História Descendentes Gregos - Interativa - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega
Personagens Personagens Originais
Tags Descendentes, Grega, Interativa, Mitologia, Semideus
Visualizações 34
Palavras 4.344
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Self Inserction, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


ADIVINHA QUEM TÁ AMANDO A INSPIRAÇÃO?? EU MESMA!! Chega de enrolação e vamos para o capítulo.

Capítulo 24 - Akai Ito


Charlotte White

 

Estava eu, em um lugar mega aleatório do estacionamento da festa, chorando. Minhas lágrimas não conseguiam parar, já que realmente gostava de Adam e ver aquilo me doeu muito. Mas eu sabia que no fundo, nossa relação não iria longe.

- Charlotte! - gritaram e eu já sabia que era Christian.

Levantei minha mão para que me achasse, mas ainda estava chorando. Christian logo me encontrou e me abraçou forte. Apoiei em seu ombro e comecei a chorar mais ainda. Senti uma carícia de Christian em meu cabelo e aquilo me trouxe conforto.

- Não diz nada, vamos logo pra escola. - ele disse sério e me pegou no colo.

Apenas mexi a cabeça levemente e deitei em seu ombro, que estava molhada pelas minhas lágrimas.

- Eu molhei seu ombro. - disse baixo sem o olhar.

- Achou que eu estava brincando quando disse que era todo seu nesse mundo? - Christian disse um pouco alegre e confiante, me fazendo dar um sorriso.

- Como vamos voltar? - perguntei virando meu rosto para poder lhe olhar.

- Já andou em uma Ferrari? - ele perguntou.

- Não. Vai roubar a do Eros?

- Na verdade é uma tradição dos Allanis terem um carro considerado de luxo. Gaia me deu um de presente quando eu aprendi a dirigir. Só tenho que me lembrar qual vaga eu coloquei... 

- Você deixa sua Ferrari aqui? - perguntei já levantando a cabeça e o olhei.

- Apostei uma corrida com a minha mãe na última vez que dirigi e ela ganhou. - Christian falou e fez um biquinho emburrado.

Sorri o olhando e o apertei em um abraço confortante para mim.

- Obrigada por me animar Chris. - disse sem desfazer o abraço.

- Sempre minha... ACHEI! - o lesado gritou bem no meu ouvido.

Dei um tapa em seu braço e o encarei com muita raiva.

- Não precisa gritar! - gritei o encarando.

- E você me diz isso gritando? - Christian gritou também.

Logo ouvi o alarme de um carro e vi a Ferrari cinza do Christian. Ele abriu a porta do lado do motorista e me pôs sentada, logo arrumando o cinto.

Vi um grupo de três pessoas saindo como se estivessem bêbadas do salão e rindo muito alto. Olhei para eles esperando Christian ligar o carro e logo reconheci as silhuetas do trio.

- Aquele grupo ali é a Dalian, o Luccas e o Kai? - perguntei ainda os olhando.

Dalian ria mais alto ainda e logo bateu em Luccas rindo de algo de que havia acabado de falar. Continuei encarando eles até que todos sumiram pro outro lado do estacionamento.

- Eles podem estar virando amigos e você não sabe. - Chris falou.

- Dalian só anda com as meninas, sendo que ela morre de medo do Luccas por causa do pai. Kai anda só com o Luccas e o Vitor, então nem conta, mas o Luccas só anda com a Sandra e a Sarah de meninas. Isso é o mais estranho. - disse o olhando.

- Vamos só voltar logo para a escola. - Christian disse e deu partida no carro.

O caminho para a volta da escola foi um pouco silencioso. Christian não quis correr tanto para não dar nenhum problema. Logo chegamos na escola e o carro sumiu assim que a trava de segurança foi acionada.

- Para onde ela foi? - perguntei surpresa.

- Gaia configurou para que sempre que eu ativasse o alarme em um mundo que não fosse do Olimpo, o carro voltasse para aquele mesmo estacionamento. Só poderei usar ele aqui quando realmente tiver condições de comprar um.

Fiquei um tanto que surpresa e entrei na escola. Christian fez questão de que me levasse até o prédio do meu dormitório, mas eu o chamei pra ir dormir comigo.

- O quarto tá bagunçado, e tenho certeza que não foi as meninas. - Chris disse irônico.

- Cala a boca. - gritei do banheiro, onde eu estava trocando de roupa e tirando toda a maquiagem.

Assim que terminei, Christian estava brincando com umas folhas da minha escrivaninha e eu ri vendo aquilo.

