1. Spirit Fanfics >
  2. Desbrotar >
  3. Capítulo 14, Sakura Haruno.

História Desbrotar - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Capítulo 14, Sakura Haruno.


Fanfic / Fanfiction Desbrotar - Capítulo 14 - Capítulo 14, Sakura Haruno.

O dedo mindinho de Sakura doía com o atrito da folha, e um pequeno calo começava a crescer ali. Mas ela não ligava, no momento estava mais concentrada em escrever a matéria que o professor de biologia molecular passava na lousa - cheia de rabiscos quais o homem jurava ser sua caligrafia.

Ela arregalou ainda mais seus olhos quando viu o mesmo se aproximar do apagador sujo em sua mesa, o cara  tinha uma mania horrível de apagar o quadro 5 minutos antes das aulas acabarem, uma maneira de tortura com seus alunos - esses que sempre reclamavam que ele não era um professor, e sim uma impressora, um pouco maldoso.

Mas agora a rosada concordava com tais apelidinhos pejorativos, mas é obvio que agora ela entendia. Bastava olhar seu caderno com uma letra ilegível e com partes puladas, aquele professor era um demônio  em forma de gente - talvez nem mesmo isso.

Qual era o problema dele com slides e explicações?

Foi quando ele passou o pano por cima da frase que ela copiava que a mesma jogou sua cabeça contra a mesa.

Maldito, louco desgramado.

Por conta dele e de seus textos gigantes - que nunca davam tempo para anotar - o seu plano de manter o caderno organizado e bonito foi todo por água a baixo,

Era só a segunda semana!

Faltava um fio para para ela trancar o curso.

E agora, muito provavelmente, ela teria de pedir o caderno de alguém - já que, o professor achava "essencial" ter todos os seus textos anotados, ele era professor universitário ou do primário?.

Aquilo era sacanagem.

Ela não pediria, nem morta, era tímida de mais para isso, para começo de conversa. era tão certinha, nunca pegou o caderno de alguém emprestado em toda sua vida.

Ela estava fodida, completamente e absolutamente, mas ao menos era uma fodida com o mínimo de dignidade - ou não.

Ela levantou os olhos do caderno apenas para ver o professor se retirando da sala - tão pleno, nem parecia que adorava foder com as vidas dos seus alunos -, algumas pessoas se levantaram murmurando xingamentos, não os julgava, afinal, estava fazendo o mesmo mentalmente.

Mas uma silhueta desconhecida apareceu em sua frente a cortando dos pensamentos nada agradáveis, ela levantou os olhos para poder ver a pessoa parada em sua frente. Sem que percebesse, seus olhos pousaram nos cabelos de cor diferente - tal qual a aparência -, era um e-boy, ela tinha certeza. 

Era um cara bonito, com cabelos platinados e óculos redondos que caiam perfeitamente no nariz pequeno. Aquele cara tinha a pele mais bem cuidada de toda a área universitária, a que inveja.

- Parece que Orochimaru te pegou, não é? - foi quando ele falou que ela se tocou de que passava um belos segundos cravando seus olhos no garoto, Sakura tinha um sério problema em observar garotos bonitos - Eu sou Kabuto,  é um prazer te conhecer Haruno.

Os cantos dos lábios de Sakura subiram ainda mais, antes de morder os lábios. Fazia isso quando estava nervosa.

- Aquele cara é maldoso, meus dedos estão cheios de calo - ela fez um bico sem que percebesse, igualmente as suas mãos, que se fecharam involuntariamente.

Os olhos de Kabuto se fecharam enquanto abria uma sorriso mostrando os dentes, era adorável.

- Ele pode parecer um pouco bruto as vezes, mas é uma boa pessoa, eu acho pelo menos- ela viu quando ele puxou a bolsa e retirou de lá o caderno com um surfista na capa - imagino que não tenha terminado, pode pegar, amanhã você me devolve.

Nem todo herói usa capa.

Sakura quase pulou da cadeira e o abraçou, mas se conteve apenas em um grande sorriso e vários 'obrigada' enquanto pegava a caderneta. Kabuto era um anjo na terra, ela podia jurar ver asas brancas saíndo de suas costas naquele exato momento.

Perfeito.

Mas ao vê-lo parado ali, seus pensamentos a levaram até Sasuke e sua aposta idiota.

