História Descobrindo O Amor - Mpreg - Capítulo 29


Escrita por:

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Visualizações 298
Palavras 4.792
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 29 - Um amor tão grande que parece transbordar


Fanfic / Fanfiction Descobrindo O Amor - Mpreg - Capítulo 29 - Um amor tão grande que parece transbordar

Ainda é muito cedo, o sol mal nasceu, mas já está escondido atrás de algumas nuvens carregadas e gotas finas de chuva caem sobre o para-brisa do carro.

― Já estamos chegando? – Gemma sussurra do banco de trás e Harry ri baixinho.

― Você está parecendo uma criança me perguntando isso de cinco em cinco minutos.

― Estou te treinando para quando for o Nathan aqui no banco de trás. – Gemma brinca e olha para o banco do passageiro ao lado de Harry, que foi reclinado e onde Louis está dormindo profundamente. ― Ele apagou logo depois que vocês passaram para me buscar.

― Ele não conseguiu dormir muito na noite passada. – Harry diz. ― O Nathan se mexeu sem parar.

― Acho que o meu sobrinho já está preparando vocês para as noites sem dormir depois que ele nascer.

― Foi o que Louis disse também. – Harry sorri ao lançar um rápido e carinhoso olhar para o namorado.

― Seu rosto inteiro se ilumina quando você olha para ele, sabia?! – Gemma comenta, os dois estão falando baixinho para não acordar Louis, que continua dormindo.

― Ainda é difícil acreditar na sorte que eu tive ao encontrá-lo... – Harry murmura. ― E em como a minha vida mudou desde então.

― Vocês dois se completam perfeitamente. – Gemma diz. ― É lindo vê-los juntos, mesmo que às vezes vocês fiquem melosos demais.

― Nós não somos melosos. – Harry revira os olhos.

Gemma ri porque eles são sim melosos de vez em quando, mas ela nunca tinha visto o irmão tão apaixonado como ele está agora e isso é algo maravilhoso, então ela não o provoca mais, vê-lo olhando para Louis daquele jeito, vê-lo feliz, amando e sendo amado assim é tudo o que ela mais queria.

― Agora estamos mesmo chegando. – ela comenta depois de um tempo em silêncio ao olhar pela janela e reconhecer a paisagem por onde estão passando.

― Sim, estamos bem perto. – Harry retruca conforme eles se aproximam mais de Holmes Chapel.

É sexta-feira e eles três decidiram partir bem cedinho para a casa de Holmes Chapel, onde ficarão até a tarde de domingo. Até convidaram os amigos e a família de Louis para a viagem também, mas todos estavam ocupados e por isso apenas Harry, Louis e Gemma estão no carro... Mas de qualquer forma terão muitas oportunidades para todos irem ate lá no futuro porque agora a casa é deles.

― Você está nervoso? – Gemma se preocupa, ela ficou tão feliz pelo irmão ter aceitado sua proposta de eles comprarem a casa e acha mesmo que foi uma boa decisão para os dois, mas mesmo assim ainda se preocupa com o jeito como ele vai se sentir ao voltar lá.

― Um pouco. – Harry admite. ― Mas estou animado também...

Harry se interrompe ao observar que Louis começou a se remexer e sorri quando os olhos azuis se abrem e se concentram nele.

― Ah, eu apaguei, não foi?! – Louis boceja e passa a mão pelo rosto e pelos cabelos que ficaram bagunçados.

― Você estava cansado, amor... Precisava mesmo dormir. – Harry alcança uma das mãos de Louis e a segura, levando-a até seus lábios e beijando-a com carinho.

― Você ficou acordado comigo na noite passada e agora está dirigindo, deveria descansar também. – Louis murmura ainda um pouco sonolento.

― Eu me oferecei para dirigir, mas ele não quis. – Gemma diz.

― Eu gosto de dirigir e não estou cansado, está tudo bem. – Harry afirma.

― Me desculpem se não fui uma companhia de viagem muito animada hoje. – Louis olha para a cunhada no banco de trás.

― Você está gerando uma criança, Louis! Precisa de descanso. – Gemma ri. ― E como meu lindo sobrinho está se comportando agora? Harry disse que ele anda agitado.

