1. Spirit Fanfics >
  2. Depois do primeiro encontro...(yaoi-Kakairu) >
  3. Capítulo extra: Um pouco de Rin Nohara.

História Depois do primeiro encontro...(yaoi-Kakairu) - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Capítulo extra: Um pouco de Rin Nohara.


Fanfic / Fanfiction Depois do primeiro encontro...(yaoi-Kakairu) - Capítulo 6 - Capítulo extra: Um pouco de Rin Nohara.

          (Capítulo não revisado)    

                   RIN POV'S

Sete anos atrás. 

Meus cabelos eram castanhos na altura dos ombros,com olhos da mesma cor e marcas roxas de nascença nas duas bochechas,ao auge dos meus dezessete  anos eu só queria duas coisas


Acabar meus estudos e um emprego.


Comecei a trabalhar em uma indústria farmacêutica como secretária,meu chefe se chamava Kanichi Hatake.


Ele possuía cabelos brancos com o cumprimento abaixo dos ombros,presos em um rabo de cavalo e olhos ônix profundos.


 As vezes eu o via me fitando mas como ele era meu chefe,não via maldade.


Com o passar dos dias suas investidas começaram…..


 No início eu  só ignorava,entretanto depois de um tempo acabei cedendo.


[.....]


Depois de algumas semanas eu fui morar com ele.Nós combinamos que eu continuaria a estudar,mas não foi bem isso que ocorreu...


Ainda me lembro da sua reação quando soube da minha gravidez :


-Como assim você está grávida?-falou um pouco alterado .


-Kanichi,eu falei que precisávamos usar a camisinha mas você estava tão fora de si que não me ouviu-sussurrei o fitando.


-Eu não vou assumir esse "ser",quem me garante que não é um bastardo?


-Meu filho não é nenhum bastardo! E se o filho não fosse seu eu teria motivos né?-cruzei os braços arqueando uma sobrancelha-Você pode até chegar cedo em casa,mas sempre bêbado e quando sóbrio me ignora!quer saber eu vou embora..-falei dando as costas para o grisalho.


-Desculpa,amor desculpa...não me deixa-envolveu minha cintura em seus braços.


Por algum motivo ele tinha medo da rejeição,o que de certo modo me ajudou a convece-lo a ficar.


-Tudo bem,se é assim fazemos um exame de Dna quando ele nascer-me virei o vendo se ajoelhar,levantando um pouco a minha blusa afim de ver meu ventre.


-Sabe,mesmo que ele não seja meu eu vou ama-lo ,por que veio de você- beijou a minha barriga.


Kanachi tinha alguma coisa que me encantava,apenas não sabia oque…


Hoje em dia eu sei que se chama lábia 


Talvez por alguma falha na autoestima, falta de amor,ou atenção eu realmente não sei, porém  eu sentia a necessidade de ser aprovada por meus atos,por ser elogiada e aceita e o Kanichi de certo modo as supria.


Por um tempo nosso relacionamento se tornou estável,meu pequeno Asagi tinha nascido ,entretanto as coisas mudaram novamente quando ele completou dois anos.


-Amor eu estava conversando com o meu amigo,o advogado...porque o Asagi não leva o seu sobrenome?-pergunto me sentando na beirada da cama que o mesmo estava deitado lendo-ao menos somos citados no seu testamento?


-Obito está botando coisas na sua cabeça,não quero que converse mais com ele-falou virando uma página sem me fitar -eu te amo Rin,sabe quanto dinheiro eu estou perdendo ficando em Suna? estou nesse país por você. 


A vida em Sunagakure estava difícil,o país estava entrando em colapso graças ao Kazekage,nosso governante ,que sabia apenas olhar para si mesmo.


-Mas o que isso tem haver com a documentação do nosso filho?


-Nohara você ainda era de menor quando nos envolvemos,quer que eu seja preso?-abaixa o livro finalmente me olhando


-Tudo bem-me levanto dando um beijo leve em seus lábios -vou pegar Asagi na escolinha.


Passados alguns meses a crise em meu país piorou,uma manhã cheguei do meu trabalho e encontrei Kanichi me esperando na cozinha.


-Vou voltar pra Konoha-disse simplesmente,com duas malas nas mãos. 


-Quando vamos amor?-perguntei preocupada.


-Não Rin,eu vou voltar pra Konohagakure você fica,a sede da empresa está faturando mais lá do que aqui.


-Mas amor o meu trabalho apenas paga metade das despesas.


