História Depois do Recomeço - Negan segunda temporada de Depois do - Capítulo 43


Escrita por:

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Negan, Personagens Originais
Tags Bellamy, Bellamy Blake, Carl Grimes, Daryl Dixon, Hot, Jeffrey Dean Morgan, Negan, Sexo, Smut, The Walking Dead, Twd
Visualizações 44
Palavras 3.901
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 43 - Capítulo 42


- Dois dias - Negan disse quando perguntei quando ele voltaria. Era bem cedo ainda, e Nick tinha puxado meu lado preguiçoso e dormia até tarde.

- Vou sentir saudades - passei os braços por seu pescoço, me colando nele e o beijei. Senti que ele quis se afastar quando eu rocei mais meu corpo nele, assim como fez nas últimas semanas.

Meus sentimentos estavam uma bagunça por causa dos hormônios. Eu sentia que Negan estava me evitando, evitando me tocar além de beijos e abraços, e isso me desestabilizava. Meu corpo estava mudando, minha barriga já dava sinal que ia aparecer e meus seios estavam enormes e inchados.

Eu não entendia porque ele estava me evitando assim. O beijei com mais força, empurrando mais meu corpo no dele e ele automaticamente rompeu o beijo.

- O que é isso? - ele riu, segurando meu quadril para parar meus movimentos - Estou saindo, querida. Não temos tempo agora.

Negan beijou minha testa e se sentou na beira da cama, calçando as botas. Um nó seu formou na minha garganta enquanto eu estava parada no mesmo lugar, do jeito que ele me deixou.

- Você não sente mais atração por mim? - minha voz saiu num fio. Ele levantou a cabeça e franziu as sobrancelhas.

- O quê? 

Eu ri pelo nariz, não acreditando que estávamos tendo essa conversa. Eu respirei fundo e ele levantou e tocou meu braço.

- Olha pra mim, querida - ele começou - Você está grávida...

- Não tem problema em fazer sexo grávida. Você só tá dando uma desculpa de merda porque não sente mais atração por mim - pisei pesado para sair do quarto, mas antes de chegar na porta ele já tinha me alcançado.

- Ei, ei - ele me puxou de volta - Você tá falando sério?

Eu me sentia uma idiota, mesmo sabendo que estava com razão; ele me olhava como se eu fosse louca e isso me deixou ainda mais irritada. Ele ainda não tinha largado meu braço e quando tentei me soltar, ele não deixou.

- Já fazem quantas semanas? - eu empurrei seu peito com minha mão livre - Você me evita, me corta... - eu não consegui continuar quando comecei a chorar. Ele me puxou para um abraço e eu o abracei de volta. 

- Aquilo que você disse, que teve uma complicação no início da gravidez do Nick... eu não quero que isso aconteça de novo - ele disse ainda abraçado a mim. Eu olhei para cima, mas ele não me soltou. 

- O médico disse que eu não tenho nenhum problema dessa vez. 

Fizemos uma consulta rápida uns dias depois de mudar completamente para cá. A máquina do ultrassom estava com problemas para reproduzir o som, mas do resto o bebê estava se mexendo e do tamanho correto. Não havia porque ter medo.

- Eu sei - concordou - Mas eu não quero que aconteça nada de errado, não quero machucar o bebê. 

Eu não conseguia ficar brava, tudo foi dissipado pelo olhar de cuidado e preocupação que estava em seus olhos enquanto me olhava. Se tinha algo que eu tinha certeza sobre Negan, era que ele nunca mentia para mim. Eu quase ri, isso era tão idiota que era fofo. Ele não queria machucar o bebê. 

Ele ainda sentia o peso por não ter estado comigo durante a gestação de Nick e agora que estava aqui, queria fazer tudo para que não acontecesse nada de ruim. Até negar sexo por ter medo de machucar o bebê. Às vezes eu acho que ele não existe.

- Eu não sabia que era esse o motivo... você não me disse nada - eu me sentia uma idiota agora. Ele enxugou meu rosto, mantendo um braço ao redor de mim.