― Milagrosamente ele está bem quietinho agora. – Louis dá risada.

― Você está confortável? – Harry pergunta.

― Sim, mas estou com um pouco de fome, acho que sono e fomo é o que mais sinto durante essa gravidez!

― Eu vivo com sono e fome também e nem estou grávida, imagina só se um dia eu engravidar?! – Gemma brinca e Louis gargalha.

― Mais cedo eu avisei que estávamos indo e pedi para prepararem algo pra gente comer. – Harry diz, já que ele e Gemma fizeram questão de manter todos os funcionários da casa quando a compraram.

― Tudo bem, amor, nós aguentamos mais um pouco. – Louis acaricia a barriga e Harry sorri para ele.

A conversa entre os três continua dentro do carro enquanto do lado de fora a chuva para e eles se aproximam cada vez mais da casa.

Louis se lembra de ter percorrido aquele caminho meses antes junto com Shawn e Niall para o casamento de Liam e Zayn e principalmente de como ele não fazia a mínima ideia de que aquele fim de semana mudaria tudo. Ele está animado para voltar naquele lindo lugar, mas também está atendo às reações de Harry e ao mesmo tempo percebe que estar chegando ali lhe desperta algumas emoções que ele não imaginou que sentiria.

A casa é ainda mais deslumbrante do que Louis se recordava e quando Harry para o carro bem na frente dela, os três descem calmamente do veículo e olham ao redor. Louis se espreguiça, se sentindo um pouco dolorido, mas seu olhar vagueia em direção ao lago e ao estábulo onde ele passou um tempo conversando com Harry quando o conheceu, para o lugar exato onde o casamento aconteceu e onde eles se beijaram pela primeira vez... E olhar tudo isso novamente faz seu coração bater mais forte, mas então ele concentra sua atenção em Harry porque se estar ali já lhe provoca todas essas emoções, ele sabe que para Harry é tudo ainda mais intenso.

Harry também está olhando para cada canto ao seu redor e sendo tomado por uma forte onda de sentimentos... Aquela casa agora é dele, de Gemma e da família que ele está construindo, aquele lindo lugar não tem culpa alguma de tudo de ruim que aconteceu ali, mas é inevitável que algumas lembranças ainda existam e apareçam.

― Amor... – Louis se aproxima lentamente dele e Harry sai um pouco dos seus devaneios e passa um braço pela cintura do namorado. ― Tudo bem?

Gemma também se aproxima, parando do outro lado do irmão, e ele fica grato pelo apoio dos dois, mas não quer preocupá-los.

― Sim, tudo bem. – ele garante. ― Só é meio louco estar aqui e em uma circunstância tão diferente... Antes eu tinha certeza de que não conseguiria voltar a frequentar essa casa e agora a comprei e aqui estamos nós.

― É meio estranho mesmo saber que a casa agora é só nossa, né?! Mas é um estranho bom... É libertador não termos mais Des ou Anne na nossa vida. – Gemma diz.

― Sim, é realmente libertador e só de saber que esse lugar não pertence mais a eles já torna mais fácil estar aqui. – Harry se vira para a irmã e beija com gentileza a testa dela, depois olha para Louis e sorri quando beija os lábios dele suavemente. ― Vamos entrar de uma vez.

E quando pisa dentro da casa, rodeado pela irmã e pelo namorado, Harry olha para tudo com atenção, quase como se estivesse entrando ali pela primeira vez... A casa foi vendida com a maioria dos móveis, mas ele e Gemma pretendem fazer algumas mudanças e reformas, e é mesmo estranho estar ali, mas como Gemma disse, é um estranho bom, é diferente de todas as vezes que esteve ali antes porque ele ainda se lembra perfeitamente dos momentos ruins e dolorosos que passou naquele lugar, mas também consegue se lembrar dos bons e consegue principalmente ser capaz de imaginar um futuro melhor e repleto de momentos mais felizes.

Como já era esperado, os funcionários os receberam com a mesa repleta de comidas deliciosas e Harry acaba rindo ao ver a expressão de Louis se iluminar antes de ele cumprimentar todo mundo e começar a comer.

