História Desaparecido -Jikook- - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Got7
Personagens Jackson, Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Mark, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Drama, Jikook, Kookmin, Romance
Visualizações 12
Palavras 2.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiie!!! I'm sorry, pela demora mas, todos sabem como é em época de estudos...
Espero que gostem,
Boa Leitura❤💕

Capítulo 9 - Cap.9


Eu acho que dormir por uma semana... Não fiquei muito tempo no outro mundo né? O que aconteceu esse tempo... Em que estava dormindo?
 - Quem é você? - Pergunto o olhando, ele é bonito. Vamos dizer que gostoso talvez...

 "Que merda foi essa que pensei?"

 "Vá se acostumando Jimin. Esse é você de verdade"
- A voz falou do nada.
 
 "Quem tá falando? Como esse sou eu de verdade?" - O silêncio reina na minha cabeça.

 ??- Jimin? Jimin... - Estala os dedos na frente dos meu olhos - Jimin você tá bem? Jimin!
 - Ãh? Ah, oi, desculpa. Falou algo?
 Da um pequeno sorriso e me olha de um jeito que só Jesus na vida desse cara.
 JK- Falei que me chamo Jungkook, Jeon Jungkook. Sou policial e detetive... Eu que cuidei do seu caso enquanto desaparecido.
 - Ata. O Suho... - Ele logo completa.
 JK- Já está preso, só falta você ir no tribunal e dar seu testemunho e ele saberá o tantos de anos no presídio. - Vai até o criado mudo ao meu lado. - Como é? Como é dormir por tanto tempo?
 - Ah, sei lá. É estranho, bem estranho... Por quanto tempo eu dormir?
 JK- Dois meses.
 - O QUÊ!? DOIS MESES - falei chocado com o tanto que dormir. - Como é possível? - Tô com os olhos arregalados pela surpresa.
 JK- HA-HA! Poisé, bem surpreendente não? - Pergunta, e logo um barulinho se ouve e Jungkook pega seu celular e sorrir. - O  Tae tá pirando, ele disse que já está vindo pra cá.
 - Que bom. - Dou um pequeno sorriso. Ainda é estranho acordar e rever pessoas... Que conviveram comigo. Tirando o Jungkook.
 ER- Com licença... - A enfermeira aparece passando pela porta, ela parecia uma pessoa muito meiga. Seu rosto é angelical, ela trazia uma bandeja com algumas frutas, uma sopa e um copo de água. - Park Jimin, isso? - Assento. - Aqui. Coma tudinho tá bom? Venho depois aqui para pegar a louça. - Me ajuda a ajeitar a bandeja em minhas pernas e depois volta sua posição normal ao meu lado sorrindo. - Qualquer coisa podem me chamar.
 JK- A gente chama sim. Obrigado. - Agradece sorrindo. Seu sorriso era acolhedor mas podia se ver um pouco forçado, seus dentes eram brancos e lembrava um coelho.
 
 Depois de eu terminar de comer algo que foi meio difícil, porque a comida passava como se arrancasse a carne do meu pescoço, fiquei olhando pela janela. Observando como algumas coisas na rua haviam mudando. Ainda não me acostumara com a ideia de que dormir por dois meses. Isso é completamente loucura! Mal consigo dormir por uma noite.
 JK- É... Jimin? - Me chama.
 - Hum?
 JK- Você... - Mordi os lábios finos e avermelhados. - Você, quando sair daqui é... Tipo, vai querer, vai querer voltar pra casa dos seus pais? - Eu entendia o motivo de ele enrolar tanto para me fazer essa pergunta. É meio complicado eu falar sobre meus pais ainda.
 - Prefiro não voltar. - Respondo ainda olhando pela janela.
 Ficamos calados, o vulgo silêncio era bom mas também desconfortável. Quanto mais pedia para ele quebrar esse silêncio mais eu queria ficar com  a boca fechada.
 
 Muitas coisas na vida não podem ser explicadas... Muitas coisas são como impossíveis de acreditar ou acontecer, muitas coisas acontecem e estragam sua vida. Me pergunto: "Se no mundo à noites que me confortam para sentir sua brisa, porque tanto temos medo? A escuridão é tão sombria? Tão melancólica? O dia dar a sensação de querer viver, mas não um viver de verdade. Não acho que faz sentido eu pensar isso sem ao menos saber não?". É eu sei... Não deu pra entender e meio que não fez sentido, mas é isso que penso.
 Meu corpo dói, por saber que um dia terei que voltar para aquela casa. Aquele lugar horrível. Aquele lugar nojento. Como tem pessoas que não enxergam o que se realmente passa dentro de uma casa. Tá, vocês estão se perguntando do que eu tô falando né? Bom... Vamos ter um segredinho entre vocês e eu tá? Mas não podem falar! Se não vou atrás de vocês e iram se arrepender. Mas continuando, falo isso porque, ninguém viu o que eu passei a não ser eu mesmo, ninguém percebeu que eu sofri lá.
  Agora que estou diferente, talvez eu possa tomar rumos ou decisões diferentes. Mas, é difícil lembrar do que passei lá, das agressões, xingamentos, desvalorização, escravidão. E como conseguir esconder isso por muito tempo? Pruf, ha-ha algo fácil de se fazer com ameaças não acham?