-Enviarei o dinheiro de lá,prometo que virei te visitar está bem?-falou se inclinando para me beijar.


-E aquela outra promessa está de pé?


-Eu já disse que assumirei Asagi quando ele fizer sete anos,não conteste minha palavra-afirmou saindo pela porta com suas malas.


Algo me diz que ele já tinha as passagens compradas e teria ido mesmo que eu não concordasse.


O platinado não me deu o seu número telefônico,somente o da empresa,eu ligava diariamente para saber sobre si


Nos primeiro ano correu tudo bem as suas visitas eram de três em três meses todavia no segundo ano as coisas mais uma vez pioraram:


-Amor você vai vir pro ano novo?-disse enquanto arrumava os cabelos de Asagi


-Eu estou cheio até o pescoço querida,prometo que vou para as férias de julho-avisou do outro lado da linha com a voz apressada. 


-Tudo bem,te amo.


-Eu também Rin-concordou desligando.


Kanachi não veio pras férias daquele ano,nem no do seguinte.


Asagi já estava com sete anos,ele prometeu que voltaria,que nós assumiria naquele ano,mas nem as ligações Kanichi atendeu.

Meu filho me bombardeava de perguntas sobre o pai:


Mãe quando o papai volta?


Eu não consigo lembrar mais dele.


Ele era parecido comigo?


O papai gosta de mim?


Porque ele foi pra longe?


Um dia resolvi fazer mais uma ligação para a empresa e desta vez alguém atendeu:


-Quem fala?-uma voz feminina se fez presente do outro lado da linha.


-Rin,Rin Hatake Nohara. 


-Hatake?-indagou parecendo surpresa.


-Sim,eu procuro Kanichi Hatake.


-Creio que está sem sorte,ele faleceu faz dois meses querida.


Minhas mãos ficaram trêmulas,junto com o resto do meu corpo,tive que me sentar para não deixar o telefone cair.


-F-Faleceu?-gaguejei


-Você está bem?-a voz perguntou.


-S-Sim pode c-continuar-disse sentindo algumas lágrimas se formarem em meus olhos.


-Ele morreu de um ataque cardíaco,sinto muito.


-Ele f-falou algo antes de morrer?


-Não foi tudo muito repentino,seu pai o encontrou morto em seu apartamento.


Kanichi não falava muito sobre a sua família,só que veio para Suna enviado por seu pai para administrar uma sede aqui.


-Entendi,o-obrigada-agradeci sentindo lágrimas escorrerem por minhas bochechas.


-Disponha-falou desligando.


Ouvi alguns passos apressados vindos da sala,era o meu pequeno me procurando 


-Mãe falou com o papai?-disse me abraçando-mamãe você está chorando?


-Eu falei com o seu pai e adivinhe só-fiz o meu melhor sorriso-vamos visita-lo em Konohagakure!-dito isso Asagi soltou um sorriso batendo palminhas.


Eu menti,não podia falar para uma criança de sete anos que o pai ,que o mesmo quase esquecera estava morto.


Por sorte o grisalho tinha depositado dinheiro exatamente dois meses antes de morrer,fiz nossas malas e pedi ajuda a única pessoa que eu poderia confiar:


Obito Uchiha


Então marquei uma breve reunião com ele,estávamos em seu escritório discutindo sobre o meu atual estado.


Obito era um homem sério,já tinha servido alguns anos no exército onde conseguiu uma cicatriz no metade do rosto,tinhas cabelos negros repicados e olhos da mesma cor.


-O seu problema é grave Rin,Você não tem meios financeiros,legais e se me permite dizer nem psicológicos para essa viagem-avisou sentado a sua mesa olhando alguns dos meus documentos.


-Eu preciso ir,talvez algum familiar dele lá me ajude…


-Rin, agora eu vou falar uma coisa como seu amigo e não como advogado:não vá atrás de nada sobre esse homem.-disse me fitando com seriedade-isso só irá remoer lembranças ruins em você e sejamos francos,ele nunca te mereceu e não é em sua morte que isso irá mudar.


-Deixe meu marido descansar em paz!-falei alto ainda chorosa.


-ELE NEM SEU MARIDO ERA RIN!-gritou exasperado,jogando os papeis na mesa com brutalidade -esse homem te enganou por anos,você que era cega demais para ver-contou um pouco mais controlado.