Harry admite que ficou sim um pouco tenso na viagem até ali, sem saber exatamente como se sentiria ou reagiria ao enfim estar pisando naquele lugar outra vez, mas agora ele tem ainda mais certeza de que ter comprado essa casa junto com a irmã foi a melhor decisão, e isso o deixa tão feliz porque o ajuda a comprovar para si mesmo mais uma vez que suas mágoas e dores do passado não interferem mais no seu presente e muito menos no seu futuro.

    ****

Depois de estarem completamente satisfeitos com toda aquela comida deliciosa, Harry e Louis decidem subir para deixar no quarto as bolsas que levaram e tomar um banho.

― Eu também preciso de um banho e depois vou conversar um pouco com o pessoal daqui, ver como andam as coisas e principalmente matar a saudade que estou sentindo dos cavalos. - Gemma diz e olha para o irmão. ― Você vai até o estábulo?

― Depois. – Harry responde e ele pretende mesmo ir, sabe que se reaproximar dos cavalos e voltar a cavalgar, algo que ele sempre adorou fazer, é mais um passo em superar o passado e seguir em frente e ele quer muito isso.

― Ok, eu vejo vocês mais tarde. – Gemma dá um beijo no rosto do irmão e do cunhado antes de seguirem para seus quartos.

Assim que entram no quarto de Harry, imediatamente Louis olha para a cama e se lembra da noite que eles passaram ali... Aquela única, explosiva e maravilhosa noite que mudou tudo para os dois!

― Tivemos apenas uma noite juntos aqui e olha só o que aconteceu. – Louis ri ao acariciar sua barriga.

Harry larga as bolsas perto da cama e volta para o namorado, parando de frente para ele e acariciando sua barriga também.

― Foi uma noite e tanto, não é?! – Harry arqueia uma sobrancelha e agora os dois dão risadas juntos. ― Eu fiquei tão louco por você que sequer pensei em camisinha e sempre fui tão cuidadoso com isso.

Louis ainda está rindo, mas depois de Harry falar isso ele mordisca os lábios nervosamente e desvia o olhar.

― Você faria algo diferente se pudesse voltar para aquela noite? – ele acaba deixando a pergunta escapar.

Harry estava começando a sorrir ao observar Louis mordiscar os lábios porque aquele gesto do Tomlinson ainda o enlouquece, mas para na hora e o olha com curiosidade.

― Tipo, se lembraria da camisinha ou... – Louis continua a falar, mas Harry o interrompe.

― Ei, você sabe que não falei nesse sentido, Lou. – ele segura o rosto de Louis com carinho e o vira para que possa olhá-lo nos olhos. ― Eu não mudaria nada, amo você e amo o Nathan... Vocês me ajudaram a mudar a minha vida, aquela noite mudou tudo, mas mudou para melhor.

― Eu também te amo e o Nathan nem nasceu ainda, mas já não consigo imaginar a minha vida sem ele. – Louis murmura. ― Desculpa pela pergunta que fiz, é só que... Não sei, voltar aqui acabou mexendo comigo também, mas de outras formas, eu fico me lembrando de quando nos conhecemos e de como tudo aconteceu tão inesperadamente.

― Bem, foi mesmo inesperado, mas eu não mudaria absolutamente nada, Louis. – Harry diz.

― Eu também não mudaria, não mesmo. – Louis afirma. ― Acho que às vezes deixo algumas inseguranças escaparem.

Louis sempre se manteve o mais calmo e seguro possível durante esses últimos meses de grandes mudanças, mas ele também tem seus momentos de incertezas, inseguranças ou medos porque ele é humano, porque ninguém é perfeito ou forte o tempo todo... E reconhecendo esse momento do namorado agora, Harry o puxa para seus braços e o tranquiliza, exatamente como Louis já fez com ele tantas e tantas vezes.

― Está tudo bem, amor, vem cá... – Harry o beija nos lábios e caminha com ele até uma das janelas do quarto. ― Sabe, eu estava parado bem aqui quando te vi pela primeira vez.

― Sério? – Louis ergue o olhar para ele.