Gentil e charmoso, Sakura precisava ficar de olho nele. Talvez ele pudesse ser o seu bode expiratório para vitória e as 30 pratas.

Quando é que tinha se transformado em uma Karin 2.0? Que baixaria.

Ta bom, a idéia não era lá tão ruim, ele era um cara legal, bonito, cheiroso, inteligente. Dar uma bitoquinha nele não ira mata-la.

Pelo menos ela esperava que não.

Isso, Sakura. Você precisa ser forte, você vai vencer e estregar na cara daquele ridículo salafrário que você pode muito bem beijar alguém.

- Obrigada mesmo, Kabuto, eu prometo trazer ele de volta para você - ela enrolou uma madeixa nos dedos, enquanto tentava deixar sua voz mais suave,talvez ela estivesse tentando um flerte.

Um péssimo flerte por sinal. Como ela sabia disso? O cara CONTORCEU O ROSTO.

Ai que vergonha meu pai

A careta esquisita que Kabuto fez poderia ser considerada hilária, exceto para Sakura, que se sentiu uma completa idiota.

Que tipo de pessoa não sabe flertar? Se Karin estivesse aqui nesse exato momento, provavelmente estaria comendo uma pipoca e rindo como uma louca. Sakura conseguia até vê-la no cantinho da sala, de tão real que aquela imagem era.

Teria que tirar dignidade do.. para entregar o dinheiro nas mãos de Sasuke.

Ela queria tanto ganhar.

- Han, eu vou indo - ele parecia meio perdido e a rosada se sentiu ainda pior, era uma perdedora - Posso te dar meu número?

Opa.

Ok, esquece as palavras anteriores, Sakura era pura sedução, uma deusa do flerte. Um dia Sakura piscou para um homem que corou, e ele era ninguém menos que Brad Pitt. Afrodite por que você ta chorando?

Sakura wins.

A Sasuke, você se ferrou, ousou um dia duvidar da sua capacidade de paquera. Uchiha, você está prestes a perder 30 pratas.

Aquela aposta estava ganha, nem era mais pelo dinheiro, e sim pela satisfação de ver o moreno errado.

Aquela personalidade de Sakura era assustadora.

Todos os seus divertidamentes nesse momento estavam surtando.

Ela olhou para baixo da maneira mais natural que conseguia na intenção de parecer tímida. Ela era tímida, mas naquele momento tudo o que ecoava na sua mente era:

" O que será que eu vou fazer com 30 pratas? Comer? Investir em alguma coisa e me tornar milionária?"

Tão Iludida a coitada.

Sakura saiu da sala radiante, cantando vitória. Poderia até dançar alguma musiquinha para esse momento.

Não era competitiva, mas se fosse para competir em algo, que pelos menos ganhasse.

Foi isso que seus pais lhe ensinaram, ou você ganha, ou você ganha. Perder não estava nos vocabulários dos Harunos.

É claro que, os seus pais não imaginariam que ela estivesse ganhando em uma aposta envolvendo beijos e flertes.

Mas o que os olhos não vêem, o coração não sente.

Agora só restava conseguir a pior parte, o beijo. Pedir ajuda de Karin estava fora de questão, a ruiva só a olharia com um olhar de deboche e depois cairia na risada. E nem eram tão amigas assim para esse tipo de conversa.

Mas ela daria seu jeito, tudo na base do improviso. Ai seria uma desgraça.

Não era tão difícil assim beijar alguém, é só fechar os olhinhos, e colar uma boquinha uma na outra.

Sem língua, definitivamente sem.

Ela só queria poder pular isso e chegar logo na parte em que pegava a verdinha das mãos de um Sasuke aborrecido.

Aquele momento seria lindo de se ver. Sasuke Uchiha emburradinho. Seria ilusão de mais imagina-lo com um biquinho?

Falando no diabo, lá estava ele, encostado em uma árvore e parecia estar mascando um chiclete. Mas os olhos de Sakura pararam mesmo era na jaqueta de couro que ele vestia agora.

Um sol do meio dia desse, 35° graus de temperatura e esse menino vestindo couro? Emo é um bicho estranho mesmo.

Estava prestes a abrir ainda mais seu sorrisinho debochada e se aproximar para tirar uma com a cara dele, mas seu celular preso na cintura começou a tocar de forma escandalosa uma abertura de anime.

