História Derrière Ce Sourire - Capítulo 10


Escrita por: e minadopoldi

Postado
Categorias Antoine Griezmann, Hugo Lloris, Olivier Giroud
Personagens Antoine Griezmann, Hugo Lloris, Olivier Giroud, Personagens Originais
Tags Benjamin Pavard, Stuttgart
Visualizações 127
Palavras 2.235
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom, esse é o último capítulo e nós queremos agradecer muito a vocês que leram essa fic. Foi curtinha, porém é muito especial para nós!

Boa leitura!!!

Capítulo 10 - Dix


Fanfic / Fanfiction Derrière Ce Sourire - Capítulo 10 - Dix

    Benjamin Pavard

Fazia uma semana que tinha voltado de Chambéry e ainda sentia a dor me rasgar ao meio, estava totalmente sem vontade de viver depois de tudo o que aconteceu nos últimos dias. Depois dos treinos as únicas coisas que de fato conseguia fazer era deitar em minha cama e ficar olhando para o teto pensando no quanto estive alheio a toda situação que ela viveu. 

Por vezes passava horas olhando a pulseira que tinha sido algo tão nosso, também o cachecol que tinha tentado fazer no Natal, havia guardado com tanto carinho e sequer imaginei que fosse acontecer algo assim. 

Eu não aguentaria ficar em Stuttgart, tudo aqui me lembrava ela, precisava me livrar desse lugar, era doloroso demais, mesmo que Ashley nunca esteve aqui, era o local que nos encontrávamos todos os dias, que eu acordava tarde da noite apenas para ver seu rosto e poder gravar seus sorrisos fracos para mim. 

— John. — Meu empresário atende. — Vou aceitar a proposta do Bayern. 

— Existem algumas que são melhores. 

— Quero continuar aqui na Alemanha, estou bem adaptado ao país. 

— Pensei que você estivesse bem com o clube. 

— Estou, John, é pessoal essa minha mudança, não posso mais continuar aqui. 

— Você sabe o que ir para o Bayern pode significar, 

— Sei e estou disposto à tentar. — Faço uma pausa. — Acerte isso o mais rápido possível.

Sei que ele não entendia bem o que estava acontecendo, não tinha dito nada, não queria que ele viesse com algum tipo de pena para o meu lado, iria para Munique, queria estar ali e esquecer a dor que estava sentindo. 

John passou alguns dias tentando me mostrar que aquele não era o melhor momento para largar o meu atual clube, todavia me mantive firme com a minha decisão e estaria indo realizar os exames médicos para finalmente assinar com eles e poder começar a jogar na temporada seguinte que não demoraria muito a terminar. 

Continuei a jogar pelo Stuttgart até o final da temporada e dando sempre o meu melhor pela equipe, alguns companheiros entenderam o real motivo para que eu partisse e me deram muito apoio com tudo isso, podia ficar tranquilo com a situação, havia exposto o motivo para minha saída e boa parte da torcida tinha entendido o que aconteceu. 

Entre o meio tempo entre o final da temporada e a minha mudança estava fazendo um projeto juntamente com Olivier Giroud. O projeto consistia em uma associação que poderia ajudar a salvar vidas, havíamos escolhido o nome de Associação Ashley Sampras de Prevenção ao Suicídio (AASPS). Depois da perda dela, Giroud e eu nos aproximamos um pouco mais e queríamos evitar que outras pessoas passassem pelo mesmo que nós. 

A associação contava com uma sede em Paris, um site onde pessoas de todo o mundo poderiam fazer contato e nós tínhamos feito alguns contatos com profissionais da saúde que nos ajudariam prestando tratamento para quem procurasse a AASPS em diversos países, contamos com a ajuda de muitos colegas para a divulgação do projeto, o fato de sermos pessoas envolvidas na mídia ajudava muito no alcance do site. Saber que essa iniciativa salvaria vidas me deixava em paz comigo mesmo, pois não tinha conseguido salvar o amor da minha vida, mas estaria cuidando para que outros não perdessem seus amores. 

 

Os dias estavam se tornando menores desde que tinha me mudado para Munique, os treinos preenchiam grande parte dos meus dias e eu tinha me integrado muito bem com os meus novos companheiros, principalmente de Tolisso que também era francês e de James Rodríguez que tinha se mostrado uma pessoa incrível, o colombiano sabia bem como fazer uma amizade. Sven Ulreich também era um dos mais próximos no meu circo de amizade. 

O time havia começado o campeonato um pouco desorganizado, mas foi por apenas algumas rodadas para que o professor finalmente conseguisse acertar o time, estava muito feliz pois tinha ganho boas oportunidades de atuar na zaga junto com Hummels e algumas vezes com Süle, então minha carreira estava indo muito bem. 

Não havia um dia se quer que não pensasse em Ashley, suas lembranças ainda estavam muito vivas em mim, haviam se passado apenas alguns meses desde sua morte. 

— Essa semana temos que fazer as fotos pra Oktoberfest desse ano. — James comenta comigo enquanto vamos para o vestiário depois do treino. — Já participou de alguma? 

— Não, vai ser a primeira vez, sempre quis usar um Lebenhose. — Dou risada. 