-Acontece que eu não tenho outra opção Obito,meu único parente vivo é meu tio avô que está com oitenta e dois anos-disse baixo -eu não posso jogar esse peso sobre ele,entenda que Kanachi e Asagi são a minha única família. 


Obito suspirou pesado,passando uma das mãos por seus cabelos.


-Tem um homem  chamado Zabuza Mamochi,procure por Haku caso não o encontre-disse me dando um papel-eles tem contatos na fronteira que te deixaram passar,diga meu nome e que me conhece.


-Obrigada Obito-me levantei para ir embora.


-Eu sei que você sabe mas eu sempre te amei Rin,eu te amo desde que você se "casou" com aquele canalha e mesmo você não me amando eu te desejo tudo de bom-lembrou me abraçando.


-Obrigada de verdade…-agradeci lhe dando um selar no rosto-eu te amo amigo.


Chegando na fronteira,fiz tudo o que Obito havia me dito,assim nós e mais um grupo de pessoas fomos guiados pela mata para entrar em konoha,porém a polícia nós descobriu e fomos levados a uma casa de detenção de imigrantes ilegais:


-Mamãe quando vamos ver o papai?-indagou sentando na cama do quarto da casa de detenção.


-Em breve querido-beijei sua testa-vai dormir-mandei o cobrindo.


Uma semana se passou,quando um policial veio até nós:


-Rin Nohara?-uma moça me chamou.


-Sim ,sou eu.


-Alguém deseja te ver e a seu filho-disse dando sinal para que eu a seguisse.


Fomos para a recepção ,onde um homem muito parecido com Kanichi parecia nós esperar,as diferenças eram poucas :Sua cicatriz no olho esquerdo,seu corte de cabelo mais curto e repicado e que usava uma máscara preta.


-Olá-estendeu a mão para me cumprimentar -Eu sou Kakashi Hatake,irmão do Kanichi!e um prazer lhe conhecer.


-O prazer é meu-respondi apertando sua mão.


-Então temos muito o que discutir não é?


-Concerteza-lhe lancei um sorriso genuíno.


Demorou um pouco (umas duas horas ;-;)mas contei todo o ocorrido ao Hatake que pareceu não exitar em oferecer a sua casa para moramos por um tempo,ele resolveu nossos problemas de documentação e disse que ficou sabendo de nós por um amigo seu que por conhecidencia era amigo de seu irmão também.


Pela conversa se percebia que mesmo irmãos Kanichi e Kakashi não eram muito íntimos….


Quando Asagi viu Kakashi foi correndo até ele.


-Papai!-gritou subindo em seu colo.


Kakashi ficou meio espantado porém pegou o menor no colo e eu lhe lancei desculpas pelo olhar.


-Oi pequeno,vamos pra casa-sorriu andando com o meu filho no colo.




Nossa vida finalmente iria melhorar.



(Leiam as notas finais)


Notas Finais


Lembrando que eu sou leiga nessas coisas de documentação;


Capítulo não revisado;


Lembrem que as leis em Suna são diferentes das de Konoha;


Kanichi tinha 26 anos na época(ele é um ano mais velho que Kakashi);


Rin conheceu ele com 17 anos;


As leis de Suna são bem rigorosas,tipo não importa se você ainda vai fazer 18 anos,mesmo tendo 17 você continua sendo de menor e caso se envolva com alguém mais velho é pedofilia,mesmo com consentimento;(acho q deu pra entender )


Porque o Kanichi era tão ruim?podia ser reflexo de algo que ele viveu?vocês tem teorias?


[.....]


Tem um olho na minha lágrima...eu nunca escrevi algo tão triste em toda a minha life.

Quis fazer esse cap extra pra vocês saberem mais sobre a nossa guerreira : 


Rin Nohara.


Pelo amor de Deus,se você sofre algo parecido na sua auto estima,vida,etc não hesite em procurar ajuda.


Estou aberta a mensagens e a conversas caso alguém queira desabafar,eu posso não responder na hora mas respondo.


Calma que capítulos fofinhos e engraçados viram pra compensar a tristeza que esse capítulo foi ;-;


Se o shipp não fosse Kakairu eu faria um Kakarin .💜💚💙❤


Eu sou bem dramática né?ksksks isso foi de anos vendo novela mexicana do sbt.


Só eu que lembrei do Donald Trump e dos imigrantes?


Comente e deixe votos isso ajuda bastante (e eu que julgava os autores que pediam isso ksksks)


Beijos pra vocês minhas coxinhas 💜💙💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...