1. Spirit Fanfics >
  2. Desabafos de uma ansiosa em quarentena >
  3. Quarto escuro

História Desabafos de uma ansiosa em quarentena - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Eu e meu bloqueio fizemos algo!

Tem temas sensíveis, não leia se se sentir prejudicado por esse tipo de história. Gatilhos pra violência e drogas.


P.s: Acho que esqueci de avisar sobre a violência.

Capítulo 1 - Quarto escuro


Nada mais do que puro e simples desespero em existir, dias a fio sem receber um oi de amigos, tudo que me mantem dentro da sanidade é minha prima. As vezes meu melhor amigo, as vezes a outra prima, e as vezes o outro melhor amigo, que quebrou o pé no carnaval, mormente por minha culpa. 
Fui eu quem deixou a minha amiga louca de loló com ele porque queria beijar aquele amigo dele que estava lá. Bem, ela prometeu que não ia usar nada, e descumpriu, eu achei justo deixar ela lá, ela não cumpre a própria palavra, porque eu vou cuidar dela? Eu também sai pra me divertir! Sinceramente, remoer o carnaval, o causador de todo esse surto, é parte do que me resta. 
Dormir dependendo de um pano que jogo na janela pra luz não entrar no meu quarto, desisti de acordar as 6, 7 da manhã com o sol e passar deitada até as 10, olhando pro teto, rodando o feed do intagram, a tl do twitter, as vezes até os status do whatsapp.
Status esses, que meu próprio varia entre reclamar dos meus problemas pra dormir, comentar sobre a falta que sinto dos meus animais de estimação — agora morando na chácara do meu avô — do problema de estresse da Linda — minha cachorrinha, que vai pra casa da minha avó porque os outros 8 cachorros da chácara estão causando estresse nela e ela tem alergia a pulgas — e fotos minhas de quando eu tenho picos de autoestima, geralmente acompanhadas de frases como "Eu sou uma puta gostosa" as quais meu amigo que quebrou o pé responde "Sim." e minha outra prima responde  "Comia", realmente significando que me pegaria. Não reclamo, faço o mesmo.
Passei 3 ou 4 dias enfurnada de tal forma no meu quarto que eu só via luz quando saia para almoçar. Sentamos nas mesas de plástico na frente da piscina pra comer, eu minha mãe, minha irmã minha tia — amiga da minha mãe, dona da casa em que estamos morando —, meu pai, e as vezes a filha mais velha da tia. Sua filha mais nova, seu filho e meu tio geralmente almoçam onde querem, o próprio quarto ou a sala. 
Nesses dias infernais tudo que me manteve presa a uma existência foram os blocos de exercícios do kumon, mais uma coisa que meu pai se mata para pagar, porque ele desistiu de assistir minha desistência quanto a matemática. Não era uma simples desistência, é um bloqueio. E eu detesto esse bloqueio, queria saber quem me deu isso. Foi minha suposta avó agressiva? Foi o meu medo criado por perder amigos ao demonstrar inteligência? Eu não sei. Espero que a culpa seja da suposta senhora, charlatâ fajuta, enganou todo mundo fingindo e criando sintomas de esquizofrenia, ainda veio tentar me abraçar quando fui visitar meus animais na chácara, parecia que um furacão passara nela e na casa, estava com um vestido minúsculo, o silicone onde ela colocou parte do dinheiro da ação judicial que ganhou me trazendo lembranças de como ela fez para sair do trabalho e que façanha fez para provar que aquele carro era ruim. A noite mal dormida antes de uma prova ainda me assombra, chegar em casa depois das 3 da manhã para a perua passar para me pegar perto das 6. O tanto que eu chorei por ter me esquecido tudo por não ter dormido durante todo o processo de esperar um guincho. Não só isso me assombra, essa mulher é a causa de, se não todos, a maioria de meus problemas mentais. 
