História Descendents of the cosmos - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Byun Baek-hyun (Baekhyun), Do Kyung-soo (D.O), Huang Zitao (Tao), Kim Jong-dae (Chen), Kim Jong-in (Kai), Kim Jun-myeon (Suho), Kim Min-seok (Xiumin), Lu Han (Luhan), Oh Se-hun (Sehun), Park Chan-yeol (Chanyeol), Wu Yifan (Kris Wu), Zhang Yixing (Lay)
Tags Chanbaek, Exo, Fantasia, Kaisoo, Romance
Visualizações 19
Palavras 1.908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, LGBT, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pessoal desculpa o sumiço, mas muita coisa aconteceu....
Aproveitem o capítulo de hj

Capítulo 18 - Capítulo 16 - Interligados


Hospital universitário El Dorado - 08:43 AM


Com o passar dos dias fora inevitável JongDae se tornar um fantasma que andava pelos corredores do hospital do instituto, ele procurava passar o máximo de tempo estudando e trabalhando ao invés de viver socialmente. Desde que JongIn e KyungSoo começaram a sair ele evitava fazer algo que lembrasse ambos, pois sabia que se até mesmo andasse pelo campus iria cruzar com os dois e receber aquele olhar de pena, o olhar que o perfurava como mil agulhas.


Andando pelos corredores da ala pediátrica JongDae olhava sua prancheta para ver se havia esquecido algum paciente daquele plantão, o Terrígena estava tão submerso em seus pensamentos que não viu que alguém vinha em sua direção e acabou esbarrando em alguém maior que si, o que o quase fez cair no chão. Se não fosse segurada pelo braço provavelmente teria se espatifado numa escada que havia próximo a ele.


— P-perdão, eu estava distraído acabei não vendo que vinha em minha direção. — disse o médico ajeitando os óculos antes de perceber quem havia esbarrado em si, quando se recompôs recuou um passo e pós uma expressão impassível.
A sua frente estava JongIn e logo atrás do moreno estava KyungSoo com um sorriso contido, talvez o médico tenha se assustado um pouco pela aparição do casal, não havia porquê eles estarem ali não é?


— Dae, como você está? — KyungSoo deu um passo à frente e segurou a mão do médico fazendo um carinho singelo, mas o médico afastou a mão e a colocou no bolso do jaleco.
JongIn e KyungSoo sentiram uma onda de rejeição bater contra ambos, com aquela recusa que JongDae havia dado no carinho que o aqualuno o deu.
O casal se entreolhou e o Solaro se pôs a frente para para dizer algo, mas o médico foi mais rápido.


— O que fazem aqui? — JongDae tentou dizer da forma mais firme possível sentindo seu coração queimar ao ver ambos entrelaçarem suas mãos.


— Viemos porque você está evitando a todos, principalmente a nós dois. — O casal estava ali pois até mesmo Chanyeol que era médico no mesmo hospital que JongDae não estava conseguindo se aproximar do mesmo o que causou panico entre JongIn e KyungSoo.



Flashback on•


"JongIn depositava alguns beijos nas costas alvas de KyungSoo como em todas as noites do último mês, já que ambos não poderiam ter uma relação mais íntima aquela era a forma que o Solaro achou de demonstrar seu afeto para com o Aqualuno."


— "Como será que o Dae está? Eu sinto falta dele, nós nunca ficamos tanto tempo sem nos falar.  — KyungSoo choramingou entre as carícias."


— "Eu não sei te dizer meu amor, eu tentei ir até ele, mas nunca o encontro e quando encontro ele parece fugir de mim. — suspirou JongIn virando-se de barriga para cima puxando o menor para si."


— "Sinto falta dele Nini....


— "Eu também Soo, nunca pensei que ele iria ser tão essencial nas nossas vidas."


"KyungSoo abraçou o tronco nu de JongIn e por alguns minutos o silêncio reinou sobre aquele quarto, pois por mais que os dois vivessem destinados vida após vida a ficarem juntos algo estava errado e fora do lugar, faltava alguma coisa e ambos sabiam bem o que era."