- Porque eu não imaginava que uma loucura dessas ia passar nessa sua cabeça de grávida - seu tom era compreensivo, mas ele estava chateado - Você podia pensar qualquer coisa, menos isso.

- Eu fui uma idiota, eu sei - eu dei um beijo em seu peito - Me desculpe.

Ele assentiu como se me estudasse e depois me soltou, caminhou até a porta e ouvi a chave ser girada, a trancando. Ele voltou e sentou na cama e me olhou.

- Vem aqui - Negan bateu em sua coxa num convite para que eu sentasse. Ele não estava bravo, mas também não estava contente. 

Em dois passos eu estava sentada em seu colo e passei um braço sobre seus ombros. Seu braço serpenteou por minhas costas, me mantendo firme e segura.

Negan puxou-me contra ele, acariciando minha coxa, empurrando o tecido da camisola para cima com cada lance de seus dedos. 

- Porque não me disse o que estava passando na sua cabeça? - sua voz de cobrança acendeu um alerta dentro de mim. A última coisa que eu queria era que ele ficasse bravo comigo antes de sair.

- Eu não queria incomodar - eu disse, tremendo ao seu toque. Ele acariciou suavemente meu rosto, traçando meus lábios. 

- Nunca mais esconda o que está sentindo, Emma. Eu não estou brincando.

Eu franzi o cenho. Ele estava falando sério? Agora a culpa era minha?

- Você está bravo? Eu não tinha como adivinhar, você só me deixou de lado como se eu fosse um tapete velho! - eu elevei a voz, me repreendendo no minuto seguinte.

Ele estreitou os olhos para mim, apertando a mão que circulava na minha cintura pelas costas. Eu não queria brigar, estava desconcertada com essa fusão de sentimentos me esmagando. 

- O único lugar que isso aconteceu, foi na sua cabeça. Eu não tenho culpa das suas conclusões precipitadas, Emma - sua voz estava mais grossa e eu sabia o quanto ele odiava quando eu desconfiava dele, principalmente quando todos os motivos estavam só na minha cabeça. 

Seu rosto me encarando tão próximo me fez engolir em seco e chutar minha birra para longe.

- Me desculpa, eu...

- Não há porque pedir desculpas - ele me cortou, descendo a mão por meu ombro, deixando a alça da minha camisola cair no meu braço - Eu sou seu marido, caso tenha esquecido. Quando há algo errado, você me fala. Quando você está com dúvidas, você me fala. É assim que funciona, você me entendeu? 

Foi grosso e prático, um comando reto e sem nenhum enfeite, assim como ele era. Eu me sentia uma adolescente levando bronca e sabendo que era com razão. Eu devia estar louca por que estava excitada com isso. Apertei minhas coxas juntas, revisando no meu cérebro tudo o que pensei que ele podia fazer comigo durante esses dias.

- Eu não ouvi sua resposta. Posso cancelar a partida e podemos ficar aqui o dia todo - ele disse e seus dedos se moveram leves sobre minha barriga até pararem em meus mamilos arrepiados, tão duros e doloridos que pareciam que iam furar o tecido fino da minha camisola. Ele os apertou levemente, arrancando um murmúrio meu.

- Sim - eu assenti rapidamente - Eu entendo.

Então ele sorriu. Um grande sorriso de tubarão, mostrando todos os dentes perfeitos e alinhados. 

- É assim que as boas meninas fazem - sua mão cobriu meu seio e ele o amassou de um jeito reconfortante, fazendo meu sexo latejar - Eu amo quando você usa rosa - comentou, olhando minha camisola e fazendo a mesma coisa no meu outro seio.

- Desde quando você da bola pra isso? - provoquei com desdém calculado e ele levantou uma sobrancelha em divertimento.

- Você está dizendo que eu não posso gostar de coisas bonitas? Porque eu tenho um pequena gatinha manhosa empoleirada no meu colo, e eu gosto muito dela - ele agarrou meu maxilar e pressionou seus lábios contra os meus para persegui-los com sua língua.

