1. Spirit Fanfics >
  2. Derrepente Amor >
  3. Capítulo 23

História Derrepente Amor - Capítulo 23


Escrita por: tamilesantos

Notas do Autor


Gente estou tão empolgada, amo esses dois e não vejo a hora deles ficarem juntos!!!!🥰🥰

Capítulo 23 - Capítulo 23


Fanfic / Fanfiction Derrepente Amor - Capítulo 23 - Capítulo 23

Cecília on

Hoje o Bruno veio aqui se despedir de mim pessoalmente pois ele iria viajar a trabalho. Eu estava deitada tomando um sol depois da fisio na piscina, estava com um maiô preto que ainda cai super bem no meu corpo. Ele chegou e ficou ali parado me olhando e eu me senti bem desconfortável e me cobrir com a toalha. Ele me pôs na cadeira e vi que ele também ficou sem jeito.

Nós ficamos um bom tempo conversando e rindo, ele é tão divertido e parece uma criança apesar da idade, comemos um pedaço de bolo de chocolate que eu fiz e suco de laranja que ele adorou. O telefone dele tocou e ele teve que ir embora, se despediu da Jú e veio em minha direção caminhando com as mãos nos bolsos todo sorridente com aquelas covinhas que eu acho super fofas, se abaixou e me abraçou tão forte que eu quase derreti igual manteiga naquele abraço, seu cheiro invadiu minhas narinas e eu quase tive um treco pensando besteiras com aquele cheiro. Ele me soltou do abraço e me deu um beijo no rosto e saiu.

Eu fiquei ali parada tentando entender o que foi isso que eu senti- eu não posso pensar nele desse jeito, ele é só um amigo e nada mais- pensei sozinha.

- Tá sonhando acordada Lia- Jú falou rindo

- Claro que não, tá doida

- Eu bem vi o clima que rolou entre vocês

- Não viaja Jú, não teve clima nenhum- falei bufando e sai com minha cadeira de rodas pro meu quarto, a Júlia me ajudou a trocar de roupas, eu deitei pra assistir um pouco e fiquei pensando no Bruno, nunca que ele iria olhar pra mim desse jeito, aliás nenhum homem mais vai olhar pra mim com desejo, minha vida sexual e amora foi junto com os movimentos das minhas pernas. Chorei baixinho a noite toda até pegar no sono e dormir.

Acordei no outro dia cedo e como toda quarta-feira, hoje é dia de ir pra fisioterapia e depois tenho consulta com a doutora Michelle.

Tomei café e esperei chegar o táxi pra nos levar até a clínica, é sempre assim quando vou sair, tenho que esperar algum motorista aceitar a corrida, pois a maioria cancela quando ver que é pra transportar uma cadeirante. Depois de quase duas horas conseguimos sair de casa, chegamos lá e já estávamos em cima da hora. Fomos pro vestiário, troquei de roupa e a doutora Karen veio toda simpática me abraçar.

- Bom dia Cecília como você está se sentindo hoje?

- Bem e você?- menti pois estava com dores nas costas pra variar

- Então vamos começar?

- Claro- dei meio sorriso

Ela começou com os exercícios e depois me pôs nas barras pra eu tentar ficar em pé me sustentando com os meus braços. Ela mandava, eu fazia sem ânimo nenhum

- Tenta mover o pé pra frente Cecília, dê o seu máximo, eu sei que você consegue- disse toda animada

Eu tentei juro que tentei, senti o suor escorrer pelo meu rosto e pus toda carga positiva pra isso mas nada aconteceu

- Eu não consigo- falei quase chorando

- Vamos lá Lia você consegue- disse a Júlia parecendo uma líder de torcida

- Mais uma vez Cecília, respira, se concentra, não é força, está tudo na sua cabeça- disse mais uma vez

Eu tentei mais uma vez e nada, o desespero tomou conta de mim e eu me joguei no chão aos prantos, as duas vieram me abraçar e me consolar.

Saí de lá arrasada, fomos na cantina do hospital almoçar,mal consegui comer direito.

Deu a hora da minha consulta e subimos para a sala da doutora Michelle.

- Oi boa tarde, a doutora já vai atender vocês ok- disse a sua secretária

Acentimos e ficamos esperando na sala se espera.

Saiu da sala uma menina linda usando duas muletas e eu ficava imaginando se eu um dia poderia chegar nesse estágio, logo a doutora autorizou minha entrada.

- Olá Cecília tudo bem com você?- me perguntou toda simpática sorrindo

- Estou bem- sorri

- Não é o que está parecendo- me olhou preocupada e olhou para a Júlia

- Eu sinto muita dores de cabeça e nas costas

- Isso é normal, você precisa se exercitar mais para seus outros músculos não atrofiarem- falou séria olhando meus exames

- Está tomando seus remédios direito, se alimentando, fazendo o exercícios que a sua fisio te passou pra fazer sozinha em casa?

- Sim

Ela olhou mais alguma coisa no computador e em alguns papéis e olhou séria pra mim e pra Júlia.

- Bom, aqui diz que você não evoluiu nem 5 por cento na sua fisioterapia, você precisa se esforçar mais, precisa querer melhorar você me entende?- perguntou preocupada

- Eu entendo mas eu não consigo mover nem um milímetro, não é culpa minha, eu estou tentando- comecei a chorar

- Tudo bem querida, eu sei que é difícil mas temos que tentar

- Por que você não passa na psicóloga como eu te falei da última vez, vai lhe fazer bem.

- Eu vou pensar

- Ok, vamos fazer assim, vou trocar seus remédios pra dores e os antiespamódicos, se continuar com as dores você me avisa que faremos novos exames. Sai de lá mais desanimada que antes.

Fui pra casa e subir direto pro meu quarto, Júlia me ajudou no banho, tomei os novos remédios que a doutora passou, Júlia trouxe um mingau de aveia e eu tomei um pouco. Olhei no celular e tinha uma mensagem do Bruno, não quis responder para não o incomodar com minhas queixas, então fui dormir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...