História Descoberta Calorosa - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias One Piece
Personagens Brook, Franky, Monkey D. Luffy, Nami, Nico Robin, Roronoa Zoro, Sanji, Tony Tony Chopper, Usopp
Tags Lunami × Zorobin
Visualizações 41
Palavras 3.637
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Fantasia, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OK, ok sei que devo me explicar sobre não postar muito ultimamente nas minhas outras histórias. Minhas aulas começaram e junto a elas veio vários seminários e trabalhos para entregar, e eu acabei por me atrapalhar bastante pra me livrar logo de todos eles de uma vez. E não! Não vou deixar de escrever as outras duas histórias, devagar mas vou postando capítulo por capítulo até encerrar, não vou desistir delas, eu prometo! Enfim, aproveitem essa ideiazinha que tive e boa leitura, anjinhos!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Descoberta Calorosa - Capítulo 1 - Capítulo Único

Quatro anos passou desde que o nosso bando, Chapéu De Palha, se tornou um dos mais procurados por toda Grande Rota, não só pela nossa recompensa altíssima ou por nossos poderes ou por culpa do nosso Capitão, mas por ser o bando mais bagunceiro que já existiu nesse imenso mar. 

Todos presentes no Sanny Go haviam realizado seus maiores sonhos. Zoro, nosso espadachim preguiçoso: Ele superou Dracule Mihawk, roubando seu título charmoso de o melhor espadachim do mundo inteiro. Sanji, nosso cozinheiro amoroso: Ele encontrou o All Blue e hoje saboreamos as melhores carnes existente desse lugar tão maravilhoso. Além disso, ele se tornou o cozinheiro mais desejado de todo mar, tanto pela marinha ou piratas, como por diversas mulheres. Usopp, nosso querido mentiroso: Encontrou seu pai após derrotamos Kaidou na ilha de Wano, e por incrível que pareça, suas mentiras absurdas acabaram por se tornar verdade, ele havia se tornado um bravo guerreiro do mar! Chopper, nosso médico: Ele se tornou um dos médicos mais importantes que já existiu, e ele encontrou a cura para todo o tipo de doença que existia naquele lugar, também provou que além de ser um médico excelente, era um guerreiro bastante forte. Robin, nossa arqueóloga, ela conseguiu desvendar todos os tipos de Phoneglyphs que existia, deixando o governo mais apavorado com suas descobertas secretas. Franky, ele não mudou muita coisa, apenas no seus visuais bizarros de robô que ele inventava, enquanto deixava o Sanny cada vez mais forte e resistente. Brook, bem...digamos que ele continua o mesmo tarado esquelético de sempre! Mas que conforta nosso corações com suas maravilhosas canções. Luffy, nosso querido capitão, ele realizou seu maior sonho: Ser o rei dos piratas. Por culpa dele e dos outros dois, somos o bando mais procurado de toda história! Ele também encontrou Shanks, o ruivo, cumprindo assim a promessa que fez a ele quando mais novo. E eu, Nami. Consegui terminar meu Mapa-Mundi. 

Desde que completei a minha missão, eu passei observar mais atentamente o Luffy, e acabei por descobrir que meus interesses nele eram mais do que ser apenas sua navegadora, era querer subir ao posto de ser sua rainha. Luffy havia se tornado um homem bastante atraente, com seus 26 anos, ele ficou mais alto, seu corpo ganhou mais músculos e cicatrizes, o que deixa aquele ar mais sexy sobre ele. Todas as mulheres caiam aos seus pés,  mas ele nunca avia maldade nas malícias daquelas atiradas! Eu também me tornei uma mulher bastante desejável, digo isso pelas declarações que já recebi por diversas ilhas e por culpa do nosso cozinheiro tarado, mas mesmo com tudo isso, eu não conseguia roubar a atenção dele para mim, na verdade nenhuma mulher conseguia. E eu queria mudar isso! 

Já havia amanhecido e o Sanny ainda navegava pelas águas gélidas do mar, eu teria passado a noite em claro, procurando uma forma de atrair a atenção de Luffy pra mim, o que não teve muito sucesso. 

