História Descendentes: Uma História Tocada Pelo Caos - Capítulo 246


Escrita por:


Notas do Autor


A partir de agora vamos rever vários personagens antigos. Espero que gostem.

Capítulo 246 - Finn e Kurt


Fanfic / Fanfiction Descendentes: Uma História Tocada Pelo Caos - Capítulo 246 - Finn e Kurt

Viviane: Nós estamos aqui – Disse a Zoe e aos outros, ao se aproximar carregando Arthur. 

Artie: Pai! - Corre até eles preocupado. 

Hadie: O que aconteceu? - Se aproxima de mãos dadas com Dizzy e ao lado de Zoe. 

Viviane: A besta dizimou os soldados – Conta. 

Arthur: E por pouco não fomos junto – Coloca a mão nas costelas e sorri pro filho – Vou ficar bem Artie. 

Zoe: Vou leva-lo pra receber os primeiros socorros – Carrega o pai com a ajuda de Dizzy. 

Lucian: Você que devia ajudar – Diz a Hadie – Elas são moças. 

Zoe: Cala a boca Lucian – Bufa – Nem o deixamos ajudar. Não somos frágeis como pensa. 

Hadie: E qual é o seu problema comigo? - Pergunta incomodado  

Damon: Não é nada – Segura o amigo – Ele é só chato. 

Chad: Muito chato às vezes – Empurra o ombro de Lucian. 

Gil: Falando em chato – Pisca pro namorado ao se aproximar - Já faz um tempinho neh meu chatinho? 

Chad: Sim – Sorri ao segurar a mão dele - Só uma catástrofe como essa pra nos colocar juntos. 

Gil: Não sei se poderemos aproveitar agora – Acaricia a mão dele com o dedão - Mas estou com saudade - O olhar de cima em baixo – Esse uniforme te deixa lindo. 

Kol: Arrumem um quarto – Diz emburrado e vai substituir Dizzy ajudando Zoe. 

Dizzy: Posso muito bem fazer isso sozinha – Diz irritada. 

Kol: Sei, mas eu quero fazer, pimentinha – A provoca – Algum problema? 

Dizzy: Nossa... Como você é insuportável - Bufa e vai pra perto do namorado. 

Yzla: Eu sei – Respira fundo ao sair com Zevon de dentro de uma barraca improvisada – Esses meus irmãos são uns chatos – Ajuda a acomodar Arthur na barraca. 

Zevon: Ei! - Diz com seu crocodilo de estimação, Tik, nos braços. 

Kol: Valeu coisa feia – Debocha da irmã. 

Yzla: Agora não é hora Kolzinho – O alfineta. 

Kurt: Ah... Kolzinho – Debocha. 

Kol: Não vem com graça não cara – O peita – Nem te conheço direito pra vir com gracinhas. 

Finn: Pra trás gracioso – Empurra o peito dele – Agora não é hora. 

Kol: Vai fazer o que comigo, tampinha? - O provoca. 

Finn: Me chamou do que? - Rosna. 

Kelly: Calma finzinho – Pede receosa – Viemos aqui ajudar. Sem brigas, por favor? 

Kol: Não preciso que me defenda, água de salsicha – Zomba dela – Eu posso muito bem... 

Finn: Cara escroto – Diz ao interrompe-lo com um soco no nariz. 

Kurt: Espera um pouquinho – Tenta segurar o menor – Calma carinha. 

Finn: Me chamou do que? - O fita bravo. 

Kurt: Foi só jeito de falar, calma aí - Dá um passo pra trás - Tudo o que não precisamos agora é de uma briga. 

Finn: Escuta aqui, sua bicha-pão-com-ovo – Roda o pescoço - Eu sei cuidar muito bem de mim, tá bom amore? 

Kurt: Chamou o Kol de escroto, mas que está agindo assim agora é você - Franzi o cenho. 

Finn: Você tá todo engraçadinho porque eu ainda não arranhei essa sua cara toda – Vai se aproximando, mas começa a se acalmar um pouquinho ao olhar nos olhos dele. 

Kurt: Então vem – Se aproxima, também olhando nos olhos dele – Vai ser choque de monstro. 