               [...]


 Ouço batidas na porta.
 TH- Jimin? - Entra e me olha por alguns longos segundos - Jimin!... Jimin! - Vem até mim me abraçando com carinho. É tão bom tê-lo aqui. - Oh meu pequeno, como você tá? Pensei que nunca mais ia te ver com esses olhinhos brilhando.
 - Tô bem Tae. Tô bem, só... Meio confuso. - Sorrio.
 TH- Aish, quanto sentir sua falta. - Chorava e eu limpava as lágrimas. Tá eu também tava chorando. - Sabe o quanto orei? Sabe o quanto chorei? Sabe por quanto tempo eu não dormir? Algo que foi nos primeiros dias mas, sabe por quanto tempo? Senti tanta preocupação. Nunca mais vai sair sozinho sem me levar! Ouviu? Nem que seja pra ir na casa da Julia!
 - Mas é lá no lado! - Ele me lança um olhar incrédulo. - Mas não vou sem você.
 TH- Não mesmo! - Me dar um beijo no topo da minha cabeça. - Quando ele vai receber alta? - Pergunta pro Jungkook.
 JK- Ainda não sei. Mas acredito que logo - ele falava com a cabeça baixa e a voz quase em um sussurro - é... Eu vou, vou voltar pra casa tá? Tenho que arrumar ela. Desculpa, até outro dia... - Falou andando até a porta e saindo.
 - O que deu nele?
 TH- O que deu não e sim o que aconteceu. Mas isso não importa agora, pelo menos não agora. Vou falar com ele depois. Agora vou ali ver quando vão te dar alta tá?
 - Tá bom. - Ele vai até a porta e olha pra mim mandando um beijo no ar e eu retribuio o gesto. Respiro fundo e me encontro mais uma vez no silêncio... "Merda".


  


    
               * Sra. Park ON *
 Ficar aqui esperando é uma puta de uma sacanagem! Não tenho o tempo todo do mundo pra ficar aqui.
 CX- Próximo! - Vou até ele. - Bom dia.
 - Bom dia. - Respondo por educação.
 Ele passa todos meu produtos e me dar o total que eu gastaria.
 CX- Aqui! Vinte e três reais de troco, certo? - Fico apenas olhando pro dinheiro. Eu lá sei de matemática? - Obrigado, tenha um bom dia.
 Pego minhas sacolas e saio do supermercado. Vou andando até minha casa e entro nela, tiro minhas sandálias e sigo para a cozinha.
 MR- Chegou?... Que bom. Tenho uma notícia pra você. - Fala sorrindo.
 - Qual?
 MR- Jimin acordou... Receberá alta daqui a dois dias.  - Não consigo esconder a angústia. Será que esse menino não pode sumir da minha vida de vez? 
 - Mas ele não vai voltar. Não depois do que aconteceu. - Dou minha atenção para as sacolas.
 MR- Mas ele não sabe que, foi agente que mandou sequestrar ele lembra?
 - Mas pelo o que fazíamos com ele... É mais certo que não volte nunca! - Me viro para ele e sorrio. - Mas, seria bom se ele voltasse... Hum? Pra... Nós brincar com ele né? - Abraço ele.
 MR- Seria. Mas também teriamos só trabalho com ele. É muito esforço e perda tempo! Vamos deixar ele pra lá e aproveitar a nossa vida? Se der vamos até atrás dele pra nos divertir o que acha?
 - Acho que é uma boa idéia. - O beijo. Jimin ainda não vai sair da palma da minha mão tão cedo!
 Eu odeio aquele menino, ele estragou tudo! Tudo! Minha vida e minha felicidade. Ele desde que tava na minha barriga ele fez isso, meu planos tudo arruinados, meus pais, se foram por causa dele! Meu trabalho se foi por causa dele. Não o considero filho! O considero como um capeta que veio infernizar a minha vida.

 

 "Só espere Park Jimin... Ainda vamos nos ver muito por aí. Só espere."

















                      * Suga On *
 HN- Está pronto? - Olha pra mim esperando minha resposta.
 - O que tu acha? Que eu sou o Sempai que demora mais de um século pra isso aqui? - Passo as duas mãos pelo meu corpo.
 HN- Meu, tu olha bem porque isso aí, é mais feio que teu cabelo de manhã! E não vem com desculpinha não, que isso não vai colar.
 - Hyuna... Desde quando eu visto algo que é feio? Swag é assim mesmo, é invejado por outras pessoas porque não me lembrei disso? - Olhei pra ela.

HN- Ha-Ha! Que bom que você sabe, porque o que invejam é a tua rima não o teu look ultrapassado.

