História Descendants Of The Moon - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Abo, Boonon, Hozi, Jeongcheol, Jicheol, Jihan, Jihancheol Abo, Jun8, Junhao, Junhao Abo, Meanie, Meanie Abo, Mingjun, Minwoo, Seokchan Abo, Seventeen, Seventeen Abo, Soonhoon Abo, Verkwan, Verkwan Abo, Wongyu, Wooshi
Visualizações 861
Palavras 1.537
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


DEMOREI MAS CHEGUEI, TÁ PEGANDO FOGO ISSAQUI GALERIS

quem gostou de CLAP, bate palma (짝짝짝짝)
comeback lindo dos meus lindos, não esperava nada mais, nada menos do que um lacre desses.

o capítulo focou em personagens que antes não apareceram tanto -cofcofscoupscof (tirando os 388373 povs do wonwoo), então... é isso ^^^


queria agradecer pelos 400+ favoritos, vocês são é F.O.D.A!!!!

BOA LEITURA!!

*felixx win pro monsta x e pras monbebes~~

Capítulo 9 - Ímãs e outros tipos de atração


Junhui POV

Fui duro demais com ele.

Não parava de pensar nisso.

Deveria ter sido mais sensato, isso sim. E firme.

Eu sou um desastre.

- Não vai mudar de ideia? – ouvi sua voz do outro lado do quarto ainda escurecido.

- Eu já expliquei, Minghao.

- Que se foda essa sua explicação de meia tigela.

Ele se levantou e saiu do quarto, batendo os pés no chão.

Eu deveria ir atrás?


[<>]


- Bom dia, fofos. – Seungkwan se levantou do sofá assim que viu nós dois chegando. – Querem comer o quê? Pizza?

- Por que teríamos pizza em casa às nove da manhã? – perguntei.

- Pedimos ontem.

- Quem pediu?

- Eu e o Hansol. – Kwan apontou para o sofá, onde Vernon dormia sem camiseta e com toda a barriga de fora.

Minghao se aproximou dele, olhando o estado da sala: uma bagunça só.

- Não me diga que vocês...?

Seungkwan ficou vermelho até a raiz e se retirou para a cozinha.

- Good morning. – um inglês todo torto chamou a nossa atenção. Seungcheol desceu as escadas esfregando o rosto. – Tem comida?

Ele andou até a sala e empurrou as pernas de Hansol para poder sentar.

- NÃO SENTA AÍ! – Kwan acordou o namorado e provavelmente a casa inteira junto.

- O que foi? – Jeonghan desceu as escadas alerta, olhando pra todos os lados. Mais gente apareceu em seguida.

Aproveitei a confusão pra ir falar com Minghao, que tinha ido pra cozinha.

- Ming—

- Eu não vou te ouvir e nem falar nada.

- Mas eu queria—

- Será que ainda não tá óbvio, Jun? – Hao praticamente cuspiu as palavras em mandarim. – Não somos mais nada. Pode ir embora amanhã, se quiser.

- Mas Hao...

- Eu não me importo mais.


Wonwoo POV

Quando acordei naquela manhã, percebi que nunca tinha deitado num colchão tão macio e com lençóis tão limpos e cheirosos quanto aqueles. Mas foi em questão de segundos que me dei conta de que aquele cheiro não era de Downy, nananinanão. Era de Kim Mingyu.

Mais rápido que coelho desviando da mão de criança abusada, rolei pela cama até quase cair do colchão e me apoiei no criado mudo. Olhei pro outro lado e vi ali o causador da minha situação atual: Kim Mingyu, dormindo feito princesa. Ah, mas não vai ficar assim mesmo.

Peguei meu travesseiro e, ajoelhado no colchão, comecei a bater no corpo do morto até acordar a desgraça.

- Que foi? – ele resmungou, segurou o travesseiro com o braço e abriu os olhos.

- Como assim que foi? Ficou biruta? – perguntei, incrédulo. – Tu dormiu comigo, Mingyu!

Ele sorriu maliciosamente.

- Dormi, é?

- Filho da mãe. – saí da cama num pulo. – Conversamos mais tarde.

Entrei no banheiro e tranquei a porta.


[<>]


Depois do banho, destranquei a porta do banheiro e coloquei a cabeça pra fora, me certificando de que mais ninguém estava no quarto – nem Mingyu. Saí de toalha na cintura, com mais uma tapando minha barriga, e peguei uma roupa qualquer. Tinha terminado de colocar a bermuda quando ouvi uma voz.

- Ah. – dei um pulo com o susto de ver Mingyu parado no batente. – Cheguei tarde.

- Tarde pra quê?

Mais outro sorriso suspeito.

Coloquei a blusa e ignorei o cara passando reto. Desci até o primeiro andar e dei bom dia pra todos os residentes.

- Boa tarde, você quer dizer. – Jun apontou para o relógio temático de Attack On Titan na parede (detalhe colocado por Soonyoung): meio dia e meia.

- Bom dia, Wonnie. – Seungkwan me deu um abraço todo bobo e foi até a cozinha. – Não senta no sofá, tá?

- O que deu nele? – perguntei para Chan, que também estava na sala. Mas ele só balançou a cabeça e os ombros.

- A comida tá pronta. – Jeonghan gritou da cozinha. – Venham logo.

Todos comeram em silêncio, olhando mais uma vez pra cadeira de Soonyoung, vazia. Dava pra sentir a tensão no ar, todos reclusos e se estranhando. Fiquei arrepiado.

- Cadê esse cara? – Seungcheol perguntou. – Soonyoung tem faltado até no almoço.

- Ele... ele vai falar com vocês à noite. – Chan gaguejou.

- Então você sabe o que tá acontecendo.

- Eu não disse isso...