Brandon: Eita – Diz ao se aproximar com Diego e Phoebe – Tá tendo uma D.R ali na frente - Brinca. 

Finn: Que história é essa de D.R? - O encara com a cara fechada. 

Diego: Vai... - Ri do irmão. 

Phoebe: Você não devia ter se envolvido, agora aguenta a bucha – Puxa o namorado pra longe. 

Brandon: Foi só jeito de falar cara – Sorri meio sem jeito - Não quis ofender. 

Lucy: Verdade – Entrega um frasco para Yzla, que tratava do ferimento de Arthur – Vamos ficar tranquilinhos – Usa sua magia pra expandir sua aura luminosa, contornando e acalmando Finn. 

Adele: Exatamente – Vai ajudando a amiga e abraça Finn pelos ombros – Estamos aqui pra ajudar. Devia guardar essa fúria pra luta contra os nossos inimigos, não acha? 

Finn: Eh... Tá bom – Cruza os braços fazendo biquinho. 

Kurt: Que fofinho – Deixa escapar ao colocar a mão nas bochechas. 

Finn: O que é fofinho? - Pergunta mais calmo. 

Kurt: O seu biquinho – Diz um pouco mais vermelho – Achei fofo. 

Finn; Hum – Diz segurando a vontade de rir da cara de Kurt – Brigado. 

Justin: Parece que alguém vai esquecer rapidinho o Carlos – Sussurra pra Lucy. 

Lucy: Isso seria bom pra ele – Comenta sorridente. 

Megan: Pronto – Diz retornando de um lado da floresta – O perímetro sul está limpo. 

Seth: O norte também - Aparece do lado oposto ao da namorada. 

Ilyanna: Leste está limpo – Informa. 

Sarafine: Assim como o oeste – Revela e vai abraçar a namorada. 

Bailey: Terminei de colocar os feitiços no perímetro - Informa a Raven ao chegar junto a Izzy. 

Izzy: Não vimos nada demais, exceto pelo... - Pensa um pouco. 

Raven: Exceto pelo que? - Pergunta a amiga. 

Izzy: Exceto que não tem nenhum animal na mata – Conta. 

Bailey: Deve ser a energia negativa – Teoriza – Estou sentindo como um imã me puxando. Dá até um pouco de dor de cabeça. 

Raven: Mais um motivo pra ativar os feitiços de proteção - Fecha os olhos, murmura algo e ativa os feitiços - Pronto. Estaremos protegidos aqui – Diz ao observar uma enorme cúpula de magia surgir ao redor do perímetro. 

Zoe: Bom – Suspira – Vamos armar acampamento. Brandon e Diego vão entregar as barracas que trouxemos. Os suprimentos estão com Yzla e Zevon. Vamos partilha-los ao anoitecer – Diz a todos – A primeira guarda é minha. Ao amanhecer uma pequena equipe procurará os outros que estavam na ilha. 

Viviane: Temos que ser rápidos – Explica – Logo o poder das trevas atingira o seu auge, mas com a besta vagando pela floresta, devemos ser cautelosos. Ela é muito poderosa – Informa – Tanto que é capaz de partir pessoas com as garras. Por tanto, cuidado. 

Raven: Animador – Comenta sarcástica ao ir com os outros montar o acampamento. 

Finn: Para – Empurra a mão de Kurt, que ficava cutucando sua bochecha. 

Kurt: Mas você muito fofinho – Sorri pra ele. 

Finn: Me deixa – Fica vermelho, já raivoso de novo. 

Kurt: Porque fica com raiva tão rápido? - Aperta as bochechas dele – Isso só te deixa mais fofinho. 

Finn: Sai cacete. Cara chato do caralho – O empurra. 

Kelly: Eh... Boca suja – O repreende. 

Kol: Sabe como dizem – Debocha – Gente pequena tem o pavio curto, porque a boca fica perto demais do cu, aí a merda sobe depressa. 

Finn: Seu filho da puta! – Vai pra cima dele, mas Kurt o segura. 

Kurt: Para com isso vermelhinho – Tenta segura-lo. 