― Sim, eu estava aqui e vi você, o Niall e o Shawn descendo da caminhonete... Eu nem conseguia ver o seu rosto direito, mas mesmo assim olhei para você e lembro com perfeição que de repente você ergueu o rosto, eu sei que estava apenas olhando para a casa, mas por um instante foi como se você estivesse olhando diretamente para mim. – Harry sorri e então aponta na direção do lago, onde aconteceu o casamento de Liam e Zayn. ― E ali foi onde dançamos e nos beijamos pela primeira vez embaixo da chuva, antes de subirmos para esse quarto, deitarmos naquela cama e mudarmos a nossa vida da melhor forma possível.

Harry acaricia a barriga de Louis, deixando bem claro sobre qual mudança ele está falando, e sorrindo ao sentir Nathan se mexer.

― Se eu pudesse voltar no tempo, a única coisa que eu faria de diferente seria sair desse quarto assim que te visse descer daquela caminhonete e te beijaria ali mesmo, sem perder tempo. – Harry sorri e Louis ofega ao sentir seus olhos marejando. ― Mas, sobre a noite em que fizemos o nosso filho, eu não mudaria nada... Aquela foi a melhor noite da minha vida, foi o meu recomeço mesmo que na época eu ainda não soubesse disso.

— Você está me fazendo chorar. – Louis suspira ao secar algumas lágrimas que foram impossíveis de controlar e escorreram por seu rosto.

― Se forem lágrimas de felicidade, então tudo bem. – Harry sorri ao secá-las junto com ele.

― Eu te amo, Harry! – Louis diz com uma intensidade tão arrebatadora que deixa Harry sem fôlego. ― E eu também não mudaria aquela noite, sempre sonhei e desejei viver um amor assim, mas não fazia ideia de que com você eu iria descobrir um amor tão forte, transformador e lindo.

Harry ainda está sem fôlego quando beija Louis, mas isso não o impede de continuar beijando-o apaixonadamente, deixando claro através dos seus lábios e das batidas aceleradas do seu coração o quanto também sente com profundidade todo aquele amor.

    ****

E amor é o sentimento que continua rodeando-os ao decorrer de todo o dia. Louis e Harry tomam um banho e acabam tirando um cochilo, acordando algumas horas depois com o barulho da chuva que voltou a cair com força.

Harry ainda planeja ir até os cavalos, mas com a chuva forte acaba deixando esse plano para o dia seguinte e por hoje fica ao lado de Louis e Gemma dentro da casa, mas é maravilhoso mesmo assim... Eles acendem a lareira e dão gargalhadas enquanto jogam alguns dos jogos de tabuleiro que Gemma havia levado, depois fazem planos para as mudanças que querem realizar na casa, já que Harry também quer montar um quarto para o Nathan ali, e juntos, pelo resto do dia, os três começam a criar novas e melhores memórias.

   ****

Quando Harry acorda no dia seguinte, estranha o fato de Louis não estar mais ao seu lado na cama, até porque na noite anterior o Tomlinson havia conseguido dormir bem melhor. Se espreguiçando, ele se vira na cama até conseguir alcançar seu celular na mesinha de cabeceira e resmunga ao ver que não são nem oito da manhã ainda, mas ele sabe que não vai voltar a dormir sem ter Louis ali e quer ter certeza de que o namorado está bem, então se levanta e caminha até janela.

A chuva do dia anterior foi embora e um sol, mesmo que ainda tímido, está surgindo entre as nuvens... Mas não é para o céu que Harry está olhando e sim para Louis, parado lá embaixo, na frente da casa enquanto conversa com James, o homem que cuida da grama e das árvores.

Só de ver Louis, Harry sente um sorriso incontrolável se formando em seus lábios... Eles já estão a meses juntos, moram no mesmo apartamento, dividem a mesma cama e vão ter um filho, mas quando olha para Louis, é como se Harry ainda o estivesse vendo pela primeira vez e em cada uma dessas vezes ele se apaixona um pouquinho mais.

Depois de ir até o banheiro, Harry se veste e desce rapidamente, ele não encontra a irmã pelo caminho e o cheiro de café e bolo que está vindo da cozinha são tentadores, mas ele continua andando até sair da casa e ir de encontro a Louis, que ainda está parado na frente da casa, mas agora já está sozinho.