Eu gemi, um reflexo da tensão acumulada dentro de mim, agarrando seu rosto e seus cabelos. Negan passou a língua em cada canto da minha boca antes de beijar meu queixo e pescoço, afastando meus fios. Eu amoleci e fechei os olhos enquanto sua língua e lábios percorriam minha pele.

Sua mão apertou minha coxa e eu automaticamente afastei as pernas. Ele deu uma risada ruidosa em meu ouvido e mordeu minha orelha.

- O que você quer? - ele fez a pergunta que eu amava ouvir. Eu suspirei em satisfação. 

- Eu quero você - esfreguei meu rosto contra sua barba, roçando nossos lábios. 

- Eu estou aqui, então é isso? 

Ele tem esse olhar em seu rosto de quem planejou algo brilhante, um pequeno sorriso e um brilho em seus olhos escuros. Eu conhecia bem isso. Ele ia me torturar antes de me dar o que eu queria.

- Não... - eu gemi quando sua mão entrou ainda mais debaixo da minha camisola, seus dedos raspando na minha virilha. 

- Sem calcinha, uhu? - ele ronronou roucamente, lambendo meu maxilar e chupando a pele - Queria que eu te fodesse enquanto dormia? Enquanto esfregava essa bunda gostosa no meu pau? 

Senti meu sexo se lubrificar, uma onda quente escorrendo pela minha carne, me deixando atordoada. Eu nunca fiquei assim tão rápido. Eu concordei com um sorriso culpado e o beijei, lambendo seus lábios. Negan tirou minha camisola e seus olhos voaram para meus seios. 

- Você me deixa louco... esse corpo magrinho e durinho, com esses seios enormes - seu olhar era intenso enquanto ele colocava os lábios em volta do mamilo, sugando-o com entusiasmo e eu gemi alto, meus dedos se enrolando em seus cabeços. 

Eu estava tão sensível e dolorida e seus dentes raspando ali aumentavam a sensibilidade.

- Nós não podemos deixar esse negligenciado, podemos? - comentou com um sorriso quando se moveu para meu outro seio, prendendo o mamilo entre os dentes e puxando-o duramente. 

Um silvo de dor saiu de meus lábios e Negan no mesmo momento envolveu meu seio com a mão para aliviar a dor. 

- Espalhe suas pernas um pouco mais, bebê - ele pediu quando sua mão abandonou meu seio e se moveu para minhas coxas. Eu o fiz e o ar frio na minha intimidade quente foi surpreendentemente bom. Sua mão serpenteada nas minhas costas me mantem firme quando eu tremo em antecipação quando ele acaricia minha virilha - Shhh... relaxe.

Ele continua com os beijos no meu pescoço enquanto eu me seguro em seus ombros, toda sensível. Eu olho para baixo, para seus dedos longos me acariciando, ansiosa para ele me dar o que eu realmente preciso. Ele continua por mais ou menos um minuto antes de mover uma mão para a minha entrada e traçá-la com um dedo. 

Minha vagina se contraiu e eu senti uma onda quente e molhada escorrer de dentro de mim, molhando o tecido de sua calça cinza, deixando uma mancha molhada ali. Negan estalou a língua quando percebeu.

- Olha o que você fez - ele murmurou com um sorriso - E eu ainda nem toquei nessa bocetinha. 

Sem aviso, ele empurrou dois dedos dentro de mim e eu praticamente gritei. É tão bom, mas meu clitóris ainda é negligenciado e estou movendo meus quadril freneticamente procurando mais fricção e choramingando em frustração um minuto depois.

- Vamos conseguir uns brinquedos para você, o que acha? Um vibrador, dois, talvez... não é só essa boceta que é ansiosa pelo meu pau.

Sua boca não ajuda, só me faz mais exitada. Em vez de me tocar onde eu mais preciso, ele tirou seus dedos de mim completamente e eu soltei um uivo desesperado. 

- Não... - eu olhei para sua mão na minha coxa novamente, só agora vendo seu membro esticando o tecido da calça.