Finn: Me solta! - Se debate bruscamente e acerta um tapa forte no rosto de Kurt, provocando um estalo alto – Eu... Me desculpa – Tenta se aproximar dele, mas Kurt dá um passo pra trás - Eu sou um idiota - Lágrimas começam a sair dos seus olhos – Desculpa – Corre pro meio do mato. 

Kelly: Finn! - O chama, já indo em sua direção. 

Kurt: Deixa – Esfrega o rosto avermelhado – Eu falo com ele – Segue Finn – Russinho! - O chama após alguns minutos procurando. 

Finn: Não me chama assim – Choraminga sentado perto de uma árvore enorme. 

Kurt: É mais fácil te encontrar quando está bravo – Senta ao lado dele - Não precisa chorar, não foi nada demais. Estou bem. 

Finn: É que... Eu não gosto desse meu lado – Soluça - Odeio quando fico muito nervoso. Coisas ruins acontecem. 

Kurt: Eu te entendo – Suspira. 

Finn: Como assim em entende? - Bufa - Você é o cara mais calmo do mundo. 

Kurt: Eu sei o que é ter uma parte de você que não gosta e não querer que os outros vejam – Olha pra baixo. 

Finn: Que parte seria essa em você? - Enxuga as lágrimas e olha curioso pra ele. 

Kurt: Eu não gosto de ser o carinha ciumento com um amor não correspondido que parece maluco – Conta a ele. 

Finn: E quem é esse amor não correspondido? - Pergunta – Sei que é uma pergunta pessoal, não precisa responder se não quiser. 

Kurt: Tudo bem. Ele é um amigo que eu me apaixonei – Revela – Tem um namorado e mesmo sendo um amorzinho comigo, ainda me sinto mal e tenho medo que os outros me vejam como um louco com dor-de-cotovelo. 

Finn: Ele? - Pensa alto. 

Kurt: Sim – Olha pro ruivo – Algum problema? 

Finn: Imagina – Sorri pra ele – Com tudo isso eu não percebi que você é gay também. 

Kurt: Também? - Corresponde o sorriso. 

Finn: Sim – Ri meio sem graça - O baixinho raivoso gosta de garotos. 

Kurt: Eu jamais pensaria nisso – Pensa um pouco – A não ser por ter me chamado de bicha-pão-com-ovo mais cedo. 

Finn: Foi mal – Se desculpa – Eu fui idiota. Não gosto mesmo de ficar daquele jeito. 

Kurt: Talvez eu possa te ajudar com isso – Olha pra boca dele – Acho que conheço um feitiço ou dois que ajudariam a controlar a sua raiva. 

Finn: Você é mago? – Olha pra boca dele também e vai se aproximando. 

Kurt: Mago draconiano, na verdade – Explica. 

Finn: Quero ver se é magico mesmo – Sorri debochado e começa a beijar Kurt. 

Kurt: Você é que é magico – Sorri ao se afastar dele – Quero mais um pouquinho tá? 

Finn: As suas ordens – O beija mais apaixonado e o coloca sentado em seu colo. 

Kurt: Você tá empolgado – Vai beijando o pescoço dele. 

Finn: Muito – Aperta a cintura de Kurt - Você fez a minha tristeza sumir rapidinho. 

Kurt: Que bom – Coloca a mão por baixo da blusa dele – Quero te ver bem contente. 

Finn: Que isso? - Para o que fazia ao ouvir um barulho no meio do mato. 

Kurt: Eu também ouvi – Ambos se levantam e começam a se recompor. 

Finn: Ai Meu Deus – Segura a mão de Kurt ao ver uma forma sombria se aproximando – Devemos estar longe da barreira. 

 

Do meio da folhagem, a enorme besta se ergue com seus olhos azuis faiscantes. A criatura se prepara para um salto e mergulha com as garras e presas na direção dos dois ali presentes. Os gritos ecoam floresta a dentro, chegando ao acampamento. 

 

Zoe: Vocês ouviram, que foi isso? - Diz preocupada. 

Izzy: Não faço ideia – Responde também preocupada – Mas com certeza não é uma coisa boa. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...