Péssima escolha de música, Sakura, péssima.

- Oi mãe, tudo bem? - ela não estranhou a ligação da mulher, já que a mesma sempre lhe mandava mensagens nesse horário.

Enquanto escutava a mãe falar repetidamente algumas coisas que ela nem se quer prestava atenção se aproximou do lixo para jogar um papelzinho que tinha em mãos.

- Como assim se sentido sozinha, mãe, papai está ai e..... meu deus eu sou muito burra.

Sim, ela havia conseguido a proeza de jogar o número do garoto no lixo. Sakura tinha exatamente dois neurônios, e um acabava de morrer nesse instante.

A não, não, era uma oportunidade de ouro! Ela não podia jogar isso fora.

- Mãe, calma ai que eu já falo com a senhora - ela colocou o celular na cintura poucos minutos antes de enfiar a mão no lixo - meu deus, que nojo, que nojo, que nojo, são só 30 pratas, minha dignidade vale mesmo isso?

No momento, enquanto mexia na lixeira, sim.

Uma casca de banana, papeizinhos de bala, mais bitucas de cigarro do que se possa imagina e garrafinhas de cachaça.  Os quatro ingredientes para criar um estudante universitário.

Anotem, cai na prova de química.

- Aaa, achei - ela comemorou enquanto dava pulinhos.

As pessoas ao seu redor a encaravam com caras inacreditáveis, mas o melhor olhar dentre todos esses era o de Sasuke, que por hora admirava como a calça de tecido leve caia muito bem nas pernas de  Sakura - e que pernas -, e também o quanto ela era esquisita. Um misto de emoções.

- Oi mãe pode falar... Eu tinha jogado uma prova dentro do lixo - mentirosa - sim, vou tomar mais cuidado - nesse exato momento ela já guardava o papel com todo "cuidado" dentro do bolso da mochila - o que a senhora ia dizendo mesmo?

Começou a andar em direção a Sasuke, que a encarava com a sombrancelha arqueada. Ela não se conteve e mostrou a língua. Duas crianças.

- Que história esquisita, mãe, como assim a filha da mulher tá saindo com o padastro as escondidas.... gente, to chocada - na verdade não estava não, muito menos interessada, mas fingia.

Ela se despediu da mãe segundos antes de parar a frente de Sasuke.

- E ai, esquisita, por que tava nadando no lixo? -  ela semicerrou seus olhos enquanto os passava pelo rosto de Sasuke.

Que desgramado, um desgramado lindo.

Ele tinha trocado os piercings, agora as bolinhas em sua sobrancelha e nos lábios eram pretas. Ficava ainda mais bonito.

Era real, não tinha uma vez em que Sasuke ficasse feio.

- E ai, esquisito, por que ta usando uma jaqueta de couro nesse calor?  Pensei que a moda Emo tivesse acabado.

Ele não respondeu, apenas levantou seu dedo do meio e começou a caminhar ao seu lado.

- Prepara para me dar 30 pratas, Sakura.- seu nome dito por ele lhe dava uma sensação incomum, mas ainda assim, reconfortante.

Ela mordeu os lábios e se apressou para entrar no refeitório cheio de alunos, a ele iria receber o que é dele, se ele ao menos pudesse escutar as risadas malignas que ecoavam dentro da cabeça da garota.

Assustador, parecia até mesmo uma vilã de drama. Quando foi que se tornou tão competitiva assim?

- Você não paga para ver, Sasukequezinho, vai ser triunfante o belo momento onde você vai pagar com a língua.- ela levantou a bandeja na altura dos seios, enquanto dava uma piscadinha, parecia até uma garota malvada. O que ela definitivamente não era.

Diferente de Sasuke ao seu lado, que encarava a garota encher o prato com batatinhas fritas, ele tinha um sorriso maligno, do tipo de sorriso que uma criança sapeca faz antes de planejar uma travessura.

Coisa que ele estava prestes a fazer.

- Perdeu toda sua timidez de "boa-garota", rosadinha? - a encarava de cima, soberbo, ciente de que aquela aposta estava ganha.

Mas não foi difícil negar que ele se surpreendeu quando ela se virou lentamente em sua direção com um grande sorriso no rosto.