- Dorme logo que eu vou embora assim que as meninas aparecerem.

- Grosso! - resmunguei e logo deitei na cama. - Deita do meu lado?

Christian apenas riu e tirou o sapato, deitando logo do meu lado. Senti um leve beijo em minha testa e o abracei carinhosamente.

- Te amo Christian. - falei fechando meus olhos deitando em seu peito.

- Também te amo boneca. - Chris disse.

Me aconcheguei mais ainda e realmente tentei dormir, mas a lembrança da cena de hoje me vinha em mente toda hora. Fiquei um bom tempo pensando naquilo, a ponto de sentir a respiração de Christian pesar indicando que ele dormia. Ri fraco e decidi que ia dormir.

Quando já estava completamente entregue, um grito muito alto me assustou, igualmente a Christian que levantou assustado. Ele correu até a janela e ficou um tanto que paralisado.

- Bota um roupão Charlotte. - ele disse sério demais.

- O que houve? - perguntei já me levantando para pegar o roupão.

- A Diana tá se contorcendo no chão de dor lá embaixo. - Chris continuou sério.

Não sei como, mas senti que aquilo não era coisa boa.

Dalian Foster

 

Não sei o que aconteceu comigo, eu estava no baile e comecei a sentir meus olhos ficando pesados. Vi Kai junto com o Luccas, e mesmo com medo do filho de Zeus, me aproximei deles e logo apaguei, tendo a última força para chamar Luccas num pedido de socorro. Assim que voltei a consciência vi que estava em uma cela, meus braços estavam presos em uma corrente que estava grudada no teto e meu vestido todo manchado de diversas cores, principalmente marrom.

Ao escutar passos, levanto meu rosto com cuidado. Meus olhos se arregalam e gritos de dor escaparam de minha boca ao sentir uma faca passando em meu braço que ia subindo fazendo um corte. Via o meu sangue escorrendo e pingando no chão.

- Quem é você? - uma voz masculina disse vindo do meu lado esquerdo e eu reconheci sendo de Kai.

- Ela é Éris, filha renegada de Hera e Zeus. - Outra voz masculina falou, sendo dessa vez de Luccas.

- Parece que meu irmãozinho por parte de pai é inteligente. Quero ver se essa garota também é. - a tal Éris disse dando um sorriso irônico.

- Por quê? Diga-me...por que eu? - Minha voz saiu baixo, mas mesmo assim dava para ouvir.

- Não teria graça de brincar se não fosse com a filha querida da mamãe. - Ela me olhou com um olhar frio e um sorriso que me dava medo.

- Moça, eu sei que você deve ter algum ranço ou sei lá o que, mas ainda não entendo o motivo de ter nos sequestrado. - Kai falou parecendo que estava bem.

- Você está aqui por um motivo muito diferente deles, e para sua sorte só irá sofrer mais tarde. - Éris falou antes de arrebentar violentamente minha corrente me fazendo desabar com forma no chão.

Pude ver o lugar onde estávamos era todo pintado de marrom, exceto o chão que era prata.

- Que aquela na qual sempre chora, sofra choques em cada hora. - Éris recitou um feitiço e jogou em mim.

Não pude terminar de falar pois só senti aquele choque percorrer pelo meu corpo, gritava de dor a cada momento que uma onda de energia passava por mim. Acabei cuspindo sangue o que fez cair em sua bota.

- Olha o que você fez com minha bota preferida - Éris segurou em meu cabelo e o puxou com força para cima, gruni de dor e apenas fechei os olhos. - Vai pagar por isso sua mortal idiota.

Éris foi me acertando com chutes e socos, e apenas parou quando ouviu seu celular tocar. Ela correu para fora da minha cela e pegou o aparelho. Éris começou a falar no grego antigo e deu um riso antes de desligar.

- Se vocês querem saber, ainda estamos de madrugada do dia da festa. E parece que seus amigos estão chegando agora na querida escola, então vamos testar uma coisinha. - Éris disse irônica e entrou na cela de Kai.

No mesmo momento, Éris deu um mega chute na barriga de Kai o fazendo urrar de dor. Apenas fechei os olhos e comecei a chorar baixinho.

- Espero muito que sua Amoreco sofra. - Éris disse antes de dar o último chute e sair da cela.

Kai estava se contorcendo de dor, ao mesmo tempo que Éris deu uma risada alta maquiavélica junto com passos que foram sumindo, depois não ouvi mais nada.