- O que você quer, garotinha? - ele sussurrou em minha orelha, beliscando o lóbulo uma vez. Eu estremeci mais uma vez e ele sorriu novamente, escovando os lábios sobre minha bochecha - Diga-me - ele insistiu. 

Forçando-me a não implorar mesmo desesperada, eu sacudi a cabeça.

- Não tenha vergonha, diga - ele persuadiu, pressionando seus lábios ligeiramente nos meus antes de puxar para trás rapidamente - Você quer que eu esfregue seu clitóris?

Eu concordei, desesperada, abrindo mais minhas pernas para ele. 

- Use as palavras - ele disse duramente, puxando um de meus mamilos - Agora, ou eu paro tudo.

Eu não ficava muito a vontade sendo vocal no sexo - a não ser quando bebia - e ele sabia disso e mesmo assim estava me empurrando. 

- Por favor, amor - eu sussurrei, esfregando meu rosto no seu, engolindo antes de continuar - Eu te amo, por favor.

Negan riu, amassando a carne das minhas coxas.

- Eu não acredito que você tá apelando para o eu te amo ao invés de pedir logo o que quer - ele me deu um beijo, em seguida segurou meu rosto, me olhando com tanta intensidade que me sacudiu - Você tem que quebrar essa barreira, querida. Por mim. Eu amo sua boca suja. 

Nunca fui uma pessoa para conversas sujas, sempre me senti estranha dizendo isso em voz alta, mas se Negan quisesse, merda, ele conseguiria. Ele lambeu meu lábio inferior, enfiando a língua na minha boca. 

Eu me afastei e me encolhi internamente com as palavras prestes a deixar minha boca, mas eu sabia que Negan as amaria.

- Me toca aqui - pedi de olhos fechados, com o rosto colado no seu enquanto levava sua mão para cobrir meu sexo - Toca na minha boceta... esfrega meu clitóris.

Eu ouvi seu gemido de satisfação e então ele mergulhou os dedos dentro de mim, trazendo minha lubrificação e esfregou meu clitóris.

Foi bom, foi tão bom. Meus dedos dos pés enrolaram-se quando eu me aproximava cada vez mais perto da minha libertação. 

- Não para - eu me movia conta seus dedos, agradecendo sua mão ao redor da minha cintura, me mantendo firme no seu colo. Eu não percebi que meus olhos estavam fechados até que os abri quando seu toque sumiu, negando-me o orgasmo que eu procurava.

- Você vai se arrepender de dizer isso, meu anjo. Em breve, você vai implorar que eu pare em vez disso - ele murmurou antes de me empurrar para a cama. Um arrepio percorreu minha espinha com a promessa em seu olhar intenso.

Eu me arrastei até me deitar de costas na cama, de volta contra os lençóis. 

- Eu odeio quando você faz isso - eu praguejei quando ele se moveu para cima de mim.

- Realmente? - um olhar desafiante cruzou o rosto de Negan quando se ajoelhou entre minhas pernas, forçando-as a se abrirem; ele passou o dedo pela fenda e entre os lábios, fazendo com que eu estremecesse.
Ele ergueu o seu dedo reluzente com a minha lubrificação, um sorriso malicioso sobre o rosto - Sua boceta molhada diz o contrário. 

Achei mais inteligente não argumentar de volta, porque ele ia me punir demorando ainda mais, mas não me segurei. 

- Você é o único homem que enrola assim para comer uma mulher - provoquei - Talvez devesse me resolver sozinha.

Fiz um lembrete mental de nunca mais dizer isso, porque do jeito que ele me olhou, eu sabia que estava ferrada. Ele estreitou os olhos para mim, me dando uma boa olhada antes de levantar e começar a tirar as roupas. Foi feito devagar e sem tirar os olhos de mim por um segundo. 

Nu e me deixando ainda mais molhada, ele se esgueirou até que estivesse sobre mim. A falta de diálogo me deixava perdida, primeiro porque eu gostava de ouvi-lo e segundo porque eu sabia o que estava por vir.