- Nami-san, não dormiu ainda? - Perguntou Robin, entrando no quarto e indo de imediato para sua cama. 

- Eu não consegui..- Murmurrei, olhando para o teto. 

- O que te impediu de fazer isso? 

- Nosso tolo capitão. - Bufei, revirando os olhos. 

- Pelo visto ainda não teve progresso nessa sua tentativa de fazer o capitão cair ao seus encantos. - Ela dizia calmamente, com um sorriso sacártico nos lábios. 

- Isso é péssimo! Logo eu, que tenho a atenção de todos os homens dessa terra, não consigo fazer o homem que amo me olhar! - Gritei, arrancando risadas de nossa arqueóloga.

- Calma, Nami-san. Você sabe que nosso capitão é muito inocente nesse quesito amoroso. 

- É, eu sei. E é isso que me mata, essa maldita e gostosa inocência! - Resmunguei, tapando minha face com um de meus travesseiros.

Antes que pudéssemos prolongar a conversa, escutamos batidas em nossa porta, arrancando nossa atenção para a voz que vinha de fora.

- Nami-san, Robin-san? O café está pronto. Venham logo antes que aqueles brutamontes devorem tudo. - Era Sanji do outro lado, aguardando nossa resposta. 

- Obrigada Sanji-kun, estamos indo. - Respondi, fazendo o loiro assentir e se mandar para a cozimha novamente. 

Sai do dormitório feminino acompanhada por Robin, andamos até a cozinha e encontramos nossos companheiros reunidos na mesa. Olhei em volta e vi nosso capitão, bastante agitado como sempre, me sentei em sua frente, mantendo meu olhar firme sobre ele. 

- Bom dia, barulhentos. - Eu dizia, me referindo ao trio de criança que tínhamos ali. 

- Bom dia, Nami! - Ele respondeu, com aquele maldito sorriso encatandor.

- Nami-san, aqui está seu bolo de laranja que eu fiz especialmente para você. - Dizia Sanji, colocando uma enorme fatia na minha frente. - Robin-san, preparei seu café amargo, do jeitinho que você gosta. 

- Obrigada, Sanji! - Respondemos em uníssimo, fazendo o loiro da rodopios de encantos. 

- Oe, Sanji! Eu também quero bolo. - Luffy falou, apontando para o meu prato. 

- Não, esse bolo é da Nami-san. Coma apenas essa carne que preparei. 

- Mas eu quero bolo! 

- Vai ficar querendo. - Ele respondeu, deixando Luffy apenas resmungando algo que nem eu entendia. 

Olhei para ele e ele mantinha seus olhinhos gulosos na minha fatia, de repente, surgiu uma ideia em minha cabeça. Tirei uma pequena fatia com o garfo, melei com a calda de laranja com um pouco de chantilly, levando calmamente aos meus lábios, passando o recheio sobre eles. Olhei para Luffy e vi que ele me olhava curioso sobre aquilo, sorri e passei meus dedos, limpando o local sujo em meus lábios. Pousei meu olhar novamente nele, e o vi dar uma pequena ofegada, o que me fez sair vitoriosa. 

- O que está fazendo, Bruxa? - Zoro surgiu do nada o meu lado, fazendo eu me assustar com sua voz grossa ao pé do meu ouvido. 

- Nada que possa lhe interessar. - Murmurrei, irritada com ele. 

- Não é desse jeito idiota que vai arrancar a atenção dele. - Ele falou, apontando para Luffy, que já estava devorando sua carne. 

- Patético. - Resmunguei, vendo meus planos irem por água a baixo. 

- Muito burra, impressionante! - Ele gargalhava, dando tapas na mesa, chamando a atenção de todos.

- Cale a boca ou espalho pra todos seu segredinho, Marimo desgraçado. 

- Se fizer isso, eu farei o mesmo com você. 

Suspirei profundamente, me afastando daquele ser irritante. botei meu prato na pia, onde Sanji lavava as coisas sujas, e me retirei do lugar. Indo para perto de minhas laranjeiras. Como era possível?Nesses últimos anos eu tentei muito para fazer o Rei dos piratas me olhar, e ver o quanto meus sentimentos por ele era forte. Suspirei, era realmente patético essa incenação toda.