Vitor Vilarel

 

Estávamos todos felizes voltando da festa, que poderia ter durado mais para os descendentes se a Gaia não inventasse que tínhamos que acordar cedo amanhã. TODO MUNDO SABE QUE É POR CAUSA DA HAYLEY!

- Eu queria ter bebido mais. - Ivo reclamou, já bêbado.

- Amor, você tá um pouco exaltado. Vamos voltar pro quarto e descansar. - Josh disse com a maior paciência.

Ivo apenas riu concordando e já íamos para a área dos dormitórios, mas um grito muito alto parou todos ali e meu coração gelou muito vendo a Diana se contorcendo.

- DIANA! - gritei correndo e logo parei tentando pensar em algo para ajudar.

- D-dói mu-muito. - Di gaguejou aprontando para o próprio peito.

- ALGUÉM LIGA PARA O EROS OU PARA A GAIA! SÓ LIGUEM PARA ALGUÉM! - Hayley gritou desesperada.

Castiel saiu dali pegando o celular. Tentei pegá-la no colo, mas Di me tocou negando com a cabeça.

- Kai... - ela sussurrou ainda sentindo a dor e eu olhei em volta para tentar encontrá-lo.

- Ele ainda não chegou. - disse e Diana negou fraca com a cabeça.

Tentei raciocinar aquilo para ajudar e logo percebi que aquele grupo está incompleto.

- Cadê o Kai? - perguntei para Sandra, que também estava perto.

- Ele não veio com a Diana? - Sandra perguntou e eu neguei. - Então Luccas sumiu também, pois eu pensei que eles tivessem vindo juntos.

- Dalian também sumiu. - Sandra falou.

- Eros está vindo, vão levar ela para o Olimpo. Hayley, Vitor e Kai são os únicos autorizados a irem juntos. - Castiel disse voltando.

- O Kai não está aqui. Nem o Luccas e nem a Dalian. - Falei o olhando.

- CADÊ MINHA FILHA? - Eros apareceu desesperado no meio da nossa roda.

Ele pegou a filha no chão sem dó fazendo ela resmungar mais ainda de dor.

- Pai. Coração. - Diana disse antes de dar outro berro de dor e se contorcer nos braços do pai.

- Cadê o Kai? - Eros perguntou sério.

- Ele não veio. - Sandra falou.

- Então você vem no lugar dele. O restante pros seus quartos. - Eros disse ainda sério e num passe de mágica estávamos em outro lugar.

Parecia com uma sala de um consultório médico. Eros a deitou rapidamente na maca que havia ali e eu me aproximei da minha melhor amiga.

- O que aconteceu com ela? - Gaia perguntou desesperada.

- Ela do nada gritou e caiu no chão de dor. - Hayley disse.

- Pode ser algum problema em algum órgão dessa área. - uma enfermeira que estava ali disse.

Diana negou com a cabeça e apertou minha mão, que era a mais próxima, me olhando um pouco piedosa. Finalmente havia entendido.

- Não é algum órgão. Diana acha que é a ligação com o Kai. - falei sério.

- Que ligação? - Gaia perguntou.

- Eu juro que não fiz nada. - Eros primeiro se defendeu. - Mas eles dois possuem um Akai Ito, desde quando se conheceram.

- Que? - todos os descendentes, menos a Diana lógico, se questionaram.

- Akai Ito. É uma lenda chinesa que diz que um deus chamado Yuelao, vulgo eu, unia as almas gêmeas com um fio vermelho. Com isso eles dois desenvolveram sozinhos uma ligação sentimental e física. Hoje em dia ela só é ativada em quem encontra a alma gêmea perfeita em quaisquer mitologias existentes. - Eros falou sério.

- Então... - Gaia disse encarando o irmão.

- Provavelmente. - Eros continuou.

- Explique. - Sandra falou séria.

- Quando eles estão distantes um do outro, o Akai Ito faz com que eles sintam as mesmas emoções físicas e emocionais do outro, mas de modo leve, somente para alertar sobre o que a outra metade está sentindo. - Eros disse e na mesma hora Hayley desabou caindo de joelhos no chão.

- Ainda não entendi. - disse confuso.

- O Kai sentiu essa mesma dor que a Diana, só que mais forte. - Sandra falou ficando chocada.

Na hora meu corpo travou e eu fiquei chocado.

- Precisamos avisar ao Olimpo que um descendente sumiu. - Gaia disse e ela já ia sair da sala, mas Eros a segurou.