Espancar uma criança é crime, mas se ninguém fala ninguém pode fazer nada! Eu deveria ter ligado no conselho tutelar quando tive a chance. Chamar ela pelo conselho tutelar atrairia as pessoas caçando ela por fraude. Ela tem o controle de todos eles, meu vô, tios e pai. Ela distorce a visão do meu pai e ele cria o próprio irmão mais novo como filho. Ele tem mais acesso ao dinheiro do meu pai que eu. É normal o irmão mais velho bancar o mais novo tendo duas filhas pra criar ou é só a minha visão de família que esta errada? Um argumento porco que ele usa contra minha mãe. 
Mãe essa que parou de trabalhar porque estava com medo de me perder para as agressões daquela maluca, que me agrediu com um estupido animal morto. Um marreco, aquele pato pequeno  sabe? As formigas subindo meu corpo são tudo que eu sinto sempre que ela se aproxima demais. 
Forjar a própria personalidade é uma habilidade positiva ou isso só me torna uma pessoa manipuladora porque engano as pessoas a não verem a verdade e/ou gostarem de mim? É FÁCIL! APLIQUE TUDO QUE SUA MENTE FRAGMENTADA  APRENDEU COM ESSAS EXPERIÊNCIAS E SE SE ESCONDA EM UMA PERSONALIDADE CONFIANTE! Se ela não der certo, mude aos poucos os seus pontes de interesse para manter as pessoas que você gosta! Tem uma chance de isso falhar e/ou você achar um idiota melhor em fazer isso. Eu achei um, mas o problema dele é a personalidade narcisista e medo de abandono criado em um moleque filho único sem a atenção dos pais, quando esse idiota chegou a conclusão de que era gay — chegou sozinho mas todo mundo conhece uma bixa afetada de longe, e não falo por mal, ele tinha todos traços de um gay, eu só tava esperando o crush dele no nosso amigo em comum passar. Na época ele ainda não tinha começado a transição. 
Tudo que eu aprendi é: sua personalidade não vale de nada, você é uma manipuladorazinha de merda, essa é sua personalidade, é isso que acontece quando você perde controle da farsa! 
Sabe o que mais acontece quando você perde controle da farsa? Você acaba projetando desejos em alguém que você sabe que pode cair nessa fácil sendo que você não ta nem ai pra essa merda. Não importa se no começo você queria alguma coisa, coloque a quarentena na equação e seu interesse, que já acaba rápido, vai embora como água corrente num ralo novo.
Eu nem entrei no mérito da EAD nessa situação toda. Eu não assisti nenhuma aula de matemática, mas isso nem é o pior que eu poderia ter feito, entre assistir um vídeo e não entender anda ou simplesmente não ver, é mais fácil não ver. 
E os simulados. Continuam acontecendo e eu continuo fazendo. Não fiz o último que teve, avisaram duas horas antes dele começar no dia em que eu terminei de assisti a temporada 5 de She-ra, eu estava acabada emocionalmente, não ia sentar naquela merda de cadeira de metal e fazer nada.
Vamos destruir mais, sim? Faculdade! O que você quer fazer? "Ah mas isso ganha pouco." "Ah mas você sabe o que vai fazer com esse diploma?" "Ah mas—" vai toma no cu! Eu quero esse curso porque é algo que eu gosto e PARA DE FALAR DOS CURSOS QUE GANHAM BEM MAS EU NÃO ESCOLHI! Eu não quero fazer engenharia, medicina, ou o caralho a quatro. Eu não gosto de trabalhar com números, não quero engenharia. Salvar vidas é honroso mas não quero ser médica, não quero esse estilo de vida. EU NEM SEI SE O CURSO QUE EU ESCOLHI É O QUE EU QUERO! Eu não me sinto nem pronta pra ir pra faculdade!
Meu ponto seguro, a escrita, foi afetado por essa situação. Não sai de mim, não foco na história, me perdi no que eu mais gostava. 
Eu não existo. Sou só o pedido de socorro. Mas não tem nada que possa ser feito, não ah quem venha atrás da minha alma perdida.


Notas Finais


Meh. Minhas técnicas de sobrevivência não servem no celular.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...