- Mas deu a entender. – comentei.

- Conta pra gente. – Hansol pediu.

- Eu não posso! – Chan explodiu, nos assustando. Quando percebeu, abaixou o tom de novo. – Ele vai falar pra vocês, juro.

- O que querem fazer hoje? – Mingyu perguntou, sorrindo e recolhendo os pratos. Ninguém respondeu. – Já ficaram entediados?

- Faltam dois meses. – Minghao explicou. – Já passeamos por toda Los Angeles, até no Hollywood Studios a gente foi.

- Vou fazer compras. – Han comentou. – Alguém vai junto comigo e com o Wonwoo?

- Por que eu tenho que ir? – arregalei os olhos.

- Mais alguém quer ir? – ninguém se manifestou. – Tá explicado. Agora vamos.


[<>]


Depois de horas e horas andando pelos centros comerciais de LA, paramos em uma sorveteria para descansar.

- O Mingyu dormiu na cama contigo, por acaso? – Han me perguntou.

- Dormiu. – bufei.

- Como foi?

- Como assim, como foi? O cara é doido da cabeça. – reclamei, me lembrando do sorriso sacana quando falei que dormimos juntos. – Pervertido.

- Não se sentiu nem um pouco atraído por ele? – meu amigo deu um sorriso que mostrava que ele estava do lado do meu noivo, não meu. – Nem o cheiro dele?

- Não sou provador de perfume. – rebati. – O Mingyu é uma pessoa muito legal, blá blá blá, mas eu preciso de alguma coisa que me faça gostar dele de verdade. Até agora, ele é um herdeiro convencido que foi forçado a casar comigo e tá se fingindo de legal.

Meu amigo caiu na gargalhada.

- É sério! – continuei. – Nunca viu aquelas coisas de filme? O cara parece super legal no início e aí depois se transforma num monstro.

- A relação de vocês é como um ímã. – Jeonghan se ajeitou no banco pra explicar a teoria. – Os dois precisam ter polaridades diferentes pra sentirem atração um pelo outro, entende? Você, no caso, teria que deixar de pensar assim e mudar de opinião. Parariam de se repelir na hora.

- Você é louco.

- Faz sentido, ué!

Paramos de conversar pra terminar o sorvete. Quando pagamos, o céu já estava escurecendo.

- Acho que nunca mais vou precisar fazer academia depois dessa caminhada. – brinquei, balançando as sacolas nas mãos (todas de Jeonghan).

- Ainda sobre o assunto anterior... – revirei os olhos. – Você disse pra gostar dele de verdade, e não gostar. Isso, por algum eventual motivo... quer dizer que você não odeia ele totalmente?

Não consegui nem pensar numa resposta pra um absurdo daqueles.

- É melhor você calar a boca antes que eu finja que não te conheço. – ameacei. – Não duvide.

- Não duvido nada... – a mão de Jeonghan pousou sob meu ombro. – Só que agora a sementinha já tá plantada, mi amigo.


[<>]


Seungcheol POV

No quintal, os alfas da casa sentaram nas cadeiras de praia no gramado e ligaram a música dentro da casa.

- Quero ter férias mensais pra sempre. – comentei, me recostando.

- Que anel é esse aí? – Hansol apontou pro meu dedo anelar com um aro prateado.

- Eu e o Hannie estamos noivos. – só de pensar nele, eu sorria. Mais um ano e então seríamos oficialmente marido e marido.

- Fiquei sabendo da discussão entre você e o Seungkwan. – Jun se dirigiu a Vernon. – Mas não sabia que o Kwan era o alfa.

- Sério? – Mingyu, que até agora tinha ficado quieto, perguntou. – O Kwan é tão mais sensível que você... que loucura.

- Eu vi o Hansol andando torto hoje de manhã. – Junhui riu. – Tava bem claro que a noite passada no sofá tinha sido ótima.

- Sofá? – o “dono” da casa franziu as sobrancelhas de novo.

- Não senta nele! – Hansol pediu. – Acho... que a gente vai ter que comprar um novo.

- Eles basicamente fizeram do troço o ninho de amor deles. – debochei.

- Chegamos! – uma voz fina vinda de dentro de casa nos fez esquecer do assunto. Hannie apareceu cheio de sacolas. – Eu e o Woo vamos só largar as coisas e voltamos pra conversar, ok?

Concordamos e voltamos a falar sobre assuntos ordinários.


Wonwoo POV

Deixei as sacolas no quarto de Jeonghan e fui até o meu, largar a carteira e óculos de sol.

- Wonnie-ah! – ele me chamou antes que eu fosse pro corredor. Estendeu uma sacola preta e sorriu. – Comprei um presentinho pra você, se não se importa.

- Obrigada. – fui polido, peguei o pacote e me retirei.

- Aproveita bastante!

Joguei a sacola sobre a cama – nem espiei pela abertura, tamanha preguiça – e fui até a cozinha tomar um copo d’água. Estava virando o copo na boca quando senti alguém basicamente sarrar em mim por trás.

Cuspi toda a água de novo e me virei rápido.

- Wonwoo-ah. – era Mingyu. Ele estava sério demais. – Como foi o passeio?

- Isso é assédio, seu desgraçado. – rosnei. Seu rosto continuou inexpressivo, os olhos piscaram devagar, e sua mão apertou meu pulso. – Mingyu?

- Hm.

- Tá com febre? – toquei na sua testa suada. Antes que eu pudesse tirar qualquer conclusão, o corpo de Mingyu relaxou e ele caiu sobre mim, desacordado.




Notas Finais


euheuheuheu só não infartem.

como sempre tenho preguiça de continuar as notas finais, vou deixar por aqui mesmo.
a autora ama vocês ♡ não matem ela antes do final~~~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...