- Luccas e Dalian também sumiram. Nenhum dos dois voltaram com eles. - o Deus do amor disse.

- Vitor e Sandra, confirmam? - Gaia perguntou nos olhando e os dois confirmaram com a cabeça. - Merda! - Gaia esbravejou e saiu irritada da sala.

- Amanda, fique aqui com a Diana. Vou levar eles de volta para a escola e logo voltarei. - Eros falou e num piscar de mágica, aparecemos em um jardim mega florido com o céu aberto.

- Onde estamos? - Hayley perguntou se levantando.

- Nos fundos do meu templo na época Yuelao. - Eros sorriu e nos olhou. - Preciso que me contem tudo de estranho que rolou hoje ou antes de hoje.

- Isso vai dar polícia? - perguntei assustado.

- Por enquanto sim, mas somente a do Olimpo. Se a Diana sentiu dor e ela diz que vem do Kai, isso é nada de bom.

- Diana disse que o Kai estava estranho e que durante a valsa ele ficou gaguejando. - Sandra disse direta.

- Prometem que irão manter segredo? - Eros perguntou e concordamos. - Ele ia pedir ela em namoro hoje, por isso que perguntei sobre ele. Pensei que já teria um genro para perturbar.

- MEU DEUS NÃO ACREDITO! - Sandra gritou e começou a dar pulinhos de alegria.

Hayley abriu um sorriso e acompanhou Sandra em uma dancinha da vitória.

- Ninguém mais? - Eros perguntou rindo da reação das meninas.

- Dalian estava com um pouco de medo. Disse que estava com um pressentimento de Zeus ali, mas que era fraca que a do Luccas. - Sandra disse ainda alegre.

- Mas Zeus está em missão, e que eu saiba nenhum semideus ou alguém com os poderes enfraquecidos envolvendo a Zeus estava lá. - Eros disse pensativo.

- Senhor Eros, isso não pode significar que alguém invadiu a festa? - Hayley disse o olhando.

- Pode ser. Boa ideia Hayley, tenho certeza que Perséfone tem orgulho de você. - Eros disse e Hayley ficou um pouco sem graça.

- Tio Eros, a Diana vai ficar bem? - perguntei preocupado.

- Vai Vitor. Ela ainda pode nós ajudar, já que tudo que o Kai tá sentindo ela também sente. Não fique preocupado demais baixinho. - ele disse e mexeu em meu cabelo.

- Tô observando essa intimidade pra já chamar de tio. - Sandra falou.

- Todos vocês podem me chamar assim, já que me conhecem e são amigos da Diana. - Eros sorriu. - Vou levar vocês logo para a escola, devem estar cansados.

- Não tanto, amanhã com certeza vai ter esporro da Gaia. - Sandra disse e encarou Hayley.

- Culpa não é minha se eu fui defender minha amiga. - Hayley falou séria e Sandra apenas a abraçou dando leves tapinhas em sua cabeça.

- Bom trabalho. - Sandra continuou a provocação e Hayley riu.

- Vamos logo. - Eros anunciou e logo nós saímos dali, parando onde a confusão havia começado.

- Esse povo é rápido. - Sandra comentou, já que ali estava vazio.

- Já se passou 2 horas desde que saímos. - Eros riu fraco. - Qualquer coisa irei avisar por mensagem, ou ligarei dependendo da situação.

- Se você ligar é algo ruim? - Hayley perguntou.

- Provavelmente sim. Mas também pode não ser. - Eros sorriu fraco e logo sumiu dali.

Ficamos nos encarando um pouco pensativos e logo começamos a chorar ali mesmo. Ela é a minha melhor amiga, a única que consegue me entender e me ajudar quando eu preciso de alguém.

- Ela... - Hayley parou para fungar e parar o choro. - ... Vai ficar bem. - continuou e nós abraçou.

- Posso ir dormir com você? - Sandra perguntou olhando para a Hayley.

A mesma confirmou e apertou o lado do abraço com a menina.

- Vai ficar bem Vitor? - Sandra me perguntou.

- Não sei. - respondi fraco e sorri.

Os três sorriram de modo fraco e fomos andando para nossos quartos. Deixei as meninas no delas e entrei no meu silenciosamente.

(...)

- COMO ASSIM OS TRÊS ESTÃO DADOS COMO DESAPARECIDOS? - Aria gritou surpresa.

- Nenhum deles foram vistos após o começo da confusão. - Gaia falou séria.

Charlotte levantou a mão um pouco receosa, e todo o auditório a olhou.