— É engraçado. — James diz de forma simples. 

Aquela conversa havia me deixado muito empolgado com famosa festa e mais do que nunca eu queria estar lá, faria bem para mim, precisava me lembrar que poderia seguir em frente, não poderia passar o resto da minha vida me lamentando pelo que havia acontecido, contudo não iria procurar, iria deixar que acontecesse como aconteceu com a Ash naquele dia. 

Nós fizemos as fotos para Paulaner e foi muito divertido, até me imaginava ganhando um campeonato e tomando aquela cerveja no gramado, jogando em meus companheiros, deveria ser um momento muito épico, os rapazes estavam realmente empolgados com a sessão de fotos e acabei sendo contagiado com tudo aquilo, estava completamente feliz naquele momento. 

Mandei uma foto para minha mãe usando aqueles trajes e ela começou a rir enquanto tentava fazer um elogio para mim e eu apenas ri de toda aquela situação, foi como Rodríguez havia me dito, era engraçado, conseguia me sentir como um bávaro usando aquele traje tradicional, imagino como Ashley ficaria linda em um daqueles vestidos. 

— Pavard, agora vamos fazer as fotos dos casais com as meninas do Frauen. — Neuer me chama. — Quem sabe não esteja lá o amor da sua vida. 

— Ah cara como você é sem noção. — Müller repreende o goleiro. — Ignora Benjamin, Manu fala muita merda pro tamanho dele. — Apenas dou risada. 

A moça com quem iria fotografar era Sara Däbritz, ela era muito simpática e divertida, nossas fotos ficaram muito boas, pareceu existir uma boa química entre nós dois naquelas imagens. 

— Ficaram uma gracinha juntos. — Tolisso me diz me deixando vermelho. 

— Você e sua parceira também. — Foi risada. 

— Franck, será que dá pra dizer pra gente o que as duas estão falando. — Thomas aparece. — Eu acho que Manu e Manu fazem um par e tanto. — Olho sem entender. — Manuela Zinsberger, goleira. 

— É sério que ela chama Manuela? — Eles concordam e eu dou risada da coincidência. 

 

 

Acabei me reencontrando com Sara somente no dia em que fomos para a Oktoberfest, como ela estava sem par e eu também decidimos entrar juntos para que fossemos sozinhos, acabamos passado quase todo o evento juntos e conversando, contei pra ela o que tinha acontecido e sobre meu projeto com Olivier e ela achou tudo isso muito interessante, me contou algumas coisas sobre ela e tinha certeza que seríamos bons amigos.

 

 No final da festa, perguntei se Sara queria uma carona e ela, prontamente, aceitou. Foi ali que tudo começou a mudar em minha vida e eu consegui seguir em frente. Apesar de amar muito a Ashley e ela sempre ocupar um pedaço especial do meu coração, a Sara foi me encantando aos poucos e quando percebi já estava perdidamente apaixonado pela camisa 13 do time feminino do Bayern.

 Neuer se considerava o cupido dessa relação, porque no dia das fotos para a Oktoberfest ele fez essa previsão e eu apenas ria. 

 Sara foi se tornando uma pessoa cada vez mais especial em minha vida, ela começou até a me ajudar com alguns projetos da AASPS e teve a ideia de trazer alguns jovens para dar depoimentos sobre o que aconteceu com suas vidas após a descoberta da nossa Associação, o que fez a popularidade do local aumentar ainda mais. Nós ouvimos as próprias pessoas que tentaram se suicidar e suas famílias, que nos agradecia imensamente por isso.

 Felizmente o projeto estava apenas crescendo e o índice de suicídio na França estava cada vez mais baixo. Isso me deixava muito orgulhoso e até o Griezmann acabou entrando para esse projeto junto a mim e Olivier. Ele sentia-se muito mal por tudo o que havia acontecido com a Ashley e queria compensar de alguma maneira.

 

•••

 

 Cinco anos após a morte de Ashley, Sara descobriu que estava grávida e precisou se afastar do futebol por um tempo. Ela ficou triste por perder as Olimpíadas de 2024, porém a emoção por estar grávida superava qualquer coisa. Nós quase explodimos de tanta felicidade quando descobrimos que seríamos pais de uma garotinha e decidimos que o nome seria Katherine.

 A primeira pessoa que eu liguei para contar a novidade foi a Olivier. Com o passar do tempo nós ficamos cada vez mais próximos e ele sempre torcia muito para que eu conseguisse seguir em frente, sempre me dava muito apoio e conselhos incríveis. Eu seria eternamente grato por tudo o que ele fez por mim e pela Ashley.

 

 Quando Katherine completou 6 meses, Sara voltou para os gramados e nós quase ficamos malucos com a nossa rotina no início. Ambos tinham jogos e viagens importantes, e quase não estávamos ficando muito tempo juntos. Mas isso nunca foi um problema para nosso relacionamento e sim algo que acreditamos que nos deixa ainda mais próximos. Já que sempre nos falávamos por vídeo chamada e quando estávamos juntos aproveitávamos cada segundo.