- É, quem sabe, Uchiha. Talvez sim. - voltaram a caminhada, agora em busca de uma mesa vazia, que foi logo encontrada, no canto e sem muita gente por perto.

- Preciso confessar que estou feliz, é bom ver você se soltar, você é cheia de fases, e eu estou adorando cada uma delas.- ela corou violentamente e quase parou de andar, não tinha mais deboche em sua voz, ou um tom provocativo e irônico, estava sendo realmente sincero. Aquilo foi um banque para ela.

Qual tentou se recompor discretamente, mas ela sabia que ele carregava um sorrisinho no rosto.

Ela não sabia dizer qual era sua maior surpresa, Sasuke Uchiha dizendo algo desse tipo, ou ele adorar "cada uma de suas fases".

Chegava a quase duvidar se era ele mesmo, não seria surpresa nenhuma se ele tirasse uma máscara nesse exato momento, revelando-se um vilão do mal, como em Scooby Doo.

Fazia mais sentido do que vê-lo dizer algo desse tipo.

- Quem é você, e o que fez com Sasuke Uchiha, o emo gótico trevoso que odeia tudo - aquela era uma boa definição do mesmo.

- Não seja idiota, Sakura, agora me diga, qual foi daquele sorriso gigante que você tinha quando saiu da sala?

Aquele era o Sasuke normal.

Mas se tocou da segunda parte da frase, e abriu um grande sorriso, que chegava a ser macabro.

- Uchiha, Uchiha - ela cantarolou enquanto roubava um pedaço de carne do prato dele - Peguei um número de um gatinho hoje, acho que a gente vai marcar um encontro, saca?

Ela sorriu sacana, toda a vergonha que um dia existiu em seu corpo evaporou, assim que ela viu Sasuke Uchiha engasgar com a própria saliva.

- Acho melhor você preparar minha grana - ela deu um tapinha em suas costas - e o seu ego também.

Mas ele começou a rir, isso mesmo rir.

Estava quase morrendo agora mesmo e agora estava dando gargalhadas. Esse enterro virou uma festa.

Ele enxugou uma lágrima imaginaria e se virou para ela, com um sorrisinho de canto.

O coração de Sakura chegou a errar uma batida, maldito lindo.

- Não cante vitória tão cedo, querida - ele enrolou uma mexa rosa dela em seus dedos - eu tenho certeza, que no último momento você vai pular fora.

Sasuke era a tentação pura, sedutor e porra, como se concentrava em algo com ele faltando em um sopro.

Mas Sakura não ia cair em seus encantos. Ou pelo menos tentaria não cair.

- E quem garante, Uchiha? Você mal me conhece.- ela o encarou profundamente e aproximou mais seu rosto, na tentativa de parecer mais intimidadora.

Ele mordeu o lábio inferior e sorriu ainda mais sapeca.

- Então vamos apostar mais uma coisa, Sakura - ele viu os olhos dela brilharem em pura curiosidade, e continuou - além das 30 pratas, o que acha de que, quem perder fazer os desejos do outro por um mês inteiro? Qualquer coisa.

O moreno esperava uma reação diferente, algo como uma risada sem graça e pura negação da parte dela, mas se chocou ao ver o sorriso grande dela.

- Não está satisfeito de só perder dinheiro, Sasuke? Por mim tudo bem.

Sakura não sabia de onde havia tirado tamanha coragem, mas ela ia ganhar. Ela tinha até planos maldosos já feitos em sua cabeça.

Agora, só restava que as coisas saíssem bem com Kabuto. Aquela parte seria pior.

Mas ela estava disposta a entrar nessa, mesmo que seu lado sã e normal dissesse que era uma má idéia.

Essa era o tipo de coisa que Sakura nunca sequer pensaria em fazer antes, mas agora estava alí, com uma personalidade duvidosa e fora de si, mas estava se divertindo como nunca. Talvez nem fosse mais pelas 30 pratas.


Notas Finais


Depois de um bloqueio criativo, HORRÍVEL. Eu consegui escrever alguma coisa. tustusttus

Estou trabalhando em uma outra história no momento - também envolvendo a querida Sakura, por motivos de: sou cadelinha sim - então talvez demore um pouquinho para a próxima atualização.

Obrigada por ler.🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...