- Um pouco depois de eu ter saído do salão, acho que uns 5 minutos depois, eu vi os três saindo juntos gritando e rindo alegremente bêbados como se fossem amigos de longa data. - ela disse calma.

- Dalian tem medo do Luccas, nunca que isso ia acontecer. - Hayley gritou furiosa.

- Kai não estava bebendo ontem. - Eros disse sério.

- Luccas também. - Sandra gritou.

- Então como eles saíram bêbados e juntos da festa? - disse alto.

- Pode ter sido um sequestro? - Lilith opinou.

- E porque iriam sequestrar os três? Só são três adolescentes, que de valor na magia não tem nada. - Thalles falou.

- O que eles tem comum? - Hayley perguntou olhando para a deusa que estava ali.

- Por enquanto não encontramos nada. - ela respondeu.

Uma pequena fumaça se formou ali do nada, em uma das cadeiras vazias do meu lado, Diana apareceu. Eros apareceu no palco com Nice, Zeus e Hera.

- Oi Vitor. - Diana disse fraca e segurou em minha mão.

- DIANA! - Hayley, Sandra e Charlotte gritaram surpresas e felizes.

- Ela só está aqui por mando de Zeus e ainda tá de observação, já que a qualquer momento pode acontecer algo. - Eros falou.

- O que temos até agora? - Zeus perguntou sério.

- Três desaparecimentos, que eles estão cogitando ser um possível sequestro. Uma ligação com um dos desaparecidos e nenhuma pista. - Gaia falou séria.

Zeus riu olhando para Gaia e depois para todos os Deuses.

- Você nunca teve formalidade comigo. Agora está tendo só porque estamos perto das crianças? - Zeus riu novamente e nos olhou.

- Como você está? - perguntei baixinho para Diana.

- Bem. Não senti nada desde madrugada e agora estou em observação. Mas ainda dói. - ela disse fraca e apertou um pouco minha mão. - Obrigada por ter me entendido de madrugada. - ela sorriu.

- Sempre Diana. - falei e a abracei.

- O QUE? - Zeus gritou com raiva tirando a minha atenção dali.

- Luccas, Kai e Dalian são os desaparecidos. - Gaia respondeu um pouco receosa.

- Minha Dalian... - Hera disse fraca e começou a chorar.

- Por quê os três? - Nice perguntou séria.

- Não sabemos ainda, a ligação entre eles é desconhecida. - Gaia falou.

- Dalian disse que sentia uma presença fraca de Zeus. - Hayley falou olhando para o deus.

- Mas eu não fui, e de meus frutos só o Luccas​ que estava. - Zeus respondeu.

- Por isso que eles suspeitam o sequestro. - Gaia falou.

Diana levantou a mão e todos a olharam.

- Não sei se isso vai resolver alguma coisa, mas a dor que eu sentia não era física, era forçada. Como se alguém tivesse me chutado. - ela falou calma, bem diferente da Diana que conhecemos.

- Está dizendo que alguém pode ter chutado o meu Kai para ele sentir dor? - Nice falou segurando suas lágrimas.

- Então os três podem estar sendo machucados. - Sandra falou começando a chorar.

- Mas porque a ligação da Diana e do Kai são tão fortes? - Ivo perguntou.

- Pois eles nasceram um para o outro. Dá pra perceber em como eles se conheceram e o desenrolar até aqui. Fui digno de clichê de filme adolescente. - Eros falou.

- Além de que, se juntar o amor e a vitória, qualquer pessoa fica bem. Eles dois são a personificação desses sentimentos. - Zeus falou

Diana apenas escondeu o rosto em meu pescoço de vergonha.

- Não tem como pedir as câmeras de segurança? - Josh falou.

- Nunca tivemos uma situação dessas, então não temos câmeras lá. - Gaia respondeu.

Diana ia levantar a mão, mas deu um gritinho de dor. A olhei preocupado e na mesma hora Eros apareceu do outro lado e a pegou no colo, voltando rapidamente para o palco.

Kai Morgan

 

- PUTA MERDA! - gritei sentindo a dor do tapa que havia acabado de receber.

- Que boquinha suja para um semideus da vitória. - Éris falou irônica e sentou no chão me observando com dor.

Ela deu um sorriso sacana e ia me dar um choque forte, mas uma pequena barreira a impediu.

- Que porra é essa? - Éris esbravejou e se levantou.