― Ei, bom dia, amor. – Louis o recebe com o mesmo sorriso enorme porque ele também ainda sente seu coração acelerar toda vez que vê Harry e definitivamente ele também sente que está se apaixonando mais e mais.

― Bom dia, lindo. – Harry diz enquanto envolve Louis em seus braços e o beija. ― Você está acordado há muito tempo?

― Não muito. – Louis garante. ―Mas você estava dormindo tão profundamente que eu não quis te acordar.

― E já comeu alguma coisa?

― Já, mas posso comer de novo para te fazer companhia. – Louis dá risada. ― Vamos, o bolo de cenoura que a Clara fez está uma delícia.

Harry sorri, deixando Louis levá-lo até a cozinha e não se surpreendendo ao perceber que o namorado já está fazendo amizade com todos que trabalham na casa.

― Eu conversei um pouco com o James também, ele cuida das árvores, da grama e perguntei se nunca teve um jardim aqui, mas ele disse que não, apenas algumas flores pelos canteiros, o que eu acho uma pena.

― Podemos plantar um jardim, com sua ajuda é claro, você pode cuidar disso se quiser. – Harry diz e Louis olha para ele como uma criança que acabou de ganhar o melhor presente de natal do mundo.

― Posso mesmo?

― Claro que sim, meu amor. – Harry garante. ― Essa casa também é sua e do nosso filho, vamos passar muitos finais de semana e férias por aqui, podemos fazer tudo o que quisermos.

― Vai ser incrível. – os olhos de Louis estão brilhando e isso faz Harry pensar no sonho do namorado de morar em uma casa em Londres, uma casa com um quintal onde Nathan possa correr e ele possa ter um jardim, os dois estão muito felizes no apartamento e Harry sabe que Louis já se sente em casa lá, mas ver como ele fica animado agora com a chance de ter um jardim em Holmes Chapel faz Harry voltar a pensar nisso.

Talvez eles precisem esperar Nathan nascer e se estabilizarem em uma rotina com o bebê e com todas as mudanças que com certeza vão acontecer antes de comprar juntos uma casa e se mudarem do apartamento, mas definitivamente é algo que vai acontecer.

― Ah, eu encontrei a Gemma mais cedo também, ela saiu para cavalgar um pouco, mas disse que não iria demorar. – Louis continua a falar ainda animado.

― Vamos comer e ir até o estábulo depois ver se ela já está de volta por lá. – Harry diz e Louis assente, sabendo que aquele será mais um passo importante para o Styles.

   ****

Eles terminam o café da manhã, Louis pela segunda vez, e seguem de mãos dadas pelo curto caminho que os leva da casa até o estábulo.

― Lembra quando nos encontramos aqui? – Louis diz enquanto eles se aproximam do lugar.

― Claro que me lembro, você estava morrendo de medo dos cavalos.

― Ei, eu não estava nada, só tinha me assustado um pouquinho com um deles!

― Mas aí eu apareci e te salvei, não é?! – Harry provoca.

― Sim, meu grande herói! – Louis revira os olhos, mas os dois estão sorrindo.

E Harry continua a sorrir quando enfim entra no estábulo, mas Louis sente que ele aperta um pouco mais forte sua mão.

Gemma está lá dentro e se vira de imediato para o irmão e o cunhado, feliz por vê-los chegando.

― Acabei de voltar, o dia está perfeito para um passeio a cavalo. – ela diz com empolgação.

― Eu quero muito andar em um deles, mas acho melhor esperar o Nathan nascer primeiro, né?! – Louis ri porque de jeito algum ele subiria pela primeira vez em um cavalo com seu barrigão de quase oito meses.

― Agora que esse lugar é apenas nosso, você terá muitas oportunidades para fazer isso. – Gemma diz e então volta sua atenção para o irmão, que ficou repentinamente muito calado. ― E você, Harry? Quer tentar agora? Sei que já faz um longo tempo desde a sua última vez.

― Sim, faz muito tempo mesmo. – Harry suspira porque isso o faz pensar no cavalo que ele tinha, que tanto amava, e que Des deu um jeito de vender sem que ele soubesse.