 

 Na Oktoberfest de 2025, seria a primeira vez que nossa filha participaria do evento. Katherine havia apenas 10 meses, porém Sara e eu não queríamos perder aquela festa, que só ocorre uma vez por ano e é tão especial para nós. Fora ali que nos conhecemos, fora ali que toda a nossa história juntos se iniciou e esse ano seria ainda mais especial, porque eu a pediria em casamento.

 Sempre que ela falava algo relacionado a isso, eu desviava o assunto por ainda não estar pronto para subir no altar sem a minha Ash. Todavia, eu finalmente percebi o quão estupido era aquilo, porque a Sara era uma mulher incrível e eu a amava muito, não merecia fazê-la passar por isso.

 Durante todo o caminho até a festa, eu batia meus dedos no volante para tentar me acalmar e a Sara acabou percebendo que algo estava errado.

 — Está tudo bem, liebe?  — Acariciou minha coxa.

 — Sim, só estou ansioso para a primeira Oktoberfest da Kath, vai ser a primeira vez que vamos posar para fotos com a nossa filha. — Não era uma mentira, mas também não era toda a verdade.

 — Fica tranquilo que tudo vai ser perfeito! 

 Você não tem nem ideia. Pensei.

 — Tenho certeza que sim! — Estacionei o carro e selei nossos lábios.

 Sara começou a olhar-se no espelho para ajeitar seu cabelo e maquiagem, e eu fui tirar a Katherine da cadeirinha no banco de trás. Ela estava linda com seu pequeno Dirndl rosa bebê e com uma coroa de flores, que deixavam ainda mais lindos seus cabelos cacheados.

 — Vamos? — Sara perguntou e entrelaçou nossas mãos.

 — Vamos! 

 Respirei fundo e começamos a andar em direção a área reservada para os jogadores. A cada passo que eu dava, meu coração acelerava mais, aquele era o momento que eu finalmente pediria Sara em casamento.

 Após as fotos que fizemos na entrada, fomos procurar nossa mesa e assim que nos aconchegamos, já dei uma desculpa qualquer para poder sair dali e colocar meu plano em prática. 

 Fui com o Kimmich até o palco e pedi licença a banda que se apresentava naquele dia. Nós já havíamos combinado tudo com os integrantes e até mesmo com a moça que organizou a festa para nos deixar em uma mesa perto do palco.

 — Desculpa interromper a festa de vocês, mas eu preciso dizer algumas coisas a uma pessoa extremamente especial para mim que está aqui hoje. — Falei no microfone olhando diretamente para minha namorada, que apenas franziu o cenho sem entender o que estava acontecendo. — Bom, há alguns anos eu passei por um grande trauma em minha vida e achei que nunca mais conseguiria viver tranquilo novamente, até que a Sara apareceu em minha vida. — Sorri. — Mon amour,  você foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido depois de um momento como aquele. Obrigado por ter feito com que eu voltasse a acreditar no amor e por ter me dado os dois maiores presentes que alguém poderia receber; o seu amor e a nossa filha. Nossa história começou aqui, nessa festa anual maravilhosa, há alguns anos e nada mais justo que eu te pedir para ficar para sempre comigo aqui. — Larguei o microfone ali, aproximei-me de onde ela estava e ajoelhei para fazer o pedido tão especial. — Sara Däbritz, você aceita se casar comigo?

 — Claro que eu aceito me casar com você! — Selou nossos lábios.

 Ouvimos alguns aplausos ao nosso redor e logo separamos nossos lábios. Enxuguei as lágrimas que molhavam o rosto da minha noiva e já agradecemos nossos amigos que nos parabenizavam.

 

 

Pensei que nunca mais iria ser feliz depois que Ashley foi embora, porém consegui seguir em frente mais rápido do que eu fui capaz de imaginar. Simplesmente aconteceu, começou com uma simples publicidade para um dos patrocinadores do clube e uma conversa casual. Foi tão inesperado que eu nem mesmo fui capaz de imaginar que aconteceria tão rápido. 

Eu sempre vou amar a Ashley e ela sempre estará em um lugar especial, a primeira mulher que eu amei de verdade, mas agora eu tinha duas mulheres em minha vida que eu também amava muito, minha filha Kath e a minha futura esposa Sara.


Notas Finais


Bom, essa fic foi meio que uma forma que nós tivemos para desabafar sobre o assunto, já que infelizmente cada uma já passou por um lado da história.

Nosso objetivo aqui é mostrar o quão grave é a depressão e que as vezes aquela pessoa que você acha ter a vida perfeita, está uma bagunça internamente. Por isso, sempre mostre o quão importante uma pessoa que você ama é para você. Sempre fique atento nos mínimos detalhes, porque uma pessoa nessa situação tem medo de demostrar e acharem que é frescura. Isso acontece muito, vocês não têm noção!!

Enfim, se em algum momento você já pensou em suicídio, procure um psicólogo ou ligue para o número 188 que eles te escutarão. Quem quiser apenas desabafar aqui nos comentários ou por MP, sintam-se a vontade também.

O suicídio não é a solução!! Pode parecer tentadora a ideia de acabar logo com todo o sofrimento, mas não é a melhor opção!!

Espero que tenham gostado!! Comentem xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...