- Que boquinha suja para uma renegada. - falei a imitando e novamente a barreira impediu o pequeno raio que ela ia disparar.

Éris soltou um grunido de raiva e saiu com raiva daquela sala que estávamos.

- O que aconteceu? - Luccas perguntou na cela ao lado.

- Ela tentou me bater, mas alguma barreira impediu. - respondi já deitando na parede atrás da cela.

Nossas celas eram um do lado do outro, sendo somente separadas por grades. Eu ficava em uma ponta, Luccas no meio e Dalian na outra ponta, sendo que agora ela dormia já que recebeu as descargas elétricas ainda pouco.

- Como isso aconteceu? - Luccas perguntou. Ele ainda não havia sofrido nenhuma agressão.

- Não faço menor ideia. - respondi tranquilo.

- ISSO É IMPOSSÍVEL! - Éris esbravejou voltando a sala.

- Tá vendo que não! - uma outra voz feminina gritou. - Já devia saber que a essa hora eles já iriam procurar eles três!

- Mas foi muito rápido. Nem brinquei com o filhinho do papai. - Éris falou.

- Deixa eu ver eles. - a outra voz falou e passos foram ouvidos, até a pessoa parar perto da gente.

- Fala aí Hedonê. Tô vendo que não veio salvar a gente. - falei irônico e ri.

- Sabia que assim que eu te olhei percebi que você era um ridículo? - a deusa falou sorrindo.

- Fico feliz em saber que nossos primeiros pensamentos sobre o outro foi o mesmo. - sorri ainda sínico e agradeci a minha querida mãe que estava trancado.

- Tu não tem medo de morrer? - Éris perguntou e eu confirmei com a cabeça.

- Já sei o que está acontecendo. - Hedonê falou e atirou em um espelho grande que do nada apareceu ali.

Nele estava Diana nos braços de Zeus e Hera dando um leve carinho em seu cabelo. Corri para perto da grade e observei ela serena, porém ainda assustada. Hedonê e Éris puseram uma máscara preta e desenharam uma estrela na bochecha.

- Diana... - falei a olhando.

- KAI! - Diana gritou e me olhou.

- Kai aonde mulher? - Hayley falou.

- Ali, ele tá aqui na minha frente enjaulado. - Diana falou e começou a chorar.

- Olá Diana e deuses somente vocês podem nos ouvir. E somente Diana pode ver ele. - Éris falou, mas sua voz estava fina demais para ser reconhecida.

- Cadê minha Dalian? - Hera gritou.

- Kai... - Diana falou e esticou o braço como se quisesse me tocar.

- Isso tá estranho pra caralho. - Castiel falou.

- Seus pequenos filhotes estão bem. Nós só queremos dizer que se continuarem envolver polícia não sobrará nada deles. - Éris falou.

- Querem algum acordo de negociação? - Gaia perguntou séria.

- Isso seria interessante... - Hedonê falou, revelando sua voz grossa.

- Só nos digam o que querem, iremos arrumar. - Zeus falou.

- Pergunta por quê sequestraram eles! - Josh gritou.

- Esse filho de Cronos é interessante, pena que é parente distante... - Hedonê lamentou. - Quando precisamos de algo a Amoreco irá dizer.

- E lembrem de não envolver a polícia, ou já sabem. - Éris falou. - Alguma coisa que o casal quer dizer um para o outro? - ela continuou e me olhou.

- Eu te amo Diana... - falei lamentando e senti uma lágrima escorrendo.

- Eu sinto meu amor. - Diana respondeu sorrindo e logo uma sensação boa me invadiu, mas eu sabia que era dela.

- Que nojo. Adeus seus meros imortais. - Hedonê falou e logo aquele espelho foi quebrado.

- Vocês dois são impossíveis. Vamos almoçar logo Hedonê, daqui a pouco traremos o de vocês. - Éris falou e logo as duas saíram.

- ELA GOSTOU DE OUVIR O EU TE AMO!! - Comemorei ali e comecei a correr preso mesmo.

- Tá zoando que até quando somos sequestrados por algum motivo desconhecido você ainda pensa nela? - Luccas falou e eu corri até para onde nossas celas se juntavam.

- Isso significa que ela sente algo por mim. Eu sinto que não é amor, mas é maior que gostar. - falei sorrindo de ponta a ponta.

Olhei para a teto sorrindo que nem um idiota.

- Eu te quero Diana.

 

 

- Também Kai.


Notas Finais


E não se esqueçam das perguntas para o Talk Show. Estou bastante animada para saber delas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...