― Você não precisa fazer agora se não quiser, ficaremos até amanhã e voltaremos para cá muitas vezes ainda. – Louis diz, não querendo que Harry se pressione muito porque ele já conseguiu tantas conquistas, tantos avanços.

― Não, eu quero. – Harry responde depois de alguns instantes. ― Isso é mais uma coisa que deixei o Des tirar de mim e está na hora de eu recuperar.

Ele ergue a mão de Louis que ainda está entrelaçada a sua e a beija antes de soltá-la e se aproximar de um dos cavalos.

― Posso te ajudar a prepará-lo para você montar. – Gemma oferece e Harry aceita a ajuda, vendo a irmã ir buscar uma das selas para colocar no cavalo.

Com carinho, Harry acaricia o animal.

― Parece que é a primeira vez que vou fazer isso. – ele ri consigo mesmo.

― Só tome cuidado, ok?! – Louis se aproxima preocupado.

― Estou um pouco enferrujado, mas vou ficar bem. – Harry o tranquiliza, se virando para beijá-lo e depois se abaixa para beijar a barriga dele também.

Com certa tensão, Louis observa Harry e Gemma preparando o cavalo e depois, com o coração batendo mais forte, ele vê Harry agilmente subir no animal.

E Harry também está com o coração acelerado... Meu Deus, já faz anos que ele esteve montado em um cavalo pela última vez e era no seu cavalo, um animal pelo qual ele tinha um amor enorme, por isso ele trava por alguns segundos ali em cima e quase pensa em desistir, mas então olha para Louis, que está claramente nervoso por ele, mas também está com os olhos brilhando com um nítido orgulho ao vê-lo tentando superar tudo aquilo, e sente seu corpo começar a relaxar.

― Você fica sexy aí. – Louis deixa escapar e Harry gargalha, sentindo o restinho da tensão de antes começar a desaparecer.

― Ai, gente, eu ainda estou aqui! – Gemma exclama, mas ela não consegue esconder o quanto também está feliz por ver o irmão fazendo aquilo.

― Ah, mas ele fica mesmo. – Louis dá de ombros, também relaxando, e em seguida pega o celular do bolso da calça e tira algumas fotos de Harry, o fazendo rir e descontrair ainda mais.

― Não vou muito longe e nem vou demorar, ok?! – Harry diz quando começa a se mover com o cavalo lentamente.

― Quer que eu vá com você? – Gemma pergunta.

― Acho que preciso fazer isso sozinho agora, mas podemos sair juntos mais tarde. – Harry diz e ela assente, compreendendo perfeitamente.

A princípio os movimentos de Harry com o cavalo são lentos e até um pouco hesitantes, mas ele precisa só de alguns minutos para se lembrar de como ama estar ali, da ligação que sente com o animal, da sensação de liberdade.

Gemma e Louis ficam lado a lado na porta do estábulo enquanto observam Harry se afastar, ganhando mais velocidade pouco a pouco até estar se movendo sobre o cavalo como se nunca tivesse parado de fazer aquilo.

Mas antes de ir para mais longe deles, Harry se vira e olha por cima do ombro para os dois... E o sorriso estampado no rosto dele diz tudo!

― Eu esperei e torci tanto para vê-lo assim de novo. – Gemma murmura e ao olhar para ela, Louis vê que a cunhada está com os olhos marejados, mas a verdade é que ele também está. ― O Harry sempre amou os cavalos, passava horas e horas cavalgando, e quando o Des tirou isso dele também foi quando eu mais o odiei... Des e Anne são horríveis e tiraram muito da gente, principalmente do Harry, mas é tão bom ver meu irmão superando tudo isso. 

― Ele me contou que Des vendeu o cavalo dele e o quanto isso o machucou. – Louis diz enquanto fica cada vez mais difícil de eles enxergarem Harry que já se afastou bastante.

― Sim, nós tentamos de tudo para encontrá-lo, mas não conseguimos.

― Você acha que ainda seria possível a gente conseguir reencontrar o cavalo dele agora? – Louis pergunta repentinamente.