- Negan - eu o chamei, passando a mão em seus cabelos. Ele me beijou, descendo os lábios pela minha barriga até minha intimidade, sem me responder.

Ele se inclinou mais perto e lambeu entre meus lábios, bem sobre meu clitóris. Eu gemi, arqueando as costas na cama e ele me segurou pelas coxas, me comendo com a boca.

- Por favor - murmurei com a voz escorrendo de anseio, eu estava tão perto. Ele me abriu com os dedos e começou a me esfregar no meu ponto sensível, com a pressão e rapidez que só ele sabia, tremendo a cada golpe de seus dedos até eu tive o que tanto queria.

Negan beijou minha coxa, abrandando o movimento de seus dedos e esfregando suavemente sobre o meu ponto sensível, tentando me aliviar do orgasmo enquanto eu soluçava, meu corpo ainda tremendo ligeiramente.

Ele me deu pouco tempo para me recuperar antes de se ajoelhar entre minhas pernas e entrar em mim em uma estocada só. 

Eu ofeguei, tremendo, minha visão ficando embaçada e um curto-circuito tomando meu cérebro com prazer quando outro orgasmo me atravessou como uma onda de maré que atravessava a costa. 

Eu apertei os lençóis em meus punhos quando dedos de Negan continuavam sua dança sobre meu clitóris. Eu me apoiei nos cotovelos me movi para trás, enquanto tentava escapar da investida de seus dedos no meu clitóris excessivamente sensível.

Só consegui deslizar umas polegadas antes de Negan me segurar com as mãos pressionadas nos quadris.

- Onde você acha que está indo? - ele perguntou, olhos brilhando perigosamente. Eu murmurei algo incoerentemente, com a língua pesada em minha boca - Não era isso que você queria?

Um forte gemido saiu da minha garganta quando Negan apertou seu aperto nos meus quadris, impedindo-me de escapar para que ele pudesse empurrar-se de volta para meu calor úmido. Seus poderosos e vigorosos ataques penetraram em mim, enquanto ele me mantinha completamente presa, e seus dedos voltaram a me esfregar.

- Por favor... eu não posso - meu murmúrio encheu o quarto junto com o som molhado de penetração e grunhidos ásperos dele. Uma sensação intensa começou a se acumular dentro de mim até sentir como se tivesse que fazer xixi.

- Shhh... - sua mão cobriu minha boca quando se inclinou sobre mim - Vamos tentar algo, meu anjo. Fique calma.

Seus dedos me tocavam cada vez com mais pressão enquanto eu me contorcia, ofegante enquanto me segurava para não fazer xixi, sentindo algo estranho me tomar. 

Seus movimentos aumentaram e eu não consegui segurar quando ele saiu de dentro de mim e me esfregou com movimentos agressivos e circulares, entanto eu estava ofegando em voz alta. Um líquido espirrou sobre o lençol, encharcando a cama. Eu gemi sentindo o orgasmo mais intenso da minha vida, me contorci e Negan me cobriu com seu corpo.

- Isso... isso, porra - ele praguejou enquanto eu me contorcia, choramingando e agarrando-o.

Quando me acalmei e ele me olhou, quis desaparecer de vergonha, sentindo a cama encharcada embaixo de mim.

- Desculpa, eu não quis fazer xixi. Deve ser a gravidez... - eu comecei, mas ele riu, passando a mão no cabelo.

- Você não fez xixi, você ejaculou - ele tinha aquele orgulho masculino no rosto que nunca seria arrancando. 

- Eu achei que isso só existia naqueles pornôs ruins - eu ri com vergonha, quase não acreditando. Eu me sentia flutuar como uma pena, não querendo me mover, sensível ao menor toque. 

- Essa foi a coisa mais sexy que eu já vi - ele disse, traçando meu nariz com o dedo. Eu fechei os olhos, exausta quando Negan me abraçou - Você tem cinco minutos para se recuperar - ele disse e eu sorri.

- Sim, senhor.