- Nami! Avistei uma ilha! - Gritou Usopp, chamando minha atenção e de todos os outros que ainda estavam na cozinha.

- Onde? - Perguntei, me juntando a ele do outro lado do Sanny. 

- Em nossa frente, veja. Não é grande o bastante. 

- Mas da para abastecer nosso estoque, vamos ancorar! - Eu disse, mandando todos fazerem seus devido trabalhos para irmos aquela pequena ilha. 

Assim que deixamos o Sanny ancorado, dividimos um pequeno time para irmos procurar por água, comida e se a ilha eta perigosa. A divisão ficou : Usopp e Chopper atrás de água, Robin, Zoro e Sanji indo buscar diversos alimentos. Brook vigiava o navio enquanto Franky terminava sua invenção de um Mine-Barco. E finalmente, Luffy e eu, para olharmos se a ilha apresentava perigo, em outras circunstâncias eu não iria, mas como é só eu e Luffy, valia a pena. 

Assim que sumimos da visão dos outros, e eu Luffy caminhavamos pelos caminhos da floresta em silêncio, o mesmo carregava apenas seu chapéu virado para trás enquanto olhava para cada canto do lugar. Resolvi quebrar aquele silêncio, chamando sua atenção para um assunto qualquer.

- Não acha que aqui está calor, Luffy?- Perguntei, abrindo os botões de minha blusa, na tentativa de lhe chamar a atenção.

- Está! acho que vou retirar minha blusa, antes que eu derreta. - Ele ria, enquanto retirava sua camisa vermelha, jogando ela sobre seus ombros. 

Olhei ele dos pés a cabeça, parando meu olhar de volta a seu físico bem definido. Luffy havia crescido bastante por toda as partes de seu corpo, havia ficado tão mais...Gostoso! Eu me pergunto como deve ser ele sem essas roupas finas que ele gostava tanto de usar.. Mordiquei meus lábios com tal pensamento, sentindo meu corpo esquentar. Resolvi parar de andar, chamando a atenção dele, que me olhou confuso. 

- Por que parou? 

- Luffy..

- O que foi? 

- Eu quer-

Antes que eu pudesse terminar, escutei vários tiros de armas vindo do outro lado da ilha, olhamos assustados em volta e vimos uma enorme movimentação. Corremos até onde vinha o barulho, chegando perto do nosso navio, olhei pra frente e vi Zoro, Sanji, Robin, Chopper e Usopp correndo o mais rápido que podiam, com comida e água em suas magoas, enquanto atrás deles tinha uma multidão os expulsando. Luffy me puxou pelas mãos e corremos até o Sanny, avisando os dois que haviam ficado do local, os outros entraram juntos e logo a gente se preparou para zarpar, se afastando de vez dessa ilha. 

- Idiotas, jamais vão me pegar. - Dizia o nosso capitão, mostrando sua língua para a multidão que apenas xingava ele. 

- poderia ter derrubado eles facilmente, por quê não fez isso, Luffy? - Perguntou Usopp, recuperando o fôlego da corrida.

- Eu não machuco pessoas inocentes. - Ele dizia, abrindo aquele maldito sorriso que me fazia ficar com as pernas bambas. 

- ELES QUERIAM MATAR A GENTE! - Gritaram os outros, fazendo nosso capitão ir a gargalhada.

Suspirei, novamente meus planos foram estragados, mas essa não foi a primeira vez. Já era de noite e eu me encontrava no meu quarto, derrotada e exausta do dia, enquanto ouvia a barulheira que meus amigos faziam na proa. Ouvi passos vindo em minha direção, olhei e vi que era Robin, com aquele sorriso encatandor dela. 

- O que nossa navegadora faz aqui, enquanto damos um festa animada lá fora? - Ela perguntou, sentando ao meu lado no chão. 

- Estou sem ânimo. - Disse, olhando para o livro de romance que estava em minhas mãos. 

- Então desistiu da conquista? 

- Estou derrotada, é impossível fazer ele me notar. 