— "Nini....o Dae– KyungSoo se ergueu com certo receio do que iria dizer."


— "Nós vamos atrás dele meu amor, não se preocupe."
KyungSoo sorriu largo e colou as testas de ambos sorrindo por estar aliviado, pois ambos sentiam o mesmo a respeito do Terrígena.


Flashback off •





— Dae, eu sei que tudo aconteceu muito rápido e não tivemos chance de conversar, mas por favor nos dê uma chance para falar com você.


JongIn disse tudo de forma suave olhando nos olhos do médico, enquanto sua mão descansava em seu ombro em mais uma tentativa de carinho que também foi rejeitado quando a mão do Solaro fora tirada de seu ombro, até mesmo ser tocado daquela forma sutil o machucava.


— Eu não sei do que vocês estão falando, tenho tido muitas provas e o hospital está tomando meu tempo, por isso vocês não tem me visto muito. — Sorria de forma falsa para não deixar transparecer seus sentimentos reais. — Aliás meu parabéns por vocês dois estarem finalmente juntos, são um casal lindo.


E realmente eram, foi o que pensou JongDae, eles pareciam perfeitos um para o outro e isso só o fazia se sentir pior e não iria se perdoar nunca por se deixar levar pela paixão que sentia por ambos. Então antes que o resto de sua dignidade escorresse por seus olhos deu seu melhor sorriso, fez uma reverência e virou as costas indo na direção contrária dos dois que estavam à sua frente.


KyungSoo o olhou vendo se afastar e puxou JongIn sabendo que o moreno provavelmente estava em choque pela rejeição, pois pensava que se ambos fossem até ele os três pudessem se resolver. O casal passou o mês pensando e conversando sobre como iriam até a médico e tentariam resolver a situação que prendia os três.


Mesmo que nunca houvesse tido um título para o relacionamento dos três, JongDae estava entre os dois e fazia parte daquilo, não poderiam simplesmente o ver pelos corredores fugindo de ambos e vivendo como um fantasma sem vida por se sentir uma pedra no caminho de ambos.


KyungSoo segurou JongDae pelo jaleco e o puxou para dentro de uma das salas que havia ali perto e ao entrarem JongIn fechou a porta para que não fossem interrompidos.


— O que pensam que estão fazendo? — questionou o médico ajeitando seu jaleco com um olhar de raiva em seu rosto encarando os dois. Foi até a porta  para a abrir mais foi impedido pelo braço de JongIn que o olhava impassível.


— Chega de fugir de nós Dae, sabemos que você está fugindo e que também só está fazendo isso por achar que foi você a barreira entre nós, quando na verdade foi totalmente o contrário.


O Aqualuno disse de forma séria olhando em seus olhos e pôs sua mão em seu rosto deixando um carinho singelo como costumava fazer. Ah, como JongDae sentia falta daquele carinho e as sensações que ele trazia! Fora automático fechar os olhos e apreciar aquele carinho, o que fez uma lágrima solitária escorrer por seu rosto ao apreciar a palma da mão quente tocando sua pele como não fazia a mais de um mês.


JongIn não se conteve ao se aproximar por de trás do médico e o abraçar pela cintura, colocando seu rosto em na curva do pescoço do médico.


— Dae, você não nos deu chance de dizer nada sobre o que está acontecendo, não faça isso comigo, com nós três. — o Solaro disse meio choroso enquanto segurava seu corpo com força.
O mês que havia se passado havia sido extremamente difícil e torturante para o médico, e ouvir tudo aquilo o fez ceder todas as barreiras que havia erguido envolta de si para evitar que desabasse pela dor que sentia em seu coração.


— Por que? Exatamente o porquê vocês estão aqui, só me deixem por favor. — o médico já dizia entre soluços fortes, sentia todo seu corpo tremer ao ponto de achar que cederia e iria de encontro ao chão. Sua fala era entrecortada e sua respiração descompassada, a sua frustração e dor eram palpáveis.