 - Como se você fosse atualizada não? - Ela me olha com os olhos cerrados. - Nem fala nada tá? Só vamo e me deixa lá com o Tae.
 Ela revira os olhos e abre a porta pra sairmos.
 HN- Lembra que eu não tenho carteira de motorista né? Então se formos presos a culpa é sua tá bom? E... Como se sente? Ver o Tae depois de um mês e meio? - Pergunta indo até o carro.
 - Sei lá... Só espero que ele não tenha descobrido da viagem. Se não tô morto!
 HN- Bem que tu sabe.
 Seguimos o resto do caminho jogando conversa fora, a minha casa era longe do hospital. Tava ansioso para ver Jimin, fazia muito tempo que não o via assim como Tae, Jungkook, Hope e o Jackson. Na verdade, eu vi o Jackson a uma semana atrás em um café em Seul, ele estava muito bem, me contou como foi seu encontro com os membros e seus dias lá. E como sabem eu fui pra lá pra trabalho né mesmo? Gravei meu M/V e mais uma música, tudo está indo muito bem.
 Hyuna para na frente de uma lanchonete e desce.
 - Ei! Onde você vai? - Pergunto.
 HN- Eu tenho fome tá? Então shhhi! - Se vira e vai até o atendente.
 Depois de meia hora conversando com o cara ela volta com o lanche.
 - Tava boa a paquera?
 HN- Se tava? Se eu fosse você nem tinha perguntado! - Liga o carro.
 - Hum. Agora sem parar em outros lugares tá? E espero, que tu tenha pegado o número dele pelo menos. Por que não fiquei aqui nesse carro esperando meia hora só pra tu e ele conversarem.
 Ela revira os olhos e eu continuamos nossa trajetória até o hospital. Taehyung deve ter ficado triste esse tempo, pelo que eu conheço ele concerteza ficaria assim... O Tae é uma pessoa maravilhosa de se estar e eu sei disso muito mais do que o Jimin! Eu amo o Tae mais que tudo, mas não tenho coragem de falar isso pra ele já que, tenho suspeitas que ele gosta do Jimin. Sei lá, só penso nisso.
 HN- Chegamos porra! Finalmente. Por que tu tinha que morar tão longe? - Pergunta enquanto procurava uma vaga para estacionar.
 - Sei não.
 Saímos e fomos até a recepção do hospital. Lá a moça disse que não estava na hora da visita então ficamos por lá esperando por Tae. Não demorou muito para ele passar pela porta de vidro.
 - Tae! - Falo feliz por vêlo tão bem.
 TH- Suga! - Vem até mim e me dar um abraço, depois em Hyuna.
 - Por que não me falaram que vinham aqui? 
 HN- O Suguinha queria fazer uma surpresinha pra você... - Olho pra ela e ela dá um sorriso e sai indo pra fora.
 - Ela tá meio certa - falo coçando a nuca.
 TH- Tudo bem. Então... Sobre sua viagem... - Me olha sério.
 - Porra, como tu soube?
 TH- Não importa! Você me deve uma explicação moço, e tem mais! O Jimin acordou! - Na última palavra ele sorrir.
 - QUÊ? Ele acordou!? - Ele assenti. - Que bom! Ele tá bem?
 TH- Tá sim. Mas depois falamos dele. Quero a explicação. - E começou o interrogatório de um mês...
 - Começou...

















                   * Hyuna On *
 Depois que saí, aproveitei pra ir embora. Apenas fui deixar o Suga, tenho que voltar para arrumar um jeito de desmascarar os pais do Jimin... Eu sei de tudo que aconteceu naquela casa, sou eu que falo pra eles o que acontece com o Jimin fora da casa. Tô cansada de tudo isso, o Jimin não merece nada disso. Vou ter que ajudar ele de alguma forma aqui fora!
 Mas não vou poder fazer isso sozinha... Vou ter que ir atrás de alguém.
 Andando pela cidade com o carro, enquanto pensava no que fazer com esse meu problema vejo uma pessoa que não via a tempos. J.Seph.
 Ele estava diferente, mais maduro e sério. Não era bem o Seph que eu tinha conhecido, à quatro anos. Ele vestia um blazer marrom caramelo, uma calça jeans escura e um cachecol preto. Um estilo bom pra uma noite não muito fria.
 Paro o carro e vou até ele com passos apressados.
 - Seph? É mesmo você? - Pergunto e ele me olha e dar um pequeno sorriso.
 JS- Hyuna! Que bom te ver, e sim sou eu! Como está?
 - Tô bem, obrigada. Você está diferente mais... Maduro?
 JS- Poisé... Comecei a trabalhar depois que terminei com a Taeyeon. 

 - Ela te traía e mesmo assim você continuava com ela. - Falo me lembrando dos tempos passados.

 JS- É. Mas agora mudei muito. Não sou mais aquele menino besta. - Coloca as mãos destro dos bolsos do blazer.
 - Acho bom! Não quero mais ficar insistindo pra você largar a pessoa. - Sorrio e ele também.
 JS- Pode ter certeza que não vai.
 - Hum. Tá trabalhado com que?
 JS- Juiz no departamento de polícia daqui de Busan. - Fala com orgulho de si mesmo.
 - Juiz? - Ele assenti.
 "Talvez eu tenha encontrado a pessoa certa pra me ajudar..."















     

        CONTINUA...
 







 
    

 
  


Notas Finais


Poiseh gente... Foi isso...
Podem me xingar e me pendurar no tronco.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...