- Vai deixar mesmo nosso capitão livre para aquelas garotas que sempre estão atrás dele? Ou para a imperatriz pirata com seu amor sem fim sobre ele? 

- Malditas atiradas! Luffy é meu! - Resmunguei, cruzando os braços e inflando as bochechas. 

- Então vamo pegar o que é seu!

- Oque quer dizer?

- Venha, tive uma ideia. 

Ela me puxou e eu apenas acompanhei ela, chegamos onde estava os outros e vi a bagunça que eles fizeram. Parei meus olhos em meu capitão, que estava jogado em meio a suas carnes, enquanto acompanhante o Zoro no sakê. Sentamos e logo Robin começou a falar.

- Pessoal, vamos brincar?

- Brincar? De quê? - Usopp perguntou, olhando desconfiado para a morena.

- De verdade ou consequência. - Ela falou tomando uma das garrafas da boca de Zoro, que apenas resmungou.

- Interessante! Eu topo. 

Assim fizemos, sentamos juntos, formando uma roda, colocando a garrafa ao meio. 

- Capitão, você não vem? - Ela perguntou, olhando para ele. 

- Vou! 

Ele sentou em minha frente, e eu apenas desviei o olhar. Onde aquela brincadeira vai dar? Robin rodou a garrafa, parando em Usopp e chopper. 

- Verdade ou consequência, Chopper? 

- Verdade!

- É verdade que você não toma banho nas segundas feiras?

- Sim! 

Todos rimos e logo Chopper rodou a garrafa, parando em Sanji e Brook. 

- Verdade ou consequência, Sanji-san? 

- Consequência! - Ele sorria, direcionando seu olhar para mim e para Robin. 

- Te desafio a fazer uma sobremesa para mim, Yohohohoho.

- Maldito! - Ele gritou, indo até a cozinha bufando. 

Rodamos novamente a garrafa, e dessa vez parou em Zoro e Franky. 

- Verdade ou consequência, Zoro? 

- Consequência. - Disse um tanto preguiçoso 

- Te desafio a beijar a Robin! 

- O-Oquê? 

Eu ri, ele apenas me lançou um olhar mortal e logo se levantou, indo até a Robin, tocando sua nuca e beijando seus lábios. Ficaram se beijando, se esquecendo que estavamos ali, Robin por impulso retirou a camisa de Zoro, que acabou por tocar nos seios de Robin. Ri mais alto quando vi Usopp jogar água neles, falando para ambos irem pro ninho da gávea. Ródano a garrafa novamente e ela parou em Robin e Luffy, ela sorriu pra mim e direcionou seu olhar para ele denovo. 

- Verdade ou consequência, Capitão? 

- Hmm...- Ele pensou, e logo abriu um sorriso. - Consequência! 

- Te desafio a ir para o quarto com a Nami-san. - Ela dizia e nesse instante, senti o olhar curioso de meu capitão sobre mim. 

- QUE MALDADE, ROBIN-SAN!! JUSTO COM A NAMI-SAN, NÃO POR FAVOR. - Chorou Sanji aos pés de Robin, que apenas ria dele. 

Antes que eu pudesse fingir uma reclamação, Luffy pegou em minhas mãos e me puxou, me arrastando dali, deixando todos com a boca aberta e a risadas altas. Entramos em seu quarto, e ele trancou a porta. Ele foi até a cama e se sentou, permanecendo calado e olhando para o chão. Suspirei profundamente, e agora?

- Nami, senta aqui. - Ele dizia, me chamando para sentar ao seu lado. Apenas obedeci. 

- O que foi? 

- Apenas quero que fique aqui comigo.

Sorri de canto, direcionei meu olhar para a cicatriz em forma de X em seu peito, por impulso, aproximei minha mão, tocando suavemente o local e nesse instante, Luffy segurou minhas mãos, olhe para cima e vi seus olhos confusos.

- Desculpa..ainda doi? 

- Fisicamente não, mas psicologicamente...- Ele deu um fraco sorriso, abaixando seu olhar.

Senti meu peito apertar, e sabi que ele sofria muito com isso, Ace era seu irmão querido, e por mais que agora tenha encontrado Sabo, metade do seu coração ainda não estava confortável com essa ideia. 

