1. Spirit Fanfics >
  2. Derrepente Amor >
  3. Capítulo 25

História Derrepente Amor - Capítulo 25


Escrita por: tamilesantos

Notas do Autor


Heeeeee, bora esquentar esse fim de semana com o capítulo mais aguardado!!!
Boa leitura 😘

Capítulo 25 - Capítulo 25


Fanfic / Fanfiction Derrepente Amor - Capítulo 25 - Capítulo 25

Cecília on

Já se passou um ano depois do meu acidente e os movimentos das minhas pernas não melhoraram quase nada. Depois que eu fiquei internada de novo por causa de uma reação alérgica do remédio, eu comecei a passar com piscicologo que me ajudou muito. Conversei com minha médica e trocamos os remédios de novo e desde então não sinto mais dores, troquei minha cadeira de rodas por uma melhor e estou mais independente.

A Júlia está fazendo um curso de especialização e está namorando o Eduard que ela conheceu lá.

Eu e Bruno estamos cada vez mais amigos. Ele é um folgado, aparece aqui sem avisar, dorme aqui sem pedir e sempre que tem uma festa na casa dele me enche o saco pra ir, mas eu não ligo adoro passar o tempo com ele.

Mês passado nós brigamos feio por que eu decidi trabalhar e ele não concordou.

" Você não precisa disso Lia, eu já não te dou tudo?- gritou comigo

- Você é meu marido, é meu pai por acaso, Não né!!! E mesmo que fosse eu faço o que eu quero, eu vou trabalhar e ponto final e outra para de gritar comigo porra- gritei mais alto

Ele se abaixou, segurou nos meus braços e falou bem perto do meu rosto baixinho

- Desculpa mas você não vai, eu não vou deixar, eu prometi que iria cuidar de você lembra?- porra esse cheiro dele acaba comigo, enquanto ele falava eu olhava pra ele e só conseguia pensar em beija-lo, ele está tão perto. Eu olhei pra boca dele ele olhou pra minha respirou fundo e saiu de perto de mim. Ficamos uma semana sem nos falar- prolema dele, ele que se foda.

Ontem fez um mês que comecei a trabalhar na USPS é igual aos Correios no Brasil e pra comemorar meu primeiro salário resolvi sair com a Jú e o namorado dela. Acordei cedo, fui no salão fazer o cabelo,as unhas, comprei um conjunto lindo de calça preta e uma blusa com brilhos e com decote em V.

Chegamos em casa e fomos descansar um pouco, quando deu 17:00hs fomos nos arrumar. Fiz uma maquiagem bem bonita, meu cabelo estava solto com cachos nas pontas, pus um salto mesmo que eu não vá andar eu queria me sentir bonita.

Terminamos de nos arrumar e tiramos um monte de fotos e fizemos vários stores. Ficamos esperando o Eduard vir nos buscar meu telefone toca- era o Bruno.

- Oi mocinha, onde você vai toda arrumada assim?

- Vou sair com a Jú e o namorado dela pra comemorar meu primeiro mês de trabalho- ele bufa do outro lado da linha

- Onde vocês vão?

- Em uma boate lá no Centro

- E você vai ficar lá segurando vela?

- Claro que não né, vou me divertir, beber, arrumar um gatinho pra beijar na boca- dei uma risada alta e ele ficou sério

- Tá louca, vai beber tomando remédio e sair beijando um desconhecido e se ele por alguma coisa na sua bebida?- revirei os olhos com esse comentário- ele parece meu pai as vezes

- Bruno, relaxa e deixa de ser velho- ri

- Velho é o caralho- falou sério - só estou pensando no seu bem,qual o nome da boate que vocês vão?

- Não sei, pergunta pra Júlia, vou chamar ela e você fala com ela.

Passei o telefone pra Júlia e eles ficaram conversando, logo o Eduard chegou e fomos curtir a noite de sábado.

Chegamos na balada e pegamos a área vip pois tinha mais espaço, o Eduard foi pegar as bebidas e nos deixou lá conversando. A Júlia estava linda com um vestido preto justo e um salto alto de tirinhas, uma maquiagem bem marcante.

Eduard chegou com as cervejas e nós começamos a beber e conversar, logo começou a tocar uma música mais animada e a Júlia chamou o namorado pra dançar, eu estava distraída bebendo quando sinto alguém enconstar atrás de mim. Eu me assustei e virei a cadeira com tudo passando a roda por cima do pé da pessoa. Quando me dou conta quem era comecei a rir

- Porra quer me matar é -Bruno falou reclamando

- O que você está fazendo aqui

- Resolvir curtir a noite também, por que?