JongIn e KyungSoo não imaginariam nunca em suas vidas que presenciaram alguém como JongDae desabar. Ele era forte e destemido, seu sorriso era cativante e capaz de ofuscar até mesmo o Sol, mas agora tudo que restava era um rosto magro e olheiras fundas no lugar do Terrigena mais radiante e alegre do campus, agora nem a sombra dele existia. JongDae era a prova de que o amor pode derrubar o mais forte dos homens e fazê-lo o mais miserável dentre os homens.


A cena era desesperadora e completamente triste, pois por mais que JongIn e KyungSoo fossem destinados a estarem juntos isso não diminuía nem um pouco o sentimento de ambos pelo médico. Ambos não demoraram menos de dois segundos para o prender entre um abraço forte e vários pedidos de desculpa. Como um cântico de adoração ambos um em cada ouvido sussuravam no ouvido de JongDae o que ele representava para cada um deles.


És o fogo que me aquece em dias de inverno."


"Cada toque teu é uma dádiva, seus toques trilham linhas de fogo sobre minha pele. "


"És a luz em minha janela, me mostrando que mais um dia lindo começou, tão lindo quanto teus olhos"


"És a chuva em minha janela em dias de insônia, me trás paz."


"És a água que toca meu corpo em dias de cansaço me trazendo conforto e tranquilidade."


"És cheiro de terra molhada após uma tempestade que deixa um lindo arco-íris pelo céu."


"És tão belo quanto as estrelas que adornam o cosmos."



Ouvir todas aquelas palavras aqueceu o coração de JongDae que parecia bem mais leve do que quando havia acordado naquela manhã. Sentiu-se amado por ambos como nunca pensou que se sentiria, pela primeira vez ele não era uma barreira e sim uma ponte, a ponte que ligaria os três.


— Kim JongDae, por favor acredite no que dizemos e seja nosso. — disse KyungSoo enquanto passava a ponta do nariz em sua bochecha.


— Não nos afaste, nos dê uma chance, você é o que nos liga. Por favor seja a nossa ponte.– JongIn depositava alguns selares em seu pescoço lentamente.


JongDae não sabia se aquilo soava bem para si, mas já não conseguia se importar mais, pois os dois homens que ele amava estavam agora lhe dizendo juras de amor e tocando seu corpo de forma carinhosa e excitante. Ao abrir os olhos se deparou com a cena de KyungSoo abrindo os botões de sua camisa social enquanto JongIn retirava seu jaleco de forma lenta.


— O que estão fazendo? — Questionou já sabendo a resposta, mas precisava ter certeza de que não estava sonhando.


— Vamos cuidar de você, da forma que cuidou de nós todo esse tempo. — o Aqualuno disse abrindo o último botão da blusa do médico.


— Nós fomos amados sem ter que dar nada em troca, mas agora nós queremos te amar, pra mostrar o que sentimos.– JongIn puxou a blusa social para fora do corpo do médico.


— Mas estamos num hospital! — O médico disse preocupado com medo de serem pegos.
Risos um tanto sensuais foram ouvidos naquela sala, o que fez com que o corpo de JongDae se arrepiasse.


— Exatamente, estamos em um hospital… — disse o de cabelos arroxeados enquanto passava as mãos  por de baixo de seus braços para conseguir tocar seus mamilos.


— E hoje você será nosso paciente senhor Kim JongDae.
O médico viu KyungSoo sorrir para si, como quando os dois estavam a sós em sua antiga rotina de intimidade sobre os lençóis de seu quarto, e apenas teve tempo de suspirar em deleite ao ver o Aqualuno ir se abaixando indo em direção ao cós de sua calça enquanto trilha a beijos por seu abdômen até chegar na fivela de sua calça.


A partir daquele momento JongDae sabia que não estaria mais sozinho, pois JongIn e KyungSoo seriam parte dele.



Notas Finais


Peço perdão pelo capítulo pequeno....vou voltar a ativa apartir de agora.
Até semana que vem♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...