― Não sei, já faz um tempo... – Gemma começa a falar, mas para. ― Se bem que na época nós éramos muito jovens e estávamos tão revoltados, agora eu tenho como contatar mais pessoas e tenho dinheiro, o que certamente pode ajudar na procura.

― E eu posso te ajudar no que for preciso. – Louis diz, ele amaria poder fazer aquilo por Harry.

― O Harry surtaria de felicidade se conseguíssemos mesmo encontrar o cavalo. – Gemma começa a se empolgar.

― Não custa nada tentar, né?! – Louis volta a olhar na direção em que Harry tinha ido, mesmo que não dê mais para enxergá-lo. ― Ele merece, só não vamos falar nada para ele, não quero que ele crie expectativas e se decepcione se não der certo.

― Ok, será um segredo nosso. – Gemma sorri largamente e passa um braço pelos ombros de Louis. ― Talvez demore um pouco, mas podemos pelo menos tentar.

   ****

Enquanto cavalga pelo campo, Harry se pergunta por que demorou tanto para fazer isso de novo... Não deveria ter permitido que as atitudes horríveis de Des o afastassem de algo que sempre amou, mas na época ele estava sofrendo tanto que se afastar parecia o melhor e talvez único jeito de evitar que se magoasse outra vez. Estar ali agora o faz recordar da primeira vez em que montou em um cavalo, ainda era uma criança e foi justamente Des quem o ensinou, a única coisa boa que ele tinha feito como pai, mas até mesmo essa lembrança não dói mais porque ao se lembrar disso, Harry pensa imediatamente no seu filho e em como no futuro será ele ensinando a Nathan... E em como ele será um pai infinitamente melhor do que Des já foi!

Harry ainda tem medos e incertezas sobre ser pai, mas agora são sentimentos que com certeza todos os pais sentem, não tem mais nada a ver com Des, com o que ele fez ou deixou de fazer.

Com o coração aos pulos de felicidade, Harry faz o cavalo parar aos poucos e olha ao seu redor, ele se afastou bastante da casa e logo já vai voltar, mas agora apenas para e fica ali por alguns instantes, respirando fundo e se sentindo, de todas as formas possíveis, mais livre do que nunca.

Quando, depois de um tempo, Harry enfim cavalga de volta para a casa, ainda está com um sorriso lindo iluminando todo o seu rosto e esse sorriso fica ainda maior quando ele vê Louis confortavelmente sentado em uma cadeira na frente da casa, o sol da manhã beijando sua pele enquanto ele tem as mãos carinhosamente sobre a barriga.

Louis olha para ele, também sorrindo, e Harry sabe que o namorado está ali apenas lhe esperando, o que enche seu coração de amor... Um amor tão grande que parece transbordar.

E naquele momento, Harry sabe que agora toda vez que pensar nessa casa só conseguirá se lembrar de que foi ali onde conheceu Louis, onde o beijou e onde mesmo de forma nada planejada e muito inesperada eles fizeram Nathan... Só conseguirá se lembrar do momento em que voltou a montar em um cavalo e sentir a mesma liberdade e felicidade que sempre sentiu ao cavalgar e como ao retornar para casa Louis estava ali lhe esperando... E mesmo que ele ainda se lembre das brigas dos pais, das gritarias, da violência ou até mesmo da traição de Jennifer com Des, essas são lembranças que ficarão cada vez mais embaçadas e indolores.

Sua intenção ao aceitar comprar a casa e ao voltar ali naquele fim de semana era encerrar mais um capítulo do seu passado e continuar seguindo em frente, mas agora ele sente como se finalmente tivesse conseguido fechar aquele livro de vez... Anne, Des, Jennifer, as dores, as tristezas e revoltas, nada disso o fere mais... E agora ele se sente tão forte e pronto para ser o mais feliz que puder.    


Notas Finais


Oii :)
Se preparem para o próximo capítulo... Prometo que será lindo ;)
Mas eu tbm amei muito escrever esse capítulo de hj pq o Harry precisava desse momento em Holmes Chapel, ele precisava voltar lá e recuperar coisas que tinham sido soterradas por todas as mágoas e decepções que sofreu... E espero que eu tenha conseguido descrever isso bem e que vocês também tenham gostado <3
Muito obrigada e até domingo que vem ;)
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...