luanzinho vai pirar. - Ela falou com um sorriso malicioso quando eu saí do banheiro.

- Não enche. - Resmunguei. - Se você não parar com suas piadinhas sem graça, eu vou te afogar! - Disse séria e ela riu me puxando para sair do quarto.

- Relaxa, cunhadinha. - Falou cínica e eu lhe lancei um olhar mortal enquanto descíamos as escadas.

Passamos pela sala e Luan não estava mais lá, então fomos direto para a piscina, o encontrando dentro da água.

Quando percebeu nossa presença ele virou em nossa direção e me olhou dos pés a cabeça com um olhar intenso, o que fez com o que eu encolhesse os ombros e Bruna risse. 

- Vocês demoraram. - Ele falou  disfarçando enquanto passava as mãos de maneira sexy pelos cabelos molhados.

- Estávamos procurando um biquíni perfeito para a Mel. - Ela falou me apontando. - O que você achou? Aprovado? - Perguntou me fazendo a olhar raivosa e Luan riu.

- Aprovadíssimo. - Ele falou voltando a olhar meu corpo descaradamente e eu engoli em seco, sentindo um arrepio percorrer minha espinha. 

- Toma, ela é toda sua! - Ouvi Bruna dizer, mas antes que eu pudesse entender ou reagir, a desgraçada me empurrou para dentro da piscina me fazendo dar um grito involuntário.

Engoli uns cinco litros de água antes de submergir tossindo igual louca, passei a mão pelos cabelos os colocando para trás e encarei-a com uma fúria mortal enquanto ela ria que se contorcia.

- EU VOU MATAR VOCÊ! - Gritei irritada dando um "tapa" na água. - Eu não acredito que você fez isso, Bruna! - Bufei. - Acho que entrou água no meu ouvido. - Choraminguei enfiado o dedo no mesmo, como se isso fosse adiantar e ela riu ainda mais. - Sua maluca, eu poderia ter morrido afogada, sabia?!

Ouvi a risada de Luan ecoar atrás de mim e em segundos senti seus braços me envolverem pela cintura e ele plantar um beijo no meu ombro.

- Precisa de uma respiração boca a boca, senhorita? - Sussurrou em meu ouvido e eu sorri sentindo as famosas borboletas no estômago.

- Okay, acho que essa é a minha deixa. Não sou obrigada a ver vocês de amasso. - Bruna resmungou entrando dentro de casa e nós rimos.

Luan segurou mais firme em minha cintura e me fez virar de frente pra ele, nossos olhos se cruzaram e ele sorriu lindamente enquanto me guiava até a borda da piscina, me prensando entre ela e o seu corpo.

- Você ainda não respondeu minha pergunta. - Sussurrou de uma maneira divertida e eu ri fraco passando meus braços por seu pescoço. - Acho que isso é um sim. - Falou colando ainda mais nossos corpos.

- Isso com certeza é um sim. - Afirmei o vendo abrir aquele sorriso safado e fofo ao mesmo tempo antes de acabar de uma vez por todas com a distância entre nossos lábios. 


Notas Finais


Capítulo chatinho, mas necessário . 🌚💖

Desculpem os erros. Não revisei 😑

Até outra hora! 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...