- Eu queria ter estado lá, te ajudando. - Falei baixo, mantendo meu olhar na cicatriz. 

- Não, o mais importante era sua segurança e dos outros. Não me conformaria em perder você, nunca! 

- Não quer me perder?

- Não. 

- Por quê?

- Você é minha navegadora, minha companheira e minha garota, como eu viveria sem você? 

- Sua garota? - Perguntei, rindo do pequeno comentário. 

- É! - Ele riu, me puxando para mais perto dele, o que fez meu rosto ficar mais vermelho. - Nami, posso pedir algo? 

- Depende, vai custa caro. - Ri, logo assenti para ele continuar. 

- O que era aquilo que o Zoro fez na Robin? 

Nesse instante, senti vontade de gargalhar com aquilo, mas apenas segurei firme e expliquei o que era, detalhadamente.

- Beijo, não é. - Ele sorriu, tocando seu queixo. - Você pode me dar um? 

- Oi? - Perguntei confusa, sentindo minhas bochechas esquentarem com tal pedido. 

- Eu quero saber como é. Hancock e as outras da ilha das mulheres já tentaram comigo, mas eu não senti vontade. Mas agora...eu quero, e com você! 

- Malditas! - Falei em voz alta, expressando minha raiva.

Suspirei fundo, mesmo sabendo que aquela era minha chance, eu estava nervosa para realiza-lá. Me aproximei devagar, tocando suavemente seu rosto, olhei dentro daquele olho gulosos e inquietos, esperando pelo momento, e em instantes, minha boca havia colado na dele. Foi apenas um roçar de lábios, mas que fez meu coração dispara com tal ato, logo me separei e olhe pra baixo, envergonhada por tal coisa.

- O que achou? - Perguntei, sem olha para ele. 

- Hm. - Ele demorou para responder, até que me puxou de volta, colando nossos corpos. - Não estou satisfeito.

- Ah não? - Ri sem perceber, envolvendo meus braços em volta de seu pescoço. - E o que você quer mais?

- Você. - Ele disse, avançado em meus lábios, me deixando totalmente surpresa com aquilo.

O beijo começou simples e logo percebi que Luffy tinha jeito pra isso, estranhei tal coisa, porém ignorei. Senti a língua dele invadir minha boca com urgência, e suas mãos grandes deslizarem sobre minha cintura, me deitando em sua cama confortável. O mesmo puxou minhas coxas , abrindo minhas pernas, ficando em meio a elas. Sua boca calorosa se separou da minha, descendo até meu pescoço, dando diversas mordidas no local, me fazendo dar pequenos gemidos. 

- O-O que é isso, Luffy? 

- Eu menti. - Ele riu, agora me encarando. - Eu só queria te testar, eu não sou bobo...aprendi muitas coisas durante esses anos todos e eu queria fazer todas com você! Evitei suas provocações para no momento certo, devolver tudo.

- Maldito desgraçado, eu não tô acreditando! - Eu disse, dando diversos tapas em seus ombro. 

- Calma, foi só uma brincadeira, Nami!

- Eu vou te matar! 

- Não vou deixar. 

Ele fez seu corpo pesar sobre o meu, selando nossos lábios novamente. Senti suas mãos passarem pelas minhas curvas generosas, dando leves apertadas no local. Eu confesso que estava amando esse lado que descobri dele, era maravilhoso! E eu estava tendo ele ali, comigo, eu mal podia crer que esse tempo todo ele apenas fingiu. Não tive tempo de pensar quando senti sua mãos gulosas retirarem o pequeno vestido que estava em mim, deixando exposta minhas peças íntimas. Vi um sorriso maroto brotar nos lábios dele, se aproximou mais e começou a puxar com rápidez o pequeno pano que tinha em meus fartos seios. Olhou eles por alguns instantes e vi seus olhos brilharem, em seguida sua boca quente tomar posso dele. 