- Nada não seu grosso- revirei os olhos

- Na verdade não queria deixar você sozinha- deu meio sorriso- E a propósito, você está linda

- Obrigada- sorri- e eu não estou sozinha- falei bufando de raiva, ele acha que eu sou uma criança as vezes

- A não, então cadê a Júlia e o namorado dela que eu não estou vendo aqui?

- Estão dançando lá na pista...

- E você está aqui sozinha - me interropou

- Aff

- Vou pegar algo pra gente beber e já volto

- Tá né

Ele saiu em direção ao bar com aquele sorriso que me mata, logo ele voltou e ficamos conversando um tempão, logo eu comecei a bocejar e ele percebeu

- Quer ir pra casa?

- Não, tô de boa

- Deixa de ser mentirosa, tá quase dormindo aí sentada- riu

- A culpa é sua que não me deixa fazer nada, parece um cão de guarda em cima de mim

- Deixa eu te levar pra casa

- Não precisa- falei fazendo bico- vai lá curtir sua noite, pegar várias não é assim que você fala

- Deixa de ser ciumenta, eu vir aqui pra te fazer compania sua ingrata

- Tá bom, vou só ligar pra Jú pra a gente ir- ele segurou minha mão quando fui pegar o celular

- Não, eu te levo, deixa ela aproveitar a noite com o namorado dela sua impata foda- me deu uma piscadela

- É tem razão, então vamos - ele me ajudou a descer e fomos em direção a saída, me pegou no braços para por no banco do carona e entrou do lado do motorista. Fomos conversando, ouvindo música e rindo a bessa. O tempo com ele parece que para.

Chegamos em casa e ele me ajudou a entrar

- obrigada por não me deixar de vela a noite toda- falei rindo

- De nada, disponha- deu um sorriso

- Quer assistir um filme eu já perdi o sono ?

- Claro, qual vai ser?

- Não sei, talvez um desses clichês de comédia romântica

- Pode ser, vou fazer uma pipoca pra gente

- Vai querer assistir aqui na sala ou no quarto

- tanto faz- deu de ombros

- no quarto é melhor, se eu dormir não vou ficar com dor nas costas depois

Ele fez a pipoca e subimos pro meu quarto, eu fui trocar de roupa enquanto ele procurava algum filme na TV. Fiz força pra subir na minha cama

- Espera, eu te ajudo- deu a volta na cama, me pegou no colo e me pôs deitada- pronto- deu um sorriso tímido

Ele sempre fica sem jeito quando me toca.

- Já escolheu?- perguntei mas ele estava meio aéreo

- Terra chamando Mars- ri balançando a mão na frente do seu rosto

- O que você disse?

- perguntei se já escolheu o filme

- Não, acho que esse de ação é legal o que você acha?

- Tá vamos assistir esse então- falei com a boca cheia de pipoca

Estava deitada prestando atenção no filme e percebia que Bruno ficava me olhando de vez em quando, eu não queria pensar nele dessa forma mas era impossível com ele tão perto de mim.

Numa determinada cena do filme um casal estava num maior amasso e eu fiquei morrendo de vergonha. Ele olhou pra mim e deu um sorriso safado- Jesus me segura- pensei

Eu estava morrendo de frio, tentei me cobrir mais um pouco mas não tava adiantando.

- Bruno dá pra você aumentar o aquecedor, tô com frio

- Eu estou com calor, vem cá que eu te esquento- me puxou pra perto dele- o cão atenta não é possível, isso deve ser algum castigo- pensei

Fiquei deitada com a cabeça em seu peito e meus braços em volta da sua cintura quando fui olhar pra ele, ele fez o mesmo e nossos rostos ficaram a milímetros de distância

Meu sangue gelou, meu coração parece que parou quanto ele me deu um selinho casto olhando em meus olhos.

Eu retribuir o beijo e nossas bocas pareciam que estavam em uma dança sincronizada. O beijo dele era doce, calmo e gentil, ele segurou em meu rosto e aprofundou o beijo parecendo que estava dependendo disso pra viver, eu pus a mão na sua nuca o puxando mais pra perto de mim, nossas línguas estavam por toda parte. Ele desce sua boca para meu pescoço e eu solto o gemido.

- ahh- respiro fundo e ele volta pra minha boca com um beijo mais selvagem, mais faminto. Fomos parando o beijo com selinhos para recuperar o fôlego e demos um sorriso tímido

- Você é tão linda Lia, tão doce e tão encantadora- foi falando enquanto tirava uma mecha de cabelo do me rosto

- Obrigada- me deitei em seu peito sentindo seu cheirinho e dormimos ali abraçados.


Notas Finais


Me contem o que acharam do primeiro beijo dos pombinhos
Até mais 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...