 

Eu estava de joelhos, os antebraços no colchão e o quadril para cima. Um gemido aflito deixou minha garganta quando meus seios roçaram na cama, o tecido do lençol parecendo áspero contra meus mamilos doloridos e excessivamente sensíveis. Negan estava atrás de mim, as mãos firmes em meus quadris. 

- Uma vez que sua boceta está sensível demais depois do que aconteceu, acho que vou ter meu final feliz nessa bunda gostosa - a excitação e o medo me tomaram.

Já tínhamos feito isso antes, mas ainda doía no começo - mas compensava no fim, e como. Negan era paciente e fazia ficar bom tudo o que fazíamos. 

- Olhe para você, movendo seus quadris para trás, tão sem vergonha - disse, sua voz rude, e eu gemi, um pouco delirante com a necessidade, a excitação no fundo do estômago.

Ele começou devagar, seus dedos me abrindo e me preparando por um longo tempo. Quando ele finalmente me penetrou, meus músculos se esticaram dolorosamente como sempre e eu gemi para que parasse, cada músculo no meu corpo se esticando como se fosse para me proteger.

Meu peito estava tremendo quando tomei grandes goles de ar, minhas unhas cavando na cama na tentativa de me aterrar do trecho abrasador. 

- É demais... eu... não consigo - eu gaguejei, meus olhos frenéticos. Negan colocou a mão nas minhas costas, esfregando-a sobre a pele de forma calmante. 

- Quer parar, baby? - perguntou, salpicando beijos pelas minhas costas, sabendo que eu só precisava de um tempo para me ajustar. 

- Só não se mova.

- Tome seu tempo - ele assegurou, sua voz baixa e calmante enquanto continuava esfregando círculos sobre minhas costas - Apenas respire e solte devagar, e tente relaxar os músculos. Eu prometo que vai ser muito melhor se você simplesmente relaxar, como sempre.

Negan me deixou deitar de lado, mais relaxada, sem sair de dentro de mim. Virei minha cabeça para trás, encontrando seu rosto lindo.

- Relaxe, gatinha - ele sussurrou antes de capturar meus lábios em um beijo firme e abrasador, fazendo com que eu me dissolvesse ao seu toque.
Continuamos a mover os lábios juntos e eu senti a tensão começar a sair de mim enquanto meus músculos esticados ficavam relaxados.

- É isso, você está indo tão bem - ele me incentivou. 

Já sem tanto incômodo, comecei a esfregar lentamente os quadris, movendo-o dentro de mim. Negan moveu seus quadris para a frente gentilmente, entrando e saindo de mim num ritmo minuciosamente lento. 

- Mais forte - pedi depois de um tempo, sentindo-me prestes a delirar com a necessidade. Meus gemidos ficaram mais altos quando seus movimentos se tornaram mais frenéticos.

- É assim que você gosta? - perguntou, grunhindo com o esforço enquanto pontuava cada pergunta com um impulso áspero - Huh?

Abrumado com prazer, os braços de Negan começaram a tremer ao meu redor e ele enterrou o rosto no meu ombro, incapaz de se segurar por mais tempo. Seus soluços abafados mal eram ouvidos sob o som da carne batendo contra a carne. Ele veio dentro de mim, gemendo enquanto se derramava quente e pesado dentro do meu corpo, me abraçando contra si. 

- Temos meia hora ainda - Negan disse quando eu me deitei em seu peito, o abraçando. 

- Desculpe por ter sido uma idiota - eu acariciei seu abdômen, sentindo-o se contrair contra meus dedos. 

- Você vê... - ele começou, sua mão subindo e descendo na minha coluna - Você me acusa e eu te dou o melhor orgasmo da sua vida.

- Grávidas tem a preferência - brinquei e ele me apertou nas costelas e ficou por cima de mim novamente.

- Você tem a preferência - corrigiu. Eu o beijei, o acomodando novamente entre meus quadris. Negan deitou a cabeça no meu peito e eu o abracei como um ursinho, acariciando seus cabelos.

Eu não tinha muitas certezas na vida, mas uma delas era que eu tinha encontrado minha alma gêmea. 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...