O mesmo dava chupadas e lambidas fortes, me fazendo arfar com tal movimento. Com suas mãos livres, ele retirou sua própria camisa, a jogando em qualquer canto, se perder tempo, passei minhas mãos por suas costas largas, dando leves carícias e arranhões no local. Já ia reclamar quando ele resolver parar de brinca com meus peitos, quando o vi se abaixar, indo de encontro imediatamente com a minha intimidade, rasgando ela por completo. 

- Você vai paga outra pra mim.

- Vou dar milhões  dessas pra você! 

Sorri e logo senti sua boca gulosa sobre minha intimidade, a chupando com força. Quase dei um grito com tal ato, era muito boa a sensação de seus lábios em minha parte mais sensível. Puxei com ousadia seus cabelos negros, rebolando minha cintura em seus lábios carnudos e quentes. não demoro muito para que eu sentisse falta dessa quentura, e isso me fez resmungar bastante coisas sem sentidos. Vi ele se por diante de mim, retiram sua bermuda preta junto com a cueca box cinza, ele parecia ofegante demais e eu ri com aquilo. 

- Ta doendo, Nami...

- O que está doendo, Luffy? - Perguntei, debochando dele. 

- Meu pau! - Ele quase gritou parecendo irritado com aquilo, eu ri.

- Devemos ir até o Chopper para ele ver?

- Só você pode resolver, idiota! 

- Eu sei, babaca. - Ri. - Então venha, eu estou te esperando ansiosa. 

Isso foi o suficiente para eu ver um sorriso malicioso brota em seus lábios. O mesmo se pos entre minhas perna, e eu pude sentir seu membro quente e duro pressionando minha intimidade, arfei com aquilo. Sem mais esperas, ele penetrou de um vez, e eu senti aquela dor insuportável vim com tudo, segurei firme seus cabelos e aproveitei a movimentação gostosa que ele fazia com seu quadril, começou lento e ao mesmo tempo desesperador, logo se tornou mais rápido, mordiquei meus lábios, a sensação de ter me capitão dentro de mim era a melhor! Sorri, eu venci, de qualquer forma, nosso amor era recíproco e eu estava feliz por isso. Soltei um gemido alto quando senti le abocanhar meu sei esquerdo, dando mordidas leves e provocativas. 

- M-Maldito! - Eu ri, puxando seu fios de cabelos e em resposta ele me mordeu com mais forçar. 

Gemi e chamei diversas vezes pelo seu nome, e senti que ele adorou aquilo, certamente estava se sentindo o Rei, já que era o próprio mesmo. Suas estocadas começam a ficar lenta e eu senti uma energia diferente percorrer me corpo, estava quase ao meu limite. E de um vez, ele penetrou com mais forçada e rapidez, e eu pude sentir um líquido quente invadir minha intimidade, se juntando ao meu. Haviamos gozado juntos e eu estava feliz com isso, sentir o peso dela cai sobre minha, ofegante e sem fôlego, assim como eu. Abracei suas costas, e se lei nossos lábios, em um beijo simples e ao mesmo tempo cheia de amor.

- Ok..acho que valeu a pena você ter me enganado, babaca. - Ri, separando nossas lábios. 

- Eu sei. - Disse num tom convencido. - Eu te amo, Nami. E sempre te amei.

- Estou mesmo ouvindo isso? De você?

- Não seja boba! Claro que está. 

- Eu também te amo, Luffy. Eu te amo muito! - Falei, sentindo minhas bochechas ficarem quentes. 

- Shishishishis, agora você é minha rainha, já que sou o rei. 

Sorri com aquele comentário bobo e logo juntei nosso lábios em um selinho. Me separei e encostei minha cabeça no travesseiro, fechando meus olhos. Mas antes que eu pudesse relaxar, senti maios forte me puxar, me fazendo ficar de bruços sobre a cama, senti o membro quente de Luffy roçar em minha bunda, em seguida seu corpo pesar sobre o meu,  Gemi mais ainda ao ouvir sua voz rouca sussurrar em meu ouvido.

- Quem disse que você vai dormir? Temos uma noite intera de trabalhos aqui, minha rainha. 

- Você é tão...insaciável! 




Notas Finais


Hahahah, essa foi de matar! Até mais, fofos! Espero que tenham gostado. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...