1. Spirit Fanfics >
  2. Desafio dos 100 dias >
  3. Eu não preciso do seu amor

História Desafio dos 100 dias - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo: COMPLETAMENTE LIVRE PRA TODOS OS PÚBLICOS (os tiras não podem nos pegar agora manos)

Tema:Coloque sua playlist no aleatório e escreva uma história inspirada na terceira música.

Objeto últilizado no texto: A música I Don't Need Your Love, do musical Six (links na descrição! :D )

Espero que gostem! :)

Capítulo 1 - Eu não preciso do seu amor


Fanfic / Fanfiction Desafio dos 100 dias - Capítulo 1 - Eu não preciso do seu amor

Eu estava realmente irritada. Eu acordei naquela manhã com tanta empolgação e felicidade para receber meu amigo – meu amigo que mantive desde minha tenra adolescência até minha morte, sem precisar vê-lo todo o dia – e fiquei a manhã inteira esperando ele chegar. Eu arrumei meu quarto, varri a casa o mais depressa o possível. Mas ele não chegou. E quando eu abri o meu aplicativo de mensagem, ao qual eu conversei com ele pela ultima vez, eu vi mensagens já mandadas. Mas não fui eu que mandei.

 

No próximo dia, que era segunda-feira, eu entrei na minha sala – 1o ano A – e fui logo em direção ao meu namorado. Eu consegui ele no início do segundo semestre, e eu podia me considerar feliz de ter conseguido essa conquista, se ele não tivesse feito isso.

 

– Com licença, venha comigo por um momento Bruno – eu chamei com pressa, o puxando para longe do seu grupinho de conversa, que era um garoto que tinha um cabelo feio e uma menina que não era a das mais interessadas em estudos.

 

– Pera, pera, pra quê?

 

Ele era muito parecido comigo, mas de um jeito ruim, eu fui descobrir depois. No final, eramos opostos. Ele queria seus direitos, mas ele também queria impor sobre os outros.

 

– Precisamos conversar sobre algo, Bruno.

 

– Ué, então fala pra eles! O que você tem pra falar comigo que não pode falar com outra pessoa?

 

Eu respirei fundo, o olhando com raiva. Eu tentava, e até hoje tento, manter minha raiva contida. Por isso, eu não tinha muito respeito dos outros na minha adolescência. Eu era fácil.

 

– Bruno, eu não quero te acusar de nada, mas você mandou mensagens em meu nome, e eu não te autorizei a isso. – o que era, na verdade, um “eu não te permiti mandar em minha vida” se eu tivesse mais atitude naquela época.

 

– Que mensagens? – ele perguntou, como se ele mandasse mensagens para todo mundo, não só pra mim. Eu realmente me pergunto se ele continuou fazendo.

 

– No instagram. Tem mensagens pedindo para um certo amigo meu para cancelar o encontro em casa, porque eu fiquei doente. Eu não mandei essas mensagens porque eu não estava doente!

 

– E quem é esse seu amigo? – ele perguntou, já ficando com uma cara brava.

 

E naquela hora, foi nossa primeira briga. Eu achei, depois dela, que casais não tinham brigas como aquelas. E eu sabia que uma pessoa, numa relação, não podia controlar a outra. Eu estava pronta para acabar com ele. Tipo, eu sempre gostei de beijar, desde que eu beijei pela primeira vez. Tipo, é muito, muito bom. Mas eu não podia trocar isso por encerramentos de encontros muitíssimos raros com o meu melhor amigo. Mas um pouco mais tarde, ele veio até mim.

 

– Por que você tá com essa cara comigo?

 

– Nós terminamos, não percebeu? Eu não vou deixar que você acabe com minha amizade com ninguém, Bruno.

 

– Me desculpa, Ana, por favor! Eu só estava com ciúmes! Você nunca me encontra fora do colégio, e você ia encontrar com alguém do ultimo ano do ensino médio! Me perdoa!

 

– Promete que não vai fazer mais isso?

 

– Tá, tá, não faço!

 

Eu realmente pensava que uma pessoa poderia mudar tão facilmente.

 

Ele continuou com minhas redes, e de alguma forma, as controlando, me controlando. Ele pedia para eu mandar textos que eu não queria, pedia para eu tirar fotos que eu não queria e gravar vídeos que eu não queria para comprovar meu amor. No final, eu realmente me despedi dele, tanto um empurrão nele e o fazendo cair no chão de um jeito muito vergonhoso na frente de todo mundo. Ele não me perdoou por isso. E eu recebi esse ódio dele por mim da pior forma o possível.

 

No final, eu fiz uma denuncia. Eu só recebi a resposta de que tudo havia sido resolvido, mas não sei o que aconteceu. Depois que os policiais foram pra casa dele, ele nunca mais olhou pra mim. E eu me senti mal por um bom tempo até eu perceber que o problema não era estar recebendo o amor dele.

 

Eu realmente não precisei do amor dele pra nada que eu fiz e que me transformou como o que eu era até o final de minha vida.

 

Eu comecei a desenhar profissionalmente desde meus 16 anos, recebi elogios de várias pessoas que eu amava e idolatrava, entrei num grande estúdio de artes, fui diretora de um filme de animação que lucrou mais de sete milhões, compus a letra de um musical inteiro, conheci pessoas maravilhosas, viajei para lugares incríveis, chorei, ri e beijei muitas bocas mais, inclusive de outros gêneros, e todo o dinheiro eu usei para ajudar a minha família! Essa é a minha história que eu não precisei usar o que recebi dele para nada!

 

Eu me lembro ainda, rindo e o xingando de idiota, dele dizendo que eu não faria nada da vida sem ele. Eu vi a rede social dele e contemplei sua foto de antes de ter ido pra cadeia antes de espancar sua esposa, e realmente não vejo mal nenhum de eu estar solteira, sem homem nenhum em minha vida, somente com a minha gata e minha arara.

 

Afinal, eu não precisei do amor dele.


Notas Finais


Links: https://www.youtube.com/watch?v=k38EqR3Cfx4

Espero que tenham gostado, e se tiverem desafios para mim, me mandem! A lista ainda não